História A Fúria e a Adaga - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Luta, Originais, Policial, Romance, Sobrenatural, Tragedia, Vampire, Vampiro
Visualizações 4
Palavras 952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey! Como vcs estão? Gostando da fic? Estou escrevendo com muito carinho, espero que gostem ❤️

*escrevo também no wattpad, link nas notas finais*

Capítulo 3 - Primeiro encontro


Fanfic / Fanfiction A Fúria e a Adaga - Capítulo 3 - Primeiro encontro

-ai! Isso doeu...- o rapaz loiro diz olhando para seu abdômen perfurado, que em instantes é regenerado como se nada estivesse ali. -Não se mexa!- grito apontando a arma para o mesmo, nesse momento um sorriso largo se abre em seu rosto, o mais branco e brilhante, era como um sorriso dos anjos. -Ou o quê? Você vai fazer o que quanto à isso?- seus olhos claros e azuis como o céu me fitavam, como se pudessem ler a minha mente, eu sentia ser analisada como nunca fui. Sorrio de canto, disparando cinco tiros. 

 

Ele cai para trás me olhando assustado -vou te matar!- pulo no mesmo e puxo minha adaga posicionando em seu coração -que tipo de humana é você?- ele se encosta na geladeira, seu olhar de apavorado me satisfazia, subo em cima do mesmo. Sentando em seu colo -prefere ser decaptado ou a adaga no coração mesmo?- digo em tom de ironia, é claro que eu iria cravar a minha adaga em seu coração, ele ri encostando a mão em meu ombro, em seguida sou lançada até a parede, da cozinha para o outro lado da sala. Me levanto tossindo, aquela pancada havia sido forte e eu deveria ter lesionado pelo menos algum osso. -achou que me mataria apenas com isso? Por favor...- seu tom de deboche me deixava irada, ele sorri caminhando até mim e estendendo sua mão devagar, que toca delicadamente minha clavícula direita passando pelo meu ombro, me puxando lentamente para si e me envolvendo em seus braços, suas mãos passam pelas minhas costas, e como se pudesse explorar o meu corpo com as mesmas, deslizando suavemente.

Sinto minhas costas esquentarem, e de repente a dor corre para os meus ombros, caminha suavemente pelos meus braços até chegar em minhas mãos, tocando a pontinha de cada dedo, e assim sumindo. -o que você fez?- pergunto surpresa, como ele era capaz de curar a dor que acabara de causar? -concertei o meu erro, eu não queria lhe machucar. Mesmo quase sendo assassinado por você- começo a rir incrédula e o empurro me afastando -machucar e matar é a única coisa que vocês tem vontade e sabem fazer, malditos vampiros- ao terminar a frase, sua expressão muda, seu rosto se contorce de raiva, eu havia o insultado com sucesso. O vampiro me ataca me prensando na parede, tento me soltar mas sua força segurando meus pulsos era irreal. Ele coloca uma perna sua entre as minhas me prendendo ainda mais, e lentamente se aproxima do meu pescoço, cheirando-o. 

Eu podia sentir sua respiração pesada e quente em minha nuca, seus lábios roçam e beijam minha pele, meu coração acelera, esse seria o meu fim? 

 

Fecho os olhos esperando a dor, e por fim ser sugada até a morte. Mas sua mão esquerda se afrouxa, penso em reagir mas antes que o fizesse ele segura meus dois pulsos com apenas uma mão. Com a outra livre, seus dedos passam pelo meu rosto o tocando levemente, e assim puxando o meu queixo com o polegar. Sua boca se aproxima, meus olhos se arregalam  e nossos lábios se encontram. Meu coração batia forte, eu tremia como uma covarde e meu corpo sentia um arrepio na espinha, ele era o vampiro mais assustador e diferente que eu já vira. Ele agia como um humano e manipulava toda a situação a seu favor, o que me dava calafrios. 

 

Sinto-o morder meu lábio inferior delicadamente, abro os olhos lentamente e o vejo, seus olhos reviram e o vampiro solta um suspiro longo. Eu não sabia o que estava acontecendo, ele estava brincando com a comida? Estava tentando ganhar a minha confiança para me atacar depois? Ou era apenas um psicopata se divertindo?

 

Reúno a pouca força e coragem que tinha e pronuncio algumas palavras -O que diabos você está fazendo?- ao ouvir isso, a criatura parece despertar do transe, ele me solta se afastando -seu sangue tem um cheiro fascinante- ele diz ainda tonto, não penso duas vezes e o empurro tentando fugir, o vampiro me persegue pela casa. Me apresso correndo pelo corredor, se eu conseguisse chegar no meu quarto antes que ele me alcançasse, eu poderia pegar minhas armas mais pesadas. Eu só precisava ser mais rápida, por alguns segundos. Apenas isso. 

 

Mas como previsto ele aparece na frente da porta, que por sorte estava aberta. Pego impulso e me jogo no chão deslizando pelo meio de suas pernas, entro no quarto me levantando rapidamente e abrindo o armário, não penso duas vezes e pego meu rifle mais pesado. Ele tenta me impedir e assim aponto para o mesmo -para trás!- grito e o vampiro recua com as mãos para cima -calma, eu não vou machuca-la- seus olhos fitam os meus profundamente, desvio o olhar -não tente me hipnotizar!- disparo um tiro, e depois outro, e mais outro...quando me dou conta havia gastado toda a munição, olho novamente para ele, em pé, intacto.

 

Suas asas o envolviam por completo, protegendo-o. Largo a arma no chão, aceitando a derrota. Suas asas se abrem e ocupam quase o quarto todo, seu olhar parecia triste, caio de joelhos, esperando a morte. -inocente você em pensar que me mataria desse modo- ele diz sério, meu corpo estava paralisado. Eu só iria morrer, por que estava tão em choque? -parabéns, você ganhou. Só me mate logo, por favor- digo fechando os olhos, escuto sua risada breve e incrédula. 

 

-Como eu disse, não quero machuca-la. E não vou mata-la- ao dizer isso a janela se abre, suas asas batem e o vampiro corre se jogando pela janela. Vou até a mesma rapidamente, e o vejo partir, batendo suas asas naquela noite fria, voando pelo céu escuro da madrugada.


Notas Finais


Link do wattpad: https://my.w.tt/OHB7CM7PaP

Kissus❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...