1. Spirit Fanfics >
  2. A Gangue do meu irmão >
  3. O assalto

História A Gangue do meu irmão - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii galerinha
Essa é a história que eu disse que começaria no lugar da outra ( A princesa e o Ladrão).
Boa leitura para todos

Capítulo 1 - O assalto


Fanfic / Fanfiction A Gangue do meu irmão - Capítulo 1 - O assalto

S/n 

_Jungkook! Disgrama cadê minha esc..

Vi meu irmão em frente ao espelho com minha escova de cabelo em mãos.

_Eu vou te matar! -corri até ele e o mesmo subiu na cama levantando a mão no ar e segurando a escova.

_Isso se você alcançar meu pescoço né? 

_Para de me zoar por eu ser baixinha!

Pulei pra tentar pegar minha escova mas falhei miseravelmente.

_Droga! Desce aqui se for homem!

_Falou a machona. - ele riu enquanto jogava a escova pra cima. -Aiai irmã. Pega aí. - ele jogou a escova pra porta e ela caiu no corredor.

Mais que bosta. Não pode arrumar o cabelo em paz mais não.

_Você faz o jantar hoje. - ele se voltou para o espelho e passou a mão no cabelo dele. Chega a dar inveja da beleza do meu irmão.

_Se depender de mim a gente come arroz cru e carne queimada. -falei e ele riu. Não é mentira, já consegui deixar a carne queimar.

_Então eu faço. Quer comer o que?

_Que tal aquela batata que você colou no prato aquele dia? - eu falei e ele me empurrou.

_Eu não sou um prodígio na cozinha tá bom? 

_E eu disse que era?

_Aish garota chata! - ele correu atrás de mim e eu fui em direção à sala, mas antes de eu chegar no sofá ele conseguiu me alcançar. -Ta de castigo!

_Eu não tenho mais oito anos.

_Não mesmo. Tem dezenove com altura de oito. - dei um tapa nas costas dele e o mesmo me jogou no sofá.

Sou baixa mas nem tanto. 

_Falou a Torre Eiffel.

_Você é muito chata sabia? - ele se jogou no sofá e eu dei uma almofadada nele.

_Também te amo irmão. 

JK abriu a boca pra falar alguma coisa mas ouvimos algo tocar. 

_Um minuto. - ele atendeu o telefone. -Alô? Ah. Agora? Onde? Ah sim. Já vou. Chego daqui cinco minutos. -ele desligou e guardou o celular. -Nega eu tenho que ir ali rapidinho. Fica em casa ok?

Ele levantou e beijou minha testa. Depois pegou a jaqueta e saiu.

Fui até meu quarto e fechei minha apostila. Eu tenho que estudar para a prova da semana que vem da Academia de Polícia Sul-coreana, mas no momento estou com fome e não sei cozinhar.

Fui até a mochila do meu irmão e achei algumas notas de dinheiro.

_Acho que ele não vai brigar. É só pra eu bater um rango, depois eu pago ele.

Coloquei uma blusa de frio, calcei um tênis, peguei meu celular e minha bolsa e depois saí de casa. 

_O restaurante do Senhor Hee deve estar aberto. - contei as notas e guardei no bolso. 

Entrei no local e fiz meu pedido. Me sentei à mesa e tentei ligar pro Kook.

Caixa postal.

Tentei novamente.

Ocupado.

_Anda logo irmão.

Quando meu prato chegou eu desisti de ligar pra ele. Coloquei o celular na mesa e comecei a comer.

Alguém abriu a porta do lugar e o vento frio entrou. Coloquei meu capuz e observei os rapazes entrando.

São seis.

Vi um deles com a mão no bolso como se estivesse segurando algo. Todos estão usando máscaras.

Isso está estranho. 

_Aí camarada! -um deles apontou a arma pra um garçom. - Passa a grana e ninguém aqui se machuca! 

Confusão total. Pessoas gritando e os criminosos mandando todo mundo calar a boca. 

Peguei meu telefone e comecei a discar o número da Polícia, mas um deles viu.

_Você aí mocinha. - ele pegou meu celular e guardou no bolso, depois puxou o colarinho da minha blusa. - Quer bancar a esperta, né? - ele apontou a arma pro meu pescoço e eu fechei os olhos.

_Por favor não atira.

O homem riu.

_Qual é seu nome? 

_S/n...

_Seu nome completo!

Engoli em seco.

_Jeon S/n! -gritei pra ele e senti o aperto dele afrouxar.

_Como?

_Jeon S/n.

O rapaz me olhou e me puxou pelo braço. 

_Você vem com a gente!- ele disse apertando meu braço.

Depois que eles já tinha conseguido o que queriam eles me levaram para fora do local. Andamos um pouco até chegarmos em um beco mal iluminado.

O cara que estava me segurando me empurrou e eu caí no chão.

_Tire o capuz. -um deles disse.

Fiz o que mandaram e eles examinaram meu rosto. Um deles se ajoelhou e passou a mão no meu cabelo.

Não sei o motivo, mas esse gesto me acalmou. A mão dele era quente. Quando ele passou o polegar na minha bochecha eu percebi que estava chorando.

_O que vão fazer comigo?

_Não sabemos. Nosso líder não está aqui e..

Meu celular que estava no bolso de um dos criminosos começou a tocar.

O cara atendeu e colocou no viva-voz.

_S/n cadê você eu cheguei em casa agora e você não está aqui e agora vi suas ligações. Onde você está? -ouvi a voz do meu irmão e os outros se espantaram.

_Jungkook? - um deles falou.

_Namjoon?- meu irmão pareceu surpreso, mas então sua voz se transformou em pura raiva. - Por que você está com o celular da minha irmã? 

Nenhuma resposta.

_Quero os seis no esconderijo daqui quinze minutos. Nem pensem em se atrasar. E tragam ela.

Meu irmão desligou e o que se chama Namjoon colocou as mãos na cabeça.

_JK vai nos esfolar.

_Só esfolar? Tem certeza? Envolvemos a irmã dele nisso. - um deles tirou a máscara e colocou as mãos no rosto.

_Estamos mortos. - O outro repetiu o gesto. 

O que havia passado a mão no meu cabelo me ajudou a levantar. Ele tirou a máscara e sorriu pra mim.

_Antes que nós seis sejamos mortos pelo seu irmão, eu gostaria de nos apresentar. Sou Park Jimin. Esses são Yoongi, Hoseok, Jin, Namjoon e Taehyung.

_O que meu irmão tem a ver com vocês?

Eles riram.

_ Somos a gangue conhecida como Purple e seu irmão é nosso líder.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...