História A Força do Desejo - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Personagens Originais, Saga de Gêmeos, Shaina de Cobra
Tags Saga X Shina
Visualizações 16
Palavras 851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigada a todos que acompanham essa história.

Capítulo 17 - Lembranças IX



Estou no 8 mês de gestação, até no 4 mês senti muito enjôos, mal conseguia comer uma fruta, o bom é que sempre podia contar com o meu loiro que cuidou muito bem de mim. 

Desde que descobrimos que teríamos um menino, meu marido ficou mais feliz e mais carinhoso e atencioso comigo, sempre passava a mão na minha barriga, a beijava e conversava com o nosso bebê, achava esses gestos dele tão fofos, sem dúvidas, tenho o melhor marido que uma mulher poderia ter e o nosso filho teria um pai maravilhoso e seria muito amado por ele.

Sempre tive medo de engravidar sem a vontade do meu parceiro e ter que criar meu filho sozinha, muitas mulheres passam por isso e quem acaba sofrendo são as crianças que nunca terão o carinho e o amor de um pai, mas felizmente eu não tenho esse problema.

  Já estamos com tudo arrumado para recebemos o nosso anjinho, a suíte dele é ao lado da nossa, está pintada com azul-claro, o berço é branco, as roupas de  cama, os cobertores, os mantos são todos azuis, alguns claros e outros escuros, o bebê conforto que é necessário para o transportar no carro, é azul-escuro, o carrinho de bebê é azul-claro, as roupas são azul, verde, branca e amarelo, já deixei as roupas lavadas e passadas e organizadas na cômoda e no guarda roupa que tem no quarto e que são na cor branca, as cortinas do quarto são brancas.

É tão bom sentir meu bebê mexendo, dá uma sensação boa, pois enquanto mais ele mexe mais tenho certeza que o meu filho está crescendo saudável.

Nas últimas semanas tenho encontrado dificuldades para conseguir uma posição boa para dormir, mas não importo com isso, sei que em poucas semanas isso mudará.

Em uma bela tarde de domingo, começo a sentir dor, sabia que estava no dia do meu anjinho nascer.

Julian me leva imediatamente para o hospital, onde depois de horas sentindo terríveis dores do parto natural, nosso filho nasce.

Estou deitada na cama descansando e vejo meu lindo loiro com o nosso loirinho no colo, meu filho não se parece em nada comigo, tem cabelos loiros em tom mais escuros que o do pai, seus olhos são azuis mais escuros que o de Julian, até o sorriso dele é parecido com o do pai e isso me deixa muito feliz, pois o meu marido é lindo e sei que o meu filho crescerá muito lindo.

Dois dias depois, recebo alta hospitalar, estou deitada na cama amamentando o meu filhinho e sorrindo, sei que fiz o certo decidindo pelo parto normal, ainda me sinto muito cansada, mas não tenho nenhuma cicatriz horrível na minha barriga e não precisei ser aberta, sei que em alguns casos, a cesariana é a única forma de nascimento, mas felizmente esse não foi o meu caso, então o parto normal era o meio mais saudável para meu filho nascer e estou me recuperando mais rápido que se tivesse realizado uma cirurgia.

No outro dia, meu marido precisou ir cedo para a empresa, mesmo que ele tivesse direito a licença paternidade, isso não foi possível pois apareceu um empresário muito importante que precisava de uma reunião urgente com Julian e isso só ele poderia fazer.

Ao se despedir de mim para ir trabalhar, ele me dá um beijo carinhoso e promete que em breve tirariamos uma férias em família e da um beijo na testa do nosso filho.

Horas depois, recebo uma ligação de um hospital e o meu mundo cai, eu choro até não ter mais forças, tinha acabado de perder o meu marido em um terrível acidente que foi causado por um irresponsável bêbado.

Eu não tenho ninguém para me apoiar, estou sozinha com um bebê de 3 dias nos braços, estou perdida, não sei o que fazer a não ser chorar e maldiçoar todos os deuses por terem me tirado o meu marido dos meus braços no momento que mais precisava dele.

Estou com meu coração sangrando e meu rosto inchado de tanto chorar, sequer consigo segurar ou olhar para o meu filho.

Estou toda de preto e abraçada por uma amiga em frente ao caixão do único homem que já amei na vida.

Lhe dou o último beijo, seus lábios estão gelados, mas é claro que não poderia ser diferente, naquele momento, eu prometo que nunca abrirei meu coração para nenhum homem, minha vida a partir desse momento seria só cuidar e amar o meu filho.

A tristeza é a minha companheira, fico dias em estado de choque, nem olho para o meu filho, meu leite seca e o meu coração se fecha para o amor.

Caio em depressão que custa a ser curada, mas por amor ao meu filho eu consigo forças para continuar vivendo.

4 meses depois começo a trabalhar em um grande hospital, eu mudei de casa e quando fiz isso, apenas levei o meu filho nos braços, não queria nenhuma roupa ou móvel daquela mansão, não quero mais ouvir o meu sobrenome, tudo isso faz aumentar a minha dor.

Nunca conseguirei lhe tirar do meu coração Julian e prometo dar ao nosso filho todo o amor que você lhe daria.



Notas Finais


Esse capítulo foi muito difícil escrever, chorei escrevendo ele...
É o último capítulo das lembranças.
Abraços a todos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...