História A garota dos meus sonhos - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Amor, Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui, Lesbicas, Romance
Visualizações 8
Palavras 1.612
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, LGBT, Literatura Feminina, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Imaginem que a Harvard é em NY e não em Massachusetts.

Capítulo 2 - 2


Fanfic / Fanfiction A garota dos meus sonhos - Capítulo 2 - 2

Tremores, um medo excessivo, nenhum lugar de seu quarto a fazia se sentir um pouco segura, correu e acendeu a luz tentando controlar a respiração, parecia alguém que acabou de sair de um pesadelo, mas era apenas Camila, em mais uma crise de ansiedade. No quarto vizinho a discussão entre seus pais não lhe deixava se concentrar em uma melhora. Ouviu um barulho de vidro quebrando e Sinuhe gritou pedindo para que o marido parasse. Camila abraçou forte o lençol com a cabeça sob os joelhos.

— por favor para

Disse baixinho. Ela tinha suas economias, estudava pela manhã, cursava música em Harvard e trabalhava a tarde em uma confeitaria, todo o dinheiro que ganhava juntava para poder sair de casa, mas ainda não tinha o suficiente para comprar nem mesmo uma kitnet.

— VOCÊ TEM QUE CALAR A BOCA QUANDO EU ESTIVER FALANDO

Alejandro era um homem muito autoritário, Camila nem ousava mais se meter nas brigas entre eles, eram constantes e para seu próprio bem era melhor não, Sinu permanecia nesse casamento abusivo aalegando que amava o marido, mas o amor não é o suficiente em uma situação como essa. Camila também teve um azar de passar pela mesma coisa com o ex namorado Chay, ele a maltratava e depois agia como se nada tivesse acontecido, mas dessas algemas ela havia se livrado, ou ao menos achava que sim.

Quando finalmente os barulhos acabaram ela se levantou e abriu um pequeno armário, havia um frasco de Alprazolan para acalmar, um vidro de Fluoxetina de antidepressivo e Clonazepan, ela tomava essas medicações por causa da ansiedade, síndrome do pânico e depressão. Quem a olhasse talvez não imaginasse o caos que era dentro dela, as pessoas geralmente julgam pelo que vê por fora, pessoas depressivas também usam sorrisos no dia a dia, a única diferença é que quando está sozinho desaba e os sorrisos na maioria é apenas um disfarce.

"Eu tive outra crise, isso está me matando aos pouquinhos" — Kaki [01:30]

Enviou para Ally, sua colega de classe, a única que ainda lhe ouvia sem julga-la.

"Tomou os remédios direitinho? precisa descansar agora, tente esvaziar sua mente das coisas ruins, peça a Jesus para que acalme seu interior" —Ally [01:32]

Ela gostava de falar com a baixinha, Allyson sempre vinha com palavras muito positivas, falava de Deus pra ela, coisa que as pessoas estão perdendo o hábito, e apesar de Camila não pertencer a nenhuma religião específica ela se sentia bem sabendo que em algum lugar no Paraíso existia um Deus que cuidava e zelava por ela, esse pensamento a fazia se sentir menos sozinha.

"Tomei, vou seguir o conselho. meus pais brigaram de novo. Chay tentou me pressionar de novo, mas felizmente uma mulher de tirou da emboscada, preciso que ele me deixe em paz" — Kaki [01:33]

"Que mulher era essa?" — Ally [01:36]

"Eu não sei, ela apareceu de repente e assustou o Chay, ela parecia abatida, triste, e cheirava a vinho, foi gentil e me deu uma carona pra casa" — Kaki [01:38]

"Maluca! entrou no carro de uma estranha? coragem!" — Ally [01:39]

"Ela parecia inofensiva apesar de ter uma arma, senti como se já a conhecesse de algum lugar, maluquice minha. Bom, vou tentar dormir agora que consegui acalmar um pouco, a falta de ar incomoda mas logo eu durmo. Obrigada por me ouvir, mesmo quando sumo e passo de dias sem mandar mensagens" — Kaki [01:42]

"Já me acostumei com seu jeito. Fica bem, até amanhã na aula" —Ally

Ela bloqueou a tela do celular e se assustou quando seu amiguinho de quatro patas pulou em sua cama.

— que susto Simon, você tem que dormir na sua casinha garoto, sabe o quanto foi difícil deixarem eu ficar com você, precisa se comportar

O animalzinho era sua mais frequente companhia quando estava em casa. Ele lambeu a mão dela e obedeceu indo para a casinha.

— bom garoto

Puxou o lençol e se cobriu, demorou um pouco a dormir e por volta das 03:30 acordou por causa de um pesadelo e foi tomar água, era quase todas as noites assim.

***

A casa era tão grande e espaçosa, as pessoas que olhavam de fora vendo todo o luxo imaginavam que havia uma pessoa feliz morando dentro, mas não, Lauren apesar de sua riqueza não se sentia nada feliz, trazia uma angústia no peito.

Depois de acordar ela fitou a foto no porta retrato em seu criado mudo por alguns instantes, Sarah Gadon, amada e falecida esposa de Lauren, ela havia superado sua morte, mas a ausência ainda doía bastante, e havia dias que a saudade era maior.

Ouviu duas batidas na porta.

— pode entrar Mercedes

— com licença senhora, trouxe seu desjejum

A mulher entrou carregando uma bandeja e uma agenda.

— às 09:45 tem uma reunião com uma cliente e às 10:00 você tem um horário marcado para ir até a Harvard, ficou devendo um seminário para a turma de direito, terá uma apresentação artística da turma de música e você disse ao diretor que estaria lá para prestigiar

— oh, havia esquecido disso, obrigada, e para a tarde?

— Diana insistiu em falar com a senhora

— qualquer ligação que receber dela diga que não estou disponível, ela está descontrolada com essa maldita ambição!

— tem a tarde livre então

— ótimo, Mercedes, depois eu quero que organize um quarto para Laura, ela está com papai, ele é teimoso e não quer se mudar pra cá, mas pela situação que está... não o teremos por tanto tempo e eu ficarei com a guarda da Laura, isso Diana não vai tirar de mim

— sim senhora. precisa de mim para mais alguma coisa?

— não 

— com licença

Lauren comeu, depois cuidou de sua higiene matinal, tomou um banho quente e logo já estava pronta. Atendeu seu cliente pontualmente e depois dirigiu até a Harvard. 

Foi formada em Harvard e era uma das melhores alunas de sua turma, os professores e o diretor sempre a tratava muito bem quando aparecia no local. 

Para não perder tempo ela realizou a palestra para a turma de direito, foi bastante produtivo, depois foi com o diretor e alguns professores para o auditório. Havia um palco com um cenário rústico, havia uma garota com uma harpa, um rapaz com um violino e outra no piano, essa não dava pra ver o rosto porque estava de costas.

— agradecemos a presença de todos vocês, senhoras e senhores, vamos dar início ao pequeno conserto do curso de música da Universidade de Harvard

As pessoas aplaudiram. Lauren se surpreendeu com a bela voz que ouviu começar a cantar uma linda melodia.

Dirty tissues, trust issues
Glasses on the sink, they didn't fix you
Lonely pillows in a strangers bed, little voices in my head 🎶

A moça tanto cantava divinamente bem como tocava, ela conseguia ver os cabelos longos, ondulados e castanhos e os dedos se movendo sob as teclas. Teve uma leve sensação de já ter visto aquela silhueta.

Secret keeping, stop the bleeding
Lost a little weight because I wasn't eating,all the souls that
I can't listen to, to tell the truth 🎶

Ela estava encantada com timbre e suavidade daquela voz. 

Loving you was young, and wild, and free, loving you was cool, and hot, and sweet 🎶

— o que está achando? — o diretor perguntou ao vê-la tão concentrada

— que voz maravilhosa

— é uma de nossas melhores alunas, muito talentosa

— dá vontade de fechar os olhos e ouvi-la cantar por horas, sinto uma calmaria imensa 

Loving you was sunshine, safe and sound 🎶

Quem estava nos outros instrumentos também eram talentosos, mas a garota fazia toda a plateia focar apenas nela mesmo que não intencional.

A steady place to let down my defenses
But loving you had consequences 🎶

Depois de finalizar a canção veio os aplausos, Lauren aplaudiu de pé e finalmente viu o rosto da cantora e pianista.

— quem é a moça?

— Camila, Camila Cabello

— Camila...

Repetiu baixo.

— conhece?

— uh, não, mas tem muito talento

Prestou atenção em qual direção a garota ia.

— com licença

— ainda tem mais

— eu já volto

Saiu atrás da garota que sentou em um dos bancos do corredor com o rosto enterrado nas mãos.

Lauren deu alguns passos até se aproximar.

— Oi, tudo bem?

Ela elevou o rosto.

— você... está me seguindo?

— não, claro que não, vim para dar uma palestra, fui estudante de direito nessa Universidade e fui convidada para o conserto, a conheci quando virou o rosto para o público, resolvi vir parabenizar pela linda apresentação

— obrigada 

— a música era incrível também, de quem é?

— minha

— sério? uau, é mesmo uma artista. seu namorado a deixou em paz? quer dizer... ex

— depois da noite passada não o vi mais, acho que você conseguiu assusta-lo

— espero que sim. se sente bem? está um pouco pálida 

— não é nada, eu só...

Os lábios dela ficaram pálidos também e o corpo pendeu, mas Lauren foi rápida o bastante para segura-la.

— oh céus

Carregou o corpo da garota desmaiada até a enfermaria, ela acordou logo.

— minha cabeça...

Piscou devagar e viu Lauren.

— se sente bem? você desmaiou

— acho que não comi direito... deve ter sido isso, e estava nervosa por causa da apresentação, me avistei

— respira fundo, vai ficar bem

— obrigada de novo... como se chama mesmo?

— Lauren Jauregui, e de nada

— ainda preciso entregar seu sobretudo, colocou em mim por causa do frio

— sem problemas

Ajudou ela a levantar.

— se sente mesmo bem?

— sim, tenho que ir, tenho que prestigiar meus colegas também

— oh claro, vou voltar também é parabéns de novo, a apresentação foi linda

— obrigada

Lauren a encarou sorrindo até a garota sair. Não sabia porque, mas gostaria que pudesse ver a garota uma outra vez, nem que fosse para trocarem um pouco mais de palavras, havia algo nos olhos castanhos canela que Lauren vasculhou e conseguiu enxergar, uma tristeza profunda bem lá na alma, no qual se parecia muito com a sua.



Notas Finais


Para ou não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...