História A floresta - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Dina Yeager, Dot Pixis, Eld Jinn, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Grisha Yeager, Gunther Schultz, Hange Zoë, Hannah Diamant, Hannes, Historia Reiss, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Kalura Yeager, Keith Shadis, Kenny Ackerman, Kuchel Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Mina Carolina, Oluo Bozado, Personagens Originais, Petra Ral, Reiner Braun, Sasha Braus, Thomas Wagner, Ymir, Zeke Yeager
Tags Erenuke, Leviseme, Morte, Riren, Sexo, Yaoi, Yuri
Visualizações 32
Palavras 3.227
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu estou sendo rápida nesta fic! Bom estou postando tão rápido os caps dessa fic pois quero igualar u numero de caps com o de outra fic minha!

Capítulo 4 - Bukter


Fanfic / Fanfiction A floresta - Capítulo 4 - Bukter

~Anteriormente~

-Ah! Não amola! *Disse o mesmo rosnando. Estava estressado, primeiro ganhou a notícia que seu precioso irmão menor tinha desaparecido, depois que sua amiga Kat estava pra retornar daqui a exatas seis horas e a primeira coisa que queria era ver Eren, depois brigou com uma tal de Hanna pois a mesma se recusava a pagar a multa por infligir o sinal vermelho, estacionas na faixa de pedestres e por comprometer um patrimônio público, depois quando ia sair da delegacia a mesma foi invadida por traficantes que exigiam que liberassem seu companheiro detido ali, isso só foi ser resolvido depois que o loiro botou todos atrás das grades e ainda por cima quando estava prestes a iniciar a operação “Resgate de Eren” sua “doce” filha o ligou pra tumultuar   ainda mais sua vida. Carolina disse enquanto endireitava mais sua luva: -Então, vamos transformados ou pretendes ir assim mesmo?

-Vamos como estamos! Soube que é aqui que fica o território dos Ackermans daqui! Se formos transformados eles podem nos achar rapidamente e se eles realmente sequestraram o Eren vou tacar o “foda-se” para o tratado de aliança e devorá-los vivos!

~Ponto de vista: Wasser Su~

Eu andava lentamente pelos campos. Amava sentir aqueles ventos acariciando meu corpo e cabelo, mas também estava à procura de minha mestra, quando acordei recebi a notícia que a mesma já tinha saído. Agradecia muito minha mestra por me trazer para cá... Lá na cidade subterrânea não víamos luz, sentíamos brisas, bebíamos ou comíamos, eu vivia de restos que repartia entre minhas três irmãs e eu. O pouco que tínhamos, quase nenhum sempre era repartido. Um tempo houve uma invasão lá dentro, alguém da superfície queria nos exterminar, por sorte minhas irmãs conseguiram aproveitar e criar uma brecha e passaram pelas escadarias que levavam a superfície, eu não consegui as seguir pois um entulho caiu sobre minhas pernas e fiquei para trás, mas disse para eles prosseguirem sem mim. Metamorfos desabrigados, sem identidade e dinheiro algum sofreriam bastante lá em cima, não precisariam de uma enferma também. Anos se passaram, o monstro que destruiu o subterrâneo foi embora depois de uma semana, acho que el queria na verdade algo que fora escondido aqui. Eu definhava sentado perto de um barracão quando uma voz meiga me disse: -O que houve, jovem?

Olhei para cima e uma bela mulher, seus cabelos alaranjados curtos batiam no início do pescoço, seus olhos verdes esmeraldas reluziam mais do que as joias, em seus lábios um leve rosado, não pude ver sua roupa pois a mesma estava usando um manto verde forte que tampava toda sua roupa.

~Ponto de vista: Eren Jaeger~

-O que houve? *Me perguntou meu amigo mais velho.

-Eu apenas cansei disso... *Respondi sem ânimo.

Ouvi uma risada gostosa e ele me disse de novo: -Disso o quê?

-Disso tudo! *Disse jogando meus braços no ar. Vi meu amigo balançar a cabaça em negação e dizer: -Do que exatamente?

-Sei lá, esse mundo na maioria das vezes parece opaco, falso, um teatro de fantoches controlados por mascarados sem sentimentos. Tudo e todos parecem desempenhar papéis cruéis, aqui é bater ou correr... cada um por si. Agora eu só tenho você, que deplorável sou nem ao menos tenho a quem pedir socorro se fores embora!

-Pode parar por ai! Sabe que eu nunca irei te deixar, pirralho. *Disse me apontando em minha direção.

---------------------------------------------------------------------------------------

Voltei pra casa para ser internado por causa da uma pneumonia.  Se eu estou bravo come ele? Claro que não, tenho mais raiva de mim mesmo que acreditou nele, ainda quero o achar e contar-lhe que já o amei, se não o amo mais? Tantos anos sem qualquer notícia dele apagou um pouco aquela chama mais ainda a sinto aqui dentro em algum lugar. O problema é que não lembro de seu rosto ou voz, isso vem indecifrável em meus sonhos e memórias, mas se há algo que nunca esqueci eram seus olhos cinzas azulados, tão afiados e gélidos que eram como armadilhas feitas pelo melhor caçador que nos transformava em suas presas que os olhasse demasiado.

~Ponto de vista: Narrador~

-Eren!!! *Gritaram o loiro e a morena sorridentes enquanto os demais olhavam surpresos para o recém-chegado, afinal quem diria que ele voltaria? Zeke e a Carolina correram e abraçaram o castanho, o médico tinha seus olhos agora esmeraldinos e isso não passou despercebido por um certo gatinho.

~Agora~

-Que bom que te achei! *Disse desesperado o loiro enquanto puxava o corpo de seu irmão mais pra si. Carolina o olhou indignada e disse puxando um braço do castanho pra si: -Como assim você achou? E eu?

-Não me apego a detalhes... *Respondeu Zeke fazendo um carinho nos cabelos do jovem que tinha um pequeno sorriso em seus lábios. Petra que até agora apenas olhava a cena com desinteresse perguntou: -Okey, muito legal esse reencontro...mais pode dizer onde se meteu que não te achamos?

-Estava numa parte mais profunda da floresta! *Respondeu Eren olhando para mesma com seus olhos brilhando como esmeraldas. Zeke disse após apertar mais o irmão em si:

-Estranho, seu rastro sumiu do nada...

-Deve ter sido algum feitiço de campo! *Respondeu calma Mina e Eren confuso com o rumo que aquilo tomava disse: -Do que vocês estão falando?

Seu irmão suspirou e resolveu contar: -Nós dois somos lobisomens... *Ao ver que o castanho ia dizer algo prosseguiu: -Nem adianta! São quatro horas da manhã e você não dormiu, só te conto mais alguma coisa depois que dormir!

Viu o irmão menor por um bico nos lábios e assentir com a cabeça e sair correndo para algum lugar, que presumiu ser onde estava sendo mantido. Depois de um tempo o mesmo se virou para os vampiros e falou: -Agora vão me dizer o motivo para terem pego o meu irmão e como foi abordagem!

Mina olhou pro lado um pouco contrariada e pensou: -O mais importante pra ele não é o motivo e sim como sequestraram o Eren... acho que ele é um irmão coruja. *Soltou uma curta risada de seu próprio pensamento.

-------------------------------------------------------------------------------------------

Eren tinha acabado de entrar no quarto pondo o gato preto sobre a cama, o mesmo cruzou os braços e ficou pensativo, agora seus olhos não estavam esmeraldinos e sem um turquesa escuro e praticamente sem vida. Isso já martelava a um tempo na cabeça do familiar que perguntou não aguentando mais sua curiosidade: -Eren, o que aconteceu com seus olhos?

O médico a olhou e perguntou um pouco desentendido: -Como?

-Seus olhos... eles estavam verdes quando viu aqueles dois lá em baixo e agora voltarão a ser como antes e uma hora lá no lago eles escureceram mais!

-Ah! Isso acontece as vezes... *Disse o rapaz se sentando ao lado do gato e continuou: -Dependendo do meu estado emocional ele muda de cor!

O gato rapidamente se converteu para sua forma humanoide em uma explosão de gotículas de água, a mesma cruzando as pernas colocando um braço sobre elas para apoiar sua cabeça comentou:

-Me explique como?

-Bom...*Começou o prodígio: -Quando estou feliz eles ficam verdes como esmeraldas, quando estou triste eles ficam quase negros, quando estou pensativo turqueses, quando arrependido um turquesa escurecido quando estou com vergonha dourados... as vezes fico com um olho esmeralda e outro dourado, isso quando estou envergonhado e feliz ao mesmo tempo, isso aconteceu uma vez quando eu era menor.

-Estranho, seus olhos só ficam turqueses escuros... quer dizer que vive arrependido?

-Eu nasci arrependido... *Respondeu Eren: -Eu sei que várias coisas ruins que aconteceram ao meu redor foram de certa forma minha causa...

-Quem são aqueles dois lá em baixo com os vampiros? *Perguntou Wasser curiosa. O jovem falou: -Meu irmão e uma velha amiga...

-Posso saber por que mentiu pra eles?

-Nossa, odeio mentir pra Mina e pro Zeke, mas não posso dizer nada a eles no momento... Eu e nem você, sabemos ao certo o que me levou até você naquele lago, até lá é melhor mantermos isso e você em segredo!

-Faça como quiser... sabe, você me lembra, minha mestra! *Disse olhando um ponto qualquer no quarto e o castanho confuso perguntou: -Por quê?

-Seu jeito, o modo como fala, os motivos que diz que tem para fazer algo e seus olhos... Esses olhos! Quando te vi a primeira vez percebi que seu olhar lembrava o dela, mas agora quando seus olhas ficaram esmeraldas pude confirmar... eles são idênticos como se fossem os mesmos!

No momento em que o familiar lhe disse isso um vento gelado bateu no corpo do jovem que sentiu o mesmo se arrepiar, algo dentro de si gritava para lembrar...mais se lembrar do que exatamente? O médico olhou mais no fundo de sua mente e algo gritou: -Pare!

Eren piscou seus olhos. O que infernos acabou de acontecer? O médico disse a Wasser: -Bom, quer me ajudar?

-Em quê? *Perguntou a mesma deitada de costas sobre a cama e o castanho respondeu: -Formularei algumas perguntas sobre os lobisomens e minha família e mais tarde ficarei na biblioteca pesquisando mais sobre os vampiros...

-Tá bom...Não vou fazer nada melhor mesmo... *Disse a mulher encarando o teto do cômodo sem se importar muito.

-----------------------------------------------------------------------------------------

Petra começou a dizer: -Fui em quem o trouxe aqui... O motivo, bom... Estamos sem ter acesso há sangue ultimamente! Alguém está dificultando nosso trabalho, há uns três dias mandamos uns dos nossos para a casa sul aqui em Paradis e informaríamos os lobisomens desta região para descobrirmos se sabiam algo a respeito disso...

Mina se pronunciou: -Tem algum suspeito?

Hange suspirou cansada e respondeu logo depois: -Infelizmente não, o que descobrimos é que ele sabe muito sobre as espécies em si!

-O que quer dizer com isso? *Perguntou sério o lobisomem loiro e a mesma prosseguiu: -Que ele provavelmente se aliou a seres de outras raças! Não podemos dizer quem por isso não levamos isso as outras tribos ainda...

-Okey, agora me diga como foi a “abordagem” do Eren?

-Tá bem...-começou Petra- Eu estava no meio da floresta, estava pensando em ir pra cidade e achar algum suicida para servir de alimento, quando vi um jovem andando atordoado e arfava um pouco. Decidi que ele seria uma boa presa, parecia frágil, perdido e acima de tudo cansado! Odeio presas com a corda toda. Estava pronta para aborda-lo quando o mesmo desmaiou n aminha frente, ele estava mais cansado do que esperava...

-Quer dizer que foi só isso? *Perguntou Zeke e ao ver a vampira assentir com a cabeça prosseguiu: -Que bom! Ele estava cansado porque tinha acabado de sair de um plantão de seis dias do hospital...

-Nossa! Por que um plantão tão longo? *Perguntou Jean surpreso. Mina respondeu calma: -Ele disse que alguns médicos não poderiam cumprir seus horários devido a problemas sérios e então ele cobriria esse tempo...

-Agora é só esperar o Eren acordar para explicar tudo a ele... *Disse Hange arrumando seus óculos.

---------------------------------------------------------------------------------------------

Wasser e Eren estavam deitados de costas no chão, ambos entretidos formulando perguntas que fariam, quando de repente o de pele bronzeada se levantou de supetão e disse: -É isso!

-Isso o quê? *Perguntou a mulher confusa e o mesmo disse: -Transforme-se logo em gato, quando chegarmos lá embaixo entenderá... posso saber algo que me ajude a descobrir porque eu te achei...

Wasser foi envolvida por ondas e se transformou novamente em um gato e pulou no colo de Eren que saiu varado pele porta do quarto. O mesmo chegou na entrada da sala onde todos estavam quase deslizando pela mesma e Zeke inqueriu confuso:

-O que faz aqui, acordado a essa hora, Eren?

-Sra. Ral, pelo o que pude entender, foi a senhora que me trouxe para cá, por acaso conhece aqueles homens? *Disse não respondendo à pergunta de seu irmão e a loira respondeu: -Que homens?


~Início do flashback: Narrador~

Eren saltou de sua cama ao ver que em seu relógio de pulso marcavam exatamente onze horas da noite. O mesmo olhou na janela ao ter a sensação de estar sendo vigiado, ele vem sentindo isso sempre que saí do hospital, mas-hoje em particular- sentiu essa “presença” persistir por mais tempo até a entrada de sua casa, mas deixou isso de lado. Esperava que seu amigo equino não estivesse enganado sobre as flores naquela floresta, pois está atrás de algo forte para avanços na medicina, afinal seu nome é bem famoso no ramo de medicina, o mesmo olhou-se rapidamente no espelho olhando seus olhos turquesas, se perguntava quando os veria esmeraldinos sem motivo a parente de novo. O mesmo se vestiu adequadamente, trancou todas as saídas da casa e rumou para floresta, mas não sem antes botar o telefone pra vibrar, não queria amedrontar os animais de lá. Ao pisar no lado de fora de casa sentiu um calafrio lhe subir a espinha e sentiu um olhar lhe queimar a nuca, o mesmo olhou em volta, porém não avistou ninguém. Algo em sua mente dizia para não sair de casa, mas outra lhe mandava sair de lá agora. Quem ele escutaria? Estava a um tempo sentindo que pessoas distintas falavam com si, porém isso era impossível... ou não? O médico decidiu ignorar tudo e seguir com seu plano adiante.

Ao chegar na entrada da floresta sentiu todo seu corpo endurecer, seu coração batia acelerado, mas por quê? O mesmo pegou seu celular, sim estava com medo e decidiu ligar para o Zeke e ficar com ele na linha, isso sempre o acalmava. Ele puxou seu celular do bolso, porém antes que pudesse usá-lo sentiu sei braço ser puxado para trás fortemente. O mesmo olhou para trás e viu uma figura encapuzada le segurar, tentou soltar-se inutilmente. Ouviu passos vindo de sua frente e se virou rapidamente vendo outra figura de capuz, esta pisou em seu celular e ditou om uma voz máscula aveludada que naquele momento soara assustadora: -Quem diria que ele viria mesma a essa floresta? Ele nunca saiu muito de casa...

O corpo do rapa tremeu, ele realmente estava sendo vigiado? Agora não sabia como se sentir... ao deixar a casa esta noite se sentira seguro, como tudo pode ficar assim? A figura que lhe apertava o pulso disse com sua voz esganiçada, mas que lhe era familiar, talvez o medo estivesse lhe pegando peças ou quem sabe lhe mostrando detalhes que nem ele perceberá ainda: -Cale a boca! Vamos por um fim logo nele!

A outra figura respondeu simples: -Não...

-Como assim “não”? Ficou doido? Se ele continuar vivo teremos graves problema cabeça de prego!

-Eu te disse que não o mataríamos, manteremos ele vivo e teremos lobisomens e vampiros em nossas mãos...

A essa altura Eren estava solto enquanto as duas pessoas brigavam entre si, sem pensar duas vezes o psicólogo correu para mais fundo na floresta. Quando os dois perceberam que o mesmo não estava lá correram em sua procura. Eren corria desesperado com sua lanterna em mãos sua mochila com mantimentos ficou para trás em sua bicicleta, sim o mesmo não tinha carteira ainda devido a sua idade, mas isso não significava que não sabia dirigir, mas optava por não desobedecer às leis em Paradis. O mesmo corria por entre as árvores até que sentiu algo o abraçar pelas costas e lhe jogar no chão. Sentiu um peso em cima de si e enxergou o homem encapuzado em cima de si, no escuro a única coisa que viu foi seus olhos que brilhavam em azul neon, o mesmo disse com a voz aveludada novamente: -Te achei!

O castanho tentou se soltar mais em vão, o homem era muito mais forte que si. Tomando coragem disse ao seu possível agressor: -O que quer de mim?

-Não posso te contar...ainda! *Alisando o rosto do castanho prosseguiu:

-Calma min engel [1]! Não te machucarei...muito pelo mesmos...

-Me solta! *Gritou se debatendo o jovem e o encapuzado o segurou mais forte e disse:-Continue a gritar e meu parceiro nos achará, e diferente de mim não terá piedade!

O médico olhou em volta e achou uma rota de fuga, se isso era estúpido de sua parte? Muito, mas de qualquer forma estava em apuros, não? O homem aproximou seu rosto do seu e disse baixamente de forma rouca soltando seu hálito quente no rosto de Eren: -Sempre quis fazer isso com você, min engel!

Naquele momento ele não intendeu nada até sentir algo macio entrar em contato com seus lábios. Não podia acreditar, estava estático. Aquele maníaco havia realmente lhe beijado? Estava surpreso mais não desperdiçaria aquela chance. Mordeu fortemente o lábio de seu agressor logo sentindo o gosto metálico lhe invadir a boca, ao ver o homem se afastar um pouco o empurrou e neste momento pode ver uma espécie de colar no desconhecido, era um escudo verde com uma cobra no meio, isso capturou sua atenção, mas sabendo de sua situação correu a mais rápido para longe de lá. Não sabia onde estava, se lhe perguntasse por onde veio não saberia lhe responder, o mesmo havia perdido sua lanterna a um tempo atrás. Aqueles olhos neon não saiam de sua cabeça, o rapaz se apoiou em uma das árvores e começou a usá-las como apoio, sentia seu corpo começar a reclamar devido a corrida e tensão que acabara de passar, e esses seis dias sem dormir estavam le fazendo falta agora. O mesmo ouviu passos vindo em sua direção, mas estava tão cansado que apenas se entregou a escuridão desmaiando.

~Término do flashback: Narrador~

Todos ouviam atentamente o relato do médico e o mesmo disse: -Então, conhece eles?

-Não sabia que tinham outras na floresta aquele dia... isso é estranho!

-Estou me fudendo pra se você conhece ele ou não! Esse filho da puta agarrou o Eren! * Disse Zeke irado, carregando sua colt. E terminou:

-Vou matar esse desgraçado! *Eren olhou o irmão tentando acalma-lo, da última vez três homens pararam na sala vermelha só porque tentaram segurá-lo. O rapaz disse: -Zeke, você não sabe nada desse símbolo de cobra?

-Me é familiar, sim...* Parou pensativo seu irmão que disse: -Eren, naquela hora ele te disse algo em outra língua, sabe dizer qual é?

-Sim, é norueguês! *Disse o castanho abraçando mais o gato me seus braços, Zeke arregalou os olhos e disse: -Bukter!

-O quê? *Perguntou desentendido o jovem e seu irmão prosseguiu: -São um grupo da Escandinávia [2]! Mas achei que eles estivessem fora de ação faz tempo...

-Não creio...isso quer dizer que quem está interferindo em nossas ações são eles! *Disse Hange surpresa.

Eren estava confuso... por que um grupo de seres mágicos antigo fora de circulação estaria atrás de si? Isso teria algo haver com o motivo de ter achado Wasser ou isso seria algo muito maior? Sua mente dava voltas e voltas e em sua mente ecoou aquela melodia:

-Tenshi to Akuma Akuma ga Tenshi demo (Anjos e demônios, ainda que demônios fossem anjos)
Seigi mo Aku mo docchi ga dou demo (O bem e o mal não teriam significado nenhum)
Kachimake nante dare no toku demo nai (Perder ou ganhar não favoreceria ninguém)
Minna ni kizutsuki naku dake (Todos estão feridos no final)

E algo dentro de si disse para ele: -Corre e foge, querido! Seu medo me chama e sua tristeza me encanta... Sabendo do bem do mundo preferimos optar pelo mal...

E sem perceber ele mergulhou em sua mente em uma possível viagem sem volta...


Notas Finais


[1] min engel: do norueguês=> meu anjo.
[2] Escandinávia=> é uma região geográfica e histórica da Europa Setentrional e que abrange, no sentido mais estrito, a Dinamarca, a Suécia e a Noruega. Num sentido mais amplo, o termo pode também abranger a Finlândia, as ilhas Feroe e a Islândia.
A música que vem tocando na fic é esta=>
https://www.letras.mus.br/dragon-ball/aku-no-tenshi-to-seigi-no-akuma/traducao.html
Muito obrigado por ler e até a próxima...
Qualquer coisa é só por nos coments.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...