1. Spirit Fanfics >
  2. A Herdeira (Percabeth) >
  3. Dança de Espadas

História A Herdeira (Percabeth) - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


sei que estou demorando para atualizar, só que estou estudando e trabalhando talvez continue esse atraso ao longo dos capítulos, espero que entendam
Espero que gostam

Capítulo 10 - Dança de Espadas


Fanfic / Fanfiction A Herdeira (Percabeth) - Capítulo 10 - Dança de Espadas

Reino de Atlanta

 Annabeth pensou que não poderia ter uma manhã melhor, acordou ao lado do homem que ama e ela é agora enfim esposa dele, após um belo banho e vestir vestes levianas de Atlanta, se sentou à mesa ao lado do marido para fazer a primeira refeição do dia, tudo ocorria muito, ela, a mãe e a rainha Sally conversavam sobre os presentes de casamento Percy e os outros homens conversavam quando partiriam para o reino de Zeus para o casamento de Thalia e Tayson, a qual o rei Zeus fazia questão de ser em seu castelo, até que um mensageiro andalasio adentrou a sala de janta em passos apressados com o semblante cansado, assim que Frederick leu a carta a qual ele trazia consigo sua face se avermelhou com tamanha raiva que o rei sentia

- Andalasia está sobre possível ataque de Ares, ele atravessou o mar, deu a volta pelo continente e parou em nosso porto, devo ir imediatamente, se ele atacar meus homens precisam do rei ao lado dele
- Poderá morrer Frederick, deixe Luke resolver isto - pediu Atena com a face aflita
- Que tipo de rei seria eu se não estivesse disposto a morrer pelo meu reino ? Pelo meu povo ? Não tenho medo dele, vou preparar meu cavalo
- Iremos com você - falou Perseu - levarei parte de meus homens e os dragões, já está na hora de pararmos Ares de vez, ele vem dando muitas dores de cabeça com guerras desnecessárias

Frederick confirmou com a cabeça e saiu a passos apertados para fora da sala, Perseu também se levantou beijando a testa da esposa prometendo voltar, mas ele voltaria ? Pensou Annabeth, mal havia saído de uma guerra e já entraria em outra e pior como estaria seu povo ? Estariam em perigo ? Sua cidade estaria sendo saqueada ? Annabeth faria qualquer coisa para poder proteger seu povo, mesmo que isso significasse ir a guerra. Ela percebeu Poseidon também se levantar com a face fechada, estaria ele irritado ? Annabeth apenas observou a mãe abaixar o olhar pensativa e Sally tentando consolar a rainha de Andalasia.

Perseu caminhava ao seu quarto para poder vestir vestes adequadas para a guerra que estava prestes a enfrentar até que  sentiu seu braço ser puxado com força o fazendo encarar o pai raivoso

- O que pensa que está fazendo ? Se metendo em outra guerra ? Está maluco ? Acabou de se casar, você deve se preocupar em ter um herdeiro, e se morrer ?
- É o reino da minha esposa que está em guerra, consequentimente meu futuro reino assim que Frederick deixar o posto de rei, que rei eu seria se não lutar pelo meu reino ? O que Annabeth acharia se eu simplesmente ficasse aqui sentando ou procurando prazer enquanto o reino dela está em perigo ? Acho que o senhor que não sabe o que está pensando
- E irá como ? Seus dragões estão sumidos desde de ontem, nenhum sinal deles
- Como assim ?
- Não voltaram, saíram ontem à tarde e Grover avisou para mim hoje cedo que fora deixar comida para eles e não estavam nos jardins
Irei a cavalo então, ainda sei usar uma espada e montar um cavalo, neste castelo eu não fico

Perseu puxou o braço do aperto do pai e saiu apressado em direção ao seu quarto, assim que vestiu sua armadura chamou Grover e parte de seus homens para marcharem o mais rápido para Andalasia, ele ia à frente, olhou de relance para o alto do castelo onde havia a sacada de seu quarto, e lá estava ela, os longos cachos dourados e olhos cinzentos atormentados, "voltarei logo para você" pensou Percy, não queria deixar Annabeth era fato, mas sabia como o coração dela estava aflito, Annabeth é uma rainha nata, faria tudo pelo povo e ele sabe que se ela pudesse, estaria montada em um cavalo indo à guerra também pelo seu reino, não a desapontaria, poderia até morrer, mas jamais deixaria Annabeth ou o reino dela à mercê da violência ou qualquer outro atrito, ele começou a correr com seu cavalo, já não mais importava herdeiros ou qualquer coisa que tenha conversado com seu pai, Percy sabia que quando se cassasse com Annabeth teria um compromisso para honrar e dois reinos para governar e ele não se importava em lutar pelos seus reinos, ele era o futuro rei, como poderia ele o futuro rei destes reinos não lutar por eles ? Será que seu pai não compreendia que ele já não era mais o jovem aspirante à cavalaria e sim um homem com compromissos ? Ele sentia no seu íntimo que tinha um dever muito grande desde que se casou com sua bela princesa.

Reino de Andalasia

O cheiro de travar uma guerra era horrível, Luke sentia seus músculo pedirem por descanso e mesmo assim ele continuava desferindo golpes em todos os homens arianos que tentavam passar do por para cidade, não poderia jamais deixar com que saqueassem a capital, mas ele estava cansando, com um corte na panturrilha, sua visão hora ou outra ficava turva, quase havia sido derrubado diversas vezes, mas graças aos Deuses conseguia se manter de pé, ele já havia perdido a conta de quantas vidas havia tirado naquelas horas que passavam como sufoco para sua alma, sentia vontade de se trancar na torre mais alta e chorar, como poderia ele tirar tantas vidas ? Ele estava protegendo seu reino, mas quem não o garante também que aquelas jovens almas que lutavam contra si também não pensavam o mesmo do seu próprio reino ? Arian estava devastado, eles estão cansados, com fome e com um rei louco, cruel, se ele ao menos conseguisse se aproximar de Ares, ele sim Luke mataria sem pensar duas vezes e sem arrependimentos, Luke sentiu o corte ser desferido contra seu braço e ele perdeu o equlíbrio da espada, ela caiu na no chão, seu corpo amoleceu e pancada em sua cabeça o desnorteou de tal forma que só lembra de ter apagado.

Os cavaleiros atlanticos quando chegarem a capital andalasia sentiram o cheiro de saque rapidamente, gritos sofridos de mulheres, choro de crianças e homens tentando proteger suas casas, "cadê o rei ?" eles perguntavam, Frederick estava sem chão, poucos dos seus homens ainda estavam de pé lutando, ele viu os cavaleiros passarem a todo vapor, viu Perseu desembainhando a sua espada como se fosse hábito, viu os homens atlanticos o seguirem como loucos, ele sim era um líder, um rei, quem Frederick era ? O rei que deixava seu reino com um cavaleiro ? Onde estaria Luke agora ? Ele puxou a espada que poucas vezes usou e entrou na guerra sem pensar duas vezes.

Perseu sentia o cheiro de morte, dor e sofrimento, já não mais sabia onde estava seu cavalo, seu elmo havia sumido em meio as batalhas que tratava, já havia matado vários homens na qual estupravam mulheres e matavam crianças, entrava de casa em casa quando podia para poder acalmar o povo, ainda se deparava com várias cenas de saque e nessas várias vezes ele tirava a vida de um ariano, estava com o rosto sujo de sangue, as mãos doíam e as pernas pediam descanso, mas não estava nem na metade, ninguém achava Ares, e Percy não descansaria até encontrá-lo.

Frederick não tinha estômago para nada que seus olhos viam, ele salvou mulheres, crianças, pais de família, quase morreu, tirou vidas, e ainda assim estava enjoado, nada o fazia se acostumar com aquilo, o cheiro de sangue, os gritos cheios de tormentos, a súplica de seu povo por paz, por que alguém faria isso com seu povo ? Por que Ares não vinha atrás de sim ? Vidas inocentes eram perdidas por brigas políticas, então Frederick o viu, já não mais era o jovem Ares de antes, o semblante era cruel e trazia na mão uma enorme espada, sem cojitar a idea de morte Frederick correu até o grande homem. Perseu apenas ouviu o grito de dor, rapidamente desviou sua atenção para o som e viu o rei Frederick sendo morto por Ares, a espada atravessava seu corpo, Frederick não estava devidamente vestido o que facilitou para sua morte, Ares jogou o corpo morto no chão e puxou sua espada ensanguentada, os olhos frios de Ares o encararam e Perseu sabia que tinha de matá-lo, ele mencionou ir até ele, mas ele simplesmente virou de costa e saiu a passos para o castelo de de Andalasia gritando que o rei estava morto e que Andalasia era ele, seus homens o olharam com dúvida, a guerra já não era mais dos Chase e sim de Percy, não poderia deixar Ares tomar o poder do seu reino.

Reino de Atlanta

Annabeth andava de um lado para o outro, olhava as grandes janelas de vidro que davam para os jardins esperando que talvez Blackjack e Lucion passassem sobrevoando direto para Andalasia ou então se ela podesse estar com eles indo até lá, quando viu que Percy saia a cavalo seu coração apertou, não só por temer a vida dele, mas também por saber que eles teriam armas militares à menos, os dragões eram um grande poder, mas sem eles Percy e seu pai deveriam travar uma guerra à moda comum, cavalos, flechas e espadas, ansiava por notícias, havia mandando o mensageiro de volta junto ao exército do marido, com corvos e papéis, a loira sentia seu coração se apertar a cada minuto que passava, apertava as mãos, as passava pelo cabelo, já havia até mesmo lagrimejado, foi quando ela virou para sua mãe que estava sentada em uma poltrona, pálida e desolada

- Frederick irá morrer - disse Atena
 - Não diga uma coisa dessas mamãe
- Ele já está morto Annabeth, seu pai nunca nem lidou com guerras civis, rebilões, guerras de fato, mal sabe embainhar uma espada, se ele sobreviver seria muita sorte
- Percy não deixaria, ele...
- Seu marido é um guerreiro de verdade, mas ele também tem temor a vida, não há como ele manter a vida dele e a do seu pai a salvo, eu era quem devia está lá Ares quer se vingar de mim
- Devemos fazer alguma coisa
- Sim, você não, eu devo fazer

 Atena se levantou da poltrona com a coluna ereta, os cabelos sempre muito bem arrumado, o vestido impecável, mas o olhar cinzento a entregava, ela estava com medo, ela sabia do que Ares era capaz de fazer, ele é um mostro imbatível e insaciável, ele lutaria até que sua raiva passe ou até ter conquistado aquilo que quer, sua vida satisfação terrena é ver o caos, a raiva e a morte assolando a terra

- Fique aqui Annabeth, se os deuses a abençoarem já estará com um herdeiro aí dentro e Andalasia não terá como cair nas garras de Ares
- Onde a senhora vai mamãe ?
- Fazer o que já devia ter feito antes, parar Ares
- Não vá!
- Eu irei Annabeth, é o meu povo nas garras de meu irmão, eu sei quem ele é e do que ele é capaz de fazer, por favor Annabeth deve se manter viva, és a única esperança de nosso reino, não sabemos nem se Perseu irá voltar vivo
- Minhas senhoras chegou um corvo com esta carta - anunciou uma criada

Atena estendeu a mão para a criada e ela a entregou a carta, a rainha leu e por um segundo sua postura falhou, as letras apressadas traziam a certeza que ela tinha mediante a esta guerra, ela caminhou até Annabeth beijou-lhe a testa

- Leia quando eu já não estiver nesta sala

A rainha saiu as pressas, porém sempre elegante, Annabeth leu e sentiu as pernas falharem, ela caiu e chorou, chorou até seus olhos arderem, a criada tentou a ajudar, mas Annabeth estava área a qualquer coisa, os momentos com seu pai passavam por sua cabeça como um filme, lembrava-se o quão bom ele era, justo, sempre disposto a melhorias para tudo, fosse o reino fosse sua família, abraçou o próprio corpo em uma forma de não se sentir tão só, ela olhou para janela mais uma vez e avistou dois pontos no céu, e começou a rir de desespero, lá viam eles, os pontos eram negro e esverdeado, Annabeth já não mais ligava para nada, o que diriam ou fariam, ela correu para seus aposentos, saiu jogando todas as roupas até que avistou calças compridas e uma blusa de mangas longas, todas negras de um tecido pesado e diferente, o tecido imitava escamas, avistou um broche com a cabeça de dragão nas vestes superiores

- Estas vestes eram de Percy quando começou a montar Blackjack - falou Tayson da porta do quarto - se pretende ir a guerra com os dragões Annabeth, vista elas, e isto é pra você, Atena mandou forjar à pouco dias, parecia que ela esperava por este dia

Tayson a entrega uma armadura própria para si, parecia ter feito sobre suas medidas, tinha até mesmo um elmo, Annabeth olhou para tudo aquilo e se perguntou se era capaz de arriscar sua própria vida, seu pai arriscou a dele pelo povo, que tipo de rainha seria ela se também não o fizesse ? Ela assentiu e agradeceu a Tayson, que logo saiu do quarto chamando um escudeiro para a ajudar com a armadura, Annabeth prendeu os cabelos loiros e saiu aos jardins e avistou Blackjack e Lucion, ela os olhou e pode perceber que eles sabiam, eles sentiam o que Annabeth sentia, ela não sabia de nada, mas faria o possível para vingar a morte de seu pai e o saque que seu povo estava sofrendo, ela montou em Lucion, o dragão esverdeado levantou voo sendo seguido pelo irmão negro.

Reino de Andalasia

- O rei está morto! - falou Ares da escadaria do castelo - Eu o matei, tomei seu reino e seu povo, e pelas leis do nosso continente eu sou o novo rei

Perseu urrava de raiva, suas narinas soltavam ar quente e seus olhos transbordavam ira, apertou o cabo de sua espada e andou pelo meio da multidão de soldados e pessoas do reino, se postou a vista de Ares gritou

- Você é um usurpador, pelas leis de nosso continente eu sou o rei de Andalasia
- E quem te fez herdeiro de Andalasia ? Até onde vai o conhecimento de todos Frederick só tinha uma filha, e mulheres não herdam um trono
A não ser que elas tenham marido Ares, eu sou Perseu Jackson, na noite passada casei-me com Annabeth Chase o que me torna o herdeiro legítimo desde reino, apenas se você me matar e matar a sua sobrinha poderá ser rei de Andalasia, ordeno que saia de nosso reino ou terei que matá-lo
- Eu não tenho medo de um moleque

Ares desceu as escadas brandindo sua longa espada, Perseu também brandiu a sua pronto para começar um duelo, o primeiro tintilar de espadas ecoou, Percy estava fadigado, já Ares não havia batalhando tanto, deixou que seus homens fizessem o trabalho, estava em vantagem de Percy, ainda sim o jovem continuava ágil com sua espada, Ares desviava de seus ataques com destreza, mas ele era grande demais enquanto Percy era um pouco menor e com maior rapidez, por um pequeno segundo de distração de Ares Perseu conseguiu acertar seu braço desnudo, Ares urrou de dor pelo corte, mas não desistiu, os ataques se tornaram um pouco lentos, porém ainda precisos, até que Percy sentiu a perna falhar e falta de sangue o deixar tonto, alguém havia o acertado por trás com uma lança, Percy fincou sua espada no chão e se apoio na mesma

- Covarde! - gritou o mais novo - Seus homens me acertaram por trás

Ares nada disse, nem mesmo aproveitou o momento de fragilidade do mais novo, poderia muito bem matá-lo, porém ele ainda era digno, jamais se aproveitaria da covardia de um de seus homens, a lança estava fincada na parte traseira da perna direta de Perseu, um de seus soldado o ajudou e retirou a lança acompanhada de um grito sofrido do jovem príncipe, Ares abriu a boca para falar algum até que percebeu uma grande sombra os cobrir, olhou para cima e avistou a barriga e enormes asas esverdeadas, o dragão pousou próximo ao castelo sendo acompanhado de um outro ainda maior e de coloração negra, avistou montada no dragão verde sua sobrinha Annabeth, poderia não reconhece-la, mas olhos cinzentos herdados de Atena não negavam sua identidade

- Eu sou Annabeth Chase Jackson, rainha de Andalasia, e ordeno que saia de meu reino ou irá sofrer as consequências de seu saque e do assasinato de meu pai
- O que irá fazer ? Me queimar vivo ? Saia de cima deste dragão e faça-me alguma coisa mulher! Você não é nada sem estas bestas

Annabeth semicerrou os olhos cinzentos, sabia que não poderia fazer nada, Ares possuía o porto grande, Perseu estava praticamente deitado no chão com algum tipo de ferimento na perna sendo tratado, o pai estava morto, ela estava com duas armas vivas, não usá-las por causa de uma provocação ? O silêncio era a única coisa que todos escutavam, até passos serem ouvidos, Atena caminhava em passos decididos até o irmão, vestia um vestido simples e branco, o rosto abatido e os cabelos soltos

- Você não deveria está aqui, é a mim a quem deve sua vingança tola - falou a mulher mais velha
- Tola ? Tola é você que fugiu pros braços do primeiro homem rico que achou, me largou na miséria, não ajudou a reconstruir o nosso reino, ou esqueceu que era princesa de Arian até se casar com Frederick ?
- Ajudar você ? Você ? Quem deveria me proteger de tudo, meu irmão que tanto amei, abusou-me, fazia tudo que papai mandava mesmo sendo coisas horrendas, ainda sim fez, por que eu o ajudaria Ares ? Nem mesmo você se ajuda, é um homem horrível e cruel, não merece nem migalhas

Em sua fúria, Ares agarrou o pescoço da irmã e apertou, Atena segura o braço do irmão com as duas mãos buscando ar, Annabeth observava tudo pronta para tentar tirar Ares de cima de sua mãe, mas ela não podia fazer senão queimaria os dois vivos, Ares jogou Atena no chão

- Eu não tinha outra escolha! Ou ele me mataria
- Se me amasse como irmão não teria medo de morrer pelo o que é certo!

Os olhos escuros de Ares encararam Atena da pior forma possível, ele levantou sua espada, Perseu tentou se levantar, Annabeth tentou descer de Lucion, mas era tarde, Atena já não mais tinha vida, Annabeth segurou firme no pescoço de Lucion, o semblante irado, as íris cinzentas estavam em tempestade com lágrimas escorrendo, a diplomacia já não mais importava.


Notas Finais


espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...