História A floresta - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Dina Yeager, Dot Pixis, Eld Jinn, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Grisha Yeager, Gunther Schultz, Hange Zoë, Hannah Diamant, Hannes, Historia Reiss, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Kalura Yeager, Keith Shadis, Kenny Ackerman, Kuchel Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Mina Carolina, Oluo Bozado, Personagens Originais, Petra Ral, Reiner Braun, Sasha Braus, Thomas Wagner, Ymir, Zeke Yeager
Tags Erenuke, Leviseme, Morte, Riren, Yaoi, Yuri
Visualizações 64
Palavras 2.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, aqui está mais um cap espero que gostem...

Capítulo 5 - Aytina e Firla


Fanfic / Fanfiction A floresta - Capítulo 5 - Aytina e Firla

~Anteriormente~

No momento em que o familiar lhe disse isso um vento gelado bateu no corpo do jovem que sentiu o mesmo se arrepiar, algo dentro de si gritava para lembrar...mais se lembrar do que exatamente? O médico olhou mais no fundo de sua mente e algo gritou: -Pare!

Não sabia onde estava, se lhe perguntasse por onde veio não saberia lhe responder, o mesmo havia perdido sua lanterna a um tempo atrás. Aqueles olhos neon não saiam de sua cabeça, o rapaz se apoiou em uma das árvores e começou a usá-las como apoio, sentia seu corpo começar a reclamar devido a corrida e tensão que acabara de passar, e esses seis dias sem dormir estavam le fazendo falta agora. O mesmo ouviu passos vindo em sua direção, mas estava tão cansado que apenas se entregou a escuridão desmaiando.

O rapaz disse: -Zeke, você não sabe nada desse símbolo de cobra?

-Me é familiar, sim...* Parou pensativo seu irmão que disse: -Eren, naquela hora ele te disse algo em outra língua, sabe dizer qual é?

-Sim, é norueguês! *Disse o castanho abraçando mais o gato me seus braços, Zeke arregalou os olhos e disse: -Bukter!

E algo dentro de si disse para ele: -Corre e foge, querido! Seu medo me chama e sua tristeza me encanta... Sabendo do bem do mundo preferimos optar pelo mal...

E sem perceber ele mergulhou em sua mente em uma possível viagem sem volta...

~Agora~

Eren despertou de seu transe mais estava em um lugar completamente diferente. Parecia um campo verde inabitado e um belo céu azul. O mesmo olhava tudo sem entender nada, como pode ele parar ali? Dentre essas e outras perguntas que rondavam a cabeça do médico a que mais lhe intrigava era: por que ele estava ali?
Uma voz feminina calma se pronunciou dizendo: -Olha só quem está aqui... se não é o pequeno Jaeger!

Eren rapidamente vasculhou com o olhar seu redor até o travar numa figura feminina. Seus longos cabelos alaranjados soltos no ar, sua pele um pouco pálida brilhava um pouco sob a luz do dia, seu vestido marrom levemente acinzentado voava aos ventos, tudo isso realçava seus cálidos olhos verdes, tão verdes quanto a turmalina verdelita recém lapidada. A mulher o olhou balançou sua cabeça e prossegui com um sorriso um pouco macabro no rosto: -Tsc, tsc, tsc...não deveria ter feito isso!

-Ter feito o que exatamente? *O castanho perguntou confuso. A ruiva parou um pouco pensativa, colocou os dedos envolta do queixo soltou um “hum” e depois exclamou exaltada: -Já sei! Estais a pensar de mais, pequeno Jaeger. Sabes pelo menos onde está?

O rapaz balançou a cabeça em negação e a mesma respondeu abrindo os braços: -Isso... é a parte de você que eu comando...

Destacou o sujeito e vendo o mesmo lhe olhar confusa deu continuidade:

-Sabe, a vida é um mistério! Descobrir qual o nosso papel aqui mais ainda... por que você foi o escolhido e eu não? Claro que sou uma hibrida, mas por que um humano? Isso não faz sentido! Podia ser eu a peça que faltava no quebra-cabeça mágico, mas no lugar disso é você... um humano desprovido de mana, desconhecido do universo místico, um ser quebrado... um aptal [1]!

Eren a olhou e soltou uma risada irônica antes de dizer: -E você parecia não ter senso de humor... acha que eu ligo pra tudo isso que acabou de me dizer? Sim, sou um humano sem esse tal de “mana”, acabei de conhecer uma parte minúscula de uma partícula deste universo, sei que sou quebrado... mais apesar de tudo isso não sou um tolo! Quer ser a peça que faltava de sei lá o quê? Seja! Ninguém está te impedindo... ou está?

Ela soltou uma risada gostosa de se ouvir e falou: -És uma pessoa sincera, Jaeger...*Sua feição se fechou em questão de segundos e a mesma disse com um certo ódio no olhar: -Pena que eu odeio pessoas assim!

-Ainda não respondeu minha pergunta! * Disse o psiquiatra e a mulher respondeu: -Tá! Eu vou responder! Sim, alguém me impede de ser isso e esse alguém é... você!

-Como? *Inqueriu completamente desentendido o jovem, a mulher respondeu:

-Simples, você será quem eu deveria ser... se você morre eu tomo as rédeas e seu destino será meu... entendeu, pequeno Jaeger? *Disso o sobrenome do adolescente com desprezo. O médico respondeu olhando com seus olhos turqueses um pouco mais claros: -Claro, mas a quem devo a honra de me dizer tais palavras bonitas?

-Pode me chamar de Aytina... Porém mudando de assunto agora... a quem procuras? *Disse a mesma se aproximando do mesmo. Eren respondeu: -O quê?

-Sabe no meio das bruxas de Turquia tínhamos um ditado... “Her zaman dikkatsiz, daima susuz, ama asla dikkatsiz. Kapanmasına dikkat et, daima sevilmek ister! [2]” ... Duvido que já tenha o ouvido...

O médico a interrompeu: -Não se preocupe, já ouvi isso sim! Minha mãe me disse isso uma vez... se estais em minha cabeça não sabe já quem é?

-Infelizmente não... as imagens vêm em borrões... mais como sou uma bruxa posso te ajudar... que tal?

-A tá! Deixe-me ver... Não! Você acabou de me dizer que que me quer morto, não tem porque eu aceitar qualquer acordo com você!

-Nossa, eu só te quero morto não o seu mal! *Terminou a frase deixando um sorriso largo em sua boca, o médico suspirou e disse: -O que não lhe permite saber quem procuro?

-Você não se lembra do rosto dele nem da voz, só daqueles olhos cinzentos... e infelizmente eu só sei o que você sabe e me permite saber! É um dos males de estar presa a ti...mais agora que estas aqui posso resolver isso...

Antes que ela pudesse fazer algo outra voz feminina pode ser ouvida:

-Já chega Aytina! Deixe-o em paz!

Eren olhou para o lado da ruiva e viu uma mulher muito parecida com a mesma só que com algumas pequenas diferenças; como os cabelos que eram mais claros, os olhos turquesas escuros, a pele mais clara e vestia um vestido branco. Seu olhar era diferente de Aytina, demostravam algo oposto, um arrependimento a mesma prosseguiu: -Sabes bem que ele não tem culpa de nada...

-Era só o que me faltava, você tinha que estragar meu plano...

Disse a mesma cruzando os braços e fuzilando a recém-chegada com os olhos, e em resposta a mesma disse se voltando para Eren: -Perdoe as ações de minha irmã, pequeno Jaeger! Eu ma chamo Firla, desculpa o incomodo mais já está na hora de voltar...

-Espere! Quem vocês são exatamente? *Perguntou o jovem rapidamente e Firla respondeu com um pequeno sorriso no rosto: -Isso não podemos dizer ainda... mais isso será te dito daqui há pouco!

Antes que ele pudesse dizer algo a mais se viu sozinho ali e todo o cenário se quebrou como vidro revelando um lugar completamente vazio e negro o mesmo estava disposto a descobrir que lugar era aquele, mas de repente sentiu uma dor de cabeça e sentiu suas pálpebras pesarem e se fecharem. Ao reabrir seus olhos viu que estava novamente em seu quarto, se estava confuso? Com certeza, estava prestes a levantar quando sentiu algo quente perto de seu rosto, ao olhar percebeu um certo gato preto a dormir ali. “Por que Wasser ainda estava de felino?” se perguntou o castanho, talvez alguém da casa estivesse por lá, Zeke entrou no quarto como um raio enquanto gritava: -Não! Já te disse Mina, eu vou cuidar do meu irmão, não preciso nem um pouco da sua ajuda!

Carolina entrou no cômodo e disse: -Mas eu estou preocupada e quero ajudar!

O loiro se virou para retrucar, mas foi interrompido por Eren que falou:

-Okey, o que está acontecendo?

Zeke e Mina gritaram na mesma hora: -Eren! *Os dois iam ao encontro do jovem, porém o lobisomem loiro empurrou a morena e abraçou o caçula.  O médico sem intender nada perguntou: -O que aconteceu?

-Você não lembra? *Questionou Mina acariciando o braço que bateu na parede e ao ver Eren negar continuou: -Você apagou depois de nos contar sua história...

-Eu gostaria de meditar um pouco se me permitem... *Zeke fez um bico nos lábios e disse: -Okey... volto daqui há umas três horas....

Eren assentiu vendo os dois se retirarem... O mesmo sacudiu Wasser que abriu os olhos e ele disse: -Precisamos conversar!

O gatinho se espreguiçou e soltou um miado baixo antes de explodir e voltar a ser a familiar que disse: -O que houve?

-Pode me explicar, que diabos é mana?

-Todo ser mágico tem mana, é tipo uma assinatura... entendeu? Quando algum crime acontece no universo mágico procuramos requisitos de mana no local para tentarmos achar o culpado.

-Quanto tempo essa “mana” fica no local?

Wasser cruzou as pernas e disse simplista: -Uma semana ou dose dias, por quê?

-Isso significa que se formos na floresta agora ainda teremos chance de detectar algo na mana? *Disse pensativo e a mulher respondeu: -Sim, isso nos levaria ao cara que te agarrou na floresta e na possível bruxa que te levou ao meu encontro...

-Vamos! *Disse pegando seu sobretudo pensando seriamente em mandar Zeke ir em sua casa buscar roupas novas...

---------------------------------------------------------------------------------------

Eles já se encontravam no aglomerado de árvores quando Wasser disse:

-Okey, me dê um minuto que me prepararei para acharmos a mana...

~Enquanto isso em um lugar bem distante~

O sol estava escondido pelas nuvens, e o frio reinava. Claro o que se esperar da Noruega? Pessoas andavam de um lado para o outro, agasalhadas mais já acostumadas ao frio, menos um ser ali. O mesmo vestia um sobretudo preto, um cachecol cinza, protetores de orelhas marrom, o mesmo soprava suas mãos que mesmo de luvas sentiam frio. Seu cabelo negro cortado em um estilo militar, seus olhos... e que olhos. Os mesmos eram um cinza azulado, que chamavam a atenção por parecerem um mar cheio de armadilhas desposto a te fazer cair e se afundar nele. O mesmo perecia impaciente e irritado, normalmente não sentiria frio, mas algum infeliz jogou um balde de água fria em si, por sorte o desgraçado fugiu, mas deixou o moreno completamente enxercado. Um homem alto se aproximou dele, seu cabelo loiro cortado também em estilo militar, seus olhos azuis como o mar, o mesmo trajava um casaco marrom, um cachecol verde, andava com as mãos no bolso e tremia levemente. Ao chegar perto do moreno, que ao ver o mesmo se aproximando parou de demonstrar sentir frio, disse: -Então, Levi...descobriu alguma coisa?

-Depende... *Respondeu simples: -Por que demorou, Erwin?

O loiro disse soltando uma fumaça branca: -Hange me ligou...

-O que a quatro-olhos queria desta vez? *Levi perguntou revirando os olhos, seu amigo respondeu: -Disse que está com um humano na mansão e que quer permissão para dessecá-lo!

-Era só o que me faltava! Como ela pode fazer isso? *Perguntou irritado e Erwin apenas respondeu: -Ela não entrou em detalhes apenas disse que espera nosso retorno para discutir isso...

-Okey, daqui há dois dias retornaremos... *Respondeu o mesmo colocando as mãos nos bolsos e começando a caminhar. O loiro apertou o passo para se por em seu lado e inqueriu surpreso: -Mais e enquanto o Pixis?

-Lembra sobre o que me perguntou há pouco? *Esperou a confirmação do outro que não tardou a vir e prosseguiu: -Bom, descobri que o filho da puta saiu da Noruega ontem... ficaremos para resolver algumas coisas e depois voltaremos para resolver a merda que a quatro-olhos fez...

-Compreendo... *Falou Erwin olhando para o lado. Um rapaz passou correndo esbarrando em Levi que disse: -Olha pra onde anda, porra!

Ao ver que o mesmo já tinha saído do seu campo de visão bufou irritado, antes de sair dali viu caído no chão um pingente verde com o desenho de uma cobra no meio. Ele pensou:

-Interessante...

Gradou o objeto no casaco e voltou a andar, tinha que resolver tudo e voltar urgentemente para casa, vai saber o que diabos Hange estava fazendo com aquele humano. Ele andava lentamente quando ouviu algo que lhe chamou a atenção. Um menino pequeno descoita com a mãe dizendo que sabia se cuidar muito bem; ele não pode evitar deixar um sorriso escapar, aquilo lhe lembrava de seu pirralho... será que ele estaria bem? Isso transformou seu sorriso de alegria num nostálgico. Erwin se aproximou e ditou: -Está pensando nele de novo, né?

Levi apenas assentiu com a cabeça, o loiro era o único que sabia desse fato. E não o questionou, apenas disse que isso era certo visto que a criança poderia sofrer se envolvendo com ele. O que ele não sabia era que Eren estava destinado a se envolver consigo de um jeito ou de outro... os dois caminharam na direção de uma lanchonete ali perto, não comiam nada desde manhã.

~Em Paradis em algum lugar da floresta~

O homem encapuzado de antes estava a discutir com alguém no telefone quando disse: -Tenha calma! Eu sou o chefe aqui ou já esqueceu? Eu vou pôr o plano me prática daqui a dois dias sem falta... entendo...então ocorreu tudo certo aí na Noruega...okey, já pode voltar...sim, até mais!

O mesmo bufou ao encerrar a ligação. Droga, por que que aquele maldito Ackerman tinha que está na Noruega logo agora? Sem falar naquele traidor do Pixis... como ele consegue sumir sempre?

O mesmo olhou para o céu e disse: -Pelo menos algo bom me aconteceu...certo, min engel?

Ele começou a rir de uma forma assustadora e pensou: -Desta vez ninguém nos separará, nem mesmo aquele Ackerman maldito...

Um pouco distante dali Wasser acabou sua análise e olhando para Eren perguntou: -Isso não pode estar certo...o que exatamente te trouxe aqui?

-Ouvi uma música que vinha daqui e me trouxe para uma lápide que não está mais aqui...

Wasser colocou a mão no queixo de forma pensativa e deu um salto como se tivesse se lembrado de algo mais antes que pudesse fazer algo um vento forte soprou carregando uma friagem que fez Eren se abraçar. Uma voz doce cochichou: -Ei, aquele não é o filho da Carla e do Grisha Jaeger?

Outra respondeu: -Aquele que o Ackerman gosta? Que achado...

O castanho confuso disse: -Como?

Wasser se pôs na frente do mesmo em pose defensiva. A primeira voz disse: -Deveríamos matá-lo afinal não gostamos nem um pouco dos Jaegers...

-Concordo plenamente... *Disse a outra voz. Uma melodia doce e calma começou a ecoar. Era como se tudo que tivessem escutado antes estivesse desaparecido. Wasser teve a sensação de ouvir sua mestra lhe chamar, já o médico sentiu que aquele a quem procurava lhe chamava.

A familiar rapidamente segurou Eren pelo pulso e correu.

~Enquanto isso na mansão~

Zeke entrou no quarto dizendo: -Sei que disse que iria esperar três horas, mas estou muito preocupado e... Eren?

Olhou ao redor e não viu seu irmão, o mesmo fungou o ar e descobriu que o mesmo estava na floresta. E resmungou: -Merda!

Ele saiu varado, não podia deixar seu irmão cair nas garras daqueles malditos...

~De volta a floresta~

Wasser corria puxando o médico que perguntou confuso: -O que está acontecendo?

-São os espíritos da floresta! *Disse a mulher ofegante e Eren perguntou:

-Então por que não perguntamos a eles sobre os caras que vimos antes?

-Não dá, Eren! Eles sabem quem você é...

-E o que isso tem de mais?

-Espíritos da floresta só sabem os nomes daqueles que querem mortos! E acho que eles têm a ver com os caras que mencionou antes...

-Por quê?

-Naquela floresta descobri as duas manas, uma sendo do seu agressor e outro pertencia a minha mestra... Ayla Firtina!

-Como? *Disse surpreso e assustado o jovem.


Notas Finais


Bom, qualquer coisa é só deixar nos coments...
[1] aptal=> do turco: tolo
[2]“Her zaman dikkatsiz, daima susuz, ama asla dikkatsiz. Kapanmasına dikkat et, daima sevilmek ister!"=> do turco: "Sempre descuidado, sempre com sede, mas nunca desatento. Cuidado com o fechamento, sempre quer o ser amado!''
Bom, aqui deixarei os links das minhas outras duas fic riren, que puder dá uma olhadinha:
Livre! =>
https://www.spiritfanfiction.com/historia/livre-13179596
Par destinado=>
https://www.spiritfanfiction.com/historia/par-destinado-13926139


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...