História A garota da clareira - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias The Maze Runner
Personagens Alby, Ben, Caçarola (Frypan), Chuck, Gally, Minho, Newt, Personagens Originais, Teresa, Thomas
Visualizações 193
Palavras 1.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 48 - Thomas!


 No dia seguinte decidi ter uma conversa séria com o meu irmão. Eu precisava saber o que se passava na cabeça dele, se ele estava mentindo para mim e desde quando havia perdido a confiança em mim.

E assim que ele acordou, com uma cara horrível, a primeira coisa que viu foi eu sentada na sua frente. Seu rosto vasculhou o local que estava e depois ele ficou um tempo parada, provavelmente tentando entender o que estava acontecendo.

-Que dor de cabeça – ele disse fechando os olhos.

-Quem mandou beber a bebida do Gally? – eu perguntei um tanto quanto brava – Pensei que tinha aprendido.

Thomas ficou calado na minha frente.

-Peguei um remédio para você – eu disse diminuindo o tom de minha voz – Está do seu lado.

Observei meu irmão tomar o remédio e me encarar receoso.

-Só veio me dar uma bronca? – ele perguntou.

-Desde quando eu me tornei a irmã malvada? – eu perguntei abalada.

Thomas não conversava mais comigo como antes, não havia mais aquele instinto protetor dele, e não é pelo fato de não ter mais perigo. Thomas sempre foi preocupado, por mais idiota que seja a causa. Eu me tornei a pessoa responsável por aquele local mais do que ele, cuidava de suas bagunças e ainda tinha que ser a baba nos tempos livres.

E agora ele esconde as coisas de mim e mente.

-O que eu disse ontem? – ele perguntou.

-Você não apenas disse, mas agiu!

-O que eu fiz? – ele estava ficando bravo.

-Estava beijando a Brenda! – eu falei brava e Thomas fez uma cara de surpreso.

Um silencio se instalou naquele local.

-Olha, Teresa se foi! Aceita isso, Emily! – Thomas gritou se levantando da cama – Eu faço o que eu quiser!

Abri a boca tentando falar algo, mas nada saia.

Thomas nunca tinha gritado comigo daquela forma.

-Thomas! –eu gritei antes que ele saísse do local – Estou brava por você não ter me contado!

-Como eu posso te contar algo que nem eu sei?

-Claro que você sabe! Me disse ontem que gosta dela! Desde quando estão juntos?

-Já disse que não é da sua conta!

-Thomas!

Mas antes que eu pudesse continuar, ele já estava bem longe.

Peguei a primeira coisa que me veio na frente e joguei com tudo na parede.

-Eu não queria ser essa almofada – Newt disse aparecendo do nada.

Respirei fundo tentando controlar a raiva.

-Thomas é um idiota! – eu disse – Ele nem deixou eu terminar!

-Ele acha que você está controlando a vida dele – Newt disse.

-Eu não estou! Só quero o melhor para ele!

-E você está tentando decidir o que é melhor para ele.

Sentei na cama e respirei fundo mais uma vez. Newt se sentou ao meu lado e colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha, depositando um beijo em minha bochecha. Finalmente senti meu corpo relaxar e eu me acalmar.

-Obrigada – eu disse sorrindo.

Só ele para me acalmar com um simples toque.

-Acho que você devia falar com ele – Newt disse – Não agora, espera um pouco.

-Tudo bem.

-E outra coisa: Gally quer falar com você.

Fechei os olhos com aquelas palavras. A última coisa que eu queria era falar com ele naquele momento.

-Não – eu disse bufando.

-Ele vai ficar bravo.

-Não me importo – eu disse abrindo um sorriso – Tem coisas mais legais para fazer do que conversar com o Gally.

-E o que seria?

Abri mais ainda meu sorriso e me inclinei para frente, sentando no colo de Newt.

-Tudo é melhor do que conversar com Gally – eu sussurrei enquanto distribuía vários beijos pelo pescoço de Newt.

Newt puxou meu rosto em direção ao seu e quando eu vi, já estávamos nos beijando. As mãos dele pressionavam meu quadril com força e minhas mãos estavam no seu cabelo, que tinham se tornado um vício para mim. E o fato de eu estar em seu colo deixou tudo mais quente de forma mais rápida. Desci minhas mãos para sua blusa, já tentando tirá-las.

-Emily – ele sussurrou com dificuldades, se separando de mim – Você precisa ir.

-Mas... – tentei beijá-lo mais uma vez, mas ele se distanciou.

-É mais difícil em mim, acredita – ele disse olhando em meus olhos – Vai lá e depois continuamos.

Bufei mais uma vez.

Tudo me impedia de ficar com Newt nesses últimos tempos.

Com dificuldades, saí de lá e fui até a Sede, onde provavelmente Gally estaria.

-Diga – eu disse assim que o encontrei.

-Me diz que você pensou a respeito de encontrarmos mais crianças.

Respirei fundo e lembrei da conversa que tinha tido com Newt. Tudo valeria a pena por uma vida.

-Eu acho que podemos tentar – eu disse e observei Gally sorrir na minha frente – Mas aos poucos! Vamos mandar um grupo de buscas pequeno e por um perímetro curto. Aí se der certo nós ampliamos.

-Isso! – Gally disse animado – Vamos começar os preparativos. Eu vou ver quem se prontifica a sair para a busca.

-Pelo amor de Deus, eu! – Minho disse.

Eu nem tinha reparado que ele estava ali.

-Nunca pensei que ia dizer isso – ele continuou – Mas eu preciso de ação!

-Quer mesmo fazer isso? É arriscado! Vai ter deserto, crancks...

-Nada que eu não tenha feito antes – ele deu de ombros.

-Então procure uma equipe – eu disse.

-Posso ver com Thomas, Newt...

-Newt não – eu disse de uma vez – Ele não pode.

-Por que?

-Porque nós não sabemos como funciona a cura que Teresa deu – eu disse – Talvez tenha curado o vírus que estava nele naquele momento. Não podemos arriscar colocar ele em contato com vírus novamente. Não tem mais cura.

-Pensei que ele estava curado.

-Ninguém sabe. Ele pode ter virado um imune ou não. – eu disse – Mas não vou correr esse risco. Não vou perder o Newt.

-Tudo bem – Minho disse – Vou ver quem está disposto.

E com isso ele saiu.

-Newt talvez vai querer ir – Gally disse – Você conhece ele. Ele quer ajudar e salvar pessoas.

-Já disse que não é uma possibilidade – eu disse – E fim de papo.

-Vai contar para ele?

-Não sei... – eu disse mexendo em meu cabelo.

-Contar o que para mim? – Newt disse aparecendo do nada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...