1. Spirit Fanfics >
  2. A garota do bar >
  3. Capitulo 9

História A garota do bar - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Gente. todas as palavras que vocês acharem estranhas, tipo se tiverem escritas erradas sabe? Então, elas não estão pq sempre estou conferindo ok? Bjs.

Capítulo 9 - Capitulo 9


   Terminei de comer e logo adormeci. Acordei com leves batidas na porta e a mesma logo se abriu. 

~Bom dia senhorita - diz ela sorrindo

-Bom dia - digo prendendo o meu cabelo num coque alto

Hm vamos ver, ela me trouxe café na cama. Não parece ser o tipo dela

- O que tu quer? - digo a encarando e ela olha com uma cara de surpresa

~Eu? Nada não...

-Fale logo mulher - digo semi serrando os olhos e a olhando

Ela demora um pouco pra falar e então  fala:

~ Talvez eu queira algo... Mas ja sei a resposta. Então vou te esperar na sala - diz se levantando, ela chega perto da porta e eu a chamo.

- Fale, vai que talvez você consiga - falei tomando o suco

~Ok - sentou na cama - o que eu quero... é... um beijo seu - ela diz e sorri

-Ok ok ok, isso você não vai conseguir - sorri, pegando um pedaço de panquecas

Ela me encarava, como se tivesse bolando algum plano maléfico. Óbvio que a encarei também, confesso, ficamos assim por alguns minutos, minha comida já deve ter esfriado. Ela apenas desvia o olhar e sai do quarto. Eu realmente não entendo essa mulher, com certeza não. 

Recebi uma mensagem de dudu, ele apenas disse que voltou para casa. Como ele poderia ter voltado pra casa? Ele queimou meu apartamento. Literalmente!. Antes que pudesse responder, vi uma notificação de um deposito de 30 mil reais. Fiquei paralisada, da onde o Eduardo tinha esse dinheiro? foi ele que me mandou? Estava cheia de perguntas.

No fim das contas, comecei a usar esse dinheiro para a reforma de meu apartamento. Bem, não sei o que aconteceu de fato, mais isso me ajuda muito.

 

3 meses depois~

Meu apartamento ficou pronto e bem... eu sai do apartamento da Nathalia. Nós brigamos, por besteira... mas eu fiquei magoada do mesmo jeito e imagino que ela também. Sai do seu apartamento semana passada, e depois disso ela não apareceu na empresa. Deve estar de ressaca ou algo do tipo. Resolvo não pensar muito nisso e então coloco minha playlist na caixa de som e vou arrumar o apartamento. Meu apartamento ficou diferente, os quartos maiores e parece tudo tão novo. Ah, eu descobri como o dudu arrumou o dinheiro, ele estava guardando para 3 viagens que gostaria de fazer. Me senti muito mal quando descobri, então prometi a ele que devolveria tudo. E assim está sendo feito.

 

mer..- reclamo ao ouvir o barulho do despertador, levanto e apenas me arrumo. Ninguém merece uma segunda-feira. Depois que em arrumei, desci e apenas peguei uma maça e sai de casa. Quando estava entrando no carro, vi ela de longe e então me encolhi no banco. O motivo? Não sei... Apenas liguei o carro e fui para empresa.

Cheguei, estacionei e subi. Não vi seu carro no estacionamento, nem por todo trajeto. Imagino que ela nem vai vir, como toda a semana passada.

 

 POV. Nathalia

 

 

A minha discussão com a tina realmente mexeu comigo. Eu estava realmente me apaixonando por ela, e o engraçado de toda a nossa ''trajetória'' juntas, se iniciou por uma simples transa. Sinto saudade dela comigo.                     

   As vezes, nem tudo o que queremos acontece, queria me resolver com ela e não consegui. Faltei exatamente uma semana na empresa, e já sei que os acionistas irão encher o meu saco.   Enfim, acabo de entrar em meu carro, não faço a mínima ideia se vou para empresa ou ando por ai, a nossa briga mexeu realmente comigo. Ver ela beijando outra pessoa foi horrível.

 

Andei um pouco pela cidade e então resolvi ir para empresa. Chegando lá, vi a Srta. Valentina... é estranho chamar ela assim.. enfim, ela estava com conversando com os recepcionistas na parte de baixo, hesitei em entrar na empresa, estava com vontade de voltar e entrar em meu carro. Mas não fiz isso, e entrei.  Quando me viram, apenas acenaram para mim e assenti. A Valentina nem olhou na minha cara - faço uma cara de apreensão - isso não pode acontecer, nunca aconteceu com Carlos, por quais motivos iria acontecer com ela. Vários...

 

 

Subi apreensiva, sabia que tinha alguém em minha sala. Como eu sabia? Fácil, tinha uma sombra nela. Entrei e logo me deparei com Filipe, o advogado da empresa. Como ele sabia que eu iria vir hoje? merda.

 

~Bom dia - digo sem a menor vontade

 

- Bom dia, pelo visto alguém resolveu aparecer - diz com um sorriso de sarcasmo

 

~ Digo o mesmo - sorrio - O que faz aqui? - pergunto e ele ignora minha pergunta, logo vejo ele tirando uma pilha enorme de folhas de sua mala e colocando na mesa, Logo minha expressão muda -  O que é isso, não tô preparada não meu amor - digo colocando uma mão na testa. 

 

- Há há há, pois esteja - ele diz separando a pilha em partes

 

Filipe mais conhecido como Lipe, é sem dúvidas meu melhor amigo nessa empresa e fora dela. Ele estava numa viagem, então fazia muito tempo que não o via, foi uma surpresa quando vi ele nessa sala. Ele me explicou o motivo de tantos folhetos e então começamos a resolvê-los. Mais o menos umas 17:30 da tarde batem na porta.

 

~Entre - digo terminando de assinar o último papel.

 

-Licença - reconheço a voz e sinto borboletas no estomago. 

 

~O que gostaria? - não ouso levantar minha cabeça nenhum segundo sequer

 

- Pediram para trazer esses papéis para ti - ela diz colocando na mesa

 

 

Sinto o seu cheiro

 

Como todos os dias

 

Naquela semana vazia

 

 

~Obri-obrigada -  Caralho, por qual motivo eu gaguejei? Fuck.

 

Ela apenas assente e sai da sala. Quando ela fecha a porta, empurro os papéis para Lipe e coloco as mãos na testa

 

- Dormindo com a assistente? Surpreso - diz rindo da minha cara

 

~ Claro, com certeza - jogo a tampa da caneta nele

 

- Ei, mas me conta. O que rolou entre vocês? - pergunta e eu conto.

 

...

 

~ Foi basicamente isso, com ela as coisas são diferentes. Não é apenas uma brincadeira ou algo para passar o tempo, eu realmente gostei. - digo  surpresa com minhas palavras, nunca diria isso de alguém que fiquei.

 

Continuamos assinando papéis e ligando para algumas pessoas até as 20:00. Lipe foi embora e eu fiquei, precisava um tempo para pensar. 

Fiquei uns 20 minutos na minha sala, e então resolvi ir para casa. Se pensei que estaria sozinha na empresa, me enganei. Assim que tranquei a porta do meu escritório, eu vi um vulto a uns 3 metros de distância.

 

~ Ai caralho, que susto - coloco a mão no peito, e o vulto começou a rir. Me liguei que era a Valentina

 

me viro e então a encaro

 

~ O que faz aqui? já deu teu horário - falo cruzando os braços

 

-Ah, tinha algumas coisas para amanhã. Mais no fim resolvi fazer hoje... - ela diz pegando seu casaco

 

~Hm, tendi... quer... 

 

-Conversar? - assenti

-Precisamos.

 

abro novamente minha sala e então falo:
 

~Entre - entramos e eu fechei a porta

 

----

 

~ Comece - estávamos sentadas no sofá

 

- O porque brigamos? até o momento que eu saiba somos só colegas. 

 

fiquei pensando e pensando o que diria, falaria que estou apaixonada por ela? Ou inventaria qualquer coisa? Já sei, segunda opção.

 

~ Não faço a menor ideia, brigamos atoa. Você apenas beijou outra pessoa qualquer, não tinhamos o motivo de brigar - falo isso e sinto meu peito rasgar - Apenas transamos - começo a contar nos dedos - 6 vezes, sexo sem compromisso. Certo? - pergunto por dentro querendo chorar, eu me apaixonei por ela. Sei que quando escutar o ''Certo'' dela, irei desmoronar por dentro.

 

-Certo - sinto meu coração apertar

 

~Então ok, estamos bem agora?

 

- Sim - ela diz e sorri

 

sorrio falsamente

 

-Bom, tenho que ir. Até amanhã 

 

~ Até

 

Ela sai e eu tranco a porta. No fim, fecho a empresa e vou para casa.

 

 

POV. Valentina

 

 

Aquelas palavras me deixaram sem chão, como eu pude beijar outra pessoa na frente dela? Eu me sinto um lixo, eu gosto dela muito, aceitei que sou apaixonada por ela. Entro no carro e vou para casa.

Assim que entro, vejo uma carta debaixo da porta. Pego ela e abro. A algum tempo atrás, meu me inscrevi num concurso de moda, só para zoar. Pensei que nunca seria aceita, no fim estava errada.  Aquela carta é exatamente a minha aprovação no concurso.  Fiquei muito feliz, mais seria em outra cidade. Não teria mais a Nathalia, nem ninguém. Algo novo, mesmo eu não querendo deixar ela. Eu terei, não é todo dia que te aceitam num concurso. 

Posso dizer isso parecendo como se nem ligasse. Mais eu ligo, e muito. Estamos falando da Nathalia, a mulher por quem me apaixonei. 

 

 

Três dias depois~

 

Chego na empresa bem cedo, para poder não ver a reação da Nathalia. Seria muito difícil pra mim, na real já está sendo. Apenas deixo o bilhete na minha mesa e começo a chorar. Apenas saiu da empresa e entro em meu carro. No bilhete está escrito assim:

 

''Arrumei um emprego melhor, sinto lhe informar. Foi bom passar o tempo contigo, sou muito grata por esse emprego. Mas meu tempo aqui já deu. Obrigada por tudo. Até algum dia. Beijos ''

                                                                                                          Ass: V-

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...