1. Spirit Fanfics >
  2. A governanta ( Long-fic G Dragon) >
  3. Situação embaraçosa

História A governanta ( Long-fic G Dragon) - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Eita dei uma sumidinha aqui mas estou de volta.
Boa leitura♡♡♡

Capítulo 27 - Situação embaraçosa


Fanfic / Fanfiction A governanta ( Long-fic G Dragon) - Capítulo 27 - Situação embaraçosa

S/n p.o.v.'s

 Os nossos olhos estavam diretos um para o outro. Talvez pelo súbito, o meu coração acelerava pois não esperava por aquilo, porém me incomodava. 

 Fomos nos afastando totalmente constrangido, sem conseguirmos dirigir uma única palavra ou nos olharmos novamente como antes. 

 -O que você queria? - Pergunto acariciando o meu braço meio aflita enquanto ele coçava a nuca.

 -Eu... 

 Acho que o meu maior erro foi ter mirado o meu olhar naquela hora, porque agora não conseguia retirar assim como o mesmo. 

 -Você está certa. - Prosseguiu. 

 Eu estava trêmula, mas não era por conta do nervosismo, mas por ter caído na piscina minutos atrás onde o meu corpo não havia se acostumado com a água gélida. 

 Notando isso, ele automaticamente se aproximou de uma cadeira e apanhou uma toalha branca que havia ali.

 -Perdão. - Se redimiu e enrolou a toalha em meu corpo enquanto suas mãos retiravam um pouco de cabelo grudado na minha testa. 

 -Estou atrapalhando? 

 Eu me assusto e por instinto dou um passo para trás quando JunYool ressurge no nosso meio.

 -JunYool, você não deveria estar agora na casa da Gayoung? - Perguntou o Ji Yong.

 -Eu voltei para pegar alguns pertences meus. - Ela começou a dar passos até a minha direção. Por cautela eu recuo cabisbaixa e receosa de que pudesse fazer algo contra mim. - Por que os dois estão molhados. 

 -Ah...

 -A S/n caiu na piscina, e eu pulei para ir poder salvá-la. - Notando o meu nervosismo, Ji Yong respondeu por cima de mim abrindo um sorriso. 

 -De novo? Você deveria ficar bem longe da piscina não é querida? 

 Eu consenti com a cabeça e no mesmo instante me curvo para retirar-me daquela ambiente o mais rápido possível. 

 -Unnie, já tomamos o café! Podemos ir para a casa do tio Ch...

 Eu passo reto das crianças ignorando a pergunta de Lee Ye Rin.

 Quando entro em meu quarto, me sinto livre de todo aquele ambiente atordoante lá fora. Olhei para o meu braço, e uma coisa me fez sorrir que foi ter recuperado a minha pulseira.

 -Choi ficaria chateado se eu perdesse ele... - Eu falo bem na frente do espelho enquanto olhava o meu corpo encharcado. 

 Mas algo me chama atenção. O meu celular havia tocado bem em cima da prateleira, e eu me aproximo para ver o que se tratava. 

 "Bom dia, estou ansioso para vê-la de novo nesta semana. Já estou preparando o almoço, que horas você pretende sair daí?"


 Começo a pensar na sua pergunta e no tempo que seria gasto para eu me preparar.


 "Eu chego na sua casa às dez horas. Preciso me arrumar e depois as crianças. Elas também querem ir, há algum problema?"


"Claro que não, seria legal ter um pouco de movimento aqui em casa e as crianças são boas em deixar o ambiente divertido. Você sabe se o meu irmão também irá comparecer?"


 Eu respiro fundo. Não sabia se havia convencido o Ji Yong em aceitar o convite, porém era bem nítido que não iria comparecer pelo simples fato do seu irmão mais velho estar lá. 


"Sinto muito Choi, acho que seremos só nós quatro para o almoço."


"Tudo bem, pelo menos você se dispôs a tentar. Muito obrigado, nos vemos daqui algumas horas.


 A sua última mensagem demorou um pouco mais para ser recebida. Aparentemente, ele ficou extremamente chateado por não aparecer a única pessoa que aguardava naquele almoço. 

 Largando o meu celular e pousando na penteadeira, eu começo a separar tudo antes de tomar banho. 

 Na cama eu coloco um vestido preto porém com estampas floridas, onde combinaria muito com uma jaqueta e sandálias.

 E logo parti para o banho.

[...]

 -Certo crianças, eu quero muito que vocês se comportem na casa do tio Choi. - Eu alerto ambas enquanto nós estávamos no quarto de Seungri terminando de colocar a sua camiseta. - Vocês são bem travessas, porém hoje vamos diminuir um pouquinho as brincadeiras hum?

 -Mas unnie, assim não tem graça. - Balbuciou Lee Ye Rin penteando os cabelos longos da sua boneca gueixa. - O que vamos fazer lá? 

 -O tio Choi preparou uma ótima surpresa para vocês no quintal. Eu ainda não vi, mas ele garantiu que é super divertido. 

 Puxei a garota pelos braços. 

 -Agora é a sua vez, ao invés de pentear os cabelos da boneca por que não penteia os seus? - Apanhei uma escova da cama e começo a passar em seus cabelos cheios de nó. 

 -Ai unnie, está doendo. 

 -Quem mandou não pentear os cabelos? - Indago olhando para o seu rostinho enfurecido. - Vamos, quero vê-la bem bonitinha para o almoço. 

 -O papai está bonito. - Eu olho para a entrada do quarto quando Seungri aponta após se pronunciar.

 Ji Yong deu passos até mim sem graça enquanto verificava a sua camiseta branca. 

 -Eu pensei no que disse, e percebi que você estava certa. - Falou enquanto coça a nuca nervoso. Já havia percebido que isso era uma marca registrada quando o Ji Yong não sabia bem o que dizer. - Eu fui um cabeça dura.

 -E? - Falei brincalhona, porém mantendo aquela imagem séria. 

 -Erh, um garotinho mimado?

 -E?

 -Uma pessoa que por conta das cicatrizes no passado, não queria dar a chance para o seu irmão em nos reconciliar... - Ele levanta a sua cabeça entristecido. - Eu fui um completo idiota.

 -Nonna, ele vai ficar de castigo? - Perguntou o garotinho pulando na cama e todos nós rimos.

 -Talvez ele fique de castigo, mas eu vou deixar essa passar porque ele se redimiu. - Ji Yong abre um sorriso quando coloco minha mão em seu ombro. - Vamos? O Choi já está nos esperando lá para o almoço.

 Nós dois carregamos no colo cada uma das nossas crianças e saímos do quarto.

 Como a casa era praticamente do nosso lado, não tivemos muito esforço e dentre de pequenos minutos já estávamos na sua casa.

 Toquei a campainha aguardando que pudéssemos ser atendidos, onde Choi rapidamente aparece com o maior sorriso no rosto. 

 -Ji Yong? Você também veio? 

 -Não, eu estou bem ali na esquina e esse homem é só um holograma meu. - Todos nós rimos da ironia. 

 -Você não muda mesmo. Podem entrar, o almoço está quase pronto. 

 -Está realmente caprichando tio Choi. - Ye Rin se senta no sofá muito mais antes de receber a autorização. - Vamos ter sobremesa? 

 -E eu espero que você tenha feito a minha macarronada favorita com almôndegas. - O pequeno Seung hyun sentou-se bem ao lado da amiga. 

 -Eu estou preparando o melhor almoço que vocês dois provaram. E sim Ye Rin, vai ter sobremesa.

 Depois disso largamos as duas crianças assistindo televisão, e nós adultos fomos até a cozinha para podermos ajudar o Choi nos seus preparativos. 

 -As crianças estavam realmente empolgadas em fazer algo neste feriado. - Digo enquanto cortava um pouco de tomate para a salada. - Você foi a salvação delas.

 -Eu também não tinha o que fazer então pensei "Por que não criar um almoço para a minha família comparecer?" - Ele riu olhando para nós. - Acho que deu certo, até o Ji Yong apareceu.

 -Eu recebi estímulos para vir, não pense que foi você que convenceu. - Ji Yong largou o copo de água na pia e se escorou nela. - Mas acho que a S/n está certa, não devemos viver nessa discórdia sempre.

 -Fico feliz que estejam se reconciliando. - Eu chamo cada um e com os braços abertos, aperto  ambos contente em ver essa rixa chegando ao fim.

 -Alguém mais vem para o almoço? - Perguntou Ji Yong assim que o som da companhia soou pela casa toda.

 -Eu vou atender.

 -Que isso, você é visita. - Choi segura levemente o meu braço impedindo que eu fosse sair. - Fiquem aí, eu vou atender enquanto vocês preparem o almoço. 

 O homem saiu daquele ambiente de cozinha. Percebendo que a água já estava fervendo e transbordando, eu acelero para diminuir a temperatura do fogão e retirar a tampa da panela.

 Ele está preparando algo que eu não consigo decifrar, deve ser um prato ocidental. 

 -Até agora o meu irmão não me estressou. - Ji Yong se pronuncia enquanto lançava a maçã de uma mão para a outra. - Vamos ver quanto tempo esse recorde dura.

 -Por que vocês não sentam depois para conversarem? - Me sento no balcão para voltar a cortar os tomates em cubos. - Mas não assuntos de trabalho, e sim sobre outras coisas. 

 -Hum, tipo?

 -Tipo... - Olhei para o lustre um pouco pensativa. - Ah, que tal cinema? Você deve conhecer o seu irmão, e sabe que ele adora conversar sobre filmes. Ou esportes, vocês homens adoram conversar sobre seus times não é? 

 -É capaz de discutirmos ainda mais já que temos gostos diferentes... - Ji Yong balbucia.

 Ele lança um olhar assustado para a entrada da cozinha, e por curiosidade sigo a sua direção e me espanto igual ele.

 -Olá família linda. - JunYool aparece na cozinha acompanhada pela a sua amiga Gayoung.

 -Também não sei por que elas estão aqui... - Choi sussurra no meu ouvido percebendo o meu desconforto.

 -Kwon, será que podemos conversar lá no corredor? 

 Ele olhou para mim antes de aceitar e saírem juntos. Provavelmente iriam acertar as suas diferenças e colocar essa discussão um ponto final. 

 -E você Choi? - Gayoung me ultrapassa e começa a acariciar os seus braços. - A minha unnie falou que queria se desculpar para o Ji Yong, isso não é legal? Eles fazem um casal tão perfeito não acha?

 Eu coço um pouco a garganta enquanto me indiretava na cadeira. Que Deus me perdoe, mas eu odeio essa garota!

 -É legal sim... - Choi se desvencilha da garota e vem ao meu lado. - Então? Está conseguindo cortar tudo certinho ou precisa de ajuda? 

 -Eu estou conseguindo fazer tudo, obrigada. 

 Ele abre um grande sorriso. 

 -Eu também devo pedir desculpas por você governanta. - Gayoung fica ao lado do Choi nos interrompendo daquele contato visual. - Sinto muito pelo acidente que causei no dia do churrasco. 

 -Ah, tudo bem Gayoung-ssi. - Comecei a chacoalhar as mãos tentando convencê-la que eu não guardava mágoas. - Eu já esqueci disso tudo.

 -Acidente? - Indagou Choi olhando para nós duas. - Tem algo que eu não saiba Gayoung?

 -Esquece Choi, vamos deixar tudo no passado. - Eu seguro o seu ombro para chamar a sua atenção. - Vá dar uma olhada no forno, estou sentindo cheiro de algo queimando. 

 -Meu frango assado com batatas! 

 Choi puxa os cabelos exaltado e foi correndo para retirar o pássaro assado do forno que queimava. 

 -Unnie, a televisão está chata. - Quando vejo, Lee Ye Rin entra na cozinha com o Seungri ao seu lado. - Queremos brincar, cadê a surpresa que o tio Choi nos prometeu?

 -Olha só, meus pequenos. - Gayoung se agachou toda empolgada para abraçar as crianças e depositar um beijo na bochecha em cada um.

 Com repugnância, Lee Ye Rin limpa a área que recebeu o selar com a mão quando ela dá as costas. 

 -O que essa aí está fazendo aqui? - Indagou a mesma.

 -Eu estou junto com a JunYool para almoçarmos juntos minha querida. 

 -Por sorte não queimou. - Choi passa no meu lado colocando a fôrma com o frango assado na mesa. Estava tão saboroso. - Crianças, a surpresa está lá no quintal. Eu aluguei uma piscina de bolinhas e com escorregador bem grande para vocês brincarem.

 -Oba, valeu tio! - Seungri levantou as mãos e sem perder tempo foi correndo para a área externa.

 -O que acha de eu olhar as crianças? - Gayoung sugeriu. Isso não era uma boa ideia. 

 -Não precisa, querida. - Lee Ye Rin expressa uma cara de desdém e dá as costas para seguir o amiguinho.

 Eu criei essa garota tão bem.

 -Esses fedelh... - A mulher pausa assim que olha para nós. Ela deu um sorriso sem graça e parece mudar de adjetivo assim que repensa. - Quer dizer, essas crianças estão mais avançadas.

-Pois é, essa geração anda mais inteligente. 

 Choi completa vindo até mim e trazendo uma bandeja. Ela estava repleta de aperitivos junto com dois copos de limonada. 

 -Eu preparei para as crianças, será que você pode levar enquanto eu preparo a mesa?

 -Claro que posso. 

 Fico sorridente enquanto pego a bandeja e enfim saio da cozinha. 

Choi Seung hyun p.o.v.'s

 -Acho que você precisa de uma ajudinha. 

 Eu olho para o lado assim que Gayoung prende a minha atenção nela. Achando melhor ignorá-la, apanho os pratos e parto até a minha sala de jantar já arrumada com os meus pertences da mudança. 

 Me viro assim que coloco os pratos nos assentos e me assusto com Gayoung em cima de mim.

 -Estou bem feliz que se mudou para a nossa vizinhança, agora terei mais pretextos para vir na rua da JunYool. 

 Peguei os copos, e como antes, ao me virar vejo ela mais uma vez atrás de mim. 

 -O que te motivou a mudar de casa? Pois pelo seu irmão sei que não é. Aquela desculpa esfarrapada que você deu no churrasco não me convenceu, eu sei que há mais alguém nessa história. 

 -Você é uma garota tão insistente... - Mordo o lábio inferior me esquivando quando ela aproxima nossos rostos. - Por que não larga do meu pé logo de uma vez Gayoung? Eu não quero me relacionar com pessoas tão baixas como você. Aliás, que acidente você causou com a S/n?

 -Por que está perguntando isso? Ela não disse que tudo estava bem? Por que ainda anda tocando nesse assunto? 

 -Eu me preocupo com ela. - Olhei para os fundos dos seus olhos assim que noto um pouco de raiva e ciúmes da sua parte. - Você perguntou se há mais um motivo por eu ter me mudado. Sim, ela é o motivo caso goste ou não. 

 -Eu não desisto tão fácil Choi. - Gayoung envolveu ambos os seus braços em meu pescoço. - Eu posso ser muito melhor que que ela, e caso queira me provar ao invés de esperar o tempo todo por ela sabe onde me encontrar.

 Ela sussurra isso no meu ouvido enquanto eu permanecia de olhos fechados. 

S/n p.o.v.'s

 -Aproveitem crianças, eu vou entrar e quando o almoço estiver pronto irei chamá-los.

 Ambas as crianças assentiram com a boca cheia de carne. Eu sorrio e enfim entro para a casa.

 -Eu me preocupo com ela. - Eu ouço uma conversa quando entro no corredor, e isso me instigava ainda mais em querer ouvir. - Você perguntou se há mais um motivo por eu ter me mudado. Sim, ela é o motivo caso goste ou não. 

 Paro na entrada da cozinha e me choco com uma cena que não desejaria ter visto. O jeito que Gayoung e Choi se abraçavam me mexia por dentro que eu não podia explicar. 

 E tudo me deixa mais furiosa quando ela sussurra algo em seu ouvido.

 Como um fantasma, Ji Yong surge do meu lado sozinho e começa a olhar a cena comigo. Eu quero matar o Choi. É assim que ele demonstra interesse por mim?

 O garoto olha para as minhas mãos cerradas e depois para o meu rosto. 

 -S/n? - Choi se esquiva quando a garota estava prestes a beijá-lo. 

 Eu sou pega desprevenida com o Ji Yong me puxando para longe. Com toda essa situação, de alguma forma ele parecia que entendia a minha mente e tudo o que eu mais queria era sair daquele local. 

 -Ei, espere! Não é nada disso que você está pensando. - A sua grave voz nos seguiu até o corredor, e em momento nenhum Ji Yong ousou soltar minhas mãos. 

 Quando nós cruzamos outro corredor, JunYool ressurge como uma fênix que renasce das cinzas. Tão de repente...

 Ela olha para as nossas mãos juntas e em seguida para mim furiosa. Eu me sentia como num filme, com essas diversas trocas de olhares entre nós nesse clima tenso.

Que embaraçoso.


Notas Finais


Eita lele, o negócio começou a melhorar.
Olha gente, fiz outra fanfic do G Dragon, dessa vez um pouco mais sad onde coloquei todos os meus sentimentos nela
https://www.spiritfanfiction.com/historia/lets-not-fall-in-love-sad-fic-g-dragon-20073685


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...