1. Spirit Fanfics >
  2. A Fúria Vermelha >
  3. Teste de Resistência

História A Fúria Vermelha - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Sim, eu sei que demorei demais pra continuar postando essa fic kkk
Mas tenho meus motivos e asseguro que são importantes 🤭
Estou muito feliz de estar continuando ela...
E espero que vcs também gostem ^^
Ah, claro, e desculpem qualquer erro de português...

Capítulo 9 - Teste de Resistência


Fanfic / Fanfiction A Fúria Vermelha - Capítulo 9 - Teste de Resistência

Suzuna acordou e sentiu alguém ao seu lado, na cama.

Assutada, sentou-se rapidamente. Mas sorriu logo em seguida. Maravilhosamente perfeito, com seus longos cabelos negros espalhados pelo lençol, estava Neji.

As lembranças do dia anterior inundaram sua mente e ela aninhou-se ao lado do amado que a abraçou docemente. Abriu os olhos e ficaram se olhando e sorrindo, ambos se recordando dos momentos ardentes...

Mas uma batida violenta contra a porta assustou-os.

- Neji! Levanta! São assuntos urgentes!

Neji arregalou os olhos e se colocou de pé rapidamente.

- É o Rock Lee! Ele entra aqui em casa a vontade, sem precisar bater.

Suzuna correu tentando colocar as roupas mas era tarde demais.

Rock Lee entrou quarto a dentro.

- Neji, você não me ouviu...

Parou no batente da porta de boca aberta. Neji, mesmo nu, se colocou na frente dela.

- Lee se você continuar olhando a minha mulher dessa forma eu mato você!

- Desculpa eu não sabia, eu...

- Ta, já entendi! Agora sai logo pra que a gente possa se vestir!

Rock Lee sumiu dali na velocidade da luz.

- Me desculpa, amor. Ele não fez por mal.

- Eu sei ^^

Quando estavam prontos foram ver o que Rock Lee tinha de tão urgente para falar e, assim que souberam, saíram correndo.

--------------------------------------------------------------X--------------------------------------------------------

Hikarí foi praticamente levada no colo pra casa. Ao passarem pela porta Kakashi a colocou no chão com cuidado.

- Kakashi, eu posso andar.

- Eu sei, mas e se você tropeçar? Você está muito fraca ainda.

A palavra “fraca” tinha uma péssima influência no psicológico de Hikarí.

- Quem você está chamando de fraca?

- Pode ficar brabinha que não vai mudar a forma que eu vou cuidar de você.

- Eu não vou ficar trancada em casa!

- Vai sim senhora!

- Konoha precisa da nossa ajuda.

Kakashi se aproximou, tirando a máscara e a bandana, irritado.

- Cuidar de Konoha nos custou o nosso filho!

Como se tivesse levado um soco, Hikarí emudeceu. Mas, como Kakashi conseguia ser extremamente duro às vezes por um bem maior, continuou.

- Foi um preço caro demais que nós dois pagamos. Eu não vou arriscar perder você também!

Hikarí caminhou lentamente até o sofá, apoiando as mãos no encosto. Kakashi respirou fundo e se aproximou, a abraçando por trás.

- Me desculpe, eu...

- Tudo bem. Você está certo. Eu devia ter me cuidado melhor.

Kakashi virou ela de frente, encarando-a.

- A culpa não foi só sua. Quisemos nos casar mesmo sebendo das exigências e dificuldades do nosso trabalho. E mesmo sendo ninjas, esquecemos que estávamos casados e tínhamos algo maior agora. Foi apenas uma má administração.

Hikarí riu.

- Você é sempre tão prático. Por isso me apaixonei por você.

- É mais fácil ver as coisas pelo lado racional. Mas com você reaprendi a ter emoções e sou muito grato por isso.

Kakashi encostou sua testa na dela. Ficaram assim por um tempo até que ouviram uma batida na porta. Kakashi recolocou sua máscara e foi atender a porta.

Hikarí ouviu quando ele cumprimentou:

- Olá, Suzuna. Sim, ela está lá na sala. Pode entrar.

Hikarí vislumbrou uma Suzuna com semblante muito preocupado, olhando pra ela. E a amiga não estava só. Neji vinha com ela.

- Hikarí! Se eu soubesse antes estaria lá no hospital ao seu lado! Me desculpe.

A jovem se curvou respeitosamente e Hikarí sorriu.

- Tudo bem, Su. Não estou braba com você. Até porque... - olhou maliciosa para Neji - Você estava em ótima companhia, não?

Os dois jovens ruborizaram. Hikarí pode ver Kakashi no canto da sala, com as mãos no bolso. Sabia que ele estava rindo por debaixo da máscara.

- Bem, nós... - Neji começou a falar.

- Não precisa se explicar, meu amigo. - Hikarí o interrompeu. - Conheço você a mais tempo do que conheço Suzuna. Seria mais fácil eu ameaçar ela pra que cuide bem de você do que ao contrário.

- Ei! - disse Suzuna, indignada.

Os outros começaram a rir e Hikarí sentou-se no sofá, bem devagar, pois estava toda dolorida. Vendo a cena, Kakashi e Suzuna forama até ela para ajudá-la a sentar. Mas antes que tocassem nela, Hikarí alertou.

- Nem ousem! Se me ajudarem a sentar como se eu fosse uma inválida, eu mato os dois!

- Você não teria força pra isso. - Kakashi provocou.

- Experimente então.

Depois de sentar confortavelmente e esperar que o restante também sentasse, Hikarí começou:

- Muito bem. Quem vai contar as tragédias pro meu irmão?

-----------------------------------------------------------X-----------------------------------------------------------

Uma semana já havia se passado e Hikarí não aguentava mais ficar em casa.

Amava Kakashi demais e estar com ele foi um presente dos deuses e um dencanso merecido, mas não suportava mais estar em casa sem fazer absolutamente nada a não ser comer, dormir e jogar alguma coisa com Kakashi.

Além do mais, alguns dias antes haviam contado sobre Jiraya para Naruto sem a presença dela, o que fez seu sangue ferver de raiva. Foi necessário Takeshi, Kazui e Suzuna para mantê-la ali presa enquanto Kakashi ia junto de Tsunade, Sakura e Sai dar a triste notícia para seu irmão.

- Não é justo! Ele deve estar precisando de mim! Já pensou como está a cabeça do Naruto agora?

- Você precisa de descanso Hikarí! - gritou Kazui sem paciência.

- Eu já descansei o bastante, mãe! Descanso mais quando morrer!

Takeshi se aproximou dela de braços cruzados. Sussrurou ameaçadoramente.

- Chega de discutir. A decisão já foi tomada e você vai obedecer. Ponto final.

Indignada e morrendo de raiva, Hikarí foi pro seu quarto. Já era uma mulher adulta e casada, mas os pais ainda a tratavam igual criança.

Quando seu cárcere completou 15 dias, Hikarí jurou que enlouqueceria!!!

Estavam mantendo ela trancada em casa pra descansar e não ficar estressada, mas estava acontecendo exatamente o oposto e ficando pior.

Foi isso que Hikarí explicou ao marido quando ele voltou pra casa naquele dia. Enquanto jantavam e ele contava todas as novidades, sobre a mensagem, o corpo de Pain e como Naruto estava reagindo, ela argumentou:

-Naruto deve ter estar péssimo! Amor, eu sei que vocês só querem o meu bem, mas eu não estou mais doente. Me trancar aqui dentro só vai me fazer ficar ansiosa e mais estressada ainda. Sou uma pessoa de natureza ativa, preciso de movimento. Concordo que estava exagerando e carregando o peso de diversas responsabilidades que nem minhas eram mas, por favor, eu preciso voltar ao trabalho, voltar a sair, ver pessoas. Pra poder manter minha sanidade. Além disso, você pode cuidar de mim. Não foi você quem disse que agora a Tsunade não vai te mandar tão cedo pra uma missão fora?

-Sim, ela disse.

- Então? Por favoor!

Depois de um longo tempo a encarando, tempo que parecia uma eternidade, Kakashi disse:

- Ta eu concordo...

- ÊÊÊ!!!!!!!

-... com uma condição.

-...?

- Eu vou estar pratiacamente grudado em você, só te largando pra você usar o banheiro.

Hiakrí deu a volta na mesa e sentou no colo dele, beijando- o.

- Vou adorar estar colada em você.

O beijo era pra ser leve mas, percebendo o tesão do marido, notou que ela também estava ardente. Ele, porém, estava tentando se controlar. A última transa deles havia sido antes de Kakashi sair pra missão. E isso já fazia muuuito tempo.

Kakashi percebeu quando Hikarí colocou suas mãos geladas por dentro da camisa dele. Imediantamente segurou os pulsos dela.

- O que você está fazendo?

- O que você acha?

- Mas você... Tem certeza? Não quero te machucar...

- Tenho sim ^^. Não sinto mais dor. Eu estou bem, meu amor.

Sem perder mais tempo tirando a dúvida, Kakashi ergueu Hikarí no colo e levou pro quarto.

--------------------------------------------------------------X--------------------------------------------------------

No dia seguinte finalmente fora de casa, Hikarí podia respirar aliviada. Sentia falta do ar fresco, do calor, do sol e cheiro de terra. Hikarí caminhava alegre, disposta, relembrando cada esquina, cada árvore...

Como prometido, Kakashi vinha logo atrás dela. Por baixo da máscara Hikarí sabia que ele estava sorrindo.

A primeira coisa que fez foi visitar os pais. Ainda era cedo, então sabiam que eles estavam em casa.

Kazui a recebeu de braços abertos, enquanto Kakashi cumprimentava Kakashi. Arrumaram a mesa para tomarem café da manhã juntos.

- Como está se sentindo, minha filha? - perguntou Takeshi.

- Pronta pra voltar a ativa!

Os pais dela olharam pra Kakashi.

- Bem, se eu não permitisse ela iria fugir de casa.

- Eu não preciso de permissão, senhores. Não sou mais uma criança.

Eles sorriram. Kazui perguntou:

- Bom, o que pretende fazer agora que está livre da sua prisão?

Hikarí ficou séria.

- Onde está o meu irmão?

-------------------------------------------------------------X---------------------------------------------------------

Hikarí e Kakashi foram até o apartamento de Naruto. O imóvel havia pertencido aos pais dele e Naruto o havia mantido, usando-o quando queria se esconder do mundo ou quando desejava mais privacidade com alguma garota.

Estavam chegando quando viram Shikamaru saindo. O garoto abriu um largo sorriso ao vê-la e Hikarí começou a rir.

- Eu esperva que estivesse saindo uma mulher da casa do meu irmão....

Shikamaru arregalou os olhos.

- O que?? Não, eu.. O.O

- Calma, Maru. Eu só estava brincando ^^

Shikamaru se recompôs e começou a contar.

- Por diversas vezes, várias pessoas vieram ver o Naruto e tentar animá-lo. Hoje até pareceu mais confiante quando conversei com ele, mas resolveu voltar pra cá.

Hikarí fechou a cara. Olhou pro marido.

- Ha quanto tempo ele ta nessa?

- O mesmo tempo que você esta em casa. - Kakashi respondeu.

Respirando fundo, Hikarí começou a caminhar.

- Fiquem aqui fora. Qualquer coisa que ouvirem não entrem lá dentro!

Kakashi pareceu preocupado.

- O que você vai fazer O.O ???

- Naruto é um Uzumaki! O método com ele é outro.

A passos decididos, Hikarí entrou na casa sem nem bater. Não levou nem dois minutos pra que Shikamaru e Kakashi ouvissem gritos e objetos serem quebrados. Ambos se olharam assustados, mas não moveram um músculo.

Lá dentro a coisa tava intensa.

- Deixa de ser retardado! Fico um tempão sem te ver, morrendo de saudade e é assim que você me recebe?

- Você chegou aqui querendo me arrastar pra fora! Ficou louca?

- Fiquei confinada o mesmo tempo que você e não aguentava mais! Como é que você pode estar gostando de ficar nessa inércia, Naruto?

Ambos ficaram se olhando, como duas ventanias brigando numa tempestade.

- Você não pode me obrigar a sair!

- Então nós vamos ver! Onde está o seu tão famoso “jeito ninja de ser”? Sua persistência? Aonde ta o cara que vivia dizendo que não desistia até se tornar um Hokage?!

- Desistir nos primeiros obstáculos? Há anos eu venho perdendo tudo! Eu perdi o meu mestre!

- E eu perdi o meu filho!

Naruto sentiu a onda de mágoa vinda de Hikarí. Era tão forte quanto um soco. Tão forte que o fez ficar quieto.

Hikarí se aproximou dele, que olhava pro chão. A jovem o abraçou e Naruto devolveu o abraço forte.

- Desculpa, irmãzinha.

- Ta tudo bem. Olha só. Nós dois estamos muito tristes. Mas não podemos nos entregar pra melancolia agora. Jiraya nunca ia querer que você estivesse agindo dessa maneira, lamentando a morte dele todo esse tempo. Precisamos de você.

Naruto olhou pra ela e sorriu. Aquele sorriso travesso que só ele sabia dar.

Os minutos se passaram e Shikamaru e Kakashi ainda estavam parados nas escadas, abaixo das janelas. Ambos ouviram as últimas frases dos primos. Kakashi se virou de costas pra Shikamaru e fechou os olhos, apertando o corrimão com força. A mesma dor de Hikarí era também a dele. Olhou com ódio pro horizonte, jurando que ela nunca mais iria passar por aquilo.

Ouviram a porta do apartamento do Naruto abrir com um estalo e os dois irmãos saírem de lá com a mesma expressão: confiança.

- Oi Kakashi sensei, Shikamaru.. Tô pronto!

--------------------------------------------------------------X--------------------------------------------------------

Naquela semana, Hikarí marcou de sair para uma noite de diversão com os seus amigos, comendo, bebendo e conversando.

Pensaram em ir no Ichiraku, mas o restaurante era pequeno demais pra tanta gente! Então resolveram ir em um bem maior.

Alguns não queriam abandonar seus postos no trabalho. Mas Hikarí, sem remorso algum, os chantageou dizendo que, para ela se sentir melhor, queria que eles passasem aquela noite com ela.

Aproveitando que a esposa estaria em segurança com os amigos, Kakashi aproveitou para dar uma passada no escritório da Hokage e se inteirar das novidades, já que estava passando a maior parte do tempo cuidando do bem-estar de Hikarí.

Hikarí se arrumou em casa. Suzuna estava ali com ela e também estava se arrumando, contando os planos que fez com Neji. Pelo jeito haveria mais um casamento em breve.

Ao chegarem no restaurante, todos os seus amigos estavam ali: Naruto, Sakura, Sai, Hinata, Ino, Tenten, Shikamaru, Neji, Kiba, Shoji, Rock Lee e até mesmo o enigmático Shino resolveu aparecer.

Tenten ficou desconfortável por ver a evidente mostra de compromisso sério entre Suzuna e Neji. Mas o Hyuuga não iria deixar uma paixão platônica impedir suas decisões. Até porque, pelo que Neji havia contado, surpreendentemente Tenten estava cedendo espaço em seu coração para ninguém menos do que Kiba!

Isso resolvia muitas coisas e deixava tudo mais fácil.

- Quem diria que chegaríamos onde estamos. - comentou Ino.

- Nem me fala. Fazendo um balanço do que já passamos... Tivemos muita sorte. - Shoji lembrou.

- Também tivemos muitas perdas... - Naruto lamentou.

Todos pareceram quietos por um tempo. Sentada numa das pontas da mesa, Hikarí sorriu.

- Mas que não foram em vão. Forjaram os homens e mulheres de honra que são hoje, os quais tenho orgulho em dizer que são meus amigos.

Todos sorriram pra ela e decidiram fazer um brinde. A mesa estava com os ânimos alterados. Todos falavam alto, mas os demais clientes não se importaram. Aquele jovem grupo parecia estar proporcionando alegria extra naquele ambiente.

- Desculpem, mas a natureza me chama. - disse Naruto correndo pro banheiro.

Hikarí olhou pro irmão com carinho. Ainda bem que havia conseguido tirar ele de casa.

- Eu sempre achei isso bonito em você. - comentou Hinata com doçura.

Só então Hikarí percebeu que Hinata falava com ela.

- O que..?

- O fato de você tratar bem o Naruto.

Hikarí reparou que todos na mesa sorriam e concordavam com Hinata. Hikarí apoiou um braço na mesa e encarou a todos com seriedade.

- Eu nunca achei correto a forma como todos tratavam o meu irmão. Eu sempre detestei quando diziam que ele era um monstro, como o excluíam de qualquer brincadeira quando éramos pequenos, de como o agrediam, eu estava ao lado dele todas vezes que ele chorava... Sempre tentei compensar o que ele não recebia de todo mundo porque ele era o verdadeiro herói de Konoha! - percebeu que os amigos sentiram-se culpados com o comentário. Ela ficou em silêncio por uns instantes e continuou. - Mas o passado já foi escrito e a tinta já secou. O que me deixa radiante agora é que Naruto tem tudo pra alcançar seus sonhos... Tem família, amigos verdadeiros e amor.

Hikarí falou a última palavra encarando Hinata que sorriu ruborizada.

Quando Naruto voltou todos o olhavam sorridentes. Ele riu também.

- O que eu perdi? - perguntou confuso.

Hikarí ergueu o copo bem alto.

- Ao futuro Hokage!

Todos seguiram ela.

- Ao futuro Hokage!

---------------------------------------------------------X-------------------------------------------------------------

Hikarí teve permissão pra voltar ao trabalho. Takeshi e ela estavam supervisionando tudo o que Tsunade pedia: a autópsia, a decodificação da mensagem de Jiraya - ao qual Naruto havia ajudado - e também já estavam se preparando para a reunião da cinco grandes nações shinobi.

Após isso, Naruto foi convidado a ir treinar com o mestre Fukasaku no Monte Myoboku, local onde o mestre Jiraya também havia ido treinar.

Passado alguns dias, Konoha se tornou agitada. Era possível sentir a tensão disfarçada em cada rua e beco. O clima, porém, era ensolarado na cidade e era um alívio para as mentes preocupadas dos nijas de Konohagakure.

Vestida com todos seus aparatos ninjas, até mesmo sua katana nas costas, Hikarí estava reunida com Tsunade, sugerindo a volta de Naruto.

Sem aviso prévio, um ninja encarregado de um batalhão e um membro da Anbu surgiram no meio do escritório avisando um ataque. Em seguida ouviram uma grande explosão em Konoha. Pela janela conseguiram ver diversas criaturas horrendas, parecidas com lacraias gigantes devastando tudo. Tsunade não pensou duas vezes!

- Toquem o alarme de emergência! E chamem Naruto!

Hikarí sorriu, acenando com a cabeça. Estava prestes a sair, mas naquele momento os Anciões do Conselho invadiram a sala.

-Parem! Deixem Naruto no Monte Myoboku! - disse Koharu.

- O que? - rosnou Tsunade.

- Sabemos que é o líder da Akatsuki que está atacando nossa vila. - completou Homura.

- Como descobriram? - quis saber Tsunade.

- Soubemos através de Danzou.

Hikarí fechou os punhos.

- E como duas velhas fuxiqueiras vocês vieram aqui para parecer que são úteis?

- Não seja mal educada mocinha! - Homura olhou pra ela com raiva e se virou para Tsunade. - Além disso eles estão atrás do poder da Jinchuuriki do Naruto.

- E daí? - Tsunade perguntou enraivecida.

Koharu olhou pra ela como se estivesse falando com uma criança.

- Da última vez lhe demos o benefício da dúvida. Mas não dessa vez! Naruto ainda é uma criança. Essa é a pessoa que derrotou Jiraya! Se Naruto for levado e a Kyuubi cair nas mãos deles..

Hikarí já estava de saco cheio daqueles malditos velhos! Colocou-se de pé num segundo mas Tsunade foi mais rápida. Ergueu os dois pelo pescoço.

Todos olharam pra Tsunade apavorados, inclusive Hikarí. Porém, não mais do que Homura e Koharu.

- O que? O que você está fazendo? - perguntou a anciã assustada. - Sua... nos solte, Tsunade.

- Como você se atreve a levantar a mão contra nós... os conselheiros? - perguntou Homura.

- Quem vocês pensam que são? Bando de vermes, sanguessugas! Por quanto tempo pretendem tratá-lo como criança? O desejo de Konoha foi passado e está crescendo. Ele não é uma arma para ser usado por Konoha como um às em uma guerra! Ele é um ninja que jurou proteger Konoha! Ele é Naruto Uzumaki! Hikarí tem razão! Vocês não passam de covardes escondidos dentro desses muros, dando ordens. Por causa de vocês perdi todos que eu amava! Perco meu tempo ouvindo seus malditos conselhos! Eu sou a Hokage! Eu decido o que vamos fazer ou não!

Sem dar tempo para responderem Tsunade jogou-os no chão. Hikarí tinha vontade de gargalhar, satisfeita. Mas ao invés disso, ela olhava do ninjas ao sapo mensageiro que acompanhavam toda a cena tão impressionados quanto ela.

Os anciões levantaram-se vagarosamente e se retiraram. Antes de sair Koharu disse apenas:

- Faça o que quiser.

Nesse momento Shizune chegou informando que haviam respostas sobre a autópsia de Pain. Os objetos no cadáver eram receptores de sinais de chakra. Ao ouvir isso, Tsunade deu novas ordens a todos.

Hikarí saiu ansiosa para se juntar a Takeshi e Kakashi, antes que algo acontecesse com ele.

Saltou no meio dos escombros, sacando sua katana das costas e ia atacando aqueles malditos animais, resgatando alguns feridos e os encaminhando ao hospital.

No meio do caminho, encontrou Kazui, disparando diversas kunais.

- Como estão as coisas?

- O que você acha? - a mãe dela perguntou enérgica.

- Só mais um dia no paraíso?

As duas começaram a rir e atacaram ferozmente. Porém não tiveram a sorte de encontrar um dos Pain. Ajudaram muitas pessoas, ergueram escombros, retalharam algumas das bestas que irritantemente voltavam.

Avançaram ao coração da cidade, onde as coisas pareciam estar bem piores. Lá encontraram Takeshi, um pouco ensanguentado. Hikarí tocou nele.

-Pai..?

- Estou bem. Não precisa se preocupar.

Logo viram um dos Pain por ali. Kazui assentiu para Takeshi.

- Hikarí, junte-se a Kakashi. Ele deve estar precisando de você! Nós cuidamos desse aqui.

Hikarí concordou e correu pra onde a mãe apontou. Correu o mais rápido que conseguia. A visão era triste. Konoha estava destruída, aos escombros, muitas pessoas soterradas, muitos corpos espalhados.

As bestas continuavam destruindo tudo. Enraivecida, Hikarí atacou uma delas com toda sua força. Após alguns ataques, a fera lançou-a contra alguns escombros.

Hikarí sentiu todo seu corpo doer. Se apoiou nos cotovelos pra se levantar quando o viu. Todo o ar sumiu dos seus pulmões. Seus batimentos cardíacos pararam. Medo, desespero e dor se misturaram dentro dela.

No meio dos escombros, banhado pelos raios do pôr do sol, jazia o corpo de Kakashi sem vida.

---------------------------------------------------------X-------------------------------------------------------------


Notas Finais


Aos fiéis acompanhantes dessa fic, meus mais sinceros agradecimentos 😘
Como informei ao iniciá-la, essa fic será beeem longa, mais que as outras que escrevi ^^
Portanto tenham paciência kkkk
Até o próximo capítulo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...