1. Spirit Fanfics >
  2. A Guardiã >
  3. Cap IV

História A Guardiã - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


* Esse é o último capítulo da explicação do que a Lana é de verdade, então ele é mais extenso. Espero que gostem!!

**Sempre que penso na Lana me vem a mente alguém com a aparência da Shay, pra mim ela tem muita característica de um quileute, mas aí vai da imaginação de cada um...

Capítulo 4 - Cap IV


Fanfic / Fanfiction A Guardiã - Capítulo 4 - Cap IV

CAP 4


 

Quando passei pela Av principal parei no sinal vermelho, olhei ao redor e vi um senhor numa cadeira de rodas, Billy Black, ele não me viu, o que é ótimo, ele não me suporta por ter feito a vida do filho dele um inferno, eu não o suporto por tudo que o filho dele já tinha feito a mim e minha mãe Lisa. Logo o sinal abriu e segui meu caminho.


 

Fui em direção ao local da caverna. O carro do Taylor não estava mais lá, só poderiam ter  achado e chamado alguém pra rebocar e isso implicaria numa patrulha e logo teriam achado a caverna, mas se fosse isso todo mundo já estaria comentando, e teria mil pessoas por perto. A outra alternativa era que o Alexander tenha fugido com o carro.


 

Desci da caminhonete e fui até a rocha gigante, não tinha nenhuma porta. Será que sonhei aquilo tudo? Impossível. 

 

Dei uma volta na pedra e consegui ver a porta desgastada de madeira. Lembrei que foi preciso do meu sangue pra abrir, mas ela já estava entreaberta, acho que não seria mais necessário.

 

Lá dentro estava tudo do mesmo jeito, sem sinal de ninguém, só meu cheiro por todo o lugar. Comecei a procurar algum livro que me ajudasse a entender. Achei um com os dizeres “Guardião dos Lobos’, como tudo naquela caverna ele estava coberto de poeira, sentei no batente depois de ter afastado as almofadas e comecei a ler.

 

“Na noite do meu primeiro sacrifício a lua estava cheia, o Frio que dizia ser filho de uma bruxa muito poderosa disse que o encanto só poderia ser feito com a lua no seu pico. Eu estava muito aflito, afinal seria meu sangue a ser sacrificado, meu pai, o chefe Black, tinha dito que era o necessário a ser feito, não só pela matilha mas por toda a tribo.

 

-Estamos prontos, Lohan.- Meu pai falou saindo da caverna do ancião da nossa tribo. O segui até a clareira que ficava mais ao norte.

 

-Lembra o que tem fazer? - O ancião me perguntou. Apenas assenti enquanto pegava o punhal que ele me entregava.

 

 Ascendi a pequena fogueira. E fiz um corte vertical na palma da minha mão, enquanto meu sangue escorria nas chamas da fogueira, comecei a falar os dizeres que o Frio tinha nos dado. ‘ Ego filius luna, et offer meum sanguinem, mea vita, mihi tuam. Nunc ego sum custos, ut sarcinas conligam, tribus mea custodite. In perpetuum aut perseverabis in finem vitae meae.’ (Eu filho da lua, ofereço meu sangue, minha vida, minha linhagem. Serei eu agora guardião, guardarei minha matilha, guardarei minha tribo.Os guardarei até o fim da minha existência). As chamas aumentaram, eu continuava a dizer as mesmas coisas, podia sentir meu corpo se fortalecendo, podia sentir as chamas como se estivessem dentro de mim, uma dor se espalhava queimando todo meu corpo, fechei os olhos e vinham imagens de todos os lobos da matilha, coisas que não faziam sentido, eu continuava a falar as palavras em latim até que senti todo meu corpo paralisar abri os olhos e vi o as chamas apagarem.

 

Me sentia forte, mais do que jamais me senti, meu pai e o ancião me olhavam assustados. O Frio saiu de trás das árvores com um sorriso presunçoso, não conseguia entender o porque, ele foi em direção ao meu pai. Eu já tinha visto isso acontecer, tinha acabado de ver na verdade, tinha sido uma das imagens que se passaram na minha cabeça. Corri em direção a eles.

 

-O que você fez com meu filho?

 

-Seu filho agora é um bruxo, um guardião. Ele é guardião do sobrenatural. A cada sacrifício dele cada um de nós se fortalece, não só os lobos mas os Frios também. Quando ele sacrificou o próprio sangue abriu mão do sacrifício dos Frios.

 

-Você não tinha falado isso antes! -Meu pai indagou.

 

-Claro que não! Meu trabalho aqui acabou. 

 

 

Tinha que sair de perto deles. O jeito que meu pai me olhava, era pura vergonha, decepção e arrependimento. Eu sabia que o sacrifício era necessário, não só pra me manter forte, mas para toda a matilha, eles estavam enfraquecendo a cada dia. Mas mesmo assim eu não conseguia não me sentir culpado.

 

Corri para o mais distante possível e senti o cheiro dele.

 

-Olá Lohan! 

-Preciso falar com a sua mãe! Preciso saber o que realmente está acontecendo Alexander!”

 

Espera, Alexander, o vampiro que pelo o que entendi ajudou a transformar o primeiro guardião, era o mesmo que me fez fazer aquele sacrifício. 

 

“-Ela já morreu, acredito que há alguns séculos… Mas sei que o que foi feito não pode ser desfeito, não depois do primeiro sacrifício, se você não continuar os encantos, você e sua matilha irão perecer o que poderia não ser tão ruim...

 

-Sei bem, você só se importa com o seu povo-  Ele riu

 

-Correção, eu apenas me importo comigo mesmo, caro Lohan.-Ele colocou a mão na parte de dentro de sua casaca e retirou de lá um livro de aparência antiga. -Isso pode lhe dar algumas respostas.

 

-Por que está me dando isso?

 

-Você já fez o que eu precisava, nada mais justo que lhe oferecer isso como gratidão, não acha?- Ele me entregou o livro. -Diga a Ephraim que voltarei.


 

Voltei para caverna onde agora só o ancião estava. -O senhor precisa me ajudar. Aqui nesse livro tem todas as respostas. -Ele abriu o livro e começou a folhear.

 

-Pelo o que entendi, você precisa continuar com os sacrifícios, mas isso eu já suspeitava. O primeiro sacrifício tem que ser feito na quinta lua cheia depois do décimo sexto aniversário. Na sua linhagem sempre vai ter um que será filho da lua e guardião assim como você. A matilha irá sentir sempre que tiver perto do próximo sacrifício. Lhe deixará forte, muito forte, mas você precisa controlar, todo esse poder. Pelo bem da matilha e da tribo, você precisa continuar a fazer os sacrifícios. Só assim poderemos nos proteger dos Frios que virão mais fortes que nunca.- Ele continuou.- A cada lua cheia um sacrifício. Eu vou lhe ajudar.

 

-Obrigada, mas por favor, não conte ao meu pai, sei que ele não está feliz com tudo isso. "

 

Então era isso, eu trouxe poder e perigo para toda a matilha. Me vi no lugar do Lohan, sabia que ninguém poderia saber sobre nada disso. Era a opção mais segura para todos e se chegasse aos ouvidos do ancião Billy ele me culparia por tudo de errado que tem e que possa vir a acontecer de hoje em diante. Era bem mais seguro manter esse segredo só para mim, não precisava mais me transformar assim não teria o cheiro tão forte. Poderia manter isso só para mim.


 

Passei a manhã toda na caverna lendo a maioria dos livros, tinham algumas lendas que nunca tinha ouvido antes, outras que conhecia desde criança, vi alguns encantos e chás. Tenho certeza que não precisarei usar nada disso, mas como não tinha a mais ninguém para recorrer a me ajudar, tive que me virar mesmo.Ao que entendi posso até ter visões do que ainda está para acontecer, desde que esteja fortalecida pelo sacrifício. Eu estava exausta, fisicamente e psicologicamente, precisava dormir e parar de pensar sobre tudo isso.

 

 Voltei pra casa com um segredo que jamais poderia ser descoberto por ninguém.

 


Notas Finais


Comentem...
Estão gostando? Odiando?
Criticas e elogios são sempre bem vindos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...