História A F€ra. ~Imagine Kim Namjoon - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Imagine, Kim Namjoon, Novela, Ramance, Shoujo
Visualizações 371
Palavras 1.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura galera

Capítulo 23 - Atitude



•Fiquei calada desviando o olhar da senhora distintas de rosto nada favorável a sorrisos ou qualquer outro tipo de emoções que incluí bom humor.

-Ainda está aqui.

-Aonde mais ela estaria? >>a voz carregada de sarcasmo fez a mulher desviar os olhos de mim e encara-lo estreitando o olhar, deu uns passos na direção da cadeira a puxando e se sentando com elegância botando a bolça em cima das coxas com calma.

-Céus, por favor, pegue e guarde esse seu sarcasmo para uma outra hora Kim Namjoon. >>A mulher falou naturalmente sabendo bem o tom friu ao qual usar com o próprio filho desgostoso, ele ergueu o canto da boca em um sorriso presunçoso.

-Devo lembra-la que não foi eu que cheguei em uma péssima hora, sem falar no fato de que, não bateu a porta. >>A mesma permaneceu neutra com os olhos cravados nele botando para funcionar a máquina cerebral.

-Eu bati a porta... >>a mesma desviou os olhos para mim com o olhar carregado de desdém e superioridade, eu achei sinceramente que já tínhamos nos livrado dela. -...mas vocês estavam ocupados de mais para escutar. >>Concluíu com a voz seca como areia.

-Acho melhor eu me retirar e deixar vocês conversarem a vontade. >>falei ainda desconcertada com o flagra da mãe do Namjoon.

-Finalmente alguém aqui sabe o seu lugar. >>um sorriso discreto e cínico desenhou os lábios dela, meus punhos se fecharam e a língua coçou para rebater a patrona, ao abrir a boca para rebater uma voz grave preencheu o lugar.

-Realmente essa pessoa não pode ser a senhora, minha mãe. >> Namjoon usou de um tom seco e maduro que eu ainda  não tinha presenciado nas muitas discussões, a mulher torceu o rosto irritada pela primeira vez, ele se ajeitou na poltrona e antes que a mesma falasse algo ele tomou a palavra novamente.      -S/n é a minha noiva, por mais educado que seja ela se oferecer  para sair a idéia dela ficar não vai contra as regras de etiqueta já que em breve terá direitos além de um sobrenome igual ao seu.

-Isso não irá acontecer mais. >>ela afirmou cheia de sí atingindo o orgulho masculino dele, Namjoon fixou os olhos nos dela pensativo, me mantive em pé ao lado do mesmo começando a entender o rumo da conversa e o motivo que a trazia aqui em pleno dia 26 de dezembro essa mulher arrogante, provavelmente a família não a prenderia em rituais de união mas a alta roda de Seul sim, a elite adorava se mostrar seres humanos sensíveis e preocupados com os menos favorecidos. Já cansei de ver nessa época do ano vários movimentos de arrecadações se tornarem alvo da mídia para passar uma imagem menos... Fútil, da elite.

-Se explique melhor. >>Namjoon apoio os cotovelos nos braços da poltrona entrelaçando os dedos, o olhei e a feição estava séria e atenta.

-Não precisamos mais dela, você está curado, está forte, saudável. Só deixamos que levasse a diante isso porquê não tínhamos tempo o suficiente para arrumar outra e lhe convencer, você é teimoso de mais, custaria muito tempo, e isso era algo que achávamos que não tínhamos.

-Isso é de se notar, nem parece a mesma mulher de meses atrás, já não vejo aquela... Agunia, medo de não ter um herdeiro onde enfiar a fortuna da família. >>O mesmo se manteve sério mantendo o nível da conversa.

-Estava com medo de ver o esforço de gerações dessa família se esvair como fumaça isso sim. >>a mulher pegou um tom áspero e forte. -Mas tudo bem, era de se esperar que um muleque como você não entendesse o peso que eu e seu pai carregamos.

-Dinheiro não é tudo que se passa para os filhos, fardos acumulados ao longo de décadas não é o que o ser humano quer assim que nasce, vocês dois nunca entenderam isso. As pessoas passam princípios, valores, ideais... >>Namjoon deu uma pausa em meio ao discurso como se enfrentasse dificuldade em continuar, respirou ainda tenso como se tomasse forças novamente e fitou a mãe que estava com um semblante indiferente tentando se manter inabalável as palavras duras de um filho que já não é revoltado como antes, Kim Namjoon estava diferente, não sei em que momento ele virou um homem tão... Maduro com os próprios problemas. 

-Carinho, amor... São coisas fundamentais ao qual vocês esqueceram. A prova disso está diante dos meus olhos, você, sozinha como sempre, falando que não preciso me casar com ela já que um herdeiro não é mais tão urgência. >>Ele se levantou decidido com os sentimentos equilibrados na medida certa,  segurou a minha mão e sentir  os músculos tensos então massagiei com o polegar a costa da mão dele tentando demostrar apóio em uma hora dessas. -Desculpa mas não importa o que você e o meu pai decidiram, eu to com uma urgência maior, a urgência de ser feliz pela primeira vez. >>ele desviou o olhar dela e me fitou com um brilho especial nos olhos que me invadiu e aqueceu meu coração, Kim Namjoon talvez não estivesse apenas em um momento de paixão voraz ao qual eu pensei, talvez... ele me ame realmente.

-Bravo meu filho. >>Palmas pesadas nos fez voltar a olha-la. -A única coisa que realmente não lhe tornava um completo fracassado era a falta de sentimentos. >>A mesma cuzou as pernas e forçou um sorriso. -E agora quem diria, está diante de mim falando idiotices sobre felicidade e amor como se soubesse sobre isso. >>a cabeça baixou um pouco balançando de forma negativa com uma risada baixa de deboche. -Garoto burro, nada disso existe, são ilusões que a humanidade cria para compensar o buraco que a ignorância cavou neles. >>quando o rosto se levantou seus olhos estavam cheios de frieza nos encarando com intensidade, o sorriso se desfez dando lugar a uma linha reta. -Não seja um fraco ignorante Namjoon, eu já fui como você e me iludir com o amor, hoje em dia você vê com seus próprios olhos o desfecho da minha vida. >>Ela pos os óculos e se levantou passando as alças da bolça por cima de um ombro. -Desejo que quebre a cara logo meu filho, pelo visto só aprenderá dessa forma.

>>Vi a mulher que o deu a luz  desejar o pior ao próprio filho e se levantar indo até a porta com a naturalidade ao qual se deseja um bom dia, a mesma saiu pela porta sem ao menos olhar para trás.

-Não dê ouvidos a ela, não se pode prevê um futuro fracassado para alguém pelo fracaso presente de outro. >>cheguei mais perto e envolvi meus braços em volta dele, o mesmo me abraçou retribuindo com um abraçado apertado soltando suspiros longos e pesados.

-Tem razão.


.•°°•..•°°•..•°°•..•°°•..•°°•..•°°•..•°°•.



Notas Finais


Até....
Chu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...