1. Spirit Fanfics >
  2. A Garota da Capa Vermelha >
  3. Prefácio - Parte I

História A Garota da Capa Vermelha - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Então...bem é a primeira fic de BTS que posto. Vai ser inspirada no livro A Garota da Capa Vermelha, então vocês vão ver alguns personagens conhecidos. Espero que gostem.

Eu Roxo Vocês 😊💜✨

Capítulo 1 - Prefácio - Parte I


Correndo pelo bosque a garotinha sentia a liberdade que os habitantes de Daggorhorn provavelmente nunca sentiriam. Daggorhorn era uma pequena aldeia, as estruturas de suas casas eram as mesmas, a grande parte dos homens possuíam a profissão de lenhador e a aldeia de tão pequena que era fazia com que todos se conhecessem.

  Ao olhar para trás S/n percebeu o quanto o lugar em que vive é distante de tudo, talvez seja por isso que os problemas sempre atingiam o pequeno lugar, por ser mais difícil pedir ajuda. Ela decide voltar e enquanto caminha a mesma observa os pinheiros do Bosque, uns mais altos, uns mais baixos, alguns com galhos todos tortos e alguns com galhos bem proporcionais para o seu tamanho. Quando S/n percebeu já estava no Bosque do Corvo Negro, mais perto de casa do que longe. A fronteira do Bosque do Corvo Negro com o bosque em que estava era marcada pelos dois grandes pinheiros. Ao chegar quase no final S/n avista Valerie, sua grande amiga, no topo do Pinheiro que fica a casa da avó da mesma. Valerie não era sua parente, mas ela era uma das poucas pessoas com quem ela sentia um vínculo importante.

  Assim como ela Valerie adorava uma boa diversão e quebrar as regras. As suas famílias eram próximas podendo ser consideradas amigas e desde que elas se conheceram se tornaram como irmãs.

  Ao ver sua amiga lá em cima S/n começa a subir o pinheiro tentando ser o mais silenciosa possível.

- Valerie!

  Valerie que estava distraida observando o mundo lá de cima tomou um susto e se desequilibra do seu galho.

- Cuidado - S/n segura a cintura de sua amiga a ajudando a se firmar novamente.

- S/n nunca mais faça isso - Valerie olhava com uma cara séria para a mesma, mas logo sua expressão se suaviza. - Então como sabia que eu estava aqui?

- Eu lhe vi aqui encima.

- Mais que visão aguçada você tem S/n.

  Ambas começam a rir quando escutam as vozes de suas mães lá em baixo, junto com com a de seus irmãos.

- Valerie! S/n!  

  Era a doce voz de Susie a irmã de S/n. Susie era a irmã do meio, possuia olhos verdes, bochechas rosadas e redondas, cabelos cor de cobre e ondulados, ela estava no padrão das meninas da aldeia. Mas apesar da sua aparência de doce menininha, parece que já estava no DNA de sua família todos serem meio rebeldes.

  - Vocês duas desçam agora! Não estão escutando os chamados? - Desta vez era a voz da avó de Valerie e foi por esse motivo que as duas garotinhas decidiram descer, elas não queriam ver senhora brava com as duas.

  Chegando no chão elas se dirigem até suas famílias e suas mães vão logo às repreendendo.

- S/n como você tem coragem de fazer algo assim filha? Sai correndo pelo bosque sem avisar, passa muito tempo para voltar e quando vejo está no topo de um pinheiro - Barbára a mãe da menina era uma mulher que mostrava o seu amor maternal aos filho enquanto podia, tinha uma pele bem branca e delicada que ao fazer os a fazeres da casa parecia que qualquer movimento poderia arruina-la. Possuia cabelos bem lisos e cor castanho escuro e olhos da mesma, era uma mulher devotada ao lar e sua família.

- Eu sinto muito mãe, as vezes eu me empolgo - S/n da um sorriso doce para a mãe que acarisia o rosto da filha. - A senhora sabe que a aventura corre no meu sangue - A linda garotinha da uma piscada.

- Sei, sei, mas esse seu sangue não muda o fato que hoje é a noite do lobo e hoje é a nossa vez de fazermos o sácrificio.

- Hoje é nossa vez... 

  S/n olha discretamente para Valerie que está olhando para ela também, como se estivessem lendo o pensamento uma da outra elas se afastam de suas mães e vão a encontro uma da outra para falar de uma promessa que fizeram no começo do ano.

 

  Os trio confunsão da aldeia Peter, Valerie e S/n estavam junto sentados a beira do lago de águas cristalinas que existe próximo ao campo de plantação e a mais nova do grupo ao olhar para a água tem uma ideia de uma aventura que eles poderiam fazer.

 - Ei...o que vocês acham de um dia nós irmos até o monte Grimmoor?

- "O" monte Grimmor? Aquele em que o lobo fez seu covil? - Pergunta Peter o mais velho dos três amigos

- Sim - Responde a garotinha. - Esse mesmo

- Eu acho uma ideia brilhante - Diz a jovem Valerie com os olhos brilhando. - Só os mais corajosos entram lá.

- A gente já fez tanta loucura - Sorri de lado o rapaz. - Não tem motivo pra não fazermos isso

- Quando podemos fazer isso? - A pequena S/n diz animada por sua ideia ter sido aceita

- Como a ideia foi sua e nós temos que fazer isso quando for a noite do lobo, vamos fazer quando for a vez de a sua família fazer o sácrificio. O que a acham meninas?

   As duas jovenzinhas acentem com a cabeça e os três fazem um pacto para que essa aventura seja realizada. Cada um fura o seu dedo indicador esquerdo em seguida juntam os mesmo.

 

- É hoje Valerie, o dia de cumprirmos nossa promessa

- Sim...Pena que Peter não está aqui conosco

- Vamos realizar essa tarefa por ele

- Vamos

- O que vocês tanto cochicham? - Fala Cris o filho mais velho da família de S/n se aproximando das garotas. Cris era muiti parecido com sua mãe fisicamente, tinha os mesmos cabelos castanho escuro e os mesmos olhos, apenas sua pele que não apresentava semelhança, sua pele é mais escura e bronzeada, talvez por desde cedo ter começa a treinar para ser lenhador como seu pai, o sol que pega em seu arduo trabalho fez sua pele ser assim. Era um irmão carinhoso, mas ao mesmo tempo era irritante, sempre adorava implicar com S/n quando tinha uma brecha.

- Não lhe interessa seu metido - S/n dá língua para seu o seu irmão logo fazendo bico em seguida - Foi bem você que fez a mamãe vir atrás de mim não é Cris?

- Isso não são modos de tratar seu irmão mais velho S/n? Que feio sua falta de respeito - Ao terminar sua fala o jovem Cris dá um leve peteleco na testa de sua irmãzinha

- Sinto muito estragar o momento entre irmãos de você, mas se você quiser saber o que nós estávamos combinando eu posso lhe dizer Cris... - Diz Valerie interrompendo os dois irmãos antes que eles começassem a se bater no meio da floresta.

  Cris olha para Valerie e dá um sorriso de lado. Ele empurra sua irmã para longe como se ele falasse a palavra final.

- Vamos lá Valerie desembucha

- Como você é apresado, mas tudo bem. Bem no começo do ano eu, S/n e Peter decidimos ir ao monte Grimmor e a data marcada seria um dia em sua família fosse responsável pelo sacrifício na noite do lobo

- No caso hoje - Diz Cris cortando a fala de Valerie - Bem...será que eu não poderia ir também? O Peter não está aqui então eu posso assumir o papel dele no trio

  Ao escutar as palavras do irmão o sangue de S/n começa a ferver, ela não sabia se a sua frase tinha intenção de lhe deixar irritada ou não, mas ela ficou com brava com suas palavras e se intrometeu na conversa.

- Quem você pensa quê é? Querer assumir o papel do Peter! O Peter é um amigo valioso que não pode ser substituído por alguém, principalmente por você!

- Calma maninha...Soltaram a fera eu ein, eu não quis dizer assumir o papel dele na intenção de substituí-lo, mas foi de ficar com o mesmo número que era antes, a aventura não seria você, Valerie e Peter, três pessoas, só que o Peter não está aqui e iria só vocês duas se eu fosse com vocês ficaria três pessoas de novo

- Dá no mesmo! - S/n tem um temperamento forte e às vezes ela dá essas respostas curtas e grossas. Principalmente com Cris.

  S/n se vira para Valerie no intuito de saber se elas devem ou não levar Cris com elas.

- Bem... - Disse Valerie pensando - Não custa nada levar o seu irmão S/n, qualquer coisa se ele irritar a gente podemos deixar ele para o lobo

- Ótima ideia Valerie! - As duas amigas começam a rir enquanto Cris tenta protestar com elas.

- Vocês duas parem de ser tão cruéis... - Diz Susie se aproximando do grupo

- Amém!!! Pelo menos uma irmã que fica do meu lado - Cris se aproxima de sua irmãzinha e passa o braço aí redor do pescoço da mesma

- Não se engane Cris, não estou completamente do seu lado - Diz tirando o braço de Cris de seu pescoço e se voltando para S/n e Valerie - Acho a ideia de vocês perigosa demais. Eu deveria contar para os nossos pais essa plano de vocês, mas eu tenho uma proposta...

- Já sei até o que - S/n corta a fala da sua irmã. Por anos de convivência elas dividem quase o mesmo pensamento - Você quer ir com a gente.

- Você me conhece tão beeemm.

- Sim conheço, pois você é minha irmã. Por mim tudo bem, sua companhia vai tirar a chatice de estar com o Cris.

- Concordo com você. Pode vir com a gente sim Susie.

   Enquanto o quarteto combinava a aventura que eles fariam a noite, Bárbara grita entre as duas carroças que os levariam de volta para a aldeia.

- Vamos crianças!!! Já está anoitecendo.

   E ainda com a mente planejando em como sairiam escondidos de casa S/n e seus irmãos, junto com Valerie correm até suas respectivas carroças e enquanto elas se moviam até a aldeia S/n olha para o céu a procura de algum vestígio da lua já aparecendo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Vou tentar atualizar o mais rápido possível e trazer logo a parte II do Prefácio.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...