1. Spirit Fanfics >
  2. A forbidden love - Draco Malfoy >
  3. What I would do?-one

História A forbidden love - Draco Malfoy - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


🦋Boa leitura🦋

Capítulo 1 - What I would do?-one


Fanfic / Fanfiction A forbidden love - Draco Malfoy - Capítulo 1 - What I would do?-one

「1991」

Era verão, estávamos todos sentados tomando café da manhã, enquanto o papai pegava as cartas no local da porta por onde o carteiro as deixava.

Hm... Parece que tem uma carta para a senhorita— disse o homem se sentando a mesa e entregando uma das cartas para a mais nova.

Pra mim?— perguntei incrédula, por que uma garota de 11 receberia uma carta?

Eu olhei o envelope aonde estaria escrito "Hogwarts" em um brasão, só me faltava descobrir o que era. Abri o envelope e comecei a ler a carta em voz alta para que meus pais também pudessem ouvir.

"Cara senhorita Sophie Jackson

Temos o prazer de informar que vossa senhoria tem uma vaga na escola de magia e bruxaria de Hogwarts. Estamos anexando uma lista dos livros e equipamentos necessários junto a esta carta.

Estamos muito ansiosos para receber você em nossa escola."

Pera, escola de magia e bruxaria? Isso existe? Olhei rapidamente para meus pais e eles estavam com uma cara de espanto, logo continuei a ler.

"Lista de material:

Livros-

-Livro padrão de feitiços(1° série)

- Guia de transfiguração para iniciantes

- Mil ervas e fungos mágicos

-Bebidas e poções mágicas

-As forças das trevas: Um guia de auto-proteção

Roupas-

-Chapéu pontudo simples

-2 suéteres (simples ou colorido)

-2 camisas

-1 sapato

-2 gravatas

-3 vestes simples

Matérias-

-50 pergaminhos

-3 penas

-1 kit de frascos

-1 caldeirão estranho, tamanho padrão 2

-1 kit de ingredientes para poções

-1 varinha".

Isso... Isso é real?— olhei para os dois a minha frente que se entre olharam.

É... Filha nós— dizia minha mãe até ser interrompida por meu pai.

Você não vai!— disse o homem curto e grosso.

Mas por que?

Sophie você não vai e pronto!— ele terminou e se levantou, pegou sua maleta e saiu de casa.

Filha... Melhor você ir pro seu quarto, comversamos sobre isso depois— ela beijou minha testa e saiu do cômodo.

Eu nunca entendi ao certo o por que de meus pais odiarem tanto o mundo bruxo e não me deixarem ir pra lá, eu só sei que nem tocar no assunto eu podia, porque ou meu pai gritava comigo ou simplesmente ignorava o que eu havia falado, e foi assim por longos e tediosos 4 anos.

「1995」

Era mais uma manhã ensolarada, estavamos tomando café na cozinha quando o carteiro passou entregando as cartas, rapidamente eu fui lá pegá-las, fui passando as carta até encontrar a tão esperada carta de Hogwarts, a guardei e então entreguei as demais para meus pais.

Eu já vou subir— comuniquei a eles e subi para meu quarto.

Eu não sabia como, mas eu estava decidida a fugir para a tal escola de magia e bruxaria, talvez eu estivesse ficando louca, mas desde que meus pais descobriram que eu fui "escolhida" para a tal escola, eles mudaram, mudaram pra pior e eu sei que parece doidera, mas eu sentia que tinha que estar lá.

[...]

A noite já havia caído, eu já tinha arrumado minhas coisas, eu pensei 500 vezes se aquilo era a escolha certa, mas como dizem, a vida é só uma, talvez eu me arrependensse disso depois. Eu peguei minha mala e desci em silêncio as escadas, fui até a cozinha deixando um bilhete na geladeira.

"Querida mãe e pai,

Sei que devem estar preocupados, mas não fiquem, eu decidi que eu preciso ir para Hogwarts, não sei explicar mas eu sinto que lá é meu lugar, eu espero que vocês me perdoem algum dia.

Beijos, assinado Sophie"

Me direcionei até a saída da casa, soltei um longo suspiro pensando se era aquilo mesmo que eu queria, mas não adiantava eu já tinha decidido, saí de casa e comecei a andar pela rua deserta e escura, eu não tinha noção de onde ir exatamente, mas eu li em alguma das cartas sobre um tal "caldeirão furado", eu só não tinha certeza de como chegar lá.

Eu estava andando pela calçada quando ouvi um barulho, parecido com um ônibus, em segundos o ônibus parou na minha frente, um homem alto e magro que usava boena.

Bem vinda ao noitibus! O transporte público para bruxos e bruxas perdidos, meu nome é Stan Shunpike e eu vou ser seu conduror essa noite!— disse o homem lendo sua fala em um papel.

Pra onde exatamente esse ônibus vai?— perguntei ao rapaz.

Para onde você precisar ir— ele desceu do ônibus e pegou a mala da minha mão.— Eu guardo isto, e você entre logo, não temos a noite toda

Entrei no ônibus aonde tinha várias... Macas? Ok isso não faz sentido, mas de 4 anos pra cá nada faz sentido. O homem de boena disse alguma coisa para o motorista que logo deu partida, o ônibus começou a andar em alta velocidade me fazendo praticamente voar pro fundo do ônibus. Durante o caminho o ônibus aumentava e diminuia a velocidade, se esticava e se encolhia, não demorou muito tempo para o transporte parar em frente a um lugar velho, o homem de boena me levou até a porta, eu sai e ele largou minha mala.

Prontinho, o caldeirão furado— o homem disse e o ônibus deu partida novamente, em alta velocidade logo sumindo do meu campo de visão.

Olhei para o local e adentrei o mesmo, havia várias pessoas no local, um homem meio corcunda veio até mim.

Senhorita Jackson?— disse ele.

Eu?

Dumbledore pensou que você viria algum dia, temos um quarto reservado para você, siga-me

O homem começou a caminhar no meio das pessoas, subiu uma estreita escada e parou em frente a uma porta de madeira velha, ele a abriu e fez um jesto para mim entrar, eu adentrei o cômodo e então ele se retirou, eu soltei um longo suspiro pensando na loucura que eu estava fazendo, guardei a minha mala e me deitei na cama caindo no sono.

[...]

No dia seguinte acordei com o sol batendo no meu rosto e um barulho extremamente alto de pessoas conversando no andar de baixo, me levantei, me arrumei e desci para o andar de baixo, agora eu tinha que arrumar um jeito de comprar os materiais. Assim que eu desci eu olhei para dois garotos simplesmente idênticos, altos e ruivos, eles pareciam conversar e rir sobre algo, fui até eles na esperança que pudessem me ajudar com algo.

Com licença?— minha voz saiu mais baixo do que eu planejava, porém foi o suficiente para os dois garotos de cabelos de fogo me olharem.

Olá, a bela moça precisa de ajuda?— disse um deles.

Vocês estão indo para Hogwarts?

Uhum— respondeu o outro.

Eu sou er... Novata, nessa coisa de bruxa, eu queria ajuda pra comprar os materiais, se vocês quiserem me ajudar claro— sorri de forma amigável.

Nós adoraríamos lhe ajudar, aliás eu sou George Weasley— disse o garoto ruivo.

E eu sou Fred Weasley, prazer— disse o outro garoto sorrindo.

Eu sou Sophia Jackson, prazer

Meninos, vamos, vocês não querem perder o horário, querem?— disse uma mulher com os cabelos ruivos se aproximando dos gêmeos.— E você querida, quem é?— disse ela me olhando.

Eu sou Sophie prazer— eu sorri.

É o primeiro ano dela em Hogwarts mãe, nós queríamos ajuda-la— disse Fred.

Você não está meio grandinha para ser seu primeiro ano mocinha?

É uma longa história— eu ri de nervoso.

Bem, então venha, os meninos vão te ajudar, aliás eu sou Molly Weasley prazer— a mulher sorriu de forma amigável.

Nós fomos para o fundo do local, a mulher dos cabelos ruivos bateu algumas vezes na parede e então uma passagem se abriu para uma rua movimentada cheia de lojas.

Até que emfim vocês vieram— disse outro garoto ruivo, pouco menor que os gêmeos.

A Sophie, esse é Ron—disse George apontando para o irmão.— Aquela é Gina, Hermione e Harry— disse enquanto apontava para eles.

Prazer— sorrio.

Você vai pra Hogwarts?— perguntou a garota de cabelos rebeldes e encaracolados.

Apenas assenti que sim com a cabeça, Molly caminhou com a gente pelo local cujo o nome era beco diagonal, aquele lugar era mágico... Literalmente. Nós compramos os livros e os outros materiais.

Harry querido, leve a Sophie para comprar a varinha dela por favor— disse a mulher com voz calma.

Claro— disse o de óculos.— Me siga

O moreno caminhou até uma loja cheia de janelas chamada Olivaras, abrimos a porta que logo fez um fraco barulho de sino então um homem velho, de cabelos arrepiados e brancos apareceu atrás do balcão.

O senhor Potter, quanto tempo— disse o homem.— O que seria para vocês hoje?

Uma varinha para ela— disse Harry.

O sim... Como é seu nome garotinha?

Sophie... Sophie Jackson

Vejamos senhorita Jackson—disse o homem enquanto caminhava pela loja pegando algumas caixinhas.— Venha cá

Caminhei até o balcão aonde o homem colocava as pequenas caixas.— Hm... Talvez essa— ele abriu uma das caixas que continha uma varinha de cabo preto, um pouco torta.— Pode pegar

Peguei a varinha de dentro da caixinha e olhei para Harry "pode testar" fiz um movimento com a varinha e um raio de luz saiu descontrolado pela loja derrubando algumas caixas.

É... Não... Talvez esta aqui— ele abriu outra caixinha e me entregou.

Abri a caixinha e peguei uma varinha completamente preta, com alguns detalhes e uma pedra no cabo, fiz um movimento com ela, e novamente saiu um raio de luz dela, porem esse eu consegui controlar com a varinha.

Perfeito— disse o homem.

Muito obrigada Sr. Olivaras, mas nós precisamos ir— disse Harry.

Nós saimos da loja de varinhas e então fomos em direção da família Weasley e de Hermione, nós acabamos de comprar o resto das coisas e então fomos para a estação de trem. Molly deu os bilhetes do trem para a gente.

Com licença, senhora Weasley, tem certeza que isso ta certo? Nove três quartos?— perguntei confusa.

Você vai ver querida— ela disse parando entre a plataforma nove e a dez.— Harry, Ron vão primeiro

Os dois pegaram impulso correndo e atravessaram a coluna entre as plataformas, arregalei meus olhos, talvez fosse difícil eu me acostumar com tudo isso. Depois foram Gina e Hermione, pegaram impulso e atravessaram a coluna assim como os meninos.

Quer ir querida?— disse Molly.

Eu assenti e respirei fundo, confesso estava meio receiosa, peguei impulso e atravessei a coluna, vendo um trem vermelho parado com vários alunos entrando no veículo, logo os gêmeos também passaram pela coluna e fui junto a eles para o trem. Eu caminhava pelo lugar procurando um lugar pra me sentar.

Aqui!— disse uma voz feminina vindo de trás de mim, eu olhei e era Hermione.— Venha se sentar conosco— ela dizia sorrindo.

Eu caminhei até ela e entrei na cabine onde estavam Hermione, Ron e Harry. A garota de cabelos cacheados fechou a porta e nos sentamos.

Então, por que você não entrou antes na escola?— perguntou Ron seguido por uma cotovelada de Hermione no garoto.

Desculpa Sophie, ele não tem vergonha na cara— disse a garota.

Tudo bem Hermione— eu ri dos dois.— Bem, como eu posso explicar essa situação da forma mais simplificada possível? Eu nasci... Como vocês chamam mesmo? Trouxa! Meus pais foram contra eu virar bruxa então eu meio que... Fugi

Você o que?— Hermione arregalou os olhos.

Por que a surpresa? O Harry foge todo ano dos tios loucos— disse o ruivo fazendo Harry soltar uma risada.

Mas o que você vai fazer quando tiver que voltar pra casa nas férias?— perguntou a garota.

Eu... Não sei... Até lá eu penso em algo— deitei minha cabeça no vidro do trem.

Nós continuamos conversando, sobre assuntos aleatórios, o trio me contou sobre muitas aventuras deles durante os anos anteriores, até que ambos os três pegaram no sono, eu não fui diferente, acabei apagando enquanto pensava na pergunta que Hermione me fizera. "O que eu faria quando tivesse que voltar para casa?"


Notas Finais


Desculpem qualquer erro ortográfico, espero que tenham gostado beijinhos🍏💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...