História A Força Deste Amor - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Angélica Vale, Jaime Camil
Personagens Angélica Vale, Jaime Camil, Personagens Originais
Tags Angélica Vale, Jaime Camil, Valecamil
Visualizações 109
Palavras 3.830
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Rancho das flores


"Entre as prendas com que a natureza
Alegrou este mundo onde há tanta tristeza
A beleza das flores realça em primeiro lugar
É um milagre do aroma florido
Mais lindo que todas as graças do céu
E até mesmo do mar." (Vinícius de Moraes).

Quando acordei minha cabeça pesava uma tonelada, ou seriam duas? Sentia enjoo, e só pude me levantar, e vomitar tudo.

Entrei no banho, e fiquei lá por meia hora deixando a água cair, e tirando toda maquiagem da noite anterior, que quando olhei no espelho me assustei com minha cara.

Coloquei um moletom, e fui ate caixa de remédio que ficava no quarto, e tomei um remédio para cabeça, e outro para enjoou. Só consegui tomar um chá, e comer alguns biscoitos, e fiquei na cama o dia inteiro.

Ao final do dia me sentia um pouco melhor, e prometia nunca mais beber na vida.

No domingo me sentia melhor, já conseguia comer alguma coisa, e a dor de cabeça já tinham passado, só o estomago estava ainda embrulhado.

Olhava minhas redes sociais, e todos comentavam as fotos que tiramos com o elenco em frente à casa noturna. E procurava, mas não tinha nenhum comentário, ligação ou sinal de fumaça do Jaime. Pensei em ligar, cheguei várias vezes a discar o número, mas quando chegava ao último digito desligava, se liguei e mandei mensagem, e ele não queria me ver, não ia obriga-lo.

Sai fiz algumas compras para casa, passeie um pouco dando uma longa caminhada por um parque que encontrei, e a noite arrumei minhas coisas para o dia seguinte, porque tinha gravações.

Fiquei pensando em Armando Contreras... Que homem envolvente, engraçado, era inteligente, um pouco atrevido, mas nada que fosse incomodo.

Por fim a segunda feira chegou, levantei cedo, tomei banho, tomei um café da manhã reforçado, me arrumei bem bonita com uma saia rodada na altura dos joelhos verde, uma blusa branca, e um a sapatilha nude. Ajeitei meu cabelo deixando solto, e fiz uma maquiagem leve.

Sai de casa e peguei meu caro na garagem, coloquei o cinto, liguei no rádio e dando partida no carro, saio cantarolando e dirigindo.

Chegando ao estúdio, estava radiante de felicidade, mesmo depois da ressaca estava feliz, me diverti com o pessoal do elenco. Encaminho-me ate o camarim, e vou cumprimentando quem encontro no corredor, ate que chegando a meu camarim tenho uma surpresa.

Meu camarim estava coberto por flores, desde buquês até vasos de flores, com as mais diferentes cores e tipos: tinha açucena rosa, amarílis, amor-perfeito, anêmona, azáleas, begônias, camélias, campânula, cíclame, clematite, copo-de-leite, cravo, crisântemo, dália, flor de laranjeira, flor de pessegueiro, flor de romãzeira, flores do campo, gardênia, gerânio, gérbera, girassol, gladíolo, goivo, hortênsia e vários buquês de rosas uma porção deles. Parecia uma floricultura.

Fiquei impressionada, como tudo aquilo foi parar ali? O cheiro de flor era incrível, perfumava o camarim inteiro, cheguei perto de um buquê com rosas brancas e tinha um envelope vermelho com um cartão dentro:

“Angélica não sabia qual era sua flor favorita, por isso enviei todas que encontrei, espero que goste de alguma... Obrigada pela noite. Armando Contreras.”

Armando Contreras! Esse homem comprou a floricultura inteira, apenas para me agradecer pela noite? Estava radiante, e impressionada. Como alguém que te conhece em uma sexta à noite, te manda um presente como esse na segunda de manhã?

Sento ainda incrédula na poltrona que ficava no camarim, lendo e relendo o cartão. Ate que resolvo que deveria tomar uma atitude.

Antes de vestir meu figurino, resolvo ir ate o camarim da Gabriela, queria pedir o contato de Armando para agradecer.

Bato na porta e ouça-a gritar para entrar:

-Licença (Digo entrando vendo-a ser maquiada).

-Oi Angie bom dia! Como está? (Diz ela sentada sendo maquiada enquanto passam lápis nela).

-Oi Gabriela estou bem, tive uma ressaca no fim de semana, mas estou melhor. Queria te pedir um favor... (Digo um pouco envergonhada).

-Também o tanto que você bebeu, seria impressionante se não tivesse ressaca, se bem que eu bebi mais ainda... Sai de manhã de lá, que lugar incrível... Ah desculpa você ia pedir um favor. (Diz enquanto passam o rímel).

-Você teria o telefone do seu amigo Armando Contreras? (Digo olhando para baixo entre os dentes, sentindo minhas bochechas esquentarem).

Ela para de se maquiar, e me olha com um olhar malicioso e diz:

-Tenho Angie! Sabia que iam se dar bem, ele é um cara maravilhoso(Diz enquanto pega o celular).

-Ele é bem legal, me levou ate em casa e depois me mandou flores, e queria agradecer (Digo sentindo as bochechas ferverem).

-Sim, estou sabendo, ele me ligou pedindo para que viesse mais cedo, e aprontasse essa surpresa para você. Acho que ele gostou muito de você (Me diz com cara de quem estava animada com nossa aproximação).

-Ah então foi você a responsável? (Digo dando um tapinha no braço dela, e pensando que nem tinha me atentado ao fato dele saber onde era meu camarim).

-Responsável pela surpresa é ele, eu só ajudei. Bem aqui esta o número dele (Diz enquanto me mostra no visor do celular, e eu anoto em um papel e caneta que estão jogados por ali).

Agradeço-a e me encaminho ao meu camarim. Chegando ao meu camarim, não sei se ligo ou mando mensagem, talvez fosse melhor ligar. Disco o número e chama uma, duas, três e na quarta vez quando estou prestes a desligar, ele atende.

-Alô? (Pergunta em tom de curiosidade).

-Oi, sou eu Angélica, eu estou ligando para agradecer as flores (Digo um pouco nervosa, por que esse nervosismo idiota agora).

-Angélica! Que bom que gostou, eu que agradeço a sua companhia. Como não sabia que flores você gosta, resolvi te mandar todas que achei linda (Diz em um tom de voz suave e sedutor).

-Gosto de rosas brancas (Angélica? O que esta passando por sua cabeça, por que falar isso para ele?).

-Hummm bom saber! Agora se quiser lhe enviar flores, já sei quais gosta mais (Diz rindo).

Fico em silêncio, não queria ter dito de que flores gostava.

-Angélica você esta ai? (Pergunta com tom de dúvida na voz).

-Sim desculpa... É que preciso desligar, tenho que me arrumar e gravar (Mantenho novamente um tom de voz amigável).

-Ah sim boa gravação, mas antes... Eu queria saber... Logico se não for fazer nada... Se gostaria de almoçar comigo, o que acha? É que daqui alguns dias volto aos Estados Unidos, e gostaria de vê-la novamente antes de ir (Pergunta meio sem jeito).

Penso por alguns instantes, se deveria ou não aceitar o convite, acabei de conhecê-lo e tinha o Jaime. Não que ele fosse meu namorado, mas ainda tinha algo pulsando em mim, mas também sabia que Jaime era meu amigo. Deveria ir? Se bem que a companhia dele foi tão agradável, e logo ele iria voltar para os Estados Unidos, o que teria demais nisso?

-Angélica? Você esta ai? (Pergunta).

-Sim estou (Digo ainda em dúvida pensando se devia ou não ir).

-Acho que estou sendo evasivo, desculpe... Vamos fazer assim então: Se você quiser ir, o convite esta de pé, agora que tem meu número, qualquer coisa você me liga ok? (Diz com tom de voz agradável).

-Ok, ate porque não sei que horas vou almoçar, agora que a novela tem muita audiência sabe como é? Gravamos muitas cenas ao longo do dia todo. (Digo me justificando).

-Sem problemas, eu entendo bem essas coisas Angélica, beijos (Diz com tom de voz doce).

-Beijos (e finalizo a ligação).

Começo a me arrumar para gravar, depois vem uma maquiadora e um cabeleireiro para me ajudar e não atrasar as gravações, enquanto me apronto, vou pensando se devia ou não almoçar com Armando. Já pronta me encaminho até o estúdio, e continuo a pensar sobre o assunto: qual seria o problema? Por que sinto que estou traído Jaime, mesmo não tendo nada com ele? Porque sinto essa vontade de vê-lo, e ao mesmo tempo de me afastar de Armando? Ele iria embora daqui há poucos dias, e talvez nunca mais o visse, e sem dizer que era meu fã, e a conversa na balada foi tão produtiva, tão agradável...

Além do Jaime esse estranho de olhos verdes, estava me deixando trêmula.

 

No sábado resolvo sair para dar uma volta de moto e clarear minhas ideias, afinal ficar em casa não ia me ajudar. Quando volto à noite, resolvo mexer um pouco na internet, e responder alguns fãs e me distrair. Ate que vejo Christian (o diretor) compartilhar uma foto dele, com algumas pessoas do elenco, e entre elas estava Angie.

Ela estava linda, muito linda, uau, como parecia diferente, um jeito mais de mulher, tinha uma sensualidade transparecendo... Não sabia dizer o que era. Se era a roupa, a maquiagem, a pose ou simplesmente o jeito dela de olhar e sorrir.

Mas logo em seguida, sinto algo em meu peito uma pontinha de ciúmes, ela tão bela e maravilhosa em uma casa noturna, e eu idiota não quis ir. Não que Angie não soubesse se defender, ou precisasse de proteção, mas deveria ter ido e curtido uma noite agradável com a equipe e junto dela. E ao mesmo tempo, sentia um pouco de raiva. Pensei que ela não iria e no fim foi, talvez não a conhecesse tão bem, ou Christian a convenceu a ir... Pare com essas bobagens Jaime, Angie é sua amiga e mesmo que fosse sua namorada, teria todo direito de sair e se divertir. Será que a mensagem era para irmos juntos, e não um jantar? Talvez seja por isso que ligou, e eu idiota não atendi.

A segunda-feira chegou e acordei decidido a deixar meu mau humor para trás, as dúvidas e toda aquela cena que fizemos, queria conversar com Angélica, saber como foi sua noite, e como tinha sido o fim de semana, afinal praticamente sumi, o que não era típico da minha personalidade.

Tomei um banho, coloquei uma camisa preta, calça jeans e tênis, comi pouco no café da manhã, por que não tinha muita fome, e peguei meu carro, e me encaminhei ate o estúdio gravar. Chegando, estacionei e resolvi que a primeira coisa seria passar no camarim de Angie, e lhe dar um olá.

Bato na porta e ouço uma voz feminina:

-Entre!

Quando entro, vejo Isabel a maquiadora arrumando suas coisas para sair, mas noto algo muito mais chamativo, o camarim estava com cheiro de flores, e cheio delas parecendo uma floricultura, eram tantos tipos que nem conhecia todas, não entendia nada.

-Oi Isabel tudo bem? Angie já foi? (Pergunto ainda olhando para aquela porção de flores em arranjos lindos).

-Ah sim saiu há alguns minutos. Precisa de alguma coisa Jaime? (Diz ela limpando um pincel e guardando).

-Não nada em especial, se bem que... Você saberia dizer o que são todas essas flores? (Digo apontando para as plantas).

-Não sei quem mandou, mas parece que foi um fã, pelo menos foi o que Angélica comentou toda feliz. Lindo não? (Diz ela admirando um buquê de rosas vermelhas que estava por perto).

Eram lindas as flores mesmo, mas que fã gastaria tanto com flores para um ídolo? Sabia muito bem, que existiam excentricidades dos fãs, tudo para demonstrar sua admiração e carinho, mas mandar uma floricultura para um camarim era surpreendente, ate para mim. E ainda por cima como saberia onde é o camarim dela? Estranho.

-Sim é lindo (Digo forçando um sorriso).

Isabel apronta suas coisas, e se encaminha ate a porta e diz:

-Bem já vou, tenho que maquiar a Úrsula (Diz sorrindo se referindo a uma das atrizes do elenco e sai).

Olhava para as plantas procurando alguma luz, como se ela pudessem dizer da onde vieram, ate que desisto. Quando estou quase saindo, vejo na bancada um envelope vermelho muito bonito, pego e penso se deveria abrir e ler. Penso por mais alguns segundos, e a emoção, misturada com curiosidade, toma conta da razão e resolvo abrir e ler:

“Angélica não sabia qual era sua flor favorita, por isso enviei todas que encontrei, espero que goste de alguma... Obrigado pela noite. Armando Contreras.”

Armando Contreras? Quem era Armando Contreras? E OBRIGADO PELA NOITE? Como assim? Eles passaram a noite juntos? Angie e esse idiota passaram a noite juntos? Não era possível.

Coloco o cartão no envelope, e saio em direção ao meu camarim muito puto. Essa era a palavra para melhor me definir, e vou me arrumando para ir gravar.

 

Gravei algumas cenas que não precisava de Jaime, e me encaminhei ao camarim novamente para me trocar, iria me vestir de noiva e já estava curiosa para saber como era o vestido, afinal hoje era a cena em que Jaime/Santiago rapta Rosa do casamento forçado com León.

Quando chego vejo o vestido, era bem bufante e branco com muitas camadas, não conseguia deixar de pensar como era lindo. Consigo me vestir com a ajuda da figurinista.  A dieta estava funcionando, o corpete não apertava tanto. Contemplei-me no espelho admirada. Será que um dia usaria um assim?

Olho aquelas flores, e resolvo que não ia querer elas por lá no camarim, senão poderiam murchar. Então peço para minha figurinista, se não poderia pedir para alguém da emissora, levar as plantas ate a minha casa, e deixar com minha diarista.

Encaminho-me ate a cidade cenográfica, que por sinal estava muito linda. Como era uma cena que devia ficar por enquanto em segredo, o diretor preferiu não fazer uma cena externa, e sim na cidade cenográfica.

Cumprimento alguns do elenco, que ainda não tinha visto e logo vejo Jaime, fico em dúvida se deveria falar com ele, mas por fim resolvo cumprimenta-lo, afinal não brigamos:

-Oi Sumido! (Digo sorrindo cutucando seu ombro enquanto ele esta de costas).

Ele se vira e olha para mim muito sério e diz:

-Oi (Um cumprimento seco).

-Esta tudo bem com você Jaime? (Digo desfazendo meu sorriso e ficando preocupada).

-Comigo esta tudo bem e você? Divertiu-se muito na balada? (Dizia com ar sério encarando o roteiro lendo).

-Sim! Foi bem legal, gostei bastante. E você por que não foi? (Pergunto tentando manter um tom de voz agradável).

-Ah que bom que se divertiu, pelas fotos você devia estar bem animada. Não fui por que não estava com paciência para fazer a social (Dizia me encarando bravo).

-Jaime esta acontecendo alguma coisa? Você parece bravo... Sei lá estranho, eu liguei e mandei mensagem, e você nem respondeu (Pergunto um pouco chateada querendo entender o que diabos estava acontecendo com ele).

-Eu não tenho nada, estou muitíssimo bem, tenho motivos para estar bravo? Acho que não... Sinto muito se não pude atendê-la, estava ocupado. Não posso sempre estar a sua disposição (E falava com ar bravo).

-Olha eu não sei o que você tem, mas quando você se acalmar me procure ok?! Você esta sendo muito rude comigo, com licença (Digo chateada, sem entender nada).

Viro-me e saio andando, minha vontade era de chorar, porque diabos ele me tratava assim? Não me lembro de ter feito, ou dito algo e mesmo que tivesse, ele deveria me dizer para esclarecer, não parecia o Jaime que conhecia. Estava irritado, dominado por uma fúria, como se quisesse espancar as coisas. Ele estava bravo, por que sai sem ele na sexta? Mas e ele que foi almoçar, e nem me avisou. Calma Angélica, calma, você tem uma novela para gravar.

O diretor chega perto de mim e pergunta:

-Olá Angélica tudo bom? E a sexta feira rendeu? (Coloca a mão em meus ombros e diz rindo).

Tento me manter tranquila, não queria contar que quase discuti com Jaime.

-Foi bem produtiva o Armando é bem legal (Digo forçando um sorriso, estava muito brava e chateada com Jaime).

-Produtiva? Hum sei, eu vi vocês saindo juntos. Ele ainda voltou para casa noturna, pegar o carro dele, não parou de falar de você... E fiquei sabendo, que um certo alguém aqui recebeu muitas flores (Dizia com ar malicioso e sorrindo).

-Aiiii Christian a fofoca corre rápido né? Ele mandou agradecendo a noite, só isso... Depois liguei agradecendo pelas flores, e me convidou para almoçar (Falo muito sem pensar).

-Fofoca nada, eu vi mais cedo um carregamento de flores, indo para o seu camarim e comentei com a Gabriela, e ela falou que eram do Armando (Dizia todo feliz).

-Ah então estão todos conspirando contra mim? (Digo rindo e dando um tapinha em seu braço).

-Contra não, mas a favor. Acho que você gostou dele, e ele de você. E não tem mal nenhum, em dar uma chance para felicidade, ou quem sabe o amor né?! (E pisca um dos olhos).

-Nem estou pensando nisso agora... Nem sei se vou almoçar com ele (Digo olhando o roteiro que estava em minhas mãos).

Christian levanta meu queixo, e olha em meus olhos e diz:

-Olha Angélica te acho talentosa, linda, inteligente e muito atraente, só um idiota não se interessaria por você. E tem mais: se eu fosse você, iria almoçar com ele, e ver no que dá, afinal você não tem nada a perder, e caso não seja o que você quer, pelo menos você faz mais um amigo, e com a vantagem dele ser seu fã e lhe mandar flores... Mas mudando um pouco de assunto, vamos chamar o Jaime e Eduardo e dar as orientações da cena (Diz e pisca um olho e faz sinal para Jaime vir).

Jaime se aproxima, e logo em seguida chega Eduardo, e volto a ficar com uma expressão séria, e só olho para o diretor:

-Bem meus queridos, a cena como vocês já leram é a seguinte: você esta sendo levada Angélica ate o matadouro, brincadeira esta sendo levada ate o altar para casar com Eduardo, chegando à porta da igreja você é raptada por Jaime, que a coloca em cima de um cavalo e sai em disparada, ate que chegam a uma cabana e se beijam ok entenderam?

Confirmamos todos com a cabeça.

-Bem todos em suas posições.

Estava brava com jeito que Jaime me tratou, mas faria a cena como uma profissional que era.

-AÇÃO!

Em frente à Igreja estou com ator que faz meu pai, até que ouvimos um cavalo chegar:

-Rosa meu amor! (Gritava Jaime com ar de desesperado como a cena exigia).

-Meu amor! (Digo acenando com o buquê em mãos, tentando pensar em algo romântico. Ainda estava tão brava com rudeza dele).

Jaime desce do cavalo, e vem em minha direção. Como sua personalidade era forte em cena, mesmo brava tinha que lhe dar créditos por sua atuação.

Jaime desce do cavalo, e se coloca a frente do ator que fazia meu pai:

-Senhor hoje Rosa não vai casar com León, se ela vai se casar hoje, que seja com o amor dela, que sou eu (Dizia com a fúria que a cena lhe pedia).

-O senhor não entende. Rosa deve casar com León, ele é poderoso, Deus sabe o que fará conosco... Eu sinto muito, mas tenho que honrar minha aposta (Dizia o ator que fazia meu pai).

-Então senhor terei que levá-la (Diz me puxando fazendo eu subir no cavalo).

O ator que faz meu pai tenta me puxar, mas me seguro forte em Jaime/ Santiago para não cair, era complicado subir com o vestido tão cheio de camadas. Com dificuldade subo, e permaneço no cavalo. E então ele sai cavalgando.

-CORTA!

Sou ajudada a descer pelo pessoal da equipe, para que não me machucasse, e em seguida Jaime desce. Iriamos para outro cenário, o da cabana.

Retocamos a maquiagem, e bebo um pouco de água, estava um dia quente.

Chegando ao estúdio Christian nos coloca em posições, e começa a gravar:

Entro na cabana e Jaime/Santiago depois, e ele diz suas falas:

-Meu amor, desculpe não ter um lugar melhor para nós, mas essa era a única cabana que me lembrei, que fica escondida e ninguém pode nos achar, eu costumava brincar aqui quando criança (Diz segurando minhas mãos e me olhando sem aquele brilho costumeiro).

-Meu amor não me importo! O que importa é estar contigo (Digo abraçando-o).

-Rosa eu te amo tanto meu amor (Diz me olhando, mas não sinto a intensidade do seu olhar, talvez porque ambos estivéssemos bravos um com o outro. Ou o brilho estava lá, mas não conseguia vê-lo).

Ele se encaminha e me beija, sinto sua mão em minha cintura me aproximando mais dele, mas seu jeito estava diferente, um beijo com muitos giros de cabeça, me sentia zonza. Ele não era delicado em seus gestos, parecia que ia me engolir... Sentia uma certa frieza vindo dele, o único calor que sentia era da sua fúria.

-CORTA!

Jaime me solta, e nem me olha nos olhos, e eu tento limpar os cantos da boca que estavam úmidos. O diretor se aproxima com olhar confuso:

-Que beijo foi esse? Gente foi horrível!  Sinto muito, não era um beijo apaixonado, parecia um beijo de raiva, de asco. Jaime você é Santiago deve beijá-la com ardor, afinal você raptou ela no dia do casamento para ficar com ela. E você Angélica? A Rosa parecia desesperada para ir embora, estava entediada, sei lá parecia que beijava León. Vamos ter que refazer.

Reviro os olhos e digo:

-Sério que vai ser necessário Christian? (Pergunto emburrada não queria beijá-lo, estava chateada com Jaime).

-Sim, sim e sim! Não da para enganar o público, ainda mais depois dos beijos que eles viram. Venham os dois vou mostrar o beijo para vocês verem (Diz enquanto nos guia ate um monitor aonde ele via tudo).

Vejo o beijo no monitor, e vejo uma cena antiga, realmente parecia que estava sendo beijada a força, e Jaime parecia um lunático beijando como se não soubesse como fazê-lo, como se estivesse com raiva.

-Entenderam? Viram a diferença? (Pergunta Christian, olhando para nós).

-É realmente nítido Christian, vamos refazer desculpe (Diz Jaime sem jeito).

-Sim Christian, vamos refazer (Digo de forma conformada, afinal isso era novela se tivesse que repetir 500 vezes a cena eu faria).

Volto para minha posição, e me concentro. Era necessário pensar em coisas bonitas e engraçadas para transmitir algo real, Jaime estava em sua posição olhando para cima pensativo. Acho que fazia o mesmo tentando se concentrar.

-AÇÃO!

-Meu amor não me importo, o que importa é estar contigo (Me encaminho ate ele, e olho no fundo daqueles olhos negros. Mesmo brava com ele, como era possível ainda acha-lo tão bonito?).

-Rosa eu te amo tanto meu amor (Diz se encaminhando mais próximo de mim e segurando minha cintura).

Sinto sua boca, primeiro era um beijo com a boca fechada, depois aos poucos foi abrindo. Era leve e macio, e vou acariciando seus cabelos passando a ponta de meus dedos em sua nuca, e sinto sua respiração, e sua mão me puxando mais. O beijo era doce e gostoso, meu coração mesmo não querendo, por ser meu amigo, por estar chateada com ele, se agitava. Ia ficando mais envolvida em seus braços.

-CORTA!!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...