1. Spirit Fanfics >
  2. A Herdeira. >
  3. Voltando para casa.

História A Herdeira. - Capítulo 43


Escrita por:


Notas do Autor


Oooiie, pessoal! Olha quem voltou! 😂💖✊

Ai, gente... Tô muito feliz que vocês estão gostando da idéia da segunda temporada! E queria agradecer aos cinco novos favoritos! 💖🤧✊ Faltam só três para chegarmos a 100 e eu tô completamente abobalhada com isso! 🥰🤭😂

Eu adoro muito esse capítulo e espero que vocês gostem também! ❤🤭

Então, podem ler! 💖

Bjs 💋😍

Capítulo 43 - Voltando para casa.



Eu não sabia quem vinha me buscar, mas eu já organizava os poucos pertences que eu acumulei em quase dois meses. Ao mesmo tempo que me sentia aliviada por sair daquele hospital, eu me sentia extremamente nervosa e ansiosa para ver se, voltando à minha "casa", eu lembraria de algo. 


Sentei na cama e esperei, lendo o livro sobre as nanoparticulas, depois que o médico me examinou uma última vez e saiu para me liberar. 


Ouvi uma batida na porta e ergui a cabeça. Rachel entrou, sorrindo, e veio me dar um dos "abraços de urso" que ela me dava desde a primeira vez que me viu. 


-Oi. O médico já te liberou e sou eu que vou te levar para casa... 


-Ah, certo. - Saltei da cama e peguei uma mochila que Natasha tinha levado para mim. 


Comecei a seguir Rachel pelo corredor do Hospital. E suspirei, antes de tomar coragem e começar a interrogar ela. 


-Para onde estamos indo? 


-Quando a gente chegar, você vai saber, Naomi. 


-E por quê mais ninguém veio com você? 


-Todos ocupados. - Rachel deu de ombros. - Eu estou "de férias" aqui, Então me ofereci. 


Voltei a andar depois de uma pausa por causa de caimbras. Rachel esperou com toda a paciência do mundo. 


-Quem mora lá? 


Rachel fez uma pausa, pensando. 


-Olha... Morar, morar... Agora quase ninguém. Mas digamos que Steve, Tony, Bruce, Sam, Natasha, eu enquanto eu estiver aqui....


Rachel me ajudou a descer a rampa do hospital e fomos andando até um carro grande e preto. 


-E o Fury? O Bucky? O Clint? 


Rachel me ajudou com o cinto de segurança e deu a volta no carro, entrando no banco do motorista. E começou a falar, enquanto manobrava. 


-Fury não mora por lá. Ele é o diretor da empresa, Então fica muito ocupado e a gente quase não vê ele. O Clint mora também, mas só quando tem trabalho. E o Bucky morava, mas comprou um apartamento no Centro e saiu de lá. Porém, o que de vocês ainda está intacto. 


Dei uma pequena engasgada. 


-Nosso?! 


-É. O seu e o dele. De vocês... - Rachel me olhou pelo retrovisor. 


Balancei a cabeça, me sentindo ridícula. Tudo bem, a culpa não era minha não lembrar de nada disso, mas, com certeza, eu estava agindo ridiculamente. 


Comecei a observar a paisagem de Nova Iorque para matar o tempo e, certamente, descobri que talvez eu não goste de muito contato humano. Aquelas pessoas todas zanzando de um lado ao outro, se esbarrando, me davam agonia. 


Puxei a manga do meu casaco e examinei aquela tatuagem no meu braço. Uma bússola e uma abelha. Ergui os olhos para Rachel. 


-Rachel? 


-Sim, Naomi? 


-Por quê me chamam de abelhinha de vez em quando? 


Rachel deu uma rápida olhada para mim e um sorrisinho de lado. 


-É um apelido. 


-Isso eu percebi... - Comentei e suspirei. - Mas por quê Abelhinha? E quem me deu? 


Rachel mordeu a boca e tentou não rir. Apenas me olhou, engolindo em seco. 


-Faz o seguinte? Pergunta para o Bucky. Ele que te deu esse apelido e aí, todo mundo começou a chamar assim. Mas eu... - Ela riu e se controlou, limpando a garganta. - Hum-Hum... Eu não sei porquê Abelhinha. 


Concordei. É claro que ela sabia, mas estava escondendo. Voltei a prestar atenção nas pessoas e me surpreendi de ver um prédio gigante com um "A" enorme. E me surpreendi da gente entrar nesse prédio. 


-A? 


-Avengers. - Rachel respondeu e me encarou. 


-Eu lembro desse nome... - Comentei.-E não é dos jornais... 


Rachel deu um sorriso e estacionou o carro em uma vaga. Me ajudou a sair e, logo em seguida, uma das mulheres que foi me visitar no Hospital, a Barbara, também veio me ajudar. 


-Oi, Rach. 


-E ai, Bobbi? Eu ia começar a explicar para a Naomi que ele era uma Agente da Shield... 


Interrompi. 


-Puta que pariu! Tá brincando?! - Exclamei. 


Eu tinha visto no jornal uma reportagem sobre a Shield ser a maior agência privada de segurança Internacional, tendo como filiados o Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Hulk... 


Elas sorriram. 


-Não, a Rachel tá certa. E você era boa. Ainda é, só precisa se lembrar. 


Comecei a ficar muito nervosa no momento em que elas abriram a porta do apartamento. Que era mais uma mansão do que um apartamento. 


-Seja Bem vinda novamente, Naomi. 


Entrei na sala e elas ficaram me observando. Vasculhei tudo ao redor, mas não, eu não lembrava de ter estado por alí antes. Era tudo muito sofisticado e bonito, em cores de granito, cinza e preto. Tinham dois sofá e grandes e uma televisão enorme em algum canal que passava notícias. 


Meus olhos bateram em um parede de vidro cheia de fios vermelhos se intercalando. Andei até os fios, visualizando algumas fotos penduradas com grampos e achei algumas minhas. Rachel e Barbara examinaram comigo, contando um ou outra coisa sobre as fotos. 


-Ficou lindo! - Exclamei. - Quem teve a idéia? 


-Bucky. - Rachel deu de ombros. E voltou a examinar as fotos. - Mas eu tenho certeza que tem foto faltando aqui... Ai! 


Percebi, pelo canto do olho que Barbara deu um puxão nos cabelos de Rachel. 


-São as que o Sam levou para a Naomi no Hospital, Rachel. - Ela fez um olhar mais duro e Rachel concordou. 


-Ah... É, tem razão! - Rachel puxou minha mão. - Vem, vamos ver se você lembra do seu quarto! 


As duas me arrastaram por um longo corredor até parar na porta de um dos quartos, quase o último. 


Ele tinhas as paredes em tom de creme e u cama grande combinando. Tinha um armário, uma escrivaninha e uma cadeira de rodinhas. Elas pararam na porta e deixaram que eu andasse pelo quarto. Dava para ver no rosto das duas a expectativa para que eu lembrasse. E embora o cheiro do quarto não fosse estranho, nenhuma memória me vinha à mente. 


-Lembrou de algo? 


Neguei, me sentindo uma estranha na minha própria vida. Sinceramente, se eles não tivessem tantas fotos minhas, eu poderia achar que eram loucos. 


Mas vai ver, a louca sou eu. 


-Bem, achei que você não ia lembrar. - Rachel deu de ombros. - Eu vou ligar para a farmácia e comprar seus remédios. Acho melhor você descansar. 


Sorri, assentindo, enquanto elas saíam e deixavam a porta fechada. Tirei meu casaco e joguei sobre a cadeira, indo até o armário e vasculhando as coisas. Achei perfume, hidratantes, maquiagens... Tudo já gasto e velho. Bárbara tinha dito que ninguém mexeu no quarto, só para fazer faxina para não acumular poeira. 


Também achei uma roupa mais confortável e tirei a minha, ficando de frente para o espelho. Tudo bem, eu tinja engordado uns três quilos desde que eu tinha acordado, mas eu ainda conseguia ver os ossos da minha bacia e todas as minhas costelas. De alguma forma, eu sabia que aquele não era o meu corpo. 


Mas eu sabia que aquelas cicatrizes todas pertenciam a mim. Várias. 


Toquei na do meu estômago. Tudo aconteceu por causa dela. Mas o que seria o tudo?


Ouvi uma batida na porta do quarto e gritei para esperarem. Peguei a calça de moletom cinza e a blusa branca. As roupas aimda cheiravam a amaciante, o que me fez deduzir que alguém lavou quando soube que eu voltaria.  


Andei até a porta. 


E encarei um par de olhos azuis. 


Bucky. 


Respirei fundo, e ia perguntar o que ele queria, mas vi uma gata no colo dele e sorri, a pegando. 


-Kitty! Você trouxe ela! - Exclamei, sorrindo, enquanto ela ronronava muito alto e se contorcia no meu colo, feliz. 


-Quem te falou o nome dela? - Bucky questionou, encostado no batente da minha porta. 


Franzi a testa, pensando. E dei uma enorme sorriso que ele retribuiu, enquanto eu apertava ainda mais Kitty no meu colo. 


-Ninguém me disse! Ai, meu Deus! Eu lembrei de você! - Falei, segurando ela pelos suvacos. Ela ronronou mais alto. - Você viu? Eu sei seu nome! 


Bucky me encarava com um sorriso de lado, mas voltou a ficar sério quando viu que eu percebi. Então, se ajeitou e pigarreou.


-Bem... Eu achei que ela podia ajudar. Eu preciso voltar para o meu trabalho. Com licença... 


Vi Bucky se afastando e fiquei com pena. Ele parecia sempre estar esperando que eu lembrasse dele. Suspirei. 


-Bucky? 


Ele parou no corredor e me encarou. 


-Obrigada. Ajudou, sim! 


Ele sorriu e assentiu, voltando a andar e sumir pelo corredor. Tranquei a porta e pus Kitty em cima da cama, mas ela ficava voltando para o meu colo, Então, deitei e deixei que ela deitasse em cima de mim. Acabei dormindo alguns minutos depois. 


Quando acordei, acabe levando um susto ao sair do quarto. Um susto enorme, na verdade. 


Havia uma verdadeira festa surpresa para mim na sala, com faixas, balões e torta. Eu comecei a rir, sem graça. 


-Ah, gente! Eu agradeço, sério! Mas não precisava! 


-Precisava, sim! - Natasha me abraçou e encarou Tony. - Agora... Liga o Som, Tony! 


-É pra já, Dona Aranha! 


Uma música alta foi ligada e vi Wanda perto de mim. Ela e Natasha trocaram olhares significativos e eu me perguntei porquê. Então, subitamente, Natasha se afastou e eu encarei Wanda. Ela suspirou. 


Wanda andou a distância que nos separava e me deu um abraço apertado. Levei um grande susto e cheguei a tentar recuar, mas ela estava chorando. Fique sem reação. 


-Me desculpe todas as vezes que  desejei que você morresse! - Wanda me encarou e percebi que não era só ela. - Eu estou muito feliz que você está viva! De verdade! E eu sei que você não se lembra de nada, tá? Mas... Podemos continuar deixando o passado no passado e... Quem sabe, virarmos amigas? 


Eu não sabia o que responder. Afinal, não fazia idéia de que não éramos amigas. Dei um sorriso e assenti. E isso foi o suficiente para ela cair no choro novamente, me abraçando forte. 


Retribuí o abraço, totalmente desconfortável. Mas ela pareceu feliz quando me soltou e foi sentar ao lado de Steve, que estava... 


Franzi a testa. 


Ele estava beijando Tony. Hm... 


-Pessoal, quem tem diabetes vaza que o docinho da festa chegou! - A porta abriu e Samuel entrou pela sala, vasculhando o ambiente, até parar com o olhar em mim. - Ah, achei quem eu estava procurando.


Dei um sorriso e o observei vir até mim. Nos abraçamos forte. 


-Prontinho, o cara mais gato da festa chegou! 


-Só nos seus sonhos! - Natasha revirou os olhos. 


-É, se manca, Passarinho! - Tony exclamou. 


Abelhinha, Aranha, Passarinho... Isso era u zoológico?


-Steve! Seu marido está me desrespeitando! - Sam reclamou e eu ri. 


Steve bufou e revirou os olhos, voltando a puxar Tony para outro beijo. Eu não me surpreendi com isso nem meio segundo. Isso queria dizer que eu já sabia? 


-Como você está? - Ouvi alguém me perguntando assim que sentei no sofá. 


Encarei Bruce e dei um pequeno sorriso para ele. 


-Confusa. Mas acho que estou bem. 


Ele assentiu e continuou me encarando, enquanto limpava os óculos. 


-Eu acho que você está lidando muito bem com isso, até. Na verdade, se fosse eu no seu lugar, eu ia estar enlouquecendo. 


Encarei minhas unhas e mordi a boca, mas ele parecia ser bem legal. Então, dei de ombros. 


-Eu estou enlouquecendo, na verdade, Bruce. Mas por dentro. Quero dizer... - Abaixei o tom de voz. - É desesperador não lembrar de nada! Ver todo mundo feliz a ponto de dar uma festa porquê você acordou de um coma que durou mais de dois anos... Eu estou angustiada. 


Bruce viu que eu ainda tinha mais alguma coisa para falar, portanto, não me interrompeu. Apenas apertou minha mão, como se me apoiasse a continuar a falar. 


Percebi Steve e Clint prestando atenção em mim. Suspirei. 


-Mas, ao mesmo tempo, de uma forma que eu não sei explicar... Eu faço alguma idéia sobre aquela parede cheia de fotos, eu sabia quem era a Kitty e... Eu estou verdadeiramente feliz de ver vocês todos felizes! E eu nem sei explicar porquê! 


Bruce sorriu e me puxou, devagar, pelos ombros, me abraçando. 


-Sua cabeça esqueceu, Naomi. Seu coração, Não! 


-E no que precisar, é só falar com a gente! - Clint sentou do meu outro lado e me deu a mão também. - Esperamos dois anos por você! Podemos esperar mais um pouco... 


Meu coração ficou quentinho de gratidão e eu já ia começar a chorar, quando Tony se aproximou de mim e disse: 


-Ah, não, garota! Aqui não tem tristeza! Não hoje! Vem! Vamos dançar! 


-Dançar?! - Exclamei, sendo arrastada para o centro da sala. -Mas eu não sei dançar! 


Tony revirou os olhos. 


-Oh, desmemoriada! Fica quieta! Ninguém sabe dançar! 


Dei uma risada e no fim, estava balançando o corpo de um lado para o outro enquanto Tony fazia umas piruetas e rodopiava. 


-Isso aí, Senhor Stark! O senhor está arrasando! 


Levei um pequeno susto e me virei a tempo de ver um garoto (que não devia ter mais que 18 anos) logo atrás de mim. Eu deveria me lembrar dele? 


Steve saiu do sofá e veio me "Ajudar". 


-Ah, Naomi! Esse é um dos novos integrantes dos Vingadores! Ele é o Peter Parker e se chama Homem-Aranha, como herói. 


Peter ficou levemente avermelhado e me olhou. 


-Ah, olá! Sou o Peter. - Apertei a mão que ele tinha esticado para mim. - Então... Você é a famosa Naomi... 


Dei um sorriso. Então eu não o conhecia? Menos mal! 


-É, acho que sou... Mas por quê famosa? 


Peter deu uma olhadinha para Steve e depois para mim, dando de ombros. 


-Todo mundo falava muito de você! Quero dizer... Eu estou feliz que você não tenha morrido! 


Agradeci a gentileza e fiquei conversando por mais alguns minutos com ele, onde Peter me informou, junto a Steve, todas as habilidades de todo mundo que eu não lembrava mais e que haviam mais duas pessoas que eu não conhecia: Um homem chamado Scott Lang, uma garota chamada Hannah. 


Segundo Steve, Hannah e Bucky tinham ido entregar alguma carga no aeroporto e já deviam estar chegando. 


Não demorou muito até eu começar a ficar tonta de tanto que queriam passar algum tempo comigo. Comecei a hiper-ventilar e Sam percebeu isso, pedindo para me darem algum espaço. 


Agradeci enquanto ia para a varanda da sala e tomava um pouco de ar. 


Eu não tinha mentido. Eu não estava levando com tanta naturalidade assim. Eu estava enlouquecendo por dentro e ficando agoniada. Eu precisava me lembrar... 


Mas e se eu nunca me lembrasse? Abaixei a cabeça e concentrei na minha respiração até que estivesse normal de novo. 


Levei minha mão ao pescoço tentando pegar meu cordão, mas... 


Não tinha cordão nenhum alí. Era para ter? Deixei para lá e andei até o banquinho de ferro observando o ar gelado da noite, completamente perdida em pensamentos. 


Tanto que cheguei a gritar de susto quando ouvi uma voz perto de mim. 


-Quer ajuda, Naomi? 


Notas Finais


Aaaah, cês viram que temos novos membros nos Vingadores?! 😍🤭💖 Eu tô muito animada com eles! 🤭Porém, só terãp mais destaque para o final mesmo, okay? KKKKKKKK

A Naomi e a Kitty foi tudo pra mim! 😍

E essa festinha, então?! Eu to apaixonada ❤

Não tivemos muito Bucky, mas juro que aos poucos, vamos ter, okay??

Obrigada por estarem acompanhando! ❤

Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...