História A garota do Calendário - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Personagens Alice Cooper, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Chuck Clayton, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "FP" Jones II, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Frederick "Fred" Andrews, Hal Cooper, Hiram Lodge, Jason Blossom, Joaquin, Josephine "Josie" McCoy, Kevin Keller, Marmaduke "Moose" Mason, Mary Andrews, Penelope Blossom, Polly Cooper, Pop Tate, Sierra McCoy, Smithers, Tina Patel, Treinador Clayton, Trev Brown, Valerie Brown, Veronica "Ronnie" Lodge, Waldo Weatherbee, Xerife Keller
Tags Bughead
Visualizações 33
Palavras 680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Todos prontos? Então segura a emoção

Capítulo 8 - Capítulo 8


— Então você precisa de um escudo contra periguetes? — Eu ri, cruzei as pernas, tirei a bota de cano alto, estiquei a outra perna e repeti o processo. Jughead assentiu e observou, com muita atenção, enquanto eu remexia os pés doloridos dentro da meia.

Olhei para baixo e percebi por que ele estava com a mão sobre a boca, numa tentativa velada de conter o riso.

Eu estava usando meias com motivos natalinos. As meias listradas, vermelhas e verdes, compridas até os joelhos, me encararam, provando que eu tinha cometido um suicídio fashion. Sem falar que eu estava certa de que tinha acabado de quebrar uma das regras da Penelope para as acompanhantes, já que estava usando peças terrivelmente feias.

Mordi o lábio e arrisquei um olhar para Jughead, mas ele apenas continuou sorrindo como um gato que engoliu o canário.

Revirando os olhos, bufei.

— Eu me arrumei no escuro.

— Obviamente. — Ele riu. — Achei fofo.

— Fofo? Que péssimo. — Estreitei os olhos para ele. — Você acha que eu sou fofa?

Bom, agora não tem devolução, amigo. Como você mesmo disse, vou ficar por aqui durante vinte e quatro dias. Nada de trocas. — Levantei e coloquei as mãos nos quadris.

Ele se recostou e cruzou os pés descalços. Ah, eu não tinha notado seus pés. Eram magros, longos e bem cuidados. Minúsculos grãos de areia estavam grudados no peito do pé. A libido que eu tinha chutado para o meio-fio espiou de seu esconderijo e estava prestando muita atenção nos mínimos detalhes do homem diante de mim. Não era justo.

Até os pés dele eram sexy.

— Relaxa, Betty. Eu disse que as suas meias são fofas, não você. Você é, muito provavelmente, uma das mulheres mais lindas que eu já tive o prazer de conhecer. Mal posso esperar para te ver nua. — Seus lábios se contraíram em um sorriso e seus olhos arderam.

Respirei lentamente e o encarei enquanto ele se levantava. Nossos olhares se encontraram, e pareceu que muitos minutos haviam se passado enquanto observávamos as nuances um do outro.

— Hum, bem, fico feliz em saber que você me acha bonita o suficiente para estar aqui. Como você mesmo disse, fui contratada por um mês e... espere... — De repente a ficha caiu. — Desculpe. Mal pode esperar para me ver nua? — As palavras saíram da minha boca num turbilhão

. — Isso não está no contrato...

— Ah, eu sei muito bem o que está no contrato — Jughead disse, aproximando-se de mim, deslizando a mão ao redor da minha cintura e me puxando contra seu corpo.

Engoli em seco quando o volume duro de sua enorme ereção pressionou minha barriga. Ele estudou meu rosto e se inclinou para mais perto. Tão perto que eu podia sentir o sopro de sua respiração contra meus lábios aquecidos.

— Se você ficar nua, não vai ser porque estou pagando por isso.

Os lábios de Jughead tocaram a pele logo atrás da minha orelha, onde ele deu um beijo suave. 

Fiquei completamente imóvel, sentindo o prazer subir pelos meus membros, os  nervos focados, à espera do seu próximo toque. A aspereza de seu queixo, com a barba por fazer, deslizou pelo meu, suave, provocando arrepios em minha coluna e uma onda de calor entre minhas coxas.

— Você vai tirar a roupa para mim quando estiver pronta para isso. Não vou nem precisar pedir 

— ele sussurrou antes de dar um beijinho no canto da minha boca. Então se afastou, os olhos verdes irradiando luxúria.

 — Tenho trabalho a fazer no meu escritório. Fique à vontade para olhar por aí, tomar sol, usar a piscina. Preciso que você esteja pronta e usando um vestido bonito às cinco em ponto. Temos um jantar de negócios.

 — Com um último aperto em meu quadril, ele se virou e partiu. A pele naquele ponto ainda sentia a força de seu toque.

— Droga

 — falei, zonza depois de prender a respiração por tanto tempo. No momento em que seus lábios tocaram a parte de trás da minha orelha, perdi a capacidade de respirar.

 — Vou ter problemas.


Notas Finais


Uma boa tarde, meus amores (hahahah)
Vai ter problemas? COMO EU QUERIA ESSE PROBLEMA NA MINHA VIDA 😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...