História A garota Da Cela 4 - Capítulo 13


Escrita por: e DrewNormani

Postado
Categorias Chaz Somers, Dulce María, Justin Bieber
Personagens Dulce Maria, Justin Bieber
Tags Drama, Romance
Visualizações 12
Palavras 1.730
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olá amores
como vocês estão?
espero que bem!
leiam as notas finais
desculpe se tiver algum erro
boa leitura!

Capítulo 13 - Proposta para os juízes!


Fanfic / Fanfiction A garota Da Cela 4 - Capítulo 13 - Proposta para os juízes!

Capitulo Anterior

Com muita insistência abre meus olhos, mas logo fechei porque a claridade do lugar me incomodou, depois abri os olhos novamente e percebi que estava em um quarto de cor branca, passei minhas mãos por um lugar macio e percebi que era uma cama. Tinha vários aparelhos ao meu lado apitando muito, queria falar mais tinha um tubo na minha boca.

Estava em um quarto de hospital.

 

Capitulo Atual

21 de Março de 2017

Pov. Justin

Dois dias já tinha se passada dês da ida de Dulce para o hospital, ela não estava muito bem mais pelo menos não estava correndo risco morrer. Todo dia eu ia visita-la no hospital, no momento a gente não podia entrar no quarto dela ainda, porque o estado dela era grave e as visitas no quarto foram suspensas, quando ia visita-la eu só conseguia vê-la pela janela de vidro, que tem no quarto, isso era muito frustrante.

Sempre quem me fazia companhia no hospital era Lua, a mesma sempre ia comigo e às vezes quando eu vinha trabalhar ela ainda permanecia lá, pelo o que notei Lua realmente gosta de Dulce, Lua se mostrou ser uma amiga de verdade. Falando em Lua ela estava morando na casa de Ryan ainda e provavelmente iram se casar, porque os dois já viviam uma vida de casados.

Minha convivência com Chaz está horrível novamente e a gente não está se falando direito, na verdade, ele que não está falando comigo, ele se sente culpado pelo o que aconteceu com Dulce e eu também o culpei, então, agora Chaz só vive com cara de cu, e só fala comigo o necessário.

As investigações sobre o assassinato do pai de Dulce ainda continua em andamento, só não sei por quanto tempo e isso está me preocupando muito, Ryan ainda estava analisando o nosso banco de dados com as digitais que a gente recolheu no dia que a gente foi na casa de Dulce, Chaz ainda analisava as filmagens e Chris ainda estava analisando o notebook de Fernando.

Referente às cinco detentas que matei, o ministério público ficou sabendo, porém, no final não fizeram nada a respeito, nenhum ricaço se importa com dententas ladronas, para eles elas não são nada, então no final eu não fui punido em nada.

Nesse momento estava no presídio em minha sala, analisando alguns papeis. Soltei alguns papeis que estavam em minhas mãos e passei minha mão pelo rosto, eu estava cansado, respirei fundo e afundei meu corpo na cadeira para tentar relaxar. Até que alguém bateu na porta.

—Entre. —Falei simples.

—Com licença senhor Bieber. —Fala Ana entrando na sala, a mesma estava com uma bandeja em mãos.

—Isso é para mim Ana? —Perguntei me referindo ao lanche que ela tinha trazido na bandeja.

—Sim querido. —A mesma respondi deixando a bandeja encima da minha mesa.

—Você adivinhou Ana, estou morrendo de fome e daqui a pouco irei ao hospital. —Falei já pegando um sanduiche o comendo rapidamente.

—Falando em hospital, como Dulce está? —

—Está na mesma Ana, mais daqui a pouco vou vê-la. —Respondi simples, estava muito concentrado em comer.

—O senhor gosta dela né? —Ana pergunta rindo, ela já tinha percebido. O velha esperta e intrometida.

—Sim Ana, agora acho melhor você ir trabalhar e me deixar quieto. —Falei abrindo um sorriso falso, a mesma assentiu e saiu da minha sala rindo. Continuei a comer meu lanche em silêncio, na verdade, eu pensava que ia comer em silêncio, mas ai Chris passou pela porta da minha sala, e o mesmo não estava com a fisionomia boa.

—Qual foi o problema dessa vez? —Perguntei largando meu lanche e deixando minha atenção toda em Chris.

—Então dude, o juiz quer encerrar a investigação do caso de Dulce novamente, e quer acelerar o processo da audiência. —

—E porquê disso agora? —Perguntei com raiva socando minha mesa com força.

—Eles alegaram que a gente não descobriu nenhuma prova satisfatória. —Fala Chris com cautela.

—Isso está muito estranho, aposto que esses juízes estão sendo subordinados para fazerem isso, a justiça e lenta, mais no caso de Dulce está sendo rápida. —

—Também acho isso Justin, alguém quer que Dulce seja julgada rápido, mais... —Chris falou e deu uma longa pausa.

—Mais? —Perguntei incentivando ele a continuar.

—Estava olhando o notebook de Fernando e pensei em olhar a conta bancaria dele, descobri que alguém está movimentando a conta, alguém está usando o dinheiro que era para ser de Dulce. —

—Como assim? Alguém está usando o dinheiro? A única que poderia fazer isso era Dulce e a mesma está presa em um hospital. —Falei com raiva.

—Precisamos descobri quem está usando o dinheiro, já comecei a fazer isso mais a pessoa e esperta e está cobrindo os rastros muito bem. —

—A pessoa que está gastando a fortuna de Dulce desse ser uma pessoa muito próxima de Fernando. Você lembra que a gente não encontrou os documentos de Fernando? —Perguntei para Chris e ele assentiu rapidamente. —Então a pessoa deve estar com os documentos dele. —Falei por fim. Chris e eu continuamos a conversa e pensar em algo para livrar Dulce dessa.

[...]

Nesse momento estava indo para o hospital com Lua para ver como Dulce estava, assim que chegamos no hospital o médico veio logo em minha direção e o mesmo estava com um sorriso no rosto.

—Boa tarde senhor bieber. —O doutor fala me cumprimentando.

—Como Dulce está? —Perguntei apreensivo.

—A paciente está muito boa, ela teve uma recuperação incrível e daqui a alguns dias se ela não piorar ela terá alta, mas vai precisar de total repouso e tranquilidade. —

— Que ótimo. —Fala Lua alegre.

— Posso vê-la? —Perguntei esperançoso.

—Pode, mais e só permitido uma visita por vez. —

—Pode ir Justin. —Fala Lua colocando sua mão em meu ombro me incentivando a ir até o quarto de Dulce.

—Ok. —Falei alegre e caminhei rapidamente até o quarto de Dulce.

Quando cheguei na porta do quarto dela, respirei fundo repetidas vezes e entrei no mesmo, vi que Dulce estava acordada e olhava para o teto branco.

—Vai ficar me olhando ou vai vir até mim? —Pergunta Dulce, sua voz estava rouca e baixa, mais dava para ouvir.

Pov. Dulce

Era maravilhoso esta acordada e me recuperando, como é bom está respirando normal sem precisar de algum aparelho. Agradeço a deus por esta viva, realmente minha hora de morrer não chegou ainda, vou aproveitar minha nova chance de viver ao máximo.

Depois que acordei a primeira pessoa que estou vendo é Justin, e fico muito feliz por ele está aqui e ver que ele se preocupa comigo, Justin veio até minha direção e se sentou na cama ao meu lado, o mesmo ficou me olhando da cabeça aos pés.

—Como se sente? —Pergunta Justin pela primeira vez.

—Me sinto fraca e com algumas dores, mas fora isso estou bem. —Falei calma. Minha voz ainda estava muito baixa mais tenho certeza que ele ouviu.

—Que bom, todos nós ficamos preocupados com você. Lua está aqui também, daqui a pouco ela vem ti ver e Chaz ele se sente culpado. —

—Estou morrendo de saudades de Lua, quando você poder avise a Chaz que ele venha aqui, quero conversa com ele. —Falei tranquilamente, mas Justin pareceu não gostar da ideia.

—Vai conversa o que com ele? —Pergunta Justin fechando as mãos em punhos e se levanta da onde estava sentado rapidamente. —Vai voltar a namorar com ele? —

—Não vou voltar a namorar com ele. —Respondi me sentindo ofendida, ele deve pensar que sou uma vadia. —Eu não gosto dele Justin, você não percebeu isso ainda? —Perguntei tentando aumentar o tom de voz mais foi sem sucesso.

—Faça o que achar melhor. —Justin fica de costas e sai caminhando em direção a porta.

—Já vai embora? —Perguntei triste. Porque ele é tão complicado?

—Não! —Respondi secamente. — Vou resolver algumas coisas com o médico e pedir para que Lua fique com você. —

Justin não esperou eu dizer nada e saiu do quarto fechando a porta com força. Me acomodei na cama e tentei relaxar, melhor esquecer isso. Esperei ansiosamente Lua vim conversa comigo, não demorou muito e ela passou pela porta com um sorriso estampado nos lábios.

[...]

Ficamos conversando por muito tempo, quem iria buscar ela era Ryan e ela me contou como andava a relação dos dois, pelo o que ouvi estava melhor do que eu imaginava.

Ela me contou que Justin vinha todo dia me ver e que ficava aqui bastante tempo, Lua me disse que ele gostava de mim, só que era para eu ter paciência porque ele ainda não admitiu o que sente. A mesma disse que Justin matou as mulheres que me esfaquearam e eu fiquei assustada com isso, quando eu voltar para o presídio todas as detentas vão ficar de fofoca para o meu lado, isso não era bom.

Fiquei sabendo que os meninos foram na minha casa para procurar evidencias e que os juízes querem adiantar minha audiência, fiquei preocupada em saber disso, se eu for para audiência sem provas sobre minha inocência serei condenada, vou ficar por bastante tempo na prisão.

De uma coisa tenho certeza, tenho pessoas ao meu lado que acreditam em mim, e no final disso tudo, tudo dará certo.

Pov. Justin

Quando sai do quarto de Dulce eu segui meu caminho para o consultou do doutor, precisava ver com ele como ficaria o estado de Dulce. Assim que cheguei em frente ao consultou bate na porta com calma, quando ouvi um “entre” eu entrei.

—Senhor Bieber, queria mesmo falar com o senhor. —Disse o homem vestido de branco sentado em sua cadeira.

—Pode falar. —Falei me sentando em uma cadeira a sua frente.

—Dulce precisa de repouso e como eu sei que ela e uma presidiaria, ela não pode voltar para o presídio, não por um certo tempo. —

—Entendi, o que o senhor sugere? —Perguntei curioso.

—Vou fazer um laudo médico e o senhor vai entregar para o juiz, ela precisa ficar em um lugar calmo. —

—Entendi. —falei tendo uma ideia. Esperei o médico finalizar o laudo médico, assim que já estava pronto liguei para Chris para que ele pudesse entra em contato com o juiz. Dulce terá que ficar em algum lugar com a tornozeleira eletrônica, então pedi para que Chris dissesse que Dulce ficaria em minha casa, essa era minha sugestão, só espero que os juízes aceitem!


Notas Finais


gostaram?
espero que sim
comentem...
ate a próxima semana

trailer da fanfic: https://www.youtube.com/watch?v=DVdnBxDgTA4

beijos da joi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...