História A Grande Virada - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Minato "Yondaime" Namikaze, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Rin Nohara, Sakumo Hatake, Yamato
Tags Asuma, Decepção, Drama, Gai, Itachi, Kakashi, Kakashi Hatake, Konoha, Kurenai, Kushina, Minato, Naruto, Obirin, Personagem Original, Romance, Sakura, Sasuke, Shiita, Tragedia
Visualizações 45
Palavras 1.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Acabou que consegui terminar este cap hoje e vou postar de uma vez. ^^

Capítulo 2 - Aquela que uma vez lhe pertenceu


Fanfic / Fanfiction A Grande Virada - Capítulo 2 - Aquela que uma vez lhe pertenceu

5 anos depois...

 

 

Sozinho.

Naquela casa escura.

Ainda que fosse confortável para ele, Kakashi nunca foi do tipo que se preocupava com adornos ou riquezas. Seu trabalho como ninja era servir a sua aldeia. Desde pequeno, ele sabia que estava em um nível acima dos demais que o cercavam e era arrogante o bastante para pensar que realmente não precisava de ninguém. Ele era como um exercito de um homem só e mesmo a solidão de sua casa, não era um problema verdadeiro, se pensasse que esta era a sua perspectiva de vida inicial.

Ele gostava do sossego, afinal. De não ter barulho ou pessoas enjoadas perto de si. Saía de manhã bem cedo para treinar e somente voltava ao entardecer, que era quando ele preparava algo para comer e exercitava a mente lendo algum livro de sua biblioteca particular. A sua rotina era muito tranquila, para um homem que sempre voltava com as roupas cobertas do sangue de seus inimigos.

Mesmo que tivesse com seus vinte e oito anos, havia algo em seu olhar que o faziam parecer mais velho e isto intrigava quem o via. O Sharingan em seu olho esquerdo (que recebeu de Obito) causava mais terror a quem o encontrava e conhecia a sua fama do que a maioria dos Uchihas. Assim como o tratavam com um enorme respeito. Jamais diziam coisas sobre ele mesmo que pelas costas. Ele era visto desde como um assassino sangue frio, até como um destruidor de corações.

O velho Hokage, Hiruzen até desistira de deixar as jovens bonitas que entravam para a Anbu em sua custódia, pois sabia que mesmo que o Hatake fosse competente até demais, muitas delas iam parar em sua cama. Irritadas, ou desoladas, ele sempre causava alvoroço entre as mulheres, mesmo tendo metade de sua face tampada pela máscara que dificilmente era visto sem.

Ele ouviu batidas em sua porta naquela manhã de sol e era realmente raro que alguém o visitasse por querer. Ainda vestido com sua roupa de dormir (que consistia em calça leve e blusa de manga) ele atendeu a porta, surpreso ao se deparar com uma sorridente, Rin Nohara:

- Kakashi! Que bom que está em casa!

Ela tinha algumas sacolas em mãos. Kakashi suavizou um pouco o seu olhar, visto que se havia uma pessoa que ele detestava destratar era a sua antiga parceira de time:

- Você está bem?

- Estou ótima. Eu estava saindo do mercado, quando pensei em passar por aqui, sabe, para saber se você já tinha voltado da sua missão.

- Como pode ver, eu cheguei sim!

Ele respondeu com um sorriso por trás de sua máscara:

- E então? Não vai me convidar para entrar?

Kakashi soltou um suspiro pesado e deu passagem para a mulher entrar e assim ela o fez, sem tirar o sorriso da face. Ela tirou os sapatos tranquilamente na entrada e entrou na casa, colocando as bolsas de mercado em cima da mesa. Foi quando percebeu o olhar de Kakashi em cima dela:

- O que foi?

- Não é nada. A que devo a honra de sua visita? – Ele disse em um tom irônico já característico para a mulher e se dirigiu até a cozinha de conceito aberto, pegando um pouco de chá na chaleira, que ficava na ilha:

- Não posso visitar o meu amigo?

- Não é isto. É que... Eu acabei de acordar e nem tenho nada para te oferecer.

Rin não pareceu engolir aquela desculpa, já que sabia o quanto Kakashi era metódico e nunca deixava nada desorganizado em sua casa. Era até incrivelmente limpa para um homem solteiro. Ele não estava era á vontade me tê-la ali, mas sabia que não bateria a porta na cara dela, como provavelmente faria com Gai se fosse ele quem tivesse batido na porta:

- Está tudo bem. Eu só passei aqui para te fazer um pedido.

- Pedido?

- Sim. – Ela tirou um pequeno papel do bolso de seu colete Jounin – A festa de aniversário da filha do Asuma e da Kurenai é hoje a noite eles chamaram todo o mundo.

Kakashi deu um risinho faceiro, que não passou despercebido pela morena:

- O que foi?

- Asuma e Kurenai me chamaram?

Ele deu a volta na ilha da cozinha e foi até Rin, pegando o convite das mãos dela. A mulher não deixou que aquele comentário a abalasse, sabendo do que se tratava, entretanto, não deixou de corar:

- Isto já faz anos, Kakashi. As pessoas se esquecem de uma coisa idiota dessas.

- Será que eu preciso refrescar a sua memória?

- Olha, eu quero você vá. Todos que conhecemos vai estar lá.

- Mais um motivo para eu não perder tempo com esta festa. E eu nem gosto de crianças. Vai ter de encontrar argumentos melhores.

Ele desviou de Rin, deixando que o seu perfume natural impregnasse as narinas da mulher sedutoramente, se sentando no sofá da sala, enquanto pegava um livro qualquer para folhear. Toda aquela postura, de quem dizia alguma coisa que alfinetasse e demonstrava tanta despreocupação ao mesmo tempo, era realmente sedutor. Kakashi tinha este magnetismo natural de quem se mantinha distante e era sarcástico o bastante para fazer com que uma mulher insistisse em ficar ao lado dele. É claro que Rin já não caía mais neste tipo de charme e já tivera a sua própria cota do Hatake, para saber que toda esta jogada caía por terra assim que ele tinha o que queria:

- Eu quem estou pedido, Kakashi.

Ela aproximou-se dele e ficou de pé na sua frente, perigosamente perto demais daquele homem que por anos havia a levado a loucura, com a mão estendida lhe oferecendo o convite. Kakashi apenas desviou o olhar de seu livro e perguntou, astucioso:

- E como está Obito?

Rin corou no mesmo instante em que Kakashi tocou no nome de seu marido e deixou o bilhete na mesinha de centro, afastando-se do grisalho, e parecendo estar desconfortável, ainda que em seu interior ela pudesse explodir a qualquer momento e não saber se conseguiria recusar uma investida mais forte:

- Ele está bem. Está com o time 7.

- Entendo. Ele não está na vila, certo?

Desta vez, foi Kakashi quem se levantou, indo até a mulher. Ele sabia que Obito estava empenhado demais em ser um bom sensei naquele time e se tornar Hokage, para se preocupar com coisas mais importantes, como o seu casamento. Ainda que estivessem realmente felizes, Rin sabia o efeito que Kakashi ainda lhe causava. Entretanto, foi a lembrança do Sharingan que carregava, que fez o Hatake parar no lugar em que estava e soltar um suspiro pesado, de arrependimento.

Não poderia fazer isto tanto com Rin, quanto com Obito.

Eles ainda eram importantes para si. Sem alternativas, sabia que ir naquela festa seria uma boa média para com a mulher a sua frente:

- Se você quer tanto... Eu vou a esta festa. Mas não prometo ficar tempo o bastante para que alguém ache que eu estou no mesmo nível que vocês.

Rin sorriu gentilmente, feliz por ter conseguido o que queria. Ela pegou as sacolas em cima da mesa e se virou para a porta, colocando novamente os sapatos. Foi quando Kakashi lhe fez uma pergunta que a deixou embaraçada:

- Como foi que eu acabei perdendo você?

Rin, ficou um tempo em silêncio, tentando absorver tudo aquilo e sentindo o clima cada vez mais pesado. Ela não tinha uma resposta certa para isto. Ou talvez tivesse, se formulasse um pouquinho:

- Não precisa responder... – O próprio Kakashi cortou a sua linha de pensamento, fazendo que a Nohara o olhasse, pesarosa – Eu sei como fiz isto. – Concluiu.

- Eu agradeço por ter me entregado o convite que Kurenai te deu, por que sei que ela não tinha a real chance de me convidar. E espero de verdade que Obito e você sejam felizes...

Kakashi era realmente um homem perspicaz. Pois foi exatamente isto o que Rin havia feito. Cada frase dele era como uma martelada no coração da mulher, que segurava para não deixar que lágrimas, que ela jurou nunca mais derramar por ele, caíssem novamente. A realidade, era que ela havia ido até lá lhe contar outra coisa, quando travou ao vê-lo abrir a porta. Não se viam á seis meses e as noticias que pescou pela vila, de que Kakashi vivia somente para o trabalho, a deixaram preocupada:

- Parabéns pelo bebê...

Kakashi terminou, por fim, de dizer o que queria e de desarmá-la:

- Obrigada, Kakashi...

O tom de sua voz foi quase como um sussurro. Rin não parecia, mas era uma mulher emotiva e frágil, e somente este encontro a havia desestruturado de uma forma que ela não imaginava. Ela saiu pela porta sem nem olhar para trás...


Notas Finais


O que acharam?
Gostaram? Odiaram?
Mandem suas opiniões, escrevi este cap á muita base de Lana Del Rey. hahahaha

Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...