1. Spirit Fanfics >
  2. A Florista >
  3. Capítulo 28

História A Florista - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Amores, na fic do Tae eu expliquei porque estava afastada, mas agora estou bem e minha criatividade está voltando. Espero que gostem do capítulo, beijos....

Capítulo 28 - Capítulo 28


Fanfic / Fanfiction A Florista - Capítulo 28 - Capítulo 28

— Ali, você precisa comer melhor, pensa no seu bebê - disse Mia mais uma vê

— Eu já comi, não adianta forçar que não desce - falei para a mesma

— Precisa se esforçar mais - disse ela me olhando triste

— Você tem visto ele? - perguntei e ela bufou olhando para o chão

— Esquece o Jungkook meu bem, sua mãe ligou e está preocupada - disse ela

— Depois eu ligo para ela - respondi me deitando na cama e ela suspirou logo sorrindo

— Sua barriguinha de três meses já está um pouco visível - disse ela e eu sorri tocando a mesma

— Eu percebi - comentei — Minha mãe quase infarta, mas agora só fala no neto(a) - Mia sorriu

— Esse bebê será muito amado amiga - disse ela

— Menos pelo pai - disparei e ela me olhou triste

— Quem sabe um dia ele não crie juízo e perceba a burrada que fez - eu assenti e logo a campainha tocou — Vou atender - assenti novamente e ela saiu.

Estou morando com Mia desde que sai da casa dos Jeons, pensei em voltar para a casa da minha mãe, mas a mesma está morando com o namorado e eu não quis atrapalhar, então Mia me trouxe para morar com ela, no começo eu não queria, mas ela me convenceu. Taehyung sempre vem me ver, ele sabe da gravidez e se sente culpado pelo o que aconteceu.

Ouvi vozes na sala, parecia uma discussão, então coloquei meu hobby e abri a porta do quarto indo até a sala. Ao adentrar o local senti minha pressão cair levemente quando meus olhos encontraram os dele, então me segurei na parede.

— Vai embora Jungkook por favor - pediu Mia

— Eu não estou aqui porque quero e sim porque eu preciso - disse ele

— O que está acontecendo? - perguntei

— Nada Ali, volta para o quarto, você está pálida - diss ela ao se aproximar de mim

— Ele quer falar comigo? - ela assentiu

— Eu estou aqui, parem de me ignorar - disse ele irritado

— Diga o que você quer Jeon - falei me sentando no sofá com Mia ao meu lado, ele me olhou parecendo me analisar. Estava na cara que eu não estava bem, eu estava mais magra e palida. Estava cobrindo a barriguinha com o hobby, ele não quis sentar e então começou a falar.

— É meu avô, ele não mais o mesmo desse que você saiu de casa e piorou de seus problemas de saúde. Passou essa última semana internado, mas já voltou para casa e pediu para te ver. Na verdade ele vem pedindo a um tempo e agora mais nunca ele precisa pelo menos vê-la, então eu vim pedir que vá vê-lo, pois eu tenho medo de que o pior aconteça e eu não tenha realizado o pedido dele por orgulho - disse ele parecendo triste

— Porque não me contaram antes? O Sr. Jeon é como um pai pra mim e é claro que eu vou vê-lo - falei

— Ali, talvez seja melhor você não ir - disse Mia e Jeon a olhou surpreso

— Vai ficar tudo bem Mia, eu vou me trocar e vou vê-lo - falei

— Ok, eu espero para levá-la - agora fui eu quem se surpreendeu

— Não precisa, eu pego um táxi - falei e ele negou

— Não seja teimosa, vá se trocar - eu suspirei e fui até meu quarto, coloquei um vestido soltinho e um casaco por cima, estava frio bebeu não queria que ele percebesse o pequeno volume em minha barriga. Quando voltei para a sala os dois conversavam.

— Vamos - falei e ele concordou

— Qualquer coisa me liga imediatamente - disse Mia e eu agradeci

Já no carro do moreno no caminho até mansão estava silencioso. Lembranças daquele carro me vinha a cabeça, o que me fez quase chorar ali.

— Você está doente? - perguntou ele quebrando o silêncio

— Porque a pergunta? - rebati

— Está mais magra e pálida - comentou ele

— Andou me observando? - questionei

— Não é preciso, está na cara - disse ele

— Apenas um probleminha no estomago, nada demais, já já eu fico bem - menti e ele pareceu acreditar. Quando chegamos a mansão fui direto ao quarto do senhor Jeon, o mesmo ficou surpreso ao me ver.

— Menina Alice? É tão bom te ver - sorri e abracei o mesmo

— Também senti sua falta, senhor é muito especial pra mim - falei

— Não era pra você ter ido embora, essa casa é minha e as burradas do meu neto não deveriam interferir nisso - disse ele

— Então o senhor acredita em mim? - perguntei com os olhos marejados e ele assentiu

— Conheço você e sua família, sei que jamais faria algo desse tipo, também sei quem está por trás disso e não vou morrer até desmascarar aquela cobra - disse ele

— Obrigada - o abracei novamente

— Como está meu bisneto? - perguntou ele e eu o olhei surpresa

— O médico que te atendeu é meu amigo e também eu forcei Mia a me contar - disse ele e eu sorri

— Ele está bem - falei

— Estou te achando tão magra e pálida, tem certeza que está bem? - perguntou aflito

— Apenas não consigo comer direito, sinto muitos enjôos e quando como acabo colocando tudo para fora, o médico disse que é normal nos primeiros meses e que logo logo passa - respondi

— Posso tocar? - olhou para a minha barriga e eu assenti, abri meu casaco o vi sorrir — Estava pequenina ainda, mas já dá pra perceber - comentou ele e eu sorri assentindo, então ouvi algo atrás de nós.

— Você está grávida? - olhei surpresa para a porta e vi Jungkook ali parado, fechei o casaco rapidamente e limpei o rosto que continham lágrimas de emoção — Não adianta esconder agora que eu já vi e ouvi o que falavam - disse ele

— Meu neto por favor se acalme - disse o senhor Jeon

— Estou calmo vovô, eu só quero saber quem é o pai, Taehyung ou eu? - olhei incrédula para o mesmo

— Chega Jungkook, chega dessa teimosia meu neto - disse o senhor Jeon

— Por favor senhor Jeon, não se altere - disse tentando acalma-ló — Acho melhor eu ir, volto outro dia - disse abraçando o mais velho e saindo pela porta, Jungkook me seguiu, claro.

— Estou esperando a sua resposta - disse ele assim que chegamos no corredor

— Não preciso responder isso, acredite no que quiser. Pra você eu sou uma qualquer, então porque ainda tem dúvidas da paternidade do meu filho? - questionei

— Me responde Alice - ele estava nervoso, eu ignorei e continuei andando, mas ele me segurou me virando contra seu corpo — Responde porra - disse alterado e eu o empurrei, o mesmo não se mexeu.

— Você é um idiota Jungkook, eu te odeio, odeio tanto, porque você é babaca estupido - bati em peito com nós dois punhos fechados — Eu te amei tanto, eu me entreguei a você de todas as maneiras e você se deixa envenenar pela cobra da sua mãe dessa maneira - eu estava gritando enquanto batia no mesmo que estava sem reação — Você foi o único homem que me tocou, o único, está sendo injusto comigo e com Taehyung. Ele é seu melhor amigo Jungkook, jamais fariamos isso com você, mas sei que no fundo você sabe que tem a mão inteira da sua mãe nisso, mas é burro demais pra se dar conta - minhas mãos diam pelos socos dados no moreno, que aguentava tudo estático — Eu tenho pena de você Jungkook, vai perder a mulher que te ama e o primeiro filho porque é idiota demais pra ver o que está na sua cara - ele segurou meu pulso — Mas está tudo bem, não precisamos de você, só peço que nunca nos procure quando perceber que está errado esse tempo todo - me soltei do mesmo indo até a escada, eu estava chorando e só queria sair dali. Então senti minha vista escurecer, teria caído da escada se Jungkook não me segurasse, sentir seus braços em volta da minha cintura e então apaguei.

Acordei assustada, olhei ao redor e reconheci o quarto de Jungkook, o local estava um pouco escuro e com uma temperatura gostosa. Pensei que tudo o que aconteceu nos últimos meses foi um pesadelo, mas logo a realidade caiu sobre mim. A porta abriu e vi Jungkook entrar com uma bandeja em mãos, ele estava sério e eu apenas me encolhi ao vê-lo.

— Como está se sentindo? - perguntou ele

— Bem, eu acho - passei a mão por minha barriga

— O médico da família veio lhe ver, disse que precisa se alimentar melhor e que não sofrer estresse, por isso desmaiou, você teve um pico altíssimo de estresse - disse ele

— Ok, acho melhor eu ir agora, Mia deve está preocupada - falei me sentando na cama pronta pra me levantar

— Você vai ficar aqui, já falei com Mi, eu tenho o direito e obrigação de cuidar de você nesse momento, afinal estamos falando da sua saúde e de meu filho - o olhei surpresa ao ouvir o mesmo chamar o bebê de filho, mas não falei nada — Trouxe algo saudável para você comer, foi recomendação médica - disse ele

— Obrigada - disse pegando a bandeja, eu consegui comer sem por tudo para fora e isso me deixou feliz. Jungkook me observava calado, eu acabei de comer, coloquei a bandeja em cima da cômoda e vi o moreno sentou na cama aí meu lado.

— Posso? - perguntou olhando para minha barriga e eu assenti, o moreno acariciou a mesma me deixando arrepiada. Vi uma lágrima descendo em seu rosto e ele limpar — Será que vou ser um bom pai? - questionou ele

— Eu acho que sim - falei e ele sorriu levemente

— Descanse, você precisa repor as energias e eu preciso colocar as ideias no lugar, amanhã conversamos - eu assenti e ele sorriu saindo do quarto. Toquei minha barriga e fiquei ali pensando no que havia acontecido e com esperança de que agora as coisas melhorem.


Notas Finais


Se cuidem, evitem sair de casa e contato físico. Lavem bem as mãos e usem álcool em gel, como uma das pessoas em risco eu estou com muito medo , ainda mais agora que temos o primeiro caso confirmado no Pará.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...