História A guardiã. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Vampiros
Visualizações 2
Palavras 874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Nada é o que parece.


Fanfic / Fanfiction A guardiã. - Capítulo 4 - Nada é o que parece.

Pierre Lá'mon olhou para o corpo inerte de seu cunhado e soltou um suspiro de exaustão. Se virou para o médico e perguntou o que lhe afligia a alma.

- Diga-me doutor ele vai focar bem?

- Senhor Lá'mon é difícil dizer ainda não chegou os resultados do fraguimento que retiramos dele, e assim que ele despertar teremos respostas.  Mas como ele havia se alimentado antes do ataque será mais fácil ele  recuperar. 

- Está me dizendo que ele estava se alimentando quando foi atacado? 

- Tudo indica que sim senhor. Havia muito sangue fresco em seu organismo e devo dizer que não era animal.

- Ele estava se alimentando de humanos? 

- Senhor sabemos que isso é proibido , mas seu cunhado nunca foi conhecido por respeitar as regras se me permite dizer. 

- Sim doutor ele é  um tremendo de um safado, mas o que fazer se minha irmã o adora.  Não fale a ninguém sobre isso eu acredito que talvez esse tenha sido o motivo do ataque.

Longe dali Alexandra Sant' Claire estava mergulhada em um sono profundo e num sonho confortante.  Nele ela estava aconchegada a seu velho amigo de infância seu maravilhoso lobo cinza presente de sua mãe.  Uma pena que não poderá trazer ele consigo.  Ela estava despertando mansamente quando um cheiro diferente lhe alertou que não estava sozinha no quarto.

- Não tente fugir é  melhor nos acompanhar mocinha.  Antes que ela pudesse reagir um dardo a atingir e ela mergulhou na escuridão. Ao abrir os olhos estava em um quarto estranho ao seu lado havia um bilhete dizendo para que fizesse sua higiene matinal e colocasse as roupas que estavam sobre a cadeira.  Ela percebeu que eram suas roupas foi para o banheiro tomou seu banho escovou os dentes após isso se enxugou colocou suas roupas arrumou os longos cabelos e bateu na porta que se abriu automaticamente para um corredor estreito e deserto.  Ela o seguiu e entrou em uma sala na qual um homem de mais ou menos um metro e oitenta cabelos tão claros quanto os seus e olhos incrivelmente negros a fitava com curiosidade. 

 - Seja bem vinda a minha humilde casa senhorita Sant' Claire . Ou devo chama-lá de princesa? Já que sua mãe é chamada de rainha? 

- Bem não estou surpresa que saiba quem eu sou senhor Lá'mon.  Afinal essa cidade é sua não é mesmo.  No entanto o que os guardiões irão fazer quando descobrirem que sua família quebrou as leis e  está se alimentando de humanos? 

- Eu não quebrei as leis muito embora não possa responder por meu cunhado.  Mas você minha cara não devia estar aqui afinal guardiões não deviam vir aqui.

Ela gargalhou e ele se encantou com o som do seu riso era como se Adela estivesse ali sorrindo para ele. 

- Eu vou aonde quero.  Não sou nem nunca serei uma líder como minha mãe.  Sou uma híbrida e jamais irei ocupar o lugar dela e como ela é  imortal isso com certeza nunca vai me preocupar. 

- Se você é uma híbrida quem é  seu pai ? 


- Por que quer saber? Aliás o que eu estou fazendo aqui? 

 - Eu nunca soube que Adela tinha uma filha então fiquei curioso. Além do mais você poderia confirmar o que o médico falou e eu já desconfiava, que meu cunhado idiota estava quebrando as regras. 

- Seu cunhado é  um sádico ele atacou uma garota de quinze anos ! E porque você saberia da vida de minha mãe ? 

- Porque nem sempre fomos inimigos.  Eu poderia ter sido seu pai sabia? 

- Você transformou minha mãe quando eu estava no ventre dela duvido que ela estava com a ideia de fazer de você meu pai! Havia um toque de raiva em sua voz.

- Está me dizendo que Adela Sán't Claire estava gravida de você quando eu a mordi para salvar sua vida? 

- Pelo que sei sim , por isso eu sou híbrida você me transformou no que sou talvez de certa forma seja meu pai. Mas você a mordeu por vingança não para salvar a vida dela. 

- Não sei quem lhe contou isso mas estou disposto no momento certo a lhe provar que está errada. Por hora só lhe peço que volte para sua casa aqui vai ficar perigoso por uns tempos .

- Tenho uma missão e só vou quando eu conseguir o que quero.  Mas gostaria de ir para meu apartamento posso? 

- Sim mas por favor fique lá. Os boatos de que uma guardiã chegou ao nosso continente está se espalhando como fogo em mato seco e a última coisa que eu desejo no  momento é atrair a fúria de sua mãe sobre mim.

- Como se ela já não o odiasse o bastante. 

- Você pode não   acreditar no que eu disse mas nós nem sempre fomos inimigos. Agora sinta-se livre para ir. Quando a jovem se foi Pierre abriu uma gaveta e retirou um porta retratos no qual uma jovem de  longos cabelos loiros , placidos olhos verdes e lábios carnudos em uma boca pequena formavam um conjunto único no rosto inesquecível, na foto a linda criatura sorria para ele. 

 - O que mais além da criança você escondeu de mim Adela?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...