História A garotona má e nojenta da escola - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Inojin Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Konohamaru, Madara Uchiha, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara
Tags Borusara, Naruto, Romance, Suícidio
Visualizações 53
Palavras 537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Podem arrancar o meu rin, eu deixo, mas se vcs forem vender, eu quero metade do dinheiro.
Espero que vocês gostem e que eu consiga entreter vocês.
Boa leitura

Capítulo 36 - Uma amiga nova?


Fanfic / Fanfiction A garotona má e nojenta da escola - Capítulo 36 - Uma amiga nova?

    Sarada On

  Hoje eu não vou a escola, simplesmente não estou afim, mas eu também não quero ficar em casa, então eu ligo para Boruto para combinarmos de matar aula. Lógico que ele aceitou, porque afinal, não somos obrigados a ver a cara daquela gente feia todo o santo dia.

  Coloquei o uniforme por cima da roupa em que eu ia sair. Peguei a minha bolsa e fiz o mesmo de sempre. Deci as escadas peguei uma maçã e fui para a calçada esperar por Boruto.

  Quando ele chega com a sua moto, eu subo nela e pergunto:

  –Onde vamos sugar daddy?.

  –Você vai ver–responde ele.

  Demorou em torno de uma hora para chegar a onde Boruto queria me levar. Era o topo de uma montanha, onde dava para ver a cidade toda lá em baixo.

  –É incrível–comento.

  –Eu sabia que você ia gostar–diz ele vindo em minha direção.–Eu vim aqui uma vez, e me lembrei de você na hora. Com esse seu sonho de ficar no topo do mundo–comoleta ele passando seus braços ao meu redor.

    Elizabeth On

  Parece que tem novos vizinhos na casa ao lado então eu vou até o jardim deles para dar as boas vindas quando derrete um brutamonte me joga no chão. Lógico que de imediato eu coloco as minhas garras para fora.

  –Oi meu nome é Halfy e o seu?–pergunta ele.

  –Elizabeth–respondo.

  –Que legal, Elizabeth, quer brincar comigo?–pergunta ele. Antes que eu possa responder ele pega uma bolinha.–Joga pra mim ir pegar?–pergunta ele.

  Eu jogo né, porque afinal o que mais eu poderia fazer? Não queria parecer mal educada.

    Sarada On

  Quando eu volto para casa, Sasuke estava a minha espera.

  –O que eu fiz dessa vez?–pergunto.

  –Porque chegou tarde da escola e não nos avisou?–perguntou ele.

  –Celular descarregado–respondo.

  As vezes, eu sinto que não sou a prova de fogo, nem aprova de balas. Mas eu preciso fingir ser, porque assim, é a única maneira que eu terei certeza de que não vão me machucar.

  –Pare de dar desculpas, eu quero a verdade–disse ele.

  –Me desculpa meu querido, a minha mãe está morta, você querendo ou não foi ela quem me criou, e outra, eu passo essa atuação digna da malhação que é você querendo ser um pai de verdade pra mim, agora licença–digo dando meia volta e saindo de casa.

  Não quero ficar olhando a cara de cú que o Sasuke vai ficar fazendo. Vou até a calçada e vejo Elizabeth brincando com o cachorro da nova vizinha. Não consigo envitar o sorriso. Estava tão destraida olhando para a minha gatinha, que não reparo que alguém estava do meu lado.

  –Ela é sua?–pergunta a garota que estava ao meu lado.

  –É–repondo.–O nome dela é Elizabeth–digo.

  –Prazer o meu nome é Elise–diz ela docemente.

  –Prazer, o meu é Sarada–digo. Não quero parecer mal educada.

  –Eu ouvi falar muito de você, principalmente na escola–diz ela.

  –Bom, então já sei que não são coisas boas–logicamente não são.

  –Não mesmo–concorda ela–mas é bom–diz ela com um olhar meio apagado– é melhor ser temida, do que ser amada.


Notas Finais


Não se esqueçam, se quiserem vender o meu rim, tem que me dar metade do manei.
Espero que vocês tenham gostado e que eu tenha conseguido entreter vocês.
Obrigada por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...