1. Spirit Fanfics >
  2. A Gangue de Seul - Taekook >
  3. Capítulo 25

História A Gangue de Seul - Taekook - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Olá. Boa leitura!

Capítulo 25 - Capítulo 25



Deixa nos favoritos e comentem 💕


Boa leitura! Espero que gostem.


**


Tudo aconteceu em câmera lenta. Taehyung não esperava que Jungkook fosse sequestrado pelo pai do Hoseok e pelo pai do mesmo. Era para ter sido um dia cheio de diversão e muitas risadas entre eles.

Soube quando um dos seus homens correu até o mesmo gritando que viu Jungkook sendo puxado a força para fora da boate. O homem seguiu os homens e viu ele sendo puxado para dentro de uma van cinza. Não deu tempo para o homem agir, os sequestradores já estavam correndo com o carro. Não poderia ter feito muita coisa.

Taehyung estava sentado num estofado marrom, no andar de cima– onde geralmente ele ficava com os mais chegados, afinal era o dono do lugar–, com Yoongi, Hoseok e Jimin bebendo um copo de uísque com gelo. Conversavam animados sobre quando os bebês nascerem. Jungkook tinha ido no banheiro por querer fazer xixi– de novo.

Foi quando tudo desmoronou para ele. Um dos seus homens, Dae-Ho era um dos seus homens mais chegados e confiáveis, por isso deixou ele supervisionando a boate depois de saber que estavam deixando menores de idade usar drogar na sua boate.

Dae-Ho era um homem de estatura alta, seus músculos eram enormes cobertos por várias tatuagens– uma em especial, o leão que representa a gangue estava em seu pescoço. Seus cabelos pretos cobriam a metade do rosto, seus olhos verdes chamavam a atenção de vários homens e mulheres na Vante Club's. Era um homem leal e confiável.

Dae-Ho correu com toda velocidade que tinha nas pernas enormes, indo pro andar de cima avisar Taehyung. Chegou no lugar reservado para o dono, respirando ofegante.

Taehyung franze a testa do porquê o homem estar tão ofegante.

— O que houve Dae? Viu um fantasma?– Perguntou Taehyung divertido.

— Não senhor! Pior. O Jungkook ele....

Taehyung ao escutar o nome do namorado se levantou sentindo suas mãos soarem em sinal de nervosismo. Seu coração apertou e acelerou.

— O que tem ele? Aconteceu algo?– Perguntou Jimin olhando para o homem alto, que tinha um olhar de medo.

— Ele foi sequestrado. Me desculpe! Não tive o que fazer. Quando eu vi eles já tinham fugido.

Taehyung olhou bem dentro dos olhos alheios, fazendo o homem estremecer de medo.

Dae-Ho conhecia aquele olhar. Taehyung só tinha aquele olhar quando era capaz de fazer tudo para salvar alguém que amasse.

— Como assim? Explica isso direito.– Indaja Jimin preocupado.

Yoongi e Hoseok se entreolham dizendo dois nomes em pensamento.

Jeon Joon.
Jung, pai de Hoseok.

Taehyung apertou as mãos sentindo a raiva tomar conta do seu corpo.

— Dae-Ho. Chama os homens. Eles irão pagar por pegar meu namorado.

Dae-Ho não esperou muito e correu para baixo. Teria que chamar todos os homens disponíveis.

— Não acredito que ele fez isso mesmo. – Resmungou Hoseok não compreendendo as ações do pai.

— Se ele tocar num fio de cabelo do Jungkook, eu juro que vou mata-lo. E não importa se ele é seu pai Hoseok, mexeu com minha família é considerado uma pessoa morta.

Taehyung grunhiu irado.

— O que vamos fazer?– Perguntou Yoongi ao se levantar indo na direção do melhor amigo.

Estaria pronto para seguir tudo que Taehyung ordenasse. Afinal, Taehyung– mesmo sendo seu melhor amigo–, ainda era seu líder.

— Vamos atrás desses idiotas. Eles pensam que podem ameaçar minha família, estão totalmente errados.

Indagou Taehyung olhando para Jimin tentando desvendar o olhar do amigo. Jimin parecia estar perdido em pensamentos.

— O que foi Jimin?

— Não é nada. Eu só estou sentindo um pressentimento ruim. Por favor Tae, salva o meu irmão.

— Não se preocupe! Eu irei trazê-lo de volta pra casa são e salvo. Eu prometo!

Afirmou Taehyung convicto de que traria Jungkook de volta pra casa. A prioridade era Jungkook e seu filho. Não poderia deixar acontecer nada com os dois.

Jungkook POV:

Foi tudo tão rápido que não tive tempo de gritar para pedir ajuda. Dois homens me pegaram a força me jogando dentro de uma van. Só me preocupei na hora com meu filho, por isso não lutei contra.

Eu usava uma venda nos olhos cobrindo minha visão do caminho. Os homens discutiam entre si do quê fazer.

— O chefe disse para levá-lo ao galpão mais próximo. – Informou um dos homens para o parceiro.

— O mais perto é esse aqui.– Disse apontando para algo.

Os dois apenas assentiram sem fazer nenhum barulho.

***

Jungkook temia por sua vida. Nunca pensou que seria sequestrado algum dia. Imaginava quem estaria por trás de tudo isso Jeon Joon, pensou Jungkook. Pulou de susto quando um dos homens puxou-o pela mão tirando-o da van. Resmungou de dor pelo puxão forte.

**

Já fazia algumas horas que Jungkook tinha desaparecido e Taehyung ficava cada vez mais com o coração apertado.

Não sabia o que aqueles dois homens fariam com o seu namorado, poderiam até tentar machucar o bebê para atingi-lo.

Taehyung ergueu os olhos vendo todos os seus homens mais experientes.

— Silêncio! Dae-Ho deve ter falado do porquê vocês foram chamados. Então não vou ficar explicando.– Explicou, cruzou os braços em cima do peito.

Na sala tinha sete homens, eram poucos, mas eram os mais velhos na gangue e que tinham mais experiência com sequestros, por este motivo Taehyung chamou-os.

— Kim? O que exatamente nós teremos que fazer?– Perguntou Seojoon, com um sombrancelha erguida. No seu rosto tinha uma cicatriz enorme que começava  na sombrancelha e ia até o queixo, foi no dia em que defendeu Taehyung de levar uma facada de um novato na gangue. Na época, Taehyung recrutava garotos novos, dando treinamento em luta, armas até mesmo disfarces. Não esperava que o garoto tinha se infiltrado apenas para mata-lo. Iria se vingar pelo pai morto por Taehyung. Se Seojoon não tivesse entrado na frente, Taehyung poderia ter morrido naquele dia.

Não tinha a menor noção do quê Taehyung planejava. Por isso a confusão brincava em seu rosto.

— Primeiro eu quero que vocês localizem o local onde levaram Jungkook. Quando descobrirem eu digo o resto do plano.– Explicou olhando a todos atentamente.

Os sete homens presentes assentiram com a cabeça. Levantaram-se do sofá–em quais estavam sentados–, andaram em direção a porta de saída indo fazer o que faziam de melhor.

Localizar todo tipo de lugar, no qual usavam para sequestros. Conseguiam saber de tudo que acontecia dentro de Seul.

Com uma ligação poderiam saber do que quisessem, a qualquer momento ou dia. Afinal, tinha garotos mais novos que faziam o trabalho chato de vigiar toda Seul.

Taehyung perdeu o rosto duro e sério no momento em que seus homens saíram de sua presença. Não pôde evitar as lágrimas caindo em seu belo rosto. Tinha medo do que aconteceria com o namorado e seu filho. Não aguentaria, caso acontecesse algo com os dois.

Secou suas lágrimas rapidamente, ao ouvir batidas na porta do seu escritório principal.

Yoongi entrou junto com Hoseok depois de ouvir um entre da parte de Taehyung. Ergueu as sombrancelhas desconfiado do rosto inchado do amigo. Saberia dizer quando o melhor amigo escondia o choro, ele fazia o mesmo quando eram crianças. O rosto ficava inchado e os olhos vermelhos.

— Tae? – Disse Yoongi, com um olhar preocupado no rosto.

Taehyung olhou para o amigo por um segundo antes de desviar o olhar. Não queria parecer fraco na frente dos amigos, precisava ficar forte. Por sua família.

— Descobriram alguma coisa?– Perguntou Taehyung, desviando o olhar do amigo.

Os dois sentaram nas cadeiras em frente a Taehyung.

— Nenhuma por enquanto. Eu falei com Kwan, ele pode nos ajudar se você permitir.– disse Hoseok, com um olhar perdido.

— Eu permito! Toda ajuda é bem vinda. Liga pra ele agora.– Ordenou Taehyung. Hoseok levantou-se do lugar, pegou o celular discando o número do melhor amigo.

Yoongi olhou para Hoseok saindo do escritório, mas voltou seu olhar para o amigo na sua frente.

— Não precisa se fazer de alguém forte agora. Não comigo.– Indagou Yoongi.

— Eu não estou fazendo nada.

— Eu conheço você desde de criança Tae. Eu aprendi a dizer quando você chora. Seu rosto está inchado e seus olhos estão vermelhos.

Taehyung limpou o rosto com a mão. Como se isso fosse, de alguma forma, tirar o inchaço do rosto.

— Não sei do que está falando. – resmungou baixinho.

— Você sabe que pode contar comigo sempre. E eu prometo que vou fazer de tudo para trazer ele de volta. Não se preocupe!

Afirmou com um sorriso gengival no rosto.

Taehyung sorriu quadrado para o amigo. Sabia que poderia contar com o melhor amigo para sempre.

— Eu sei.

Riram juntos antes de se levantar e colocar o plano em prática. Desceram a escada, porém travaram no meio do caminho quando viram um fantasma.

Não era para ele estar vivo, não tinha possibilidade de isso acontecer. Mas lá estava ele na sala, sentado no sofá, conversando com Jimin animadamente sobre algum assunto.

Min Joon. Pai de Yoongi. Alguém que deveria estar morto. 



***


Notas Finais


Não era pra mim postar hoje... Mas eu não aguento. Vou avisando que a próxima att vai demorar um tempinho. Quero escrever o capítulo 26 enorme para explicar muitas coisas. Na verdade eu tenho várias ideias malucas para essa história ksks. Estão gostando? Quero feedback dos meus leitores nos comentários por favor!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...