1. Spirit Fanfics >
  2. A Garotinha do Uchiha - Sasusaku >
  3. A Nossa Sarada

História A Garotinha do Uchiha - Sasusaku - Capítulo 30


Escrita por:


Capítulo 30 - A Nossa Sarada


Fanfic / Fanfiction A Garotinha do Uchiha - Sasusaku - Capítulo 30 - A Nossa Sarada


O casal passou pela porta do elevador atracados em um beijo selvagem, os saltos estavam nas mãos da rosada que estava no colo de Sasuke o abraçando com as pernas. O vestido fino da, agora, Uchiha já estava embolado em suas coxas, a roupa do seu marido estava toda torta pelas tentativas da rosada puxar os tecidos fora. O Uchiha encostou a italiana na parede enquanto procurava nos bolsos a maldita chave de casa, ela apenas ria e o beijava sentindo seu corpo em chamas respondendo perfeitamente ao dele. 

Quando ele finalmente achou a bendita chave, a porta ao lado soou o barulho de destrancar, logo uma azulada usando apenas um hobby surgiu toda sorridente. Os recem casados olharam para o lado e Sakura teve o prazer de ver a expressão de desgosto e raiva tomar conta do rosto de Konan.  Sasuke abriu a porta e não tardou em levar sua mulher para dentro, pelo menos a vizinha de porta agora sabia que iriam fazer bastante barulho aquela noite. 

A italiana foi colocada no chão e ela não evitou a surpresa em ver o apartamento todo decorado em velas e pétalas de rosas. O cheiro do local estava doce, com algo a mais, um cheiro afrodisíaco. Ao fundo um som tocava de algum ligar que a Uchiha não se atentou em encontrar, apenas virou para seu marido e o beijou com ternura e amor. Os dois se guiaram para o quarto onde o som se concentrava mais juntamente ao cheiro forte das velas. A ex Haruno jogou o moreno na cama e sorriu maliciosa começando a tirar a roupa. 

Lentamente, ao som da musica, o tecido branco foi deslizando pelo corpo da rosada, passou pelo quadril largo e caiu gracioso envolta de suas pernas. Ela se virou de costas e levou as mãos aos fechos do sutiã, o abriu devagar e o jogou para o lado não deixando o Uchiha, estirado e excitado na cama, ver. Seus dedos passaram por dentro do elástico da calcinha e os desceu, enquanto se inclinava dando uma vela visão de suas nadegas e sua intimidade para o moreno. 

_Porra de mulher gostosa. - murmurou se livrando da própria roupa sem desviar o olhar do corpo rico de sua mulher. 

Sasuke a puxou de repente ouvindo um gritinho surpreso ecoar, ambos riram e Sakura se entregou ao prazer de sentir os beijos molhados no seu pescoço e costas. O moreno levou uma mão para sua barriga e a desceu de encontro a seu clitóris, massageou ali e pressionou a fazendo remexer. A italiana se ergueu nos próprios joelhos e rebolou nos dedos do maior e em seu membro de forma erotica. Quando ele a estocou com força ela perdeu o ar, sua mente saiu de órbita e seus olhos giraram. 

Sasuke tomou os cabelos ja desgrenhados de sua esposa em um coque em sua mão e estocou enquanto puxava os fios a fazendo soltar um gemido esganiçado. Mais uma vez e outra, Sakura buscava juízo enquanto segurava os joelhos de seu marido se empinando para ele, ja que estava de costas para este. Sentia seu interior explodindo em chamas, nunca iria cansar de ser preenchida daquela forma pelo Uchiha, era mais do que um contato físico, um desejo carnal, era pura ação de amor fluindo entre seus corpos. 

O ritmo foi aumentado, as gotas de suor ja desciam pelas testas e braços chegando a pingar no colchão com lençol branco, as respirações entrecortadas e dificultadas pelo esforço, a rosada fechou os olhos e se sentiu flutuar enquanto gemia alto, Sasuke não ficou para trás e também atingiu o ápice dentro de sua, agora, esposa. Ela tombou para trás fazendo o moreno cair de costas na cama com esta sobre si cansada e ofegante. O Uchiha lhe abraçou, queria reclamar do calor mas não o fez, apenas se deixou ser abrigada nos braços fortes. 

Ele não ficou muito tempo assim, a deitou do lado e se levantou para ligar o ar condicionado do quarto, ela agradeceu por isso. O moreno voltou a se deitar e a beijou carinhoso, a italiana se achegou mais a ele e recebeu os carinhos de bom grado enquanto fechava os olhos para dormir. Os beijos desceram para seu pescoço e ele mordeu ali lhe fazendo abrir os olhos confusa. 

_Non essere ingenuo, non è ancora finita. - Não seja ingênua, não acabou ainda. - a ex Haruno só teve tempo de gargalhar sentindo seu amado descer os beijos para seus seios. 

_Ricorda di venire fuori! - Lembre de gozar fora! - alertou manhosa, tinha parado os comprimidos quando seu corpo começou a não aceitar de bom grado e ainda não tinha começado as injeções. 

_Si, si... - falou sem dar muita atenção continuando seu serviço. 






3 meses depois...



_Ti ucciderò, Sasuke Uchiha! - Vou te matar, Sasuke Uchiha! - jurou agarrada ao bojo e mais uma vez vomitando, seu marido tinha sido o culpado, tinha gozado dentro de si tantas vezes na lua de mel e a pílula do dia seguinte com certeza foi por água abaixo.

_Bambina, non puoi biasimarmi, è troppo delizioso per me controllarmi. - Garotinha, não pode me culpar, é delícia demais para eu me controlar. - comentou receoso enquanto segurava as madeixas da esposa. 

Havia descoberto a gravidez após um desmaio no hospital que estava estagiando, estavam entrando na nona semana de gestação onde os enjoos se tornam ainda mais fortes. Abaixou a tampa do bojo e deu descarga na gosma verde, ja que não tinha mais nada para colocar para fora, Sasuke a ajudou a deitar e foi correndo buscar um picolé de laranja. Sua obstetra tinha garantido que o picolé ia ajudar por ser cítrico e gelado, estavam esperando o tal efeito.

_Saky? - Ino surgiu no quarto e suspirou vendo a amiga abatida na cama - Não quer deixar esse chá revelação para outro dia? - sentou ao seu lado.

_Não, já está tudo pronto, desço jaja. - sorriu otimista.

Antes que Ino a obrigasse a desistir Sasuke chegou com o picolé laranja. 

_Se não melhorar mando todos para casa e você faz outro dia. - disse a Yamanaka.

_Não, Ino sério, estou morrendo de ansiedade. - choramingou. 

_Ta bom, vou servir os salgados, seu pai se atrasou mas já está fechando o restaurante. - avisou saindo do quarto.

_Quer ajuda para se vestir? - perguntou a olhando de forma meiga.

_Claro. - se olhou vendo que a blusa branca que usava já não tinha mais nada de limpa. 

Terminou o picolé e Sasuke buscou no fundo do armário um macaquito de pano soltinho na cor branca, vestiu sem evitar de passar a mão na barriga já notória de sua esposa. Ambos saíram do quarto juntos, Sakura ja estava melhor e não sentia tudo a sua volta girar. Sasuke usava uma bermuda jeans branca e uma camisa branca de botão, no rosto um sorriso enorme como um bom pai babão que seria. Sakura cumprimentou a todos com abraços e o Uchiha com aperto de mão, abraçando apenas os mais íntimos e sua família. 

Estavam Naruto, Temari, Tenten, Ino, Sai, Itachi, Izumi, Fugaku e Kizashi de azul torcendo para que fosse um menininho e Neji, Hinata, Gaara, Shikamaru, Anko, Mikoto e Kizashi de rosa torcendo pela menininha. Mas claro que a criança seria amada sem importar o sexo pelos avós e titios ali presentes. Todos tiraram fotos com o casal ou só com Sakura e sua barriguinha, Hinata ostentando sua barriga de nove meses fez questão de tirar uma foto encostando suas barrigas. Naruto todo bobo também registrou em seu celular e claro, meses depois aquela foto foi recriada com os bebês nos braços já nascidos.

A hora tão esperada chegou para a alegria da rosada, não aguentava mais esperar para chamar seu nenem pelo nome. Todos contaram até 10 e o balão foi estourado, cada confete voando, aplausos, gritos, Sasuke rodando Sakura no ar em um abraço apertado, foi registrado pela lente da câmera de Anko. 

Um mundo que parecia até então ser branco e cinza tomou um tom lindo de rosa vivo, o rostinho de sua filhinha agora estava sendo criado na mente de ambos naquele momento, a alegria estourava em seus peitos. Sasuke a pousou no chão e a beijou com paixão, era o homem mais feliz do mundo, não tinha dúvidas. Os sorrisos ali só faltavam rasgar as bochechas, logo os amigos e familiares se aproximaram comemorando e os abraçando com alegria. 

_EU NÃO ESTOU PRONTA PARA VER ESSA COISINHA COR DE ROSA AQUI NÃO! - choramingou Ino agarrada à barriga de Sakura. 

_Ela vai ser morena, você sabe disso. - Naruto disse sonhador. 

_Quem disse? - Temari o interrompeu e logo uma discussão começou ali de como seria a neném. 

_Acho que quando ela nascer vamos ter que fazer outro chá revelação. - Sasuke comentou fazendo sua esposar rir alto.


O tempo foi passando e a barriga da ex Haruno estava cada vez mais saliente, redonda e grande, seria uma menina e tanto que iria sair dali. O primeiro chute veio e Sakura nunca esperou que Sasuke fosse chorar tanto ao sentir um chute de sua pequena na palma da mão. A italiana não aguentou e chorou junto com ele, a sensação de serem pais estavam os deixando sem chão, corações moles e temerosos, a cada dia buscavam ser melhores para a pequena que estava a caminho. 

O quarto de hóspedes foi transformado em um quarto infantil decorado com tema de safari, borboletas rosas decoravam o teto do quarto, presente de tio Itachi que se lembrou que seu irmãozinho tinha adesivos iguais porém em forma de estrelas. No chão um tapete de raposa dado por tia Ino que todo dia dizia que a pequena Uchiha seria uma predadora. E várias outras lembrancinhas nas prateleiras dadas pelos amigos dos papais. Os meses pareciam anos, mas finalmente o esperado dia chegou, em um parto humanizado Sakura viu sua razão nascer, cabelos negros e olhos fechadinhos enquanto Sarada chorava alto.

Mais uma vez lá estava Sasuke chorando como criança com o embrulho amarelo em seus braços, Sarada estava calma no colo do pai e ainda não tinha aberto os olhinhos puxados. Sakura tomou um banho com ajuda de enfermeiras e foi colocada na cama, finalmente pôde pegar sua Sarada, depois de a pegar na agua claro, colocou o seio para fora e deixou que ela mamasse. Nesse momento ela abriu os olhinhos negros brilhantes encarando profundamente sua matriarca enquanto sugava o seio com vontade. 

_Fiquei carregando você nove meses para vir a cara do seu pai? - perguntou sorrindo.

_Seu amor por mim refletiu nela. - se pabulou se acomodando ao seu lado na cama, observando a pequenina com amor.

_Isso é injusto. - choramingou brincando. 

_Ela tem seu nariz. - disse sincero procurando confortar a esposa. 

_Hn. - fez um bico mas logo sorriu.



1 ano depois...



_AMOR CORRE! - Sasuke mal tinha colocado a chave no criado mudo e já corria em direção ao quarto de Sarada. 

_O QUE FOI? - chegou espantado e comtemplou a menor gargalhando e dando passinhos tortos - Meu Kami! - riu abobado pegando a pequena e a enchendo de beijos - Está andando sozinha, piccolo! - Pequena! - estava eufórico em alegria.

Sarada apenas gritou fino esticando as perninhas, mais uma vez ele lhe encheu de beijos para a colocar sentadinha no chão. Sakura estava sentada na poltrona ao lado sorrindo enquanto via o video de sua filha andando, enviou para todo mundo que conhecia cheia de orgulho pelo grande feito da Uchiha. Sasuke a beijou em saudação também sorrindo.

_Meu turno hoje? - perguntou esticando os braços. 

_Exato, estou de plantão hoje mas de noite sua mãe vai vir te ajudar. Tava tirando leite. - mostrou as mamadeiras cheias ao lado da maquina de retirar leite materno.

_Otimo, não sei fazer aquela papinha laranja. - disse pensando no jantar de sua amada filha.

_Mikoto-san vai fazer. - riu ajudando o marido a retirar a camisa. 

_Se bem que se eu der pedra ela come, é sua filha. - riu levando um tapa no braço. 

_Besta. 

_Papapa.... - os dois congelaram e olharam para uma Sara sentada os olhando.

_Ela disse... Papa? - Sasuke estava em choque.

_Aprendeu mesmo! - Sakura a pegou sorrindo - Ai filha, é a cópia e ainda aprende a falar papa primeiro? - fez bico.

_Não mereço você, Sarada. - Sasuke disse beijando a bochecha gorda da morena e logo mordendo de leve.

_Ta bom, papai, tente não comer nossa filha enquanto estou fora. - a entregou a ele saindo do quarto para adiantar suas coisas.

A família Uchiha não poderia pensar em estar mais completa do que naquele momento, com sua pequena Sarada crescendo e falando pelos cotovelos. Todos se derretiam pela pequena Uchiha, toda meiga e cheia de doçura de sua mãe, mas a personalidade forte e até um pouco arrogante de seu pai. Logo o primeiro dia de aula chegou e por incrível que pareça não foi Sasuke que chorou e sim Sakura, quem a levou foi Hinata e Naruto já que a Uchiha não deixaria a menor entrar na escola. Hinata agora casada com Naruto levava em seu ventre sua pequena Himawari e Boruto estava na mesma turminha que Sarada.

O medo de ver a menininha deles crescer assombrava demais, mas tudo ia pelos ares quando ela surgia com aquele sorriso sapeca, os olhos apertadinhos e as bochechas gordas. Não demorou muito e a porta foi aberta revelando Sarada com seu pai atrás de si, este tinha ido buscá-la na escola. Sakura correu e a abraçou dando um beijo em sua cabeça, toda empolgada a menor começou a tirar os papéis rabiscados e desenhados feitos na escola mais cedo. Enquanto falava a pequena coçava e piscava os olhos com força, Sasuke estranhou e resolveu levar a menor para um médico especializado, foi quando Sarada começou a usar seus lindos óculos vermelhos. 

Sakura saiu da casa de seu pai com uma xícara de chá em mãos, sentou ao lado de Sasuke no banco no quintal onde cresceu e ambos se puseram a observar Sarada tentar pegar uma borboleta. Vez ou outra a menor virava para os pais e acenava sorrindo e empolgada, os brinquedos trocados pela borboletas estavam cheios de terra jogados no chão. Kizashi surgiu terminando seu próprio chá e se pôs a correr atrás de sua neta, brincando de a pegar e jogar para cima arrancando gargalhadas da morena e sorrisos bobos dos pais ali sentados. Não podiam ter planejado vida melhor que essa, não mesmo. 










Fim




Agradeço a todos que acompanharam essa fic, minha alegria é imensa em ver quantos leitores se apaixonaram pela estória. Um grande beijoooo <3 


Notas Finais


Logo logo, tem mais uma fic para vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...