1. Spirit Fanfics >
  2. A Guardiã >
  3. Cap IX

História A Guardiã - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Hi! Mais um capítulo, espero que gostem. No momento estou postando diariamente porque tô bem inspirada kkkkkkkk mas não se acostumem tanto com essa frequência.
Bjuuus!!!

Boa leitura!

Capítulo 9 - Cap IX


Fanfic / Fanfiction A Guardiã - Capítulo 9 - Cap IX

~POV JACOB~

 

-Papai, você pode me ajudar a achar a Ariel? -A Claire, minha filha de 2 anos que tinha aparência de uma criança de 6 anos falou chamando minha atenção.

 Ao contrário da Renesmee, que era filha de um vampiro com uma humana, nossos filhos tinham DNA híbrido e de lobo, então o crescimento era menos acelerado. Assim como quando a Nessie nasceu, não sabíamos muito sobre essa “nova espécie”. O que sabíamos era que eles tinham o crescimento um pouco mais acelerado que um humano ou alguém com gene de lobo, eles se alimentavam de comida humana e de sangue, mas desse último eles não tinham tanta sede como os vampiros ou como a mãe, e até agora nenhum deles tinha desenvolvido o gene de lobo quileute, Carlisle disse que poderia demorar mais já que eles tinham uma parte vampira neles. 

-Claro, meu bem.- Falei já indo procurar a boneca com ela.- Cadê seus irmãos?

-Fazendo as malas lá em cima. -Ela respondeu enquanto olhava debaixo do sofá.

Estávamos voltando para Forks, depois de doze anos. Não podia deixar de pensar no que que tinha deixado para trás, ou em quem na verdade, minha filha Lana, a última vez que a vi ela tinha 4 anos de idade. Não me orgulho do que fiz, na época eu não via outra solução, e depois que parei pra pensar era tarde demais, ela e sua mãe já tinham se mudado, e ninguém sabia onde estavam. A última notícia que soube foi que a Lisa tinha falecido e que a Lana estava morando com o Sam e a Emily, isso já faz alguns anos, sabia que ela estava bem então não me preocupei. Mas com o passar dos anos eu fui sentindo que algo me faltava, e eu sabia o que era. Mas precisava focar em manter a Renesmee a salva de tudo e todos. Depois que os gêmeos nasceram voltei a pensar na minha filha mais velha, mas já era tarde, então tentei levar minha vida com um pedaço a menos. Quando o Edward disse que teríamos que voltar para Forks fiquei feliz, sentia falta do meu velho, de todos na verdade, e principalmente da minha filha. Mas também fiquei receoso, não sabia como a Lana reagiria, nem como a matilha iria me receber. 

-Achei!!- A Claire falou dando pulinhos, ela era muito próxima a Alice. 

-Jake, você pode levar as malas para o carro? -A Nessie perguntou do topo da escada. Quando a vi sorri automaticamente, ela realmente era meu mundo, o imprinting realmente era algo que não conseguia explicar. 

Algumas horas se passaram, estávamos no carro já chegando na casa dos Cullen em Forks. Eu ficava nervoso em pensar em tudo que havia deixado aqui.

-Sei que ela vai lhe entender.- A Nessie sussurrou tentando me acalmar segurando a minha mão e me dando um sorriso carinhoso. Ela sabia que o fato de reencontrar minha filha me deixava muito nervoso. 

Eu realmente esperava ela me perdoasse por tudo e não iria desistir até ter minha filha de volta.

-Odeio ser a novata.- Ouvia a Malia falando no banco de trás.

-Eu vou falar com meu amigo Seth, pra fazer companhia a vocês e apresentar o lugar. Ele é gente boa, e aparenta ter a mesma idade que vocês.

-Legal uma babá!- O Alex falou irônico.

-O pai de vocês e eu só achamos que é mais fácil pra vocês se adaptarem. E o Seth é ótimo, vocês vão amá-lo. Ele era o melhor amigo do pai de vocês.

-Pensei que a melhor amiga do papai era a vovó.-O Alex indagou entre risos. Eles achavam muito engraçado o fato que eu já tinha sido afim da avó deles, a Bella.

-Bom era, mas o Seth era o melhor amigo lobo.- A Nessie falou rindo também.

Paramos em frente a mansão dos Cullens já era noite. Colocamos as malas pra dentro. Amanhã seria um longo dia, iria até a reserva rever o pessoal, e tentar me redimir com a minha filha.

 

~POV LANA~


 

“Tudo estava muito escuro, se não tivesse uma visão sobrenatural não conseguiria ver a movimentação no outro lado da clareira. Pra mim era bem visível quatro vampiros de olhos vermelhos em volta do que parecia ser uma criança de no máximo 6 anos. Tentei gritar para chamar a atenção deles, mas eles não demonstravam nenhuma reação, tentei correr até eles, mas a distância só aumentava, eu continuava a gritar. Eles estavam mais perto da criança, eu conseguia sentir o fogo dentro de mim, sabia que precisava fazer alguma coisa para salvá-la, então não me permite resistir a força que vinha de dentro de mim, e me transformei, os vampiros ouviram meu uivo, e se viraram pra mim, assim como a criança. E lá estava o par de olhos chocolate. Foi tudo que vi antes deles a atacarem. Uivei mais uma vez.

 Acordei num pulo, com o coração acelerado. Respirei fundo algumas vezes e quando abri os olhos me dei conta de que estava amanhecendo e que eu estava nua na clareira próxima a caverna. Como que eu vim parar aqui, pelada. Só lembrava que ontem depois que me acalmei, tomei banho coloquei meu pijama e apaguei. Precisava voltar pra casa, mas me sentia fraca, tentei me levantar, mas não conseguia. Foi quando comecei a ouvir passos. Eu precisava me esconder, não conseguia sentir cheiro de nada. Tentei levantar mais uma vez, quando fiquei de pé só lembro de ter visto o xerife Swan, e depois tudo ficou preto.

Abri os olhos e me deparei com um teto todo branco.

-Isso é o céu?- Perguntei pra mim mesma ainda meio grogue.

-Sinto em lhe informar que não é.- Uma voz grave falou. Virei a cabeça um pouco e vi que a voz vinha de um homem de cabelos loiros e de uma pele pálida e com um  jaleco que tinha bordado Dr. Cullen. -Sou o Carlisle.-Ele disse me dando sorriso gentil.

-Você é um vampiro.- Afirmei olhando pra ver se não tinha mais ninguém ouvindo.

-Sou. E sou um grande amigo de seu pai biológico, então antes de mandar alguma amostra de sangue sua para o laboratório, preciso que me diga o que você é. -Ele aferiu minha pressão enquanto conversava.

-Você é médico. Tem que manter tudo o que falar em segredo, certo? 

-Lana, vou ser sincero com você, o xerife lhe achou totalmente sem roupas no meio da floresta, não há sinais de agressão física, mas se alguém fez algo com você eu irei informar aos seus pais e as autoridades.

-Não, meu Deus, ninguém me tocou. Eu não lembro bem o que aconteceu, mas sei que ninguém me fez nada. O senhor precisa me prometer que não vai sair desse quarto o que irei lhe falar.

-Se não for algo que prejudique o sua saúde, eu posso fazer essa promessa.

-OK. Mas primeiro, quais as chances de saber que a pessoa tem genes de lobo num exame de sangue?

-É algo bem visível. Vou dar meu jeito de suas amostras não serem examinadas…

-Ninguém pode saber, por favor. Isso só aconteceu uma vez, e eu não quero ter nada ligado a linhagem Black.

-Eu entendo. Então você não se transforma com frequência? -Assenti. -Esse deve ser o motivo do seu desmaio, você não está tão forte. Direi a sua família que um surto de  sonambulismo foi o motivo de você ter acordado em um lugar que não era seu quarto. E o desmaio foi porque estava desidratada.

-Obrigada, obrigada mesmo.

-Mas temo que até seu corpo se adaptar a falta de transfiguração você ficará mais fraca realmente. Minha recomendação como médico é que você não fuja de quem você realmente é. Se você não se incomodar, posso levar essas amostras para fazer alguns exames, seriam só para comparar com os genes dos seus irmãos.

-Irmãos? - Dei uma risada sarcástica.- Você pode fazer o que quiser, contanto que não fale a ninguém sobre o que sou.

-Tudo bem. Vou mandar sua família entrar.

-Obrigada, Carlisle. -Ele sorriu e saiu pela porta do quarto.

 Depois de um tempo ele voltou e abriu a porta a primeira a entrar foi minha mãe, ela estava desesperada, correu pra me abraçar ainda chorando.

-Eu estou bem, mãe. -Falei tentando acalmá-la -Está tudo bem.-O Theo correu até a cama pra me abraçar. E meu pai abraçava o Liam. Quando minha mãe e meu irmão mais novo se afastaram, eles vieram me abraçar.

-Fiquei tão preocupado, meu bem.- Meu pai disse beijando minha testa.O Dr. Cullen explicou o negócio do sonambulismo pra eles, e me receitou um remédio para dormir, quando ele terminava de falar, o xerife Swan o chamou. 

-Sam, você pode vir comigo? - O Dr. falou e meu pai o seguiu.

-Que estranho. -O Liam falou, o olhei curiosa. -Consegui ouvir o que o Charlie falou. Acharam o Collin desmaiado próximo da mesma clareira que você foi achada.

 

Então era isso que acontecia, era minha culpa, eu não fiz o sacrifício. Primeiro eu, agora o Collin, quantos lobos da matilha iriam sofrer por essa escolha que eu fiz?


Notas Finais


Comentem!!

Deixem suas opiniões.
Espero que estejam gostando!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...