1. Spirit Fanfics >
  2. A Guardiã >
  3. Cap XII

História A Guardiã - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Hi! Mais um capítulo, espero que gostem.

Boa leitura!

Capítulo 11 - Cap XII


Fanfic / Fanfiction A Guardiã - Capítulo 11 - Cap XII

CAP 11


 

Acordei com meu celular tocando,o  peguei e vi que tinha várias mensagens do Seth, na última ele dizia que viria aqui depois da aula. Pelo ronco da minha barriga, nem precisava olhar o relógio pra saber que já tinha passado do meio dia. Levantei, olhei debaixo da cama pra ter certeza que o livro estava lá, e óbvio que estava, eu e minhas paranóias. Respirei fundo, coloquei um blusão e fui em direção ao banheiro.

-Os remédios realmente fizeram efeito.- Minha mãe falou quando abri a porta do quarto.- Como você está se sentindo?- Ela perguntou dando um beijo na minha testa.

-Descansanda e com bastante fome.

-Vá tomar um banho que vou colocar seu almoço.- Ela falou indo em direção a escada.

Tomei meu banho e coloquei um short jeans e uma camiseta preta. Desci em direção a cozinha, onde minha mãe terminava de colocar meu almoço, que estava muito cheiroso por sinal. Conversei um pouco com minha mãe enquanto comia, quando terminei voltei para meu meu quarto que por sinal tava uma bagunça, comecei a arrumá-lo enquanto cantava pedaços de várias músicas, porque não sei cantar nenhuma completa.

Peguei meu celular e vi que já estava perto da aula acabar e logo o Seth chegaria por aqui. Desci mais uma vez e me juntei a minha mãe que estava assistindo na sala. Pouco tempo depois ouvi som de uma moto parando, sabia que era a T. Levantei e fui correndo em direção a entrada, ouvir minha mãe dizendo para não correr, mas corri do mesmo jeito.

Assim que saí a vi se aproximando, fui até ela e a abracei, ela me abraçou mais forte ainda. Me afastei um pouco, e só conseguia pensar no que Carlisle tinha me dito no hospital. "Não fuja de quem realmente é." Ela sorriu pra mim mais uma vez. "Não fuja de quem realmente é". Então a beijei, não importava quem tava perto, quem tava olhando, eu sabia que a coisa certa a se fazer era isso. A única coisa que poderia controlar no momento. Tudo parecia fazer sentido para mim, agora. Quando nos separamos ela me olhou assustada.

-Até que enfim! - Ouvi a voz do Liam. O olhei sem entender.- Quer dizer, nossa que surpresa, ninguém esperava por isso. -Ele falou irônico.

-Vocês sabiam?? - Perguntei e ele apenas assentiu sorrindo.

-Estavámos esperando você falar, e queríamos respeitar até você se sentir pronta.- Minha mãe falou da porta, ela tinha um grande sorriso no rosto, fui até ela e a abracei. -Queremos que você seja feliz, meu amor. Se você é feliz com a Theresa, nós estamos felizes por você.

-Nós? O papai também sabe? - Ela sorriu assentindo. -Venham, entrem. Você ainda está se recuperando, mocinha.- Ela entrou em seguida.

Me virei para a T, e ela tava sorrindo ainda. Fiz um gesto com a cabeça a chamando para entrar.Ficamos conversando na sala por um tempo, junto com minha mãe e o Liam, o Theo tinha ido brincar no quintal. A Theresa tinha que ir pra lanchonete, minha mãe falou que queria que ela voltasse para almoçar com toda a família. Nos despedimos, ela foi até a sua moto e partiu em direção a estrada principal. Ainda estava na varanda quando vi o carro do Seth se aproximando. Acenei para ele, ele só me olhou, parecia sério. Achei estranho. Ele desceu do carro e foi em direção a floresta me chamando. 

-Ok, isso é muito estranho até pra você. -Falei assim que chegamos.

-Então, não teve nada de estranho naquela noite que você teve a crise de sonambulismo?

-Seth, já falei que não foi nada demais, relaxa.

-Eu vi você ontem! Vi você saindo pela janela, achei que fosse mais uma crise de sonambulismo, então lhe segui. E você se transformou! Você tem os genes! E eu tenho certeza que não foi a primeira vez. Não minta pra mim.

-Seth, é mais complicado do que isso. 

-Então me explique.

Então eu expliquei tudo, sobre o Tyler, sobre o Alexander, sobre as lendas que ninguém contava, que era exatamente o que eu era, uma Guardiã, sobre os sacrifícios o porque que eu e o Collin tínhamos desmaiado. 

-E você passou esse tempo todo escondendo isso de todo mundo?

-Seth, você mais que ninguém sabe que não quero ter nada a ver com os Black, o que eles me fizeram passar eu nunca esquecerei, então admitir que recebi essa herança seria o mesmo que esquecer tudo e os abraçar, e não farei isso. Por isso o segredo.

-Mas eu sou seu melhor amigo, eu entendo todos seus motivos. Mas Lana, você nem sabe ao certo o que está acontecendo, não deveria carregar esse fardo, me deixe lhe ajudar.

-Você não pode contar a ninguém, você tem que me prometer.

-Eu prometo, Lana. -Ele falou me abraçando. -Mas se o que o Dr. Cullen for verdade? Você ficar mais fraca se não se transformar com frequência.

-Acho que não, porque ontem me senti mais fraca que nunca depois que me transformei. Eu preciso fazer o encanto, pelo menos ficarei mais forte. A matilha mais fraca vai atrair mais vampiros, e vocês não vão ter como se defender.

-OK, do que você precisa pra fazer esse encanto?

-Eu só li por cima, mas deve ser o de sempre, sangue, fogo e latim. Preciso fazer o mais rápido possível, tem que ser hoje. Você me leva até a caverna?

-Claro. Mas como surgiu essa caverna? Eu nunca vi. 

-Meu sangue quebrou o encanto que tinha nela no meu primeiro sacrifício. É o que acho. Mas sobre esse encanto pra me deixar mais forte eu não sei bem o que precisa ser feito, vou olhar de novo no livro se tem mais alguma coisa, você passa aqui a noite.

-Seus pais não vão deixar você sair até o Carlisle te liberar.

-Verdade. Já sei, vou dizer que você vai me passar as matérias que estou perdendo,, sua casa não tem crianças, mais silencioso lá.

-Acho que funciona. Passo por aqui então.

-OK, as sete então. -Combinamos e saímos da floresta.

-Vi a T, indo embora quando estava chegando.

-Estamos juntas, assumidamente. Eu simplesmente a beijei.

-Como assim? Aqui?

-Sim, e aparentemente todo mundo aqui sabia. Então foi tudo bem. Bom, eu ainda não falei com meu pai. Então.

-Estou muito feliz por você, muito mesmo!- Ele falou me abraçando. Estávamos os dois emocionados.

-Mal posso esperar pra você sentir o mesmo, a sensação de liberdade, de respirar, de não esconder algo tão grande. Tudo bem que escondo outro segredo, grande também, mas você entendeu.

-Sim, e mal posso esperar por essa sensação. Preciso ir agora, nos falamos mais tarde. E prometa que não vai me esconder mais nada.

-Eu prometo! Nos vemos mais tarde.- Falei me despedindo do Seth. Percebi que a caminhonete do meu pai estava na garagem. Respirei fundo e entrei.

-Oi, meu amor, como você está se sentindo?- Ele perguntou quando cheguei na sala.

-Estou bem, bem perto de 100%.

-Sua mãe falou que a Theresa veio lhe visitar.-Engoli em seco.- Você acha que no próximo domingo ela pode vir almoçar com a gente?- Ele perguntou, e eu corri pra lhe abraçar.

-Obrigada por ser o melhor pai que eu poderia pedir.

-Eu que agradeço por ter a melhor filha que poderia pedir. Nós lhe amamos, pode parecer repetitivo, mas é a verdade, queremos que você seja feliz.- Ele me deu um beijo na testa.


Notas Finais


Comentem!!
Criticas e elogios, sempre bem vindos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...