História A garota que odiava a perfeição - Fillie - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Eleven (Onze), Mike Wheeler
Tags Cadie, Caleb, Fillie, Finn, Millie, Noah, Romance, Soah
Visualizações 138
Palavras 1.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura<3

Capítulo 5 - Que tipo de pessoa você acha que sou?


O sol está alto lá fora, e a paciência de Millie está acabando dentro daquele quarto. O que era apenas um rascunho para uma prova acaba sendo uma enorme dor de cabeça. Millie tinha apenas duas canetas, uma avia estourado e a outro estava falhando, e isso estava deixando a garota com raiva.

Dentro de duas horas ela teria a primeira aula de guitarra coisa que ela já estava achando que seria um desastre pois não sabia tocar nem uma nota sequer, mal avia pegado em uma guitarra.

Millie desiste de tentar escrever com a maldita caneta, pega sua bolsa, e anda até a papelaria/livraria que tinha ali perto, no campus mesmo. Ela pega duas canetas e vai até o caixa, a mulher que atendia colava um cartaz na parede escrito: Procuramos funcionários.

 Millie alcança as canetas a mulher a registra.

- O que precisaria fazer e em que horário? – Millie pergunta apontando para o cartaz, a mulher sorri.

- Arrumar os livros e as prateleiras, tirar pó dos livros, ajeitar as caixas que chegar, deixar a loja impecável. Como você deve estudar de manhã e ter aulas extracurriculares você pode trabalhar a noite de segunda a quinta. – A mulher fala e Millie sorri, ela já estava pensando em procurar um emprego mais não pensou que seria tão fácil assim.

- Seria perfeito, será que me encaixo na vaga? – Millie pergunta e a mulher sorri novamente.

- Acho que sim, se você quiser começar segunda as seis e meia, seria bom?

- Claro. – Millie diz sorridente pega suas canetas se despede da mulher e sai da loja.

- Millie! – O sorriso de Millie desaparece ao escutar aquela voz leve atrás de si. Ela se vira e olha Finn, ele estava parado na frente da loja na qual ela avia acabado de sair. Ele segurava uma prancheta na mão e uma caneta ele estava com vários papel. – Preciso te fazer uma pergunta sobre sua ficha de inscrição de atividades. – Millie faz uma cara nada satisfeita e caminha até ele, sabia que teria problema com a ficha, mas não sabia que teria que resolver aquilo com Finn.

- Você é responsável por tudo mesmo em?  - Millie diz.

- Sou e não queria saber como isso é terrível. – Finn diz e suspira. – E então vamos resolver isso logo, me diga um esporte que você queira participar.

- Odeio esportes.

- Novidade, no dia que você me falar algo que não odeia o mundo vai acabar e você sabe o significado da palavra obrigatório? – Finn diz e Millie suspira.

- Bom Sr. Certinho o que você me sugere?  - Millie diz e Finn dá um sorrido para ela.

- Bom que tal o grupo de dança, é para onde todas as boas líderes de torcida vão, sabe adoraria ver você dançando com aquele uniforme curtinho que elas usam. – Finn diz com um sorriso malicioso e Millie o olha seriamente.

- Cala a boca, bom pode marcar natação mesmo, é a única coisa que eu sei fazer. – Millie diz e Finn marca com a caneta.

- Melhor ainda, vou poder te ver só de biquíni, você tem sorte de eu ter as tardes de quarta livres, a gente se vê lá. – Finn diz e Millie arregala os olhos.

- Você está brincando? Quando vai parar de me seguir? – Millie pergunta, mas Finn não responde apenas entra na loja.

* * * *

Millie anda lentamente até seu carro, abre o porta malas e pega sua guitarra que está guarda em um grande estojo preto. Fazia algum tempo que ela não a pegava. Nunca teve a oportunidade de usar a guitarra. Ela havia a ganhado de aniversário de seu pai, de dezessete anos o seu último aniversário com ele.

Uma das últimas vezes que ela viu seu pai sorrindo, que o abraçou fortemente, aquela guitarra significava muito para ela.

* * * *

Aniversario 17 anos Millie – Um ano e alguns meses atrás.

Millie olhava as duas enormes caixas em sua frente, uma rosa Pink e a outra com um papel de presente escuro. Uma era presente de Kate e outro de seu pai. Millie pegou primeiro o rosa, queria deixar o presente do pai por último já que suspeitava que não ia gostar do presente de Kate já que ela sempre lhe dava coisas que ela detestava.

Ela abriu, era um lindo vestido Pink, da Chanel, era lindo, mas Millie não usaria nem morta, odiava rosa, ele pensou na mesma hora em queimá-lo assim como avia feito alguns meses atrás com todas suas roupas coloridas. Mas seria um pecado queimar aquele vestido que devia ter custado Milhares de dólares de Kate.

- É para você usar na sua formatura. – Kate falou sorrindo e Millie sorriu forçadamente.

- Claro é lindo. – Millie mentiu e pegou a outra caixa, suspeitava que ela iria gostar.

Ela rasgou a caixa e logo viu um em estojo, com certeza tinha um violão ali, foi o que ela pensou mais ao abrir era uma guitarra, cor vinho, linda com as iniciais de Millie: MBB, ela sorriu.

- É linda pai, eu amei. – Ela disse e abraçou Robert fortemente ele sorriu para ela.

- Achei que ia gostar, agora que você adquiriu a essa moda, escura. – Robert não sabia direito como se referia à o novo estilo de Millie. – Achei que você não ia gostar do violão rosa que eu tinha pensado em comprar para você no ano passado.

- Obrigado. – Millie disse mais uma vez.

- Gótica, amor, sua filha é uma gótica. – Kate disse e Millie a fuzilou com os olhos, não gostava daquela mulher.

* * * *

Atual

Millie entrou na sala onde aviam várias pessoas conversando, percebeu que alguns seguravam guitarras, olhou em volta procurando o professor, quando o achou andou até ele um pouco tímida.

- Oi, eu sou nova aqui e....- Millie diz.

- Bom nós vamos começar o ensaio daqui a pouco pode escolher o lugar.

- Mas eu não sei ....

- Você não tem pratica?

- É eu nunca toquei. – Millie fala um pouco envergonhada.

- Tudo bem não se preocupe, apareceram outros como você. Vou colocar um colega seu para te ensinar o básico em uma semana você já está ótima, vamos ver quem está disponível. – Ele fala olhando para os alunos. – Um cara da banda seria perfeito. – O professor fala pensativo olhando para o nada.

- Banda? – Millie pergunta confusa.

- Sim, esqueci de você não conhece a banda, mas tudo bem, eles ainda não estão ensaiando, praticamente quase todos os meus guitarristas bons estão ocupados. Espero tenho um perfeito para você. – Ele fala e levanta a mão para um garoto no qual Millie não quer saber quem é. – Finn venha aqui. – Millie arregala os olhos quando vê Finn se aproximando.

- Você vai ajudar, a nossa menina aqui com as notas iniciais, leve-a a uma das salas do lado para não atrapalhar.

- Mas eu acho... – Millie tenta falar mais Finn a impedi.

- Ótimo com todo prazer. – Finn fala e Millie faz uma cara nada satisfeita. Os dois saem da sala e vão para ao lado é menor, todas elas têm isolamento de som o que deixa a sala em silencio total mesmo que tenha guitarras tocando na sala ao lado, pianos da de cima e violinos na da frente.

- Eu juro que dessa vez não foi de propósito, não posso fazer nada se você escolheu tocar o meu instrumento favorito. – Finn diz antes que Millie comece a xinga-lo.

- Tudo bem. Mas espero que você não tente me assassinar nessa sala com isolamento acústico. – Millie tenta brincar, mas repensa sobre aquilo ser uma possibilidade real.

- Você me deu uma boa ideia para meu próximo assassinato. – Finn fala sério, Millie o olha com medo, ótimo talvez a família Wolfhard seja mesmo uma família de assassinos e ela seja a próxima como o pai dela. – Calma to brincando. – Finn fala sorrindo, ele percebeu a cara de medo que Millie fez. – Meu Deus, que tipo e pessoa você acha que sou? – Finn fala ao percebeu que ela avia ficado assustada de verdade.

- Dá para a gente começar? – Millie pergunta abrindo o estojo da guitarra e a tirando dali.

- Sua guitarra é muito legal. – Ele diz olhando para ela.

- É. – Millie fala e senta em um banco que tem ali. Finn logo pega outro banco e coloca ao lado de Millie se sentando. Finn ajeita a posição da guitarra no colo de Millie. Ele passa o seu braço em volta do ombro de Millie para alcançar a corda da guitarra. Coloca a sua mão em cima da de Millie no topo da guitarra e ajeita a posição dos dedos da garota.

Millie olha para as suas mãos envolvidas com as de Finn, as mãos dele são macias, ela suspira fundo e pode sentir o perfume ele, mesmo ela dizendo para si mesma que não havia gostado, ela sabia que tinha gostado, era um perfume suave, agradável, ela podia sentir aquele cheiro para o resto da vida que não enjoaria, ela sabia que Finn tinha escolhido aquele por causa disso.

- Esse é o Do. – Ele fala e Millie toca a nota, simples, fácil, era só decorar. Finn troca a posição dos dedos de Millie, que olha para o rosto do mesmo concentrado. – Esse é o....- Finn percebe que ela o olha, ele sorri e ela olha para a frente.

- É o que? – Millie resmunga.

- Re. – Ele diz ainda sorridente.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...