História A Garota Invisível ( Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Bts, Suga, Yoongi
Visualizações 102
Palavras 1.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii Nenis!

Tive alguns problemas com o capítulo, mas já estou repostando 😉 Me desculpem

Boa Leitura 📖

Espero que bugue um pouquinho 😊

Capítulo 9 - Min


Fanfic / Fanfiction A Garota Invisível ( Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 9 - Min

A sensação era inexplicável, ver alguém que ama fazer algo do tipo, apenas por pequenas palavras, que podem ter sido como tiros para o coração da garota, a levando a realizar tal ato, de se entregar a um acidente por livre e espontânea vontade.

Minha vontade era de sumir da face da Terra, mas de nada adiantaria, pois a culpa iria junto comigo seja lá onde for.

Me via agachado, perto a calçada molhada de chuva, com as mãos cobrindo os olhos, que ainda se encontravam apertados, para evitar de ver seu corpo no chão, com lágrimas se espalhando por minhas bochechas.

Sinto uma presença ao meu redor, e por conta disso me obrigo a retirar a mão dos olhos e abri-los lentamente. Fito a rua, onde o acidente havia ocorrido, porém o corpo da garota não se encontrava lá, nem mesmo sinais de sangue.

-Por que encara tanto a rua? - sua voz soando bem ali, ao meu lado, me fez levantar em resposta ao susto .

-Você acabou de sofrer um acidente… como pode estar aqui ao meu lado? - o medo era perceptível em minha voz - Você é um… um… FANTASMA? - grito, tentando me afastar o máximo possível.

-Não sofri acidente algum! - gargalha docemente, mas não sei onde poderia haver graça naquilo, eu estava em pânico - Você me pergunto se eu era real ou não, certo? - concordo levemente com um simples balanço de cabeça - Então… eu apenas quis te dar a resposta de um modo convincente! - sorri após tombar a cabeça para o lado, vindo em minha direção.

A cada passo dela, era um passo meu para trás.

-Fica longe! - cruzo os braços a minha frente, formado um X - Pai nosso que estais no céu… - começo a rezar.

-Para de graça Yoongi! - continuava se aproximando - Eu estou aqui apenas para te ajudar! - meus pés alcançam a sarjeta úmida e escorregam, me fazendo cair na rua. Apoiando meu corpo com as mãos, sinto uma leve ardência, sinal de que havia deixado um pouco de pele no asfalto, algo que suponho que sangraria dali a alguns segundos.

-Yoongi! Cuidado! - olho emdireção a dona da voz, vinha da nova staff, que se encontrava descendo as escadas e vindo correndo em minha direção. Saia daí! - grita, ainda correndo.

Me levanto, e ao olhar para o lado, vejo uma luz e um carro vindo em uma velocidade devidamente razoável. Fecho meus olhos, apenas esperando o impacto que logo viria.

“Só quero dizer que amo minha mãe, meu pai, todos os garotos do grupo moram em meu kokoro e aproveitando a oportunidade, gostaria de poder pedir desculpas para Jungkook, deixei a escova de dentes dele cair na privada e a coloquei de volta no pote de escovas. Desculpas para o Hobe também, usei as cuecas dele, pois as minhas todas estavam lavando. Ah! E não posso me esquecer de Jimin, fui em quem derrubou o celular dele no copo de cerveja a alguns meses atrás, não o Namjoon. É… acho que é isso! Foi bom enquanto durou! Min eu te AM…!”

Esses foram meus pensamentos, milésimos antes da tragedia, e até nesses momentos a autora consegue cortar minhas falas no final! Mas digamos que foi tudo em vão, pois mãos me puxam, me trazendo de volta a calçada.

-Ficou louco?! - não consegui identificar a voz, se era de Min, e eu já teria morrido no acidente e virado um fantasma também, ou se era a Staff nova, e eu ainda estava vivo.

Felizmente, a segunda opção foi a vencedora. Eu estava vivo, respirando, com batimentos cardíacos mais do que acelerados e abraçado ao corpo da… Nova staff?

Antes de ousar pronunciar qualquer palavra se quer, escaneio o local a minha volta e não vejo mais Min.

-Seu coração está muito acelerado - percebo que a garota está com o ouvido grudado ao meu peito e solto um riso abafado, tirando Min de meus pensamentos - … e, suas mãos estão sangrando! -me fez cravar o olhar na mão que repousava ao lado de meu corpo, já que a outra se via envolvendo o corpo da moça. - Venha! Vou cuidar disso para você! - se desvencilha de meu corpo, com o rosto rosado, que só pude vislumbrar por conta da pouca iluminação do poste da rua, e me puxa pelo braço delicadamente.

A deixei me guiar, pois ainda estava com a adrenalina da minha quase morte, ou melhor, do quase acidente.

.

.

Adentramos a enfermaria da empresa, a qual nem sabia que existia, onde ela me conduziu até uma cadeira e me fez sentar.

-Fique aqui, vou pegar um pouco de água no banheiro, para limpar o sangue de suas mãos! - ordena de maneira graciosa e sai depressa.

Encosto as costas no duro encosto da cadeira, permitindo a mim mesmo suspirar profundamente, assim como fiz questão de fechar os olhos para tentar esquecer do ocorrido. Porém, acho que fechar os olhos não é algo que eu possa fazer, sem esperar por uma surpresa ao abri-los novamente, pois ao realizar tal ato, vejo Min em minha frente, me fitando com um olhar melancólico.

-Está doendo? - ela pergunta, apontando para minha mão. A olho com certo deboche.

-Sabe o que está doendo? - devolvo à pergunta, com uma pitada de tristeza, e a vejo negar - MEU CORAÇÃO! - sua feição, antes melancólica, agora era de susto pelas altas palavras que emanavam de mim - Por descobrir que a pessoa que amo não é real, é apenas fruto da minha mente! E além do mais, disse que “está aqui para me ajudar”, mas quase me levou a morte! - vi que a cada palavra minha, ela se encolhia mais.

-Não acredito que você não enchergou ainda que estou realmente te ajudando! - rebate em um tom alto e inconformado. Antes que eu pudesse responder, ela da as costas e vai embora, quando logo depois a Staff chega com papéis úmidos.

-Prontinho! - fala ofegante, se aproximando de mim, para realizar os cuidados em minhas mãos.

.

.

.

-Qual o seu nome? - questiono, pois a chamava apenas por “nova Staff” e nunca havia perguntado seu real nome. Ela para de enrolar as bandagens de uma de minhas mãos e me olha.

-Sou Min-Jung, mas pode me chamar de Min! - cravei meu olhar em seu sorriso, mas só conseguia pensar nas semelhanças entre essa Min e minha Min, que na verdade não é real e puta merda, agora estou duvidando se até eu sou real!

“Será que ela é real, real mesmo, ou outra ilusão minha?”


Notas Finais


Bugou??
Em que será que a Min fantasma diz tanto que ajuda?

Sugestões ou dúvidas é só comentar 😉

Desabafo rápido aqui:
Ultimamente escrever as fics é a única coisa que tem me deixado feliz, pois minha vida tá meio merda hahah então, espero que estejam gostando do que leem ❤️

Obrigada (o) por ler 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...