História A guerreira de Grehan - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Elfos, Gnomos
Visualizações 12
Palavras 1.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi pessoinhas! quem chegou aki por causa do meu imagine de BTS, sim, eu exclui pq tava uma bosta... Mas calma, que vou fazer outro imagine de Bangtan ok?? Fiquem com a Fanfic!
PS: Me deem ideias para uma capa para a fanfic

Capítulo 1 - Como virei guardiã


Fanfic / Fanfiction A guerreira de Grehan - Capítulo 1 - Como virei guardiã

Meu nome é Karon, e quando nasci, meus pais planejavam ter apenas 1 filho, mas vieram gêmeas. Eu e minha irmã, o nome dela é Tambry. Ela é a princesa do reino de Wettland. Meus pais são o rei e rainha, me manteram segredo, já que no dia em que eu e Tambry nascemos, estavam havendo muitos ataques de psicopatas e serial killers, e disseram para o reino todo, que uma das filhas havia sido morta na materninade.
Quando viram que eu já estava ficando boa em sobreviver e lutar, me largaram sozinha na floresta encantada. Uma criança de apenas 5 anos, vagando sozinha pela floresta. 

Flashback (on)

K- Que fome! Já fazem 4 dias que estou aqui sobrevivendo apenas tomando a água das nascentes dos rios de Grehan.

Quando de repente ouço passos. Não eram passos normais, eram passos pequeninos, como se alguém com pernas muito curtinhas estivesse caminhando por ali. Com medo, subo rapidamente em uma árvore próxima, e espero conseguir ver quem é o bendito que está me assustando. Os passinhos se aproximam, e cada vez mais eu me assusto. Vejo apenas um vulto passando por ali, não consegui ver quem era, já que a criatura deve ser bem pequena. Deso ligeiramente da grande árvore, e tento fazer o mínimo de barulho possível, para não assustar seja lá o que estiver dando passinhos curtos. Piso em algumas folhas secas, fazendo o animal correr, corro também. Quando tropeço em algo, que não sabia o que era, me viro vendo o pequeno animal que estava em uma posição em que o deixava parecendo uma bolinha. Toco no mesmo. Tinha uma textura de pele humana. Quando a suposta bolinha se levanta, dando a perceber claramente que a pequena criatura era um gnomo.

Xx- Q-quem é você? E o que faz na floresta encantada humana?

K- Calma, meu nome é Karon, meus pais, o rei e rainha do reino de Wettland, me abandonaram há 4 dias. Estou com fome, onde tem comida por aqui?

Xx- Nós gnomos ajudamos a todos, então venha comigo, te mostrarei o reino dos Gnomos. Aliás, meu nome é Dimy.

Depois de alguns minutos de caminhada, Dimy entra em um buraco, sigo o mesmo, até chegarmos em uma grande árvore, que para mim, era só um árvore bem grande, mas Dimy me disse que era a árvore da magia, e que o reino dos Gnomos ficava atrás dela.

K- Mas Dimy, eu não vejo nada... O reino dos Gnomos, pelo que você disse, tenha pequenas casas, e muitos gnomos. Mas só vejo mai muitas árvores.

D- Droga! Esqueci que o reino dos Gnomos é invisível aos olhos dos humanos! Espera só um minuto.

Ele entra na floresta, e minutos depois, o mesmo chega com um grupo de mais 3 gnomos, e junto com eles, Dimy trouxe comida.

D- Esse é o mestre North, essa é a Ruby, e esse mais alto se chama Koi.

N- Prazer Karon. Iremos lhe ajudar a entrar no nosso reino

K- Mas como mestre North?

R- Iremos até o reino das Fadas, onde você tomará a poção da visão infinita, que te permitirá ver todos os reinos encantados que os humanos não conseguem ver.

Como a comida que Koi havia preparado, e seguimos a caminhada, que, de acordo com o mesmo, duraria cerca de 1 hora.

Observava como os gnomos tinham pernas pequenas. Era engraçado, ver os longos cabelos de Ruby arrastavam no chão e ela tropeçava.

K- Ruby, quer que eu te leve no meu ombro?

R- Nunca andei no obro de um humano... Mas aceito sim! Você é muito educada para uma humada...

Pego a mesma e ponho-a em meu ombro. Ruby cheirava a flores. Seus cabelos brancos batiam em minhas costas e fazia cóssegas! Ela tinha uma roupinha cheia de brilho, que suponho ser feita com o famoso pó de fada. Koi era mais alto que todos os outros gnomos presentes ali. Ele cheirava a lareira, sim, cheiro de lenha queimada, que não era tão ruim assim...

D- Chegamos no reino das fadas.

N- Karon, não de bola para as fadas que te criticarem. Elas não são amigáveis como nós.

R- É... Essas fadas julgam muito pela capa.

Entramos no reinos das fadas e recebi alguns muitos alhores de nojo. Como se eu fosse cuspir nelas. Porém, eram muito bonitinhas. Como de costume, não vi nada, apenas as pequenas fadas que estavam ali ao redor. Paramos para conversar com a mestre das fadas, que me olhou com desprezo.

Xx- Hmm.. Deixa eu ver se entendi, vocês querem dar a uma humada a poção da visão infinita? Acho melhor não. Sabem como essa espécie é né...

Koi- Por favor madame! Juramos que ela é do bem!

Xx- Não! Agora saiam do reino das Fadas seus anões de jardim!

Fomos expulsos de lá, as não iremos desistir. Vamos conseguir essa poção!

R- Que arrogante! Achei que mestres de reinos encantados deviam ser educados...

Koi- Mas e agora? Como vamos pegar essa poção?

D- Mestre North, o que o senhor sugere?

M- Vamos ao reino dos mais travessos da floresta: os duendes. Eles devem ter muitos planos!

Chegamos no reino dos Duendes. Que eram travessos e engraçados. Não podia me ver que já queriam brincar.

Xx- É claro que te ajudaremos! É a especialidade dos duendes! E cá entre nós, nós também não gostamos muito das fadas.

E assim fomos rumo novamente ao reino das fadas. Já estava escurecendo, e eu estava cansada, mas segui em frente, pois eu queria muito saber como são os reinos mágicos.

D- Ok, qual é o plano?

Xx- Vestiremos a Ruby de fada, já que ela é pequena e fofa. Ela pedirá que peguem a poção para ela, e aí ela traz para cá e tudo acaba bem!

Vestimos Ruby como uma fada, e vinte minutos depois ela volta correndo,com um pequeno franco de vidro na mão co um líquido roxo dentro, e muitas fadas correndo atrás dela.

R- Toma logo Karon! Elas descobriram que não sou uma fada.

Tomo rapidamente o líquido roxo enquanto corria das fadas.

Chegando no reino dos Gnomos, consigo ver as vilas que lá haviam.

N- Karon, promete que irá proteger lealmente os gnomos, e que não fará algum mal para a natureza?- O mestre North fala em cima de um cotoco de tronco com uma espada em seus pés. (Já que até pra mim era muito paesada)

K- Prometo!

Ele me entrega a espada, e todos da vila vão alegremente me abraçar.

Flashback (off)

E foi assim que virei guardiã, roubando uma poção das fadas. Até hoje, as fadas não gostam muito de mim, mas elas estão aprendendo a me amor, já que as protejo de qualquer mal.

 

 


Notas Finais


OWWNNN!!! Espeto que tenham gostado gente💙💕💟;-)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...