História A Golpista - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Ariana Grande, Demi Lovato, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 38
Palavras 2.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eii pessoal, capítulo beeemmm grande aqui kkkk

Capítulo 7 - Capítulo 7


                       Camila Pov

Depois de me afastar da Jauregui o Shawn veio falar comigo

_O que você tem na cabeça Camila, você estragou tudo -Fala irritado

_Eu não poderia deixar ela me recusar desta forma Shawn, eu já fui recusada demais no colégio, não poderia permitir que aquela esnobe fizesse eu me sentir como no colégio novamente -Falei também irritada

_Mila você precisa passar por cima disso, não estamos mais no colégio, você não é mais aquela garota que ninguém queria, você agora é uma mulher linda e precisa ser segura de si mesma, você sabia que não seria fácil -Fala compreensivo

_Eu perdi a cabeça quando ela me negou Shawn, eu fui impulsiva, mais isso nunca mais tinha acontecido comigo depois do colégio

_Eu sei, mais você precisa trabalhar mais isso Mila, todos na vida uma hora ou outra leva um não

_Mais agora já foi, eu só quero ir embora agora -Falo cansada

_Vai você, eu vou aproveitar mais a festa e vou procurar uma garota que eu estava conversando antes de você fazer o seu show -Fala e eu reviro os olhos

_Eu vou no banheiro então, e depois chamo um taxi pra ir embora -Falo e ele concorda se afastando em seguida

...............

Subo as escadas daquele lugar enorme, queria saber porque fazer um festa em um lugar tão enorme assim, as pessoas devem demorar horas para achar uma as outras.

Droga aonde tem um banheiro aqui, não é possível. Tenho certeza que já passei por esse lugar. 

Merda, era só o que me faltava, ficar perdida aqui.

............. 

Depois de um tempo andando eu finalmente encontrei o banheiro, ótimo, eu já estava começando a ficar preocupada

                           Lauren POV

Aonde foi que o Júlio se meteu, que droga, ele realmente está me tirando do sério, ele só pode estar no andar de cima do salão.

.............

Eu vou desistir de procurar ele e vou embora cara, ele simplesmente desapareceu.

_Mais que barulho é esse -Me pergunto em pensamento

Era um barulho alto vinha um pouco mais a frente. Me aproximei da porta até ouvir uma voz mais baixa

_Droga, tem alguém aí -Falou a voz mais baixa, quase não ouço

_Ei, você precisa de ajuda? -Pergunto mais alto e a pessoa fica em silêncio

_Oi, você está me ouvindo? -Pergunto novamente, demorou um pouco até a pessoa me responder

_Não preciso da sua ajuda Jauregui -Fala a voz de uma mulher, porra, era aquela abusada novamente

_Se eu soubesse que era você, não tinha nem perdido meu tempo vindo até aqui -Falo bufando

_Então o que está esperando para ir embora, eu me viro sozinha -Fala mexendo com força no trinco da porta e chutando a mesma também

_Você realmente é abusada né garota, você não tem nenhum pouco de boas maneiras -Falo ouvindo ela forçando ainda mais o trinco da porta

_Eu não pedi a sua opinião, agora se a senhorita não se importa, eu gostaria de ficar sozinha -Fala irritada, além de estar presa quer exigir algo, ela realmente é inacreditável.

Fico em silêncio apenas ouvindo ela mexer cada vez mais forte no trinco da porta, e dou risada sabendo que aquilo não vai adiantar

_Você vai ficar até amanhã tentando abrir a porta assim, e ainda por cima vai se machucar -Falei e logo em seguida ouvi um grunhido do outro lado da porta

_Porra... -Fala mais baixo

_Você está bem? -Pergunto sem perceber que havia me preocupado com ela

_Eu cortei minha mão, está sangrando -Falou um pouco mais alto

_Coloca a toalha de mãos em cima do corte, e se afasta da porta -Falei. 

_ Pronto -Ouvi ela dizendo e me afastei da porta para pegar impulso. Depois de pegar uma distância boa eu chutei com força a porta, vendo a mesma abrir

Me aproximo da Cabello e seus olhos estão vermelhos, ela queria chorar, e eu não gostei de sentir uma angústia por isso. Me aproximei e ela abaixou a cabeça

_Senta aqui, me deixa ver isso -Falei a guiando para sentar em cima do vaso

_Eu vou tirar a toalha ok -Falei baixo e ela apenas concordou sem ainda me olhar

Fui tirando a toalha devagar e quando tirei completamente vi que o corte havia sido grande pois sangrava muito, ela havia cortado entre o dedo polegar e o indicadador, na pele que separa os dois, na mão esquerda

_Isso está bem feio, vou te levar até o hospital para vermos isso -Falei enquanto cobria sua mão novamente vendo ela fazer um careta de dor

_Não precisa, eu vou sozinha -Falou se levantando e eu parei em sua frente impedindo sua passagem

_Para com isso, eu vou sim te levar, e não tem discussão -Falei séria e ela bufou desviando o olhar do meu, entendi isso como um sim, e a guiei para fora do banheiro.

Fomos andando devagar até a saída do salão, saímos pelos fundos para não chamar tanta atenção. Ainda bem que conseguimos sair sem sermos vistas. Pedi a chave do meu carro e saímos a caminho do hospital.

O caminho inteiro fomos em silêncio, as vezes eu disfarçava e conseguia olhar para ela, a mesma estava com cara de quem estava com dor. Me senti mal com isso. 

............... 

Chegamos ao hospital e eu desci para ajudar a Cabello. 

Entramos e fomos direto para a recepção. 

_Moça, por favor, o doutor Marcos Iglesias está com algum paciente? -Perguntei para a recepcionista do hospital e ela me olhou

_Olá, eu posso verificar para a senhora, só um momento -Falou me olhando de forma estranha. Ignorei seu olhar e olhei para a Cabello 

_Como está a dor? -Perguntei a olhando 

_Está forte, ardendo demais -Falou abaixando a cabeça 

_Calma, já vamos ver isso -Falei a acalmando 

_Senhora, o doutor Marcos está sem pacientes no momento -Falou olhando em seu computador 

_Avise ele por favor, que Lauren Jauregui quer falar com ele -Falei a olhando 

_Sim senhora -Falou sorrindo para mim e logo depois pegou o telefone. 

Um tempo depois a recepcionista deixou o telefone e olhou para nós. 

_Senhora Jauregui, ele pediu para a senhorita ir até a sala dele -Falou sorrindo largo e eu confirmei com a cabeça apenas 

Coloquei uma mão atrás das costas da Cabello a guiando até a sala do Marcos comigo. 

Marcos é um grande amigo da minha família, e também pai da minha melhor amiga Vero. 

Chegamos até a sala do Marcos e eu bati na porta, ouvindo ele dizer para entrarmos 

_Oi Marcos, tudo bom? -Falei entrando na sala junto com Camila 

_Oi Laur, quanto tempo -Falou sorrindo vindo me abraçar 

_Sim, bastante tempo Marcos -Falei sorrindo largo 

_Marcos, essa é a Camila, ela se machucou, cortou feio a mão -Falei apontando para a Camila 

_Olá Camila, vem, vamos dar uma olhada nisso -Marcos diz a guiando até a cadeira. Me sento em outra cadeira ao lado dela 

_Como você fez isso em? -Marcos pergunta ao tirar a toalha e olhar o corte profundo em sua mão 

_Eu cortei em uma porta -Cabello diz fazendo careta de dor 

_Uau, é um corte bem fundo, precisaremos dar alguns pontos aqui -Marcos diz olhando o corte e Camila o olha espantada 

_Não tem outro jeito doutor? -Cabello pergunta, ela parecia esta com medo, eu entendo, também não gosto de agulhas 

_Infelizmente não senhoria Camila -Marcos diz e Cabello o olha derrotada, mais acaba assentindo

Marcos levanta e começa a pegar o material para dar os pontos em Camila e eu a olho, fico com pena dela, mais infelizmente não tem jeito. 

Não demorou muito e o Marcos terminou de dar os pontos 

_Prontinho senhorita Camila -Fala retirando as luvas 

_Obrigado Marcos -Falo sorrindo

_Obrigado doutor -Cabello diz se levantando e eu a acompanho 

_Não precisa agradecer meninas -Marcos diz sorrindo largo 

_Bom, nós já vamos, vai em casa qualquer dia Marcos, faz tempo que não conversamos -Falei sorrindo e ele sorriu também 

_Pode deixar, vou sim, falei com o Mike esses dias, ele me falou que semana que vem talvez, estará de volta e fará um jantar e me convidou, aí poderemos conversar com calma querida -Fala vindo me abraçar e eu retribuo 

_Então está combinado, vai sim -Falo me afastando 

_Bom, nós já vamos então Marcos, já está ficando tarde e a Demi está em casa -Falei e ele concordou 

_Manda um Beijo para ela tá, e para a pequena Megan também 

_Pode deixar, dou sim -Falo sorrindo largo 

_Foi um prazer senhorita Camila -Marcos diz estendendo a mão para ela 

_Prazer doutor, muito obrigado -Cabello diz sorrindo largo 

_Sem problemas, não precisa agradecer querida -Diz sorrindo largo. 

............. 

Saímos da sala do Marcos e caminhamos em silencio até a saída do hospital 

_Obrigada por ter me trazido Jauregui, eu me viro agora -Fala tentando abrir sua bolsa com apenas uma mão, sem sucesso 

_O que está fazendo? -Pergunto confusa 

_Vou chamar um taxi, não é óbvio? -Pergunta ainda tentando abrir a bolsa 

_Cabello... não seja ridícula, não irá conseguir abrir esta bolsa com uma mão só -Falei indignada e ela fingiu que não me ouviu e continuou tentando abrir a maldita bolsa. 

Fui até ela e puxei a sua mão

_Para de ser teimosa, eu te trouxe e te levo até em casa -Falei decidida segurando firme em sua mão. 

Ela me olhou de forma desafiadora olhando dentro dos meus olhos, senti meu coração disparado de forma estranha, não consigo entender porque meu corpo reage assim quando ela me olha, de qualquer forma, não gosto do que sinto. 

_Porque está fazendo isso? -Pergunta suavizando o olhar 

_Eu só quero te ajudar, só estou sendo gentil -Falei confusa com a pergunta 

_Tabom, eu vou aceitar a carona, mais só porque a anestesia está passando e minha mão está voltando a doer -Falei empinando o nariz e eu sorri

_Sem problemas -Levantei as mãos em rendição. Apontei meu carro para ele e quando chegamos no mesmo eu abri a porta para ela entrar. 

A Cabello foi me explicando onde ela morava e rapidamente chegamos. Era uma casa grande, não era uma mansão, mais dava para perceber que havia sido bem cara. Ela devia ganhar bem com a profissão de publicitária. 

Desci para abrir a porta do carro para ela e a ajudei a descer 

_Pronto, está entregue -Falei sorrindo fraco 

_Obrigada Jauregui, por tudo -Falou desviando o olhar do meu, ela parecia está envergonhada 

_Não precisa agradecer, faria isso por qualquer pessoa -Eu realmente faria 

_Bom, eu vou entrar agora, mais uma vez obrigado -Falou se afastando 

_Não foi nada Cabello -Falei vendo ela se afastar. 

Antes de abrir a porta do meu carro eu olho para trás, vendo ela tentando novamente abrir a bolsa, de certo para pegar a chave da porta, sorrio, prefere sentir dor ao me pedir ajuda. 

Me aproximo da porta ouvindo ela chingar baixo, logo depois vejo sua bolsa caindo no chão e suas coisas se aspalhando pelo mesmo. 

Me abaixo ao lado dela que na mesma hora se abaixa junto comigo 

_Quer ajuda? -Perguntei e ela me olha, droga, aquela coisa no meu peito novamente 

_Para quem me achava uma petulante, você está bem prestativa -Fala irônica com ar de deboche. 

Tava demorando para eu me arrepender de ter ajudado essa abusada 

_Você é mesmo insuportável em garota -Falo irritada e ela ergue a sombracelha sorrindo de lado, estava na cara que ela estava gostando de me desafiar. 

Bufo e me levanto depressa irritada por ter perdido o meu tempo com essa garota imbecil. 

_Aii....-Fala se afastando segurando em sua mão machucada.

Merda, sem perceber eu havia esbarrado em sua mão machucada quando me levantei. 

_Me desculpa, eu não fiz de propósito, sinto muito por isso Camila -Falei me aproximando segurando devagar em sua mão 

_Está doendo muito? -Perguntei olhando para a sua mão 

_Está -Falou e eu a olhei, seus olhos estavam lacrimejados

_Não foi minha intenção te machucar Camila, me desculpa novamente -Falei, eu estava me sentindo muito culpada

_Deixa pra lá, não foi sua culpa, sei que não fez de propósito -Falou de forma segura. 

E lá estava eu novamente, olhando para ela, droga, o que estava havendo comigo, eu nem conheço esta mulher e já sinto com corpo reagir a ela, meu coração está feito louco no meu peito e minha boca está tão seca...

_Acho melhor eu entrar Jauregui -Fala afastando sua mão da minha, foi aí que eu percebi que ainda segurava a mesma 

_Claro, me desculpe mais uma vez -Falei sem graça e me abaixei pegando suas coisas e colocando dentro da bolsa 

_Suas chaves -Falei entregando a chave da casa para ela 

_Obrigada... E.. boa noite senhorita Jauregui -Fala se afastando 

_Boa noite senhorita Cabello -Falo e ela sorri fraco e logo depois entra em sua casa. 


Notas Finais


Espero que estejam gostando


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...