História A F€ra. ~Imagine Kim Namjoon - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Imagine, Kim Namjoon, Novela, Ramance, Shoujo
Visualizações 302
Palavras 1.687
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mas um...

Escrito ao som de Adele Someone Like You.

Boa sorte

Capítulo 9 - Acreditando na farça.


Fanfic / Fanfiction A F€ra. ~Imagine Kim Namjoon - Capítulo 9 - Acreditando na farça.


.•°°•..•°°•..•°°•.^.•°°•..•°°•..•°°•.


Sentados a mesa percebi que tinha um lugar vazio do lado da mãe do Namjoon que se limitava a apenas dar pequenas colheradas no alimento e sorrir com educação quando conversam com ela, não estava feliz mas também não se permitia mostrar abalada a mesa, ereta com seus movimentos delicados parecia que a falta do marido ao lado não a afetava tanto assim.

-Daqui a pouco ela vai notar.>>escuto a voz do Namjoon próximo ao meu ouvido.

-Ham? Como assim?

-Tá olhando muito.>>ele retruca botando uma colherada moderada na boca.

-É que, estava tentando entende-la um pouco.

-Hum, que seja, só para antes que todo mundo perceba.>>leva o guardanapo ao canto da boca a limpando.

>>engulo as palavras secas e prossigo. -Seu pai não tá.

>>ele olha na direção da mãe vendo a cadeira ao lado vazia.          -Sempre foi assim, não esperava que tivesse aqui mesmo.

Com os olhos ainda na mãe seu olhar ficou distante como se várias lembranças tivessem o invadido, não quis interromper então voltei a comer dando um gole na taça de champanhe que acompanhava o prato principal.

-Não devia tá bebendo.>>tom reprovador.

-Pra aguentar o resto da noite vou precisar beber sim senhor Namjoon.>>afirmo sem o olhar mechendo a taça fazendo o líquido se movimentar.

-Se eu não posso beber por causa do maldito tratamento você também não pode. >>fala baixo entre dentes.

-Não tem sentindo nenhum isso. >>calmamente.

-Então eu vou bebe..

>>volto minha atenção pra ele de imediato o vendo pegar a taça com um sorriso de deboche e dar um gole. -Você não pode fazer isso. >>Buffo estreitando os olhos.

-Pra aguentar o resto da noite vou precisar beber.>>me provoca usando minhas palavras.

-Ora seu... >>Tranco a boca de uma tal forma que sinto o sangue dos lábios recuarem.

Me ajeito na cadeira voltando a olhar pra frente controlando os nervos, "Esse ingrato".


.•°°•..•°°•..•°°•.^.•°°•..•°°•..•°°•.


Na hora da sobremesa vinheram nos servir, um garçom com cheiro de flores suaves me serviu uma sobremesa diferente e pequena centralizada no prato, a única coisa que tinha certeza é que havia chocolate na receita, peguei o garfo e discretamente cutuquei.

" Acho melhor perguntar pro Namjoon e.." >>pensei e assim que virei a cabeça pra olhar-lo do meu lado vi algo inesperado que fez minha respiração parar, a garota que servia estava encurvada enquanto ele sussurrava algo pra ela e gesticulava pouco, isso não foi o problema, o problema é que se eu baixasse a vista um pouco veria a mão imunda dela deslizando pela coxa dele e precionando de leve, ao prestar mais atenção percebi seu corpo reajindo a isso, parei de olhar e encarei a sobremesa começando assim á comer pra estancar a raiva de alguma forma, só que por mais diferente e saborosa que ela fosse ela descia amarga e com dificuldade, a garota foi embora e Namjoon voltou a comer como se nada tivesse acontecido.

>>escuto um ruído do meu outro lado e olho encontrando um garotinho de 6 anos mais ou menos em sua mini roupa social, sua pele branca destacava seu  cabelo preto e seus olhos cor de ébano e curtos que lutavam por espaço com as bochechas fartas e suhad de sobremesa.

-Mas que falta de educação garoto. >>a mãe do lado dele retruca com raiva notando o filho sujo.

-Se quiser posso leva-lo a cozinha pra limpar ele.>>dou um leve sorriso notando os olhos dele em mim e a mãe pensativa.

-Não precisa se incomodar querida.>>tenta sorrir.

-Não é incômodo algum acredite. >>pisco pro garoto que engole a sobremesa sério.

-Bem... Se insistir.

-Obrigada. >>me afasto da mesa me levantando da cadeira, se eu passasse mais um segundo do lado do Namjoon eu exploderia de raiva da cara dele, nem se quer parei para pensar no porque da raiva do que vi, tinha medo de não gostar da resposta.

 Logo ajudei ele e segurei a sua mão macia e gordinha seguindo o rumo que uns garçons seguiram ao trazer e levar os pratos, não tinha como evitar os olhares curiosos de todos então esbolcei um sorriso cruzando o local cheio de convidados a mesa e indo a cozinha, ao chegarmos desviamos do frirvilhar de funcionários e o levei ate perto da pia abrindo a torneira e molhando minha mão, sem demoras me virei pra ele e passei a mão molhada no seu rosto, repeti três vezes até não ter mais rastros de sobremesa no garotinho.

-Obrigado. >>falou tímido baixando a cabeça.

-De nada meu lindo. >>sorrir com vontade.

-Posso comer de novo tia? >>seus olhos brilhantes e inocentes se encontraram com os meus.

"eu não devia...">>penso sentindo um aperto no coração ao me imaginar dizer um " não".

-Claro que pode.>>respondo me erguendo e olhando em volta da cozinha enorme com uma mesa grande cheia de bandejas, os funcionários estavam tão atarantados que nem prestavam atenção, com rapidez peguei um prato de sobremesa e me agachei em frente ao menino que abriu um sorriso enorme juntando as maozinhas.

-Mas dessa vez coma com cuidado OK?

-sim sim sim! >>estendeu as mãos e eu pus o prato nelas, me ergui e saímos da cozinha rumo a sala de janta, ao chegarmos notei que Namjoon não estava no seu lugar, com o corpo tenso cruzei a sala é levei o menino ao seu lugar.

-Quem te deu sobremesa de novo? >>a mãe pergunta.

-Foi eu, mas dessa vez ele me prometeu que se comportaria. >>pisco rindo pro garoto que pisca de volta.

-ah sim.

-a senhora viu o Namjoon?>>pergunto como quem não queria nada.

-Ele saiu pouco depois de vocês.>>responde com um certo descaso.

>>Fechei os punhos sentido meu corpo tenso. -Ah sim... Ele deve ter ido atrás de mim. >>me sento na cadeira toda errada comigo mesma, não devia está nesse estado.

Passaram-se minutos a fio e logo todo mundo estava se levantando da mesa pra voltar à sala de visitas da mansão, forcei um sorriso e me levantei seguindo a massa, estava mantendo a postura até alguém me puxar pelo cotuvelo me fazendo retroceder entre as pessoas.

-S/n precisamos conversar. >>Tae com a respiração tensa se pronuncia.

-conversar sobre o quê?

-Sobre essa palhaçada.>>estreita os olhos me fazendo engolir a saliva de uma vez deixando a boca seca, apenas assenti.

Seguimos todos novamente e na sala nos afastamos das pessoas com descrição, antes de falar olhou para os lados e me fitou.

-Vai contar ou vou precisar descobrir sozinho?

-Do que tá falando?>>tento manter a calma e parecer natural e confusa com ele.

-To falando desse noivado do nada e... 

-e?

>>respiro fundo como se controlace raiva. -...e do Namjoon se pegando com a funcionária no banheiro.

>>arregalei os olhos com a boca entre aberta, a garganta trancou e só saiu um resquício de voz quase vacilando.                          -Como assim? 

-Fui no banheiro e o encontrei com uma garota a... >>apertou os labios provavelmente pensando em como brandar as palavras. -enfim s/n, deu pra notar que esse casamento não tá sendo tão real, e como poderia em tão pouco tempo?


>>Senti uma pontada aguda atravessar o meu peito fazendo meus olhos ficarem marejados, não falei ou retruquei, estava sendo posta contra parede e eu só sentia raiva e angústia, fiquei ereta mantendo o olhar fixo.

-S/n? Você tá bem? >>fica preocupado.

>>apenas dou um passo pra trás mantendo distância sentindo lágrimas escorrer pelo rosto, tão pesadas quanto devagar, levantei uma mão ao rosto as limpando. -Tó ótima. >>os lábios se contorceram e eu baixei a cabeça, "não, não desaba s/n" eu pensei com força notando que não surtiu efeito algum.


-aahr... Eu sou um idiota, me desculpa. >>Tae se aproxima e eu ponho a mão em seu tórax tentando evitar, me manter forte. Ele continua e me envolve com seus braços. -Não precisa ter vergonha comigo. >>sussurra enquanto afundo meu rosto contra seu corpo escondendo minha imagem lamentável de todos os olhares.

-Me tira daqui...? >>peço com a voz embargada de tristeza.

-Não posso s/n, vão pensar besteiras.

-que pensem a besteira que quiser, só me tira daqui Tae.

-Tem certeza disso? >>sussurra entre nós dois.

-Sim... Eu te...

-Que droga tá acontecendo aqui. >>uma voz rouca e grave surgir me fazendo estremesser por completo.

-Ela não tá muito bem.>>Ríspido.

-Então eu cuido dela.

-Acho melhor eu cuidar disso.>>enfrenta com firmeza.

-Eu acho melhor você parar de agarrar ela isso sim. >>o volume engrossa e cresce, antes que os convidados notassem me separo de Tae enchugando lágrimas.

-Já estou melhor graças ao Tae.

-Mas... 

-Mas não foi nada tão sério Tae, vai passar. >>forço um sorriso vendo seu rosto compadecido de mim.

-Que bom então, já podemos ir. >>Namjoon me puxa segurando com firmeza minha cintura. 

-Claro. >>tiro a mão dele de mim sem muito alarde. -Vamos nos despedir das pessoas primeiro.

Assim fizemos, nos despedimos de todos e saímos da mansão ficando a frente esperando o funcionário trazer o carro.

-O que você tinha? >>sério.

-Só dor de cabeça.>>ríspida com os braços cruzados tremendo de friu.

-Que dor de cabeça foi essa que te fez chorar? >>insisti.

-Não sei tá legal.>>O carro chega e eu vou logo entrando no banco de trás e batendo a porta.

-Foi a minha mãe? >>fecha a porta do carro e bota o cinto de segurança.

-Não, ela me parece já ter me aceitado, agora você terá sossego dela até terminar o tratamento senhor Namjoon.

-hum... Depois a gente "desmancha" o noivado.

-Não dá pra desmanchar algo que nunca aconteceu. >>sussurro baixinho olhando pela janela deixarmos a mansão.

"Que estúpida eu sou, que tremenda estúpida eu sou...." .>>penso percebendo que to gostando do Namjoon.

Não sei como isso pode acontecer, ele nunca me deu motivos bons o bastante pra me apaixonar dessa forma, nunca me ofereceu nem se quer migalhas de seu carinho mas mesmo assim aqui estou eu no seu carro choramingando e sofrendo por saber que ele estava nos braços de uma vagabunda.

Ao chegar tratei de ir logo rumo a escadaria a subindo, não queria conversar com ninguém, só queria minha cama e o meu travesseiro macio.

-S/n espere.

>>paro na escadaria e me viro com os olhos pesados de tristeza.

-O que deseja senhor Namjoon?

-Bem... Yang entende disso de remédios. >>fala estranho.

-e?

-ela pode ajudar com essa dor de cabeça.

-Não quero acordar ela, só era isso meu senhor?

-acho que sim. >>franze o cenho desviando o olhar.

-Ok, boa noite. >>subo as escadas e vou para o meu quarto, achegar me livro de tudo e tomo um bom e demorado banho, termino e visto uma roupa larga me deitando logo na cama, foi inevitável não cair no sono com lágrimas escorrendo.



Notas Finais


Sentir pena '- '°

Estava escutando Adele... Divando na sofrencia.

Bjus ate


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...