1. Spirit Fanfics >
  2. A Força De Uma Flor >
  3. Capítulo VIII

História A Força De Uma Flor - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


O capítulo que eu havia prometido!

Capítulo 8 - Capítulo VIII


Fanfic / Fanfiction A Força De Uma Flor - Capítulo 8 - Capítulo VIII

- Eu não aceito isso!

- Pai ouve o que eu tenho a dizer.

- Não quero ouvir nada, eu quero sair desta sala e voltar para a cela.

Meu pai caminha até a porta e eu seguro sua mão.

- Pai por favor meu ouve, essa é a nossa única chance.

- Chega Sakura, eu já ouvi o suficiente.

Ele larga minha mão com brutalidade e isso me faz ficar com o coração apertado e com raiva.

- Não ouviu o que eu falei? Essa é a nossa única chance, agindo desse jeito o senhor está sendo egoísta. - falo com lágrimas nos olhos.

- O quê?

- Pai o senhor não está pensando em mim e na minha mãe.

- Não estou?! Minha única filha quer casar com um Uchiha para me salvar da prisão e fazer com que eu e sua mãe sejamos exilados de nossa vila.

- Pai eu sei que o senhor conhece as leis, todos nós plebeus sabemos o quanto ela é injusta, antes vocês serem exilados do que eu perder o senhor para sempre, eu vou me casar com o Sasuke Uchiha não só para salvar o senhor, mas também para descobrir a verdade.

- Descobrir a verdade? Sakura você vai querer investigar eles? Ah meu Deus! Quanto mais você fala, pior fica.

- Pai eu estando lá na casa deles vai ser mais fácil, eu estou casando para ganhar tempo para o senhor e para nosso pequeno clã.

- Não vou deixar que você se sacrifique por mim. - meu pai fala com lágrimas brotando no canto dos olhos.

- Não dá para voltar atrás, eu já aceitei e não há nada que o senhor possa fazer para me fazer mudar de ideia.

Apesar de se sentir contrariado o meu pai me abraça e eu retribuo o abraço, eu só queria que o tempo voltasse e tudo fosse como antes e que isso que está acontecendo fosse um pesadelo, mas com os dias passando eu começo a ver que não dá mais para pensar dessa forma e que o melhor é agir.

- Eu vou indo, por favor fica aqui nesse quarto que o Sasuke mandou fazer para o senhor, mamãe vai poder vir aqui sempre que quiser.

- Ela já sabe?

- Não, e nem sei como vou falar, sua benção meu pai.

- Deus te abençoe Sakura, minha menininha.

Vou até a porta e abro, Kakashi e o tal de Sai surgem pelo corredor.

- Já podemos ir, eu já falei tudo que meu pai precisava saber.

- Vou acompanhá-la até sua casa.

- Não precisa Kakashi.

- Precisa sim Sakura.

- Senhorita Haruno, a partir de agora você é a noiva de um Uchiha, muita coisa irá mudar em sua vida.

- Eu já estou começando a perceber senhor Sai.

Kakashi me levou para casa e é claro que todos na rua ficaram olhando curiosos me vendo sair de um carro bonito com o brasão do clã Uchiha e sendo acompanhada de um homem tão elegante

- Até amanhã Sakura!

- Até Kakashi

Ele me dá um sorriso e entra no carro, logo vejo Lee chegando e correndo em minha direção.

- Aquele cara está sempre com os Uchiha, o que ele estava fazendo com você?

- Vamos entrar, eu tenho algo muito sério para falar.

Quando entramos, Ino, TenTen e mamãe estavam preparando a mesa para o almoço, eu pedi para que todos me ouvissem, pois tinha algo sério para contar, Ino e TenTen já imaginavam do que se tratava, mas Lee e mamãe apenas me olhavam curiosos, quando contei sobre o casamento, minha mãe teve a mesma reação do meu pai, já Lee não falou nada apenas levantou do sofá e caminhou até a janela com os punhos cerrados.

- Sakura isso é loucura, seu pai já sabe?

- Sabe e não concordou no início, mas depois que eu expliquei meus motivos e apesar de ainda não aceitar ele não vai interferir na minha decisão.

- Eu não acredito!

- Gente eu quero falar com a minha mãe a sós, por favor!

Lee TenTen e Ino nos deixaram a sós, eu expliquei para mamãe tudo que expliquei para meu pai, sobre eu me casar para investigar os Uchiha e descobrir a verdade, é claro que minha não gostou, mas ela sempre soube que sou uma pessoa teimosa e decidida e no momento isso era algo que eu não voltaria atrás.

- Tem certeza disso?

- Eu pensei muito mãe, estou preparada para tudo.

Minha mãe me abraçou forte, e agora eu fiquei firme e não chorei, pois preciso ser forte por eles e por mim.

- Você tem que falar com o Lee, ele deve está bem triste.

- Vou falar com ele, durante esses dias ele nos ajudou tanto e eu só tenho partido o seu coração.

Quando fui até a frente de casa eu vi Ino, TenTen e Lee juntos, o Lee um pouco afastado delas.

- Lee vamos dar uma volta pela vila, como a gente fazia quando era criança?

- Tem certeza?

- Tenho sim! Vamos.

Caminhamos pela vila e eu não liguei para os olhares de desprezo que muitos lançavam sobre mim.

- Quando você virar Uchiha todo esse povo vai ter que te respeitar.

- Não é assim, você e eu, por exemplo, nunca respeitamos os nobres, não é?!

- Eu ainda tinha esperança de que a gente podia voltar.

- Lee eu te amo como um amigo e nada mais.

- Você ama ele?

- Não! E nunca vou conseguir amar.

- Você sempre falou que nunca entendeu um casamento sem amor

- Mas este casamento é por amor.

Lee me olhou confuso diante das minhas palavras.

- É por amor ao meu pai! É por ele.

Pego em seu rosto e ele pega minha que está em seu rosto e me olha triste.

- Eu te amo Sakura, nunca vou te esquecer.

- Lee você vai encontrar uma garota bonita que vai te amar e você vai amar muito e eu vou ser apenas uma lembrança.

- Não vou amar mais ninguém

- Lee não fala isso…

- Sempre que precisar eu vou estar aqui para te ajudar, não esquece! Sempre Sakura…para sempre.

- Obrigada por existir na minha vida.

Nós nos abraçamos no meio da vila sem se importar com olhares ou cochichos, mesmo que hoje mais uma vez eu tenha partido o coração do Lee, eu acredito que dessa vez ele tenha entendido que nossa história não terá uma volta e nosso relacionamento será apenas de amizade e nada mais.

Caminhamos de volta para casa sem falar nada, não havia mais o que falar e no meio disso tudo eu também estava de coração partido, Naruto iria voltar e eu estaria casada com o seu melhor amigo e tudo que vivemos naquela noite havia ficado para trás.

- Pronto a Sakura Haruno está em casa sã e salva.

- Obrigada Lee!

- Dá um beijo na tia Mebuki por mim?

- Dou!

Ele caminhou um pouco e voltou e me abraçou de surpresa.

- Não casa Sakura!

- Lee a gente já conversou, por favor entenda!

Ele me solta e limpa as lágrimas com o antebraço.

- Eu vou indo, desculpa!

Lee vai caminhando e fico olhando até ele sumir pela rua comprida e silenciosa da tarde.

Agora eu tenho que me preparar, pois os próximos dias não serão fáceis.

Quando minha mãe soube que poderia ver meu pai a hora que quisesse, ficou um pouco mais animada, ela preparou uma cesta com coisas que meu pai gosta de comer e foi levar para ele.

Eu fiquei em casa arrumando algumas coisas e Ino ficou comigo.

- Você vai casar com o Sasuke estando apaixonada pelo Naruto.

- Não quero falar sobre isso.

- O Sasuke vai ter que enfrentar muita coisa, coitado!

- Coitado? Você está com pena dele?

- Sakura você não sabe como são essas coisas, o Obito é um monstro e ele vai odiar ainda mais o Sasuke quando souber que ele vai casar com a filha do homem que ele pensa ter matado o pai dele e ainda no meio disso tudo tem os Hyūga, você nem imagina a crise que vai se instalar entre os dois clãs.

Fico pensativa, há algo mais por trás dos planos do Sasuke, desprezar um clã como dos Hyūga não deve ser fácil mesmo e não consigo acreditar no que ele me falou.

- Sakura…Sakura no que está pensando?

- Em nada…

Vou até o moletom do Naruto e o abraço forte.

- Eu queria ele aqui comigo.

- Ai amiga ver você assim tão triste me corta o coração.

- Quando o Naruto voltar eu vou estar casada…

- Sakura vai ser tipo um casamento de verdade ou vai ser só no papel?

- Como assim?

- Ah! Você entendeu…quando as pessoas casam elas tem a noite de núpcias.

Como eu não pensei nisso? Devo ter ficada burra só pode, pensei em todas as consequências de me casar com um Uchiha menos no fato de que uma casamento envolve muito mais que a troca de alianças.

- Não…eu não pensei nisso.

- Eu pensei, ai Sakura e sinceramente já que você anda toda tensa com essa história do seu pai, sei lá aproveita né!

- Aproveitar?

- Claro…o Sasuke é um muita bonito e tem um corpo que nossa, uma vez eu vi ele sem camisa.

- Ino! - grito - tá louca?! Meu casamento é para salvar meu pai da cadeia e o Uchiha se livrar dos Hyūga, apenas isso.

- Calma Saky! Calma! Não precisa ficar nervosa.

...

Foi a primeira noite em que eu consegui dormir, não sei se foi por causa do chá calmante que minha mãe me deu ou por causa de todo o estresse que os últimos dia tem me proporcionado, acordei com as vozes da Ino e da mamãe na cozinha.

- Vocês podiam falar mais baixo.

- Sakura já é de manhã e sua mãe está me ensinado a fazer um bolo de frutas.

- Vai tomar um banho Sakura, mais tarde vou ver ser pai.

Fui tomar um banho frio para acordar de verdade e realinhar meus pensamentos, vesti um vestido rosa com mangas curtas, saí do meu quarto ainda enxugando meus cabelos, quando chego na sala vejo o Kakashi e uma mulher alta de longos cabelos negros soltos, muito elegante usando um vestido azul escuro longo com estampas de flores brancas e vermelhas, com um sapato preto com um salto médio, maquiada com um batom rosa claro e os olhos marcados com um delineador preto.

- Bom dia Sakura!

- Bom dia Kakashi!

- Esta é a Izumi Uchiha cunhada do Sasuke.

- Bom dia Sakura é um prazer conhecê-la.

- Bom dia, o Sasuke me falou que vocês viriam aqui.

Ino surge na sala e quando vê Izumi abre um largo sorriso e corre para lhe abraçar.

- Izumi nem podemos nos falar na festa da primavera.

- Haviam tantos convidados e Hanabi não saía de perto de você.

- Ah verdade!

- Desculpa interromper a conversa, mas eu estou curiosa para saber o que vocês querem comigo.

- Eu vim tratar sobre alguns assuntos acerca do casamento e Izumi veio para lhe acompanhar até uma loja.

- Loja?

- Sim, Sasuke me pediu que lhe ajudasse a comprar vestidos e sapatos para o noivado.

- Noivado? mas já?! Tão rápido.

- Sim, o noivado oficial será amanhã.

- Amanhã?! - Eu, mamãe e Ino falamos juntas.

- Sakura a sentença sai em menos de quinze dias, até lá vocês já devem estar casados e fique tranquila a Izumi está sabendo dos detalhes do casamento de vocês.

Engulo em seco e sento no sofá, eu já sabia que tudo seria rápido, mas isso ainda me abala de alguma forma.

- Eu tenho roupa, então não preciso que ele compre um vestido para mim.

- Sakura eu acho melhor aceitar, um noivado de um nobre é muito luxuoso e você precisa de um vestido bonito e elegante - Ino fala e minha mãe concorda.

- Está bem, eu vou com você, mas a minha mãe e a Ino vão junto.

Vou até meu quarto, penteio meus cabelos e volto para a sala, Kakashi nos acompanha, vamos até uma parte mais chique da vila em que há muitas lojas de grifes com roupas que são tão caras que custam mais que um ano do meu salário.

- Ai Sakura esse vestido é lindo.

- É bonito, mas você viu o preço?

- Ah! Sakura aproveita, de agora em diante você só vai usar roupas caras.

- Izumi compre vestido para a senhora Mebuki também. - Kakashi fala com um sorriso gentil no rosto.

- Não precisa, eu vim só acompanhar minha filha.

- A senhora estará no noivado, então também precisa de um belo vestido.

Izumi fala com uma expressão tão calma e amável que não há como negar algo a ela, Izumi parece ser uma mulher muito gentil e educada, eu vejo sinceridade em seus sorrisos e olhares, ela é uma daquelas pessoas que você gosta sem fazer nenhum esforço para isso.

- Depois vamos a uma sapataria! - Ino fala toda alegre.

- Qualquer um serve.

- Sakura deixa de ser chata, estamos fazendo compras, vamos nos divertir.

Por mais que a alegria da Ino pudesse contagiar qualquer pessoa naquele lugar eu não me sentia nem um pouco animada.

- Ino para mim tanto faz, escolhe você qualquer um que eu uso.

- Sakura deixa de ser amarga, a Izumi veio com você a pedido do Sasuke para comprar o vestido mais lindo para você e tudo que eu vejo é essa sua cara de infeliz.

- Ah! Então você quer que eu sorria e aproveite tudo isso? Ino meu pai está preso acusado de um crime que ele não cometeu e você quer que eu curta um dia de compras?

- Sakura, fica calma minha filha.

- Estou calma mãe, eu só não quero mais ficar aqui.

Saio da loja sem olhar para trás, meu pai preso e eu comprando roupas para um noivado às pressas com um homem que não amo, depois de ter partido o coração do meu melhor amigo e ainda não parar de pensar no Naruto que é quem eu realmente amo.

Como eu ficaria feliz com tudo isso? Eu não consigo achar tudo isso divertido e a Ino parece não entender.

- Sakura - ouço a voz do Kakashi.

- Eu quero resolver logo os detalhes do casamento, não quero perder tempo com roupas.

- Quer ir até o Sasuke?

- Eu quero, preciso falar sobre algo.

- Vou deixar o carro para as meninas e vou pedir outro, daqui vamos direto para a empresa.

Não demorou muito para que outro carro chegasse, eu falei para minha mãe que iria até a empresa dos Uchiha falar com o Sasuke e ela entendeu, Ino ficou ao lado da Izumi olhando para qualquer coisa que não fosse eu.

Entramos no carro e durante todo o percurso Kakashi ficou ao celular, às vezes falava calmamente e com o tom de voz quase inaudível e outras vezes eu via uma expressão séria e brava em seu rosto.

Quando o carro parou ele afastou o celular e disse que eu poderia ir na frente, pois o Sasuke já estava a minha espera.

Entrei na empresa e dessa vez fui bem recebida pelos seguranças, dei uma olhadinha para trás e Kakashi ainda permanecia lá fora no carro, entrei no elevador e quando ele parou no andar da sala do Sasuke eu respirei fundo, caminhei até a sala, dei duas batidas na porta e entrei.

- Com licença!

- Entre e feche a porta, Kakashi lhe entregou a pasta com o contrato de casamento?

- Não!

- Kakashi já foi mais eficiente.

- Aqui, leia com muito cuidado.

Ele me entrega uma pasta preta e me aponta um sofá grande, eu sento e ele senta ao meu lado, porém com uma certa distância.

- Este é um contrato padrão, normalmente seria discutido entre nossos pais, mas a situação é diferente.

- O que diz aqui é verdade? - levo um susto com o que leio.

- Tudo aí é verdade, não tenho tempo para brincadeiras.

- Eu não quero nada seu e aqui diz que poderei usufruir de todos os seus bens e ainda terei uma quantia depositada em minha conta todo mês.

- Você será minha esposa, este é o correto, como você é uma plebéia eu não estou exigindo nada de você.

- Como assim?

- Se eu me cassasse com a Hyūga, por exemplo, ela teria que dar um ou dois castelos a minha família.

- E você ainda fala que casar com ela só traria benefícios aos Hyūga?

- Sakura, um castelo não é nada diante do poder que os Hyūga ganhariam com tudo isso, nós Uchiha somos donos de quase toda a vila, isso nos torna quase os donos de Konohagakure, imagine eles tendo direito a metade de tudo que eu possuo?

- Mas você também ganharia com isso, também teria vantagens.

- Não quero me casar com aquela garota, quero continuar com a minha vida sem preocupações desnecessárias.

- Aqui diz que o prazo do nosso casamento será de cinco anos.

- Sim! Segundo o Kakashi se o nosso casamento acabar depois que tivermos cinco anos de casados, seu pai ainda poderá viver tranquilamente em outra cidade e você poderá viver em Konoha se quiser.

- Hummm, mas ainda seria uma injustiça com ele…Bem tem um assunto que eu quero falar com você.

- Fale!

Não queria falar sobre isso, mas desde que Ino falou sobre certas obrigações do casamento eu não parei de pensar que eu devo conversar logo com o Sasuke.

- Eu…eu… na verdade…

- Algum problema?

- Não…é quando nós casarmos eu não quero…sabe

- Sakura eu não sou o tipo de homem que forçaria uma mulher a fazer sexo contra a vontade, isso vai contra os meus princípios.

Ele fala olhando diretamente nos meus olhos, o que eu levei horas pensando em como abordaria o assunto e gaguejei feito uma boba para falar, ele fala sem rodeio algum e isso me deixa com muita vergonha.

- Isso só vai acontecer se você quiser.

- Não vai acontecer!

Ouvimos batidas na porta e Kakashi entra sorrindo, e eu agradeço aos céus por ele ter chegado, pois eu não aguentava mais o contrangimento que eu sentia.

- Espero não ter demorado.

- Não demorou, mas deveria pelo menos ter dado uma cópia do contrato para Sakura.

- Ah! Falha minha, mas agora creio que Sakura já deve saber de todos os seus direitos e deveres.

- Fiquei sabendo o suficiente.

- Kakashi entregue a ela a cópia imediatamente dos dois contratos.

- Sim, está aqui Sakura.

- O que é isso? - pergunto enquanto olho aqueles papéis.

- Deixa que eu falo Kakashi, este é um outro contrato, apenas nosso que ninguém mais terá conhecimento além de nós três e o tabelião.

Quando leio vejo que fala sobre meus pais e alguns detalhes sobre o casamento.

- Meus pais vão receber dinheiro?

- Sim, uma quantia significativa para eles não passarem dificuldades em outro país, aí também fala que no momento em que a sentença do seu pai foi oficilizada você não poderá mais falar com seus pais.

- Aqui fala que minha mãe não poderá ver o casamento, como assim?

- No noivado ela pode participar, pois será algo familiar, mas o casamento e a festa terá pessoas influentes, ela é a esposa de um assassino e...

Não deixo Sasuke continuar falando, não suporto quando alguém chama meu pai de assassino e saber que minha mãe não poderá me ver casar é o fim para mim, tudo bem que é um casamento sem amor, mas é o meu casamento e eu quero minha mãe comigo, levanto do sofá e encaro o Sasuke.

- Primeiro que nunca mais você vai chamar meu pai de assassino e segundo que minha mãe estará comigo no dia do casamento e ninguém vai impedir isso.

- Sakura calma!

- Kakashi eu estou cansada de mandarem eu ter calma. - grito e volto a encarar o Sasuke. - eu não aceito isso Sasuke, entendeu eu não aceito.

Caminho até a porta para sair, mas sou puxada pelo braço por Sasuke.

- Você quer ver seu pai morrer? - ele grita - Você não compreende as regras Sakura, sua mãe não estará no casamento, você não veio aqui negociar, você está aqui para ler e assinar este contrato.

- Solta o meu braço! - falo entredentes

- Vocês dois fiquem calmos por favor!

- Você não ouviu Sasuke? Solta o meu braço agora!

Kakashi vai até o Sasuke e lentamente toca em sua mão.

- Sasuke faça o que ela pede.

- Eu não estou pedindo, eu estou mandando ele me soltar.

Sasuke me olha não com fúria, mas como se estivesse gostando da minha atitude, por um momento vejo um leve sorriso no canto da sua boca, ele me solta e volta para o sofá.

- Precisamos que continue lendo o contrato, então sente-se.

Respiro fundo e mentalmente conto até dez, kakashi me olha com um olhar de desespero, penso em meu pai e resolvo voltar até o sofá e sentar.

- Só um momento.

Sasuke vai até sua mesa, pega o telefone e aperta duas teclas.

- Por favor traga para minha sala dois cafés e…o que deseja Sakura?

- Não quero nada! - falo sem olhar para ele.

- Água com açúcar, tem uma senhorita muito nervosinha aqui.

Olho para ele com raiva, como ele ousa dizer que estou nervosinha com tom de de deboche e pedir algo que eu não quero.

Ele voltou a sentar no sofá, pegou o contrato, olhou para ele, franziu o cenho e voltou a me encarar.

- Tudo bem, sua mãe pode ver o casamento, mas não poderá ficar na igreja como de costume e ela não participara da festa.

- Como espera que eu aceite isso? Quero minha mãe ao meu lado.

- Sakura estou quebrando regras por você, mas há situações em que não possuo controle, entenda que para a segurança da sua família é importante que eles sigam viagem logo depois da cerimônia na igreja.

- Segurança?

- Sim! Seu pai é considerado um assassino, se você luta tanto por ele imagina como meu primo deve estar se sentindo sobre tudo isso, ele é um homem vingativo, acredite não deixarei que aconteça algo de ruim a sua família, mas você precisa colaborar.

Não conheço este Obito, mas Ino já havia me alertado sobre ele, não quero aceitar essas condições, mas talvez Sasuke tenha razão.

- Tudo bem! Eu falo com a minha mãe.

- Ótimo! Leve o contato para casa e leia se tiver alguma dúvida, pode falar com o Kakashi.

Ouvimos uma batida na porta, uma jovem de cabelos loiros deixa uma bandeja com o pedido do Sasuke e sai sem falar nada.

- Pegue sua água com açúcar

- Não pedi isso! Eu já vou!

- Vou acompanhá-la…

- Não precisa Kakashi, eu vou sozinha.

- O motorista irá levá-la. - Sasuke fala com tom de ordem e isso me deixa brava.

- Eu não preciso!

- Sakura isso não é um pergunta, ele irá levá-la para casa você querendo ou não.

Eu o encaro com raiva, quem ele pensa que é para mandar em mim, que homem arrogante e insuportável.

- Está me encarando porque? Ainda há alguma dúvida? Quer perguntar mais alguma coisa sobre a noite de núpcias?

Você já sabe como sou em relação a isso, mas se quiser saber algo mais pode perguntar.

O olho com uma expressão incrédula, não acredito que ele falou isso assim na frente do kakashi, fico tão irritada e envergonhada que apenas levanto do sofá e caminho até a porta.

- Sakura eu vou com você até o hall da empresa.

- Não precisa Kakashi! Até amanhã…

Saio sem olhar para os dois, ah como eu odeio este homem, ele fez isso de propósito para me envergonhar e me irritar, entro no elevador falando mentalmente que tudo isso é pelo meu pai, que tudo isso é para descobrir o verdadeiro assassino e limpar o nome do meu pai.

Quando cheguei em casa as compras estavam no meu quarto, Ino estava com a minha mãe na cozinha e no momento que me viu pediu para conversar, ela me pediu desculpas e eu a perdoei, falei para ela sobre a conversa com Sasuke e quando contei o que aconteceu antes de eu sair da sala dele a Ino caiu na gargalhada.

- O Sasuke é incrível.

- Ele é um idiota…

- Ai Sakura, acho que talvez você se apaixone por ele.

- Ino isso não vai acontecer, o Sasuke é arrogante, grosso e frio…Não vejo nada de bom nele.

- O Sasuke não é assim, ele é um homem bem diferente do que você pensa.

- Chega de defender esse Uchiha, eu só quero que tudo isso acabe.

- Acabar? Sakura tudo isso ainda só está começando.

A Ino tem razão, isso tudo só está começando e eu não sei como vou lidar com aquele Uchiha.

Continua…


Notas Finais


Amanhã terá novo capítulo!
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...