História A Herdeira - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alice Longbottom, Andromeda Tonks, Arthur Weasley, Gina Weasley
Tags Alvo Dumbledore, Barto Crouch Jr, Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Narcisa Malfoy, Rabastan Lestrange, Rodolphus Lestrange, Ronald Weasley, Severus Snape, Sirius Black
Visualizações 100
Palavras 961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii meus amores, mais um capítulo para vocês, espero que gostem 🖤
Lumus

Capítulo 17 - Vozes na Parede


POV SEVERUS SNAPE

Era sexta feira, o idiota do Lockhart sugeriu fazermos um clube de duelos, única ideia boa que ele. A aula seria entre Gryffindor e Slytherin, certamente coisa boa não sairia. 

Os primeiros a duelar foi Malfoy e Potter, jamais admitiria em voz alta, mas Potter tinha mais destreza que Malfoy. Estava tudo indo bem, até que meu afilhado conjurou uma cobra, ela ia atacar um aluno quando Potter começou a falar uma língua estranha e a cobra obedeceu, provavelmente aquele garoto é um ofidoglota, o que é um desgosto para Slytherin, um Gryffindor ter seu sangue em suas veias, então a cobra mudou seu alvo, foi atacar Greengrass, a Lestrange fez a mesma coisa, mandou a cobra se afastar, ela também era ofidioglota, decidi me intervir, antes que outro aluno mostrasse seus poderes especiais.

O duelo continuou,, vi que a Lestrange estava um pouco cansada, pensei em perguntar se ela estava bem, mas ela já tinha saído com seus amigos. Dei mais algumas aulas e fui me retirar para meus aposentos. Iria corrigir uns trabalhos e no final de semana prepararia as aulas.

Já tinha acordado quando recebi um bilhete de meu afilhado, pedindo que eu fosse urgentemente até seus aposentos, certamente seria algo para remover suas espinhas, mas de qualquer modo apressei meus passos, agradeço a Merlin por isso. Lestrange estava deitada na cama de Malfoy, ela estava estranhamente imóvel.

-O que aconteceu Draco?

-Ela estava mal, pediu para dormir comigo, estava arco de febre, acordei agora e a chamei várias vezes, mas ela não acorda.

-Vamos leva la para enfermaria.

-Não professor, não pode.

-Porque não?

-Não posso dizer.

-Senhor Malfoy, sua prima está gelada e desmaiada tem certeza de que não quer me dizer o que está acontecendo? 

-Ta, nas férias ela mexeu com uns feitiços sabe, ela é esperta sabe, não consegue...

-Depressa Draco, não quero saber da inteligência da sua prima. 

-Ela mexeu com magia negra.

Escutar isso já foi o suficiente, peguei Lestrange no colo e a levei para meus aposentos, cuidei dela o tempo todo, quis matar Bellatrix por fazer sua filha lançar tais feitiços, mas prometi a menina que nada aconteceria a mãe, mesmo que sua fosse uma descelebrada ela não merecia ter que viver sem sua mãe. Mas o que mais me preocupou foi a possível volta do Lorde.

A noite logo veio, juntamente com uma chuva, com relâmpagos e trovões, fiquei sentado ao lado dela, como uma menina como ela sentiria tanto medo de uns raios?

Estava sentada em uma cadeira de frente para minha cama vendo ela dormir, logo aqueles belos olhos se abriram, ela estava bem melhor, isso era completamente visível.

-Bom dia senhor.

-Bom dia srta Lestrange. Está melhor?

-Sim, obrigada.

-Beba, só por precaução. 

Ela virou todo o líquido que continha no frasco de uma vez, e fez uma careta, que no mínimo foi engraçada de se ver. Não demorou muito para escutarmos um bater de porta e aparecer um Malfoy feliz por ver sua prima.

-Princesa, está menos feia. Isso é maquiagem ou você de fato está melhor.

-Como você é engraçado, estou melhor.

-Graças a Merlin. NUNCA mais, me fassa passar por isso novamente, tive tanto medo de te perder.

POV VEGA

Nunca pensei que escutaria isso vindo de Draco, nós nos amava, mas nunca falamos isso em voz alta, para os Malfoy a maior fraqueza era os sentimentos, principalmente se esse sentimento fosse amor.

-Por isso decidi que eu iria te falar um e- eu te. 

Draco estava nervoso, nunca falamos sobre isso, e admitir ter sentimentos na frente de seu padrinho não deveria ser fácil, decidi ajuda lo.

-Eu sei amor, eu também.

-Não, eu quero te falar, eu amo você Vega.

-Ah Draco, eu amo você.

Depois dessa demonstração de afeto, Draco ficou vermelho, certamente iria provoca lo depois por isso. Depois ele foi embora.

-Você e Draco são bem próximos. Falou Snape.

-Sim, bem, fomos criados pela mesmas pessoas e seguir as mesmas instruções.

-Que seria?

- Em Primeiro lugar: Devemos sempre estar bem apresentável, com uma excelente aparência.

Em Segundo lugar:  Tenha no mínimo alguém que possa realmente confiar.

Em Terceiro lugar: Temos que ter postura, nunca falar alto demais, sempre em um tom baixo mas claro. Saber diferenciar cada talher e quando usar.

Em Quarto lugar: Arranjar um bom casamento, um que tenha grande nome e posses .

E por último Em Quinto lugar: Nunca, em hipótese alguma se apaixonar por um sangue ruim.

Mas eu coloquei mais uma para mim, ser inteligente, nunca gostei muito da regra número quatro, não quero ter que depender de um homem.

-Entendo. A Srta sabia que era ofidioglota?

-Não, claro que não. Mas não sei se sou A Herdeira de Salazar Slytherin, mas seria a maior honra ser.

Fui liberada dos aposentos de Snape, já estava bem melhor, passei o tempo todo com meus amigos, a cada dois segundos tinha que falar que estava bem.

Estávamos saindo do Grande Salão, indo para nosso Salão Comunal, quando comecei a escutar vozes na parede, elas diziam que queriam matar, rasgar. Ignorei isso, pensei ser cansaço. Mas em outros dias escutei elas de novo, as vezes me chamavam, descobri que Potter também as escutava, certamente era algo relacionado a ofidioglossia, porque mais ninguém escutava além de nós. Foi então que decidi falar com meu professor de poções.

-Estão liberados.

Todos foram saindo da sala de Snape. Asty, Pansy, Blas, Theo e Draco estavam me esperando para todos irmos juntos para almoçar, falei que podiam ir na frente. Severo franziu o cenho com isso.

-Professor, acho que estou ficando louca, estou ouvindo vozes, elas parecem vir de dentro da parede e as vezes elas me chamam. O que será que está acontecendo comigo?

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Comentem e favoritem a fanfic para não perder nenhum capítulo.
Nox.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...