História A girl like you! - Capítulo 2


Escrita por: e paulalefebvre

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 1.533
Palavras 1.984
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá... aqui vos fala a tia Paula....
primeiramente agradecendo aos comentáros do primeiro cap ( que a Dayse vai responder XD) e pedindo desculpas pela demora na att, em minha defesa estou trabalhando muuuuuuuuuuito, muuuuuuuuuuuuuuuuuuuito, mas muuuuuuuuuuuuuuuuuuito.

terminei de escrever com a Dayse agora e já vim postar pra agradecer a vcs que são umas fofas e assim como nós fãs de 10 coisas que eu odeio em você.

Vamos ao cap...

Capítulo 2 - Capítulo Um


Engraçado como a vida é esse emaranhado de encontros, desencontros e situações que culminam em nos favorecer ou nos ferrar. Há pessoas que vivem suas vidas e ganham o poder do favorecimento, essas pessoas conseguem empregos dos sonhos, enquanto os ferrados  acordam cedo e procuram por qualquer emprego que seja. Os sortudos encontram o amor de suas vidas numa esquina qualquer,casam, tem filhos e vivem felizes para sempre como qualquer filme clichê. Essas pessoas, as favorecidas gastam toda a sorte do mundo e jogam a outra parcela de pessoas menos privilegiadas em um limbo chamado azar. É nesse seleto grupo, o dos azarados, que eu me encontro…

Eu poderia ter crescido em uma família texana, com um pai arrogante, que me ensinaria a atirar e não ligaria para as minhas travessuras de criança, pois é isso que as crianças fazem, mas não… Nasci na charmosa nova orleans, lugar onde as pessoas apreciam a arte, a música, falando desse jeito, parece que eu odeio minha cidade natal, e em explicativa, eu não o faço, mas sou um cara dos esportes e definitivamente haveria lugares melhores pra se morar.

Meu pai é tão sufocante como uma camisa de força, ele literalmente leva a paternidade a sério, a ponto de visitar a escola uma vez por mês para saber as nossas notas, e vistoriar o meu quarto em busca de bagunças sempre que possível, as vezes eu só queria que ele fosse um pai ausente, como os pais separados dos meus amigos, deve ser triste não ter a presença dos pais, mas ter a presença excessiva é quase uma tortura. Minha mãe nunca se meteu nos comportamentos dele, no fim ela deve agradecer por ter mais gente pra dividir a penitência com ela, acho que esse é motivo deles terem tido dois filhos, eu e meu irmão Itachi sempre apostamos nesta hipótese.

Eu tinha um plano, entrar no time de basquete, conseguir uma bolsa e sumir daqui, mas como todo o cara da minha idade, eu meti os pés pelas mãos e fiz merda, ao menos a merda foi por um bom motivo, tento usar isso pra me consolar.

Eu cheguei a conseguir a vaga no time, eu já estava até mesmo jogando como titular, mas como sempre a vida veio de limusine me foder bonito.

Meu tio Madara se envolveu em um acidente de trânsito e ferrou sua perna, digamos que ele não encarou bem a experiência com o gesso, meus primos Obito e Shisui estavam fazendo faculdade em outros estados, e é óbvio que o meu tio não quis ir passar sua temporada de convalescença com o meu pai. Não o culpo, é difícil gostar do meu pai, tem dias que eu apenas o suporto.

Meu tio era o irmão legal, o cara que me deu a primeira revista de mulher pelada e conversava besteiras comigo, com meu irmão e meus primos. O cara era o meu herói, a única pessoa que conseguia calar toda a arrogância do meu pai, com um simples: “Fodasse Fugaku, ninguém se importa…”

Eu não podia deixar ele sozinho por quatro meses...

Ele não viria pra casa do meu pai...

 

A equação é simples e a resposta exata é: Eu tive de me mudar por alguns meses.

Todos encararam a notícia bem, e até a escola aceitou minha transferência bem.

Todos exceto o técnico.

O técnico não levou muito bem minha saída no fim do ano passado. Mesmo eu tendo avisado que estava indo ajudar meu tio doente,mesmo sendo fim de ano e não impactando nada na grade de jogos, mesmo sendo a mais pura verdade contada…

Ele não pareceu curtir muito a ideia de ver seu pivo indo estudar na escola rival. Percebi tarde demais que eu teria mais chances de voltar pro time se simplesmente perdesse o ano e ficasse uns meses sem estudar…

A única coisa boa que veio junto disso é a minha moto, presente do tio Madara, meu pai não curtiu muito o agrado, mas eu mesmo pago a gasolina, então ele é obrigado a me engolir, ou melhor... Engolir a economia que uma moto em vez de um carro comprado por ele daria.

Eu entro na cafeteria pela quarta vez hoje. Desde de que meu pai me pegou fumando no quarto, tenho tentado diminuir a quantidade de vezes que eu dou uma tragada, mas um vício tomou o lugar de outro, e aqui estou montando em minha moto bebendo meu café.Ansiando por um cigarro.

 

- Ora, ora.... Sasuke, espera aí. - uma voz um pouco escandalosa me chama. Me viro. - Hey!

 

- O que você quer Naruto? - Pergunto colocando a moto no apoio.

 

Naruto coçou o maxilar O primo branquelo dele o encara e parece nervoso com a situação.

- Sabe que o meu pai é treinador do New Orleans Pelicans... - eu cruzo os meus braços e espero ele terminar o resto. - Ainda tem sonho de jogar em um time de basquete?

 

- Escuta, eu não curto caras e não suporto condolências fingidas, então pode parar por aí. -Jogo o copo de café no chão e engato a moto.

 

- Eu posso conseguir para você uma chance de mostrar o seu potencial para ele, pode ir para o time B com os outros de dezessete anos. - ele fala, agora o Naruto conseguiu a minha atenção.

Eu solto a embreagem devagar, ciente de que Naruto é um apostador sagaz que não faria nada para me ajudar. Não sem motivos


 

- Qual o seu preço?

 

- Olhe o meu primo, um bom menino, - ele coloca a mão no ombro do primo que está encolhido ao lado dele. - Ele está sofrendo de um mal, o amor. Ama uma menina, a bela dos olhos dele, porém, além de estar ferrado por amar, ele entrou numa fria, a família dela é judaica e segue fielmente as escrituras. Resumindo: O pobre Sai, todo certinho que quer namorar com a Ino de mãos dadas e sem se esconder não pode namorá-la, até que a irmã mais velha namore alguém.

 

- E? - Questiono querendo entender logo o raciocínio do Uzumaki.

 

- Eu amo a minha família. - ele é um cara bom de lábia. - Eu poderia falar com o meu pai sobre você, mas só se você conseguisse namorar com Sakura Haruno, não por muito tempo, um mês algo assim e depois você pode chutá-la.

- E quem me garante que você conseguirá uma chance? - Nem me preocupo em pensar na garota.

 

- Por favor,  eu tenho acesso fácil aos conselheiros do meu pai, esses homens que procuram novos talentos. Um é até o meu padrinho e apostamos juntos em basquete universitário. Se eles gostarem de você, você ganha uma bolsa para faculdade e uma chance.

 

- Você quer me ajudar e em troca quer que eu fique com uma garota...Ela é tão feia assim?

 

Ele riu e deu uma cotovelada no primo dele.

 

- Bom... Sakura não é uma garota feia, ela é até bonita. Baita bunda, quadrejuda sabe, mas tem um detalhe com ela, Sakura é uma megera. A rainha das megeras, ela não deixa nenhum garoto se aproximar dela. Será que ela não é lésbica? - ele pergunta para o primo.

 

- Não, a Ino me disse que é de meninos. - ele diz nervoso.

 

- É, você tem que seduzir a megera. - sorri satisfeito.

 

Paro para pensar e percebo que eu não tenho nada a perder, afinal eu perdi tudo. O fundo do poço é onde estou, não há como descer mais.

 

- Tudo bem eu topo.

 

- Tão fácil assim? - o primo questiona surpreso, Naruto não se move. Acho que ele sabia da minha resposta. - É a Sakura, tipo...ela pode te matar.

 

A Expressão no branquelo é hilária, está pra nascer mulher que me ponha medo.

 

- Vou pagar pra ver.

 

- Então vamos as regras. Eu sabia que você era o cara para isso. Primeiro: Seduza Sakura Haruno e de uma forma que não tenho ideia, você namora com ela por um mês, passou um mês, eu falarei de você ao meu pai. - ele estendeu a mão para mim.

 

- Ou ou ou...pode parar.- Faço sinais negativos com as mãos.-  Se ela é tão ruim assim então você me apresenta ao seu pai assim que eu conseguir o encontro.

 

- Não, a proposta é, namorar com a megera. Só assim o meu primo vai poder namorar com a Ino. É pegar ou largar? Já está com medo de Sakura?Sei que ela é intimidante de primeira.

 

O cara é bom de lábia, mas eu sou mais.

 

- Um encontro e você nos apresenta, fica frio... Eu cumpro minhas palavras e vou namorar a garota.

 

Ele olha para o primo um pouco desconfiado.

- Certo, no entanto lembre-se, um mês de namoro ou farei questão de te detonar por aí.

 

Coloco o capacete tentando não me sentir mal por estar usando alguém para me adiantar na vida.

 

- Onde eu posso achar a garota?

 

- Sai? - ele pergunta ao primo.

- Hm... hoje é terça, vai encontrá-la em um treino de futebol no campo da escola, mas lá pelas três da tarde.

Acelero a moto, ainda é cedo e eu prefiro não pensar muito no que diabos eu me meti. A última coisa que eu preciso é da minha consciência martelando o quanto é errado mexer com os sentimentos alheios. Mas é aquele ditado… Situações desesperadas pedem medidas...

    Horas depois eu me sento na arquibancada junto a dupla de patetas, Sai parece estar mais branco, se é que isto seja possível e Naruto alheio a tudo come um balde de asas de frango, limpando graciosamente a mão engordurada em sua blusa.

    O time das garota entra enfileirado, em um padrão estranho, há um espaço grande de quase cinco metros entre uma menina de cabelos rosa, chego a imaginar se tratar se uma forma de bullying, repúdio à garota com a qual elas não querem jogar, tratar a menina como uma leprosa e não chegar perto...Mas conforme o time chega mais e mais próximo da arquibancada, eu consigo ler o sentimento no olhar as garotas… Medo.

    Olho para Naruto, que me confirma em sua expressão mais clara de “Você está fodido” que aquela é o meu alvo, ainda assim, como se houvesse necessidade, Sai aponta para a garoto, e arregalo os olhos para ter certeza do que eu estou vendo, o garoto também está tremendo.

    Eu perco a garota de vista ao iniciar do jogo, abismado com o medo de Sai e  começando a compreender o esforço do garoto para manter sua namorada, se eu tivesse uma personalidade dessas, também faria o possível e impossível pra manter o namoro, afinal as candidatas ao cargo seriam escassas.

Um grito no campo me faz voltar os olhos para uma pequena confusão armada, uma falta na grande área, Naruto, que percebeu meu desinteresse no jogo explica que Sakura recebeu uma falta ao se chocar com a goleira adversária e vai cobrar o pênalti, a técnica apita e a garota finge chutar, a goleira cai pro lado esquerdo e todos na arquibancada começam a comemorar o gol certo...Mas para choque geral a Haruno optou por dar um chute… um chute bem forte, na direção da goleira caída, mas necessariamente em seu rosto. A bola rola alguns metros a frente depois de estraçalhar o rosto da goleira, que não esboça nenhuma reação a não ser tentar conter o sangramento em seu nariz. O jogo é paralisado enquanto Sakura vai para a lateral do campo beber uma garrafa de água, tranquila e alheia ao fato de ter quebrado o nariz de alguém.

 

- Entendeu agora por que ninguém quer ficar com ela? - Sai pergunta olhando para o chão.

 

Eu respiro fundo, me levanto e olho o céu alaranjado anunciando o fim da tarde.

 

- Deu pra ter uma ideia...

 


Notas Finais


Em malicia ( nossa fic anterior, eu era a Sakura bad girl... agora é a vez da Dayse mostrar as garras dela com a Sakura dela,e eu estou mega curiosa pra ler o pov da Sakura no próximo cap)

Nos vemos nos comentários?

BJOS E OBRIGADO PELO CARINHO

Bjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...