1. Spirit Fanfics >
  2. A Herdeira (Percabeth) >
  3. Vitórias

História A Herdeira (Percabeth) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Quero agradecer a todos os comentários do capítulo passado! Me deixaram tão extasiada que tive que atualizar logo! Espero que gostem

Capítulo 5 - Vitórias


Fanfic / Fanfiction A Herdeira (Percabeth) - Capítulo 5 - Vitórias

Reino de Atlanta 


Estava escuro e frio, Perseu mal podia ver Blackjack no breu da noite por conta de suas escamas negras, se não fossem suas íris avermelhadas o dragão seria quase invisível, seus homens estavam aos seus postos quietos e aguardando o rair do sol para poderem atacar.
Annabeth e Tayson sobrevoaram os céus por alguns horas, quando chegaram a Atlanta já era noite, o dragão Lucion aterrissou um pouco antes do Castelo perto da floresta que o cercava para não serem vistos pelo exército ariano, Annabeth conseguia sentir o animal inquieto, sabia o que ele queria, deixar Tayson a salvo com sua família, mas colocaria em risco a vida dos dois se passassem pelo exército, uma flecha podia não acertar o dragão mas sim eles

— Acalme-se creio que Percy já está com algum plano — disse Annabeth alisando o dorso do dragão
— Você gosta dele — comentou Tayson
— Lucion é adorável, nunca vi criatura tão bela — comentou Annabeth observando as escamas esmelradas com fundo dourado
— Estava dizendo, que gosta de Percy não de Lucion, aliás estou até surpreso por ter conseguido montar ele, Perseu quando souber ficarar mais encantado por você minha senhora
— Oh não Tayson, eu e seu irmão...
— Por favor, eu não lhe presentiei com este cordão e meu pai muito menos, é um cordão tradicional de cortejo dos Jackson, mamãe tem um igual de quando papai foi desposa-la
— Eu não sabia disso, achei que era apenas um agrado — comentou Annabeth com as bochechas rosadas
— Ele a deseja como esposa Annabeth e meu pai sabe disso e eu acabei descobrindo que você fora prometida a ele e não a mim
— Explique-me por favor – pediu Annabeth se sentando encostando suas costas no dorso do grande animal
— Quando você era apenas um bebê nossos pais negociaram sua mão e seria de Percy, eu não era nem nascido, nasceria dois anos depois de você e Percy já tinha 3 anos, quando você nasceu eles foram lá lhe conhecer e então aconteceu esse acordo, mas agora meu pai está tentando quebrar porque acha que é o certo
— Não, seu pai está fazendo isso para cada filho dele ter um reino
— Não se preocupe, Percy sempre consegue o que quer e com você não seria diferente
— Eu não sou um objeto a ser disputado! — esbravejou-se Annabeth
— Ninguém a esta disputando senhora! Ah Não ser Jason Grace, não sei as intenções dele, mas eu não pedi para meu pai fazer esta proposta, minha senhora eu tenho apenas 15 anos acha que gosto disso tanto quanto você? Entendo bem que prefira um homem à um rapaz
— Oh Tayson não quis ofendê-lo, apenas estou farta destes joguinhos políticos
— Annabeth você será a rainha de Andalasia um dia, seu pai conta com você não pode se esconder para sempre destes joguinhos políticos e acredite sua maior arma política é o casamento e sei que deseja meu irmão tanto quanto ele a deseja, deveria provar para seu pai e para o meu que você é a rainha ideal para os dois reinos ou irá esperar Percy ? Ele vive em guerras, enquanto ele está no campo de batalha esteja no campo político
— Não sei se consigo!
— Claro que consegue! Você é jovem e inteligente casando com um militar como Percy, vocês poderiam mandar no continente todo!
— Você está exagerando – diz Annabeth risonha
— Estou? Uma mulher inteligente e um homem militar, dois dragões e dois exércitos, acho que dá sim para conquistar o continente
— Está bom assim, só de pensar de ser rainha é estressante quem diga de um continente todo

Annabeth e Tayson se encostam no animal, o dragão parecia descansar, os dois não tinham mais o que fazer além de se esquecerem no dorso quente do animal já que uma fogueira chamaria atenção.
Ao amanhecer Perseu acordou seus homens um a um sem fazer ruídos ou qualquer barulho, montou em seu dragão e deu o sinal aos homens que saíram na frente, Perseu colocou seu elmo e deu o comando ao animal que abriu as grandes asas negras e se colocou à voar. Perseu percebeu seus homens esperando os arqueiros do Castelo começarem o ataque, assim que viram as flechas e os arianos tentando bater em retirada os seus homens começaram o ataque falso, Perseu olhou tudo de cima, até seus homens se espalharem pelos lados deixando os arianos confusos fora hora que Perseu entrou com Blackjack, pode perceber o terror nos olhos, mas ele não sentiu nenhum remorso quando proferiu o comando de fogo para Blackjack o dragão abriu sua bocarra e começou a queimar os homens com armaduras vermelho sangue e estandartes arianos.
Annabeth e Tayson viam tudo pela florestas, Lucion parecia disposto a entrar na batalha também já que começou a abrir as assas

— Lucion! — chamou Annabeth — precisamos ir ao Castelo!

O dragão a encarou com suas grandes íris vermelhas, Annabeth estava apavorada poderia facilmente ser queimada viva como o que estava acontecendo com os arianos, mas o dragão simplesmente abaixou as assas e deu permissão para a jovem subir, Annabeth abriu um sorriso e chamou Tayson, com a luz do dia Lucion poderia se localizar melhor, flechas estavam sendo atiradas dos muros dos Castelo, Perseu estava montando em Blackjack queimando todo o cerco, Annabeth segurou firme em Lucion e pode sentir quando o dragão avançou e voou pela lateral do Castelo para não ser atingido pelas flechas.
Perseu se distraiu por segundos quando percebeu o vulto esverdeado sobrevoando até o castelo, sabia que era Lucion mas alguém estava montando nele, a distração de Percy fora a perfeita hora que um arqueiro ariano acertou sua ombro o fazendo peder equilíbrio e cair da montaria, graças aos Deuses não estava tão longe do chão, Perseu se levantou do chão lamacento e olhou para cima "fuja" foi a única coisa que conseguiu pensar enquanto Blackjack continuar queimando o pequeno exército ariano, Perseu arrancou a flecha que mal passou por sua armadura, desembanhou sua espada e começou a lutar com todos que viam para cima de si, acertou um ariano na barriga que utilizava apenas malha de cota, estavam todos desprotegidos por terem sidos pegos desprevenidos, Perseu se alegrou e voltou a atacar, até que um homem que parecia ser o general do exército tentou o atacar, Perseu desviou de seu ataque e suas espadas se encontraram, o tintilhar de aço contra aço era música aos ouvidos de Perseu quando desviou a espada do homem o herdeiro de Atlanta o acertou com um golpe na panturrilha, mas não ele não morreria assim, Percy largou sua espada e acertou um murro no rosto do general até que ele caiu, todos pararam de lutar e observaram, Blackjack aterrissou próximo ao Castelo

— Este homem, debocha de minha soberania e ele será executado aqui mesmo neste campo, porém aos meus modos, levante-se! — falou Percy e o homem se levantou aos tropeços — qual é o seu nome ?
— General Darry

Perseu sentiu Blackjack atrás de si, ele sabia, Blackjack sempre sabia quando iria executar alguém

— Senhor Darry, eu, Perseu da Casa Jackson, herdeiro de Atlanta, o sentencio a morte por invadir as terras de meu reino em nome de seu suserano, Φωτιά (fogo em grego)

General Darry apenas fechou os olhos quando o dragão abriu a bocarra com enormes dentes irregulares, o fogo o queimou vivo em questão de segundos, as propriedades mágicas no fogo de dragão eram incomparáveis ao fogo comum.
Annabeth assistia tudo montanda no dorso de Lucion um pouco afastada, mas ainda ouviu Perseu executar o homem e ali ela percebeu o quanto de poder Percy exalava e era esse tipo de poder que Andalasia precisava, era o poder que ela precisava, antes que Perseu a visse ela tentou fazer Lucion voltar ao Castelo e para sua surpresa o dragão a obedeceu novamente e ela sobrevoou até o castelo.

Jardim do Castelo de Atlanta 


– Me informaram que estaria aqui vossa alteza — falou Percy entrando no Jardim quando avistou Annabeth de costas olhando a fonte
— Que suto Percy! – Annabeth se virou para ele

Perseu analisou Annabeth seus cabelos estavam um tanto arrepiados, tinha a barra do vestido suja e chamuscada, os pés descalços e as mãos calejadas

– Quando montar em dragão use luvas apropriadas, eles são quentes, deixe-me ver – pediu ele e Annabeth estendeu aos mãos
— Como sabe que montei em seu outro dragão? — perguntou Annabeth olhando Percy enfaixava suas mãos
— Porque minha mãe viu o exato momento em que você pousou aqui com Tayson e logo depois saiu novamente com Lucion, pretendia entrar na batalha Annabeth? — os olhos verdes mar de Perseu a acusavam tão profundamente que Annabeth engoliu em seco
— Estava disposta a ajudar um aliado, ele estava me obedecendo!
— Você o domou Annabeth, Lucion já não mais me pertence
— Não posso! Ele é seu, apenas tentei ajudar
— Sei que sim, mas uma vez domado ele irá obedecer somente a você até sua morte, ele saberá onde está e irá procura-la
—O que farei Percy? — perguntou Annabeth
— Não fará nada, apenas deixe seus instintos a guiarem, terá apenas de alimenta-lo senão inocentes podem perecer
— Carne humana? — pergunta Annebeth incrédula
— São carnívoros não? Venha as criadas já preparam um banho para você a levarei o quanto antes para Andalasia, já informei seu pai, ele e os Graces estão bastante preocupados com você

Percy lhe estendeu a mão e Annabeth aceitou de bom grado, o jovem herdeiro a guiou até um quarto onde a criada a esperava com o banho pronto, Perseu saiu e seguiu caminho até o escritório do pai, ainda estava sujo, porém apenas vestia suas roupas normais a armadura havia tirando assim que entrou no castelo, quando entrou deu de cara com Poseidon reflexivo

— Vencemos — disse Percy
—Sim, muito bom meu filho, sinto muito não ter ido a campo com você
— Não, o senhor fez o que era certo, jamais me perdoaria em deixar mamãe a mercer de meros guardas
— Eu também não me perdoaria, Tayson está aqui o dragão Lucion fez questão de traze-lo
— O senhor quis dizer Annabeth e Lucion fizeram questão de o trazer
— A princesa não estava em seu juízo perfeito quando subiu naquele dragão, Frederick me relatou que ela gritava, chicotiava o animal...
— Ela o domou pai o senhor sabe o que isso significa

Perseu deixou a sala e fora se banhar. Annabeth estava devidamente vestida com um vestido rosa simples e leve, seus cabelos foram puxados para atrás com algumas tranças, fora posto sua mesma tiara e o colar que havia ganhado de Percy, a princesa agradeceu aos serviços da criada e saiu a procura de Perseu que a levaria para casa, até que esbarrou com Poseidon, ela fez uma referência pedindo perdão

— Não há nada criança, vejo que devo teme-la domou um dos dragões
— Não deve vossa alteza, sei que fui imprudente em meu ato, mas Tayson não conseguiria vim sozinho Lucion estava muito agitado
— Sim você é muito mais do que um rosto bonito princesa Annabeth
— Sou muito mais do que o senhor ver rei Poseidon, eu seria uma ótima aliada no futuro e vejo que o senhor perdeu uma de suas forças, sei que Lucion irá comigo para onde eu for agora que o domei, não seria pertinente continuar mantendo as duas forças?
— O que está insinuando princesa Annabeth ?
— Que o senhor cumpra com o que prometeu a meu pai, se eu me casar com Perseu estarei sempre perto dele assim como Lucion também
— Você é esperta, eu posso manter minha promessa, mas o que fará com Jason Grace? Pedirá perdão pelas falsas esperanças? Lembre que não fora eu que convidei Zeus a Andalasia, sua mão minha senhora já não é mais só de Percy
— Minha mão pertence a quem for favorável ao meu reino
— Então duele com Jason Grace por sua mão princesa

Zombou Poseidon saindo para outra ala, Annabeth estava com as maçãs do rosto avermelhadas, achava que já teria resolvido suas questões políticas, mas havia esquecido do detalhe loiro de olhos eletrizantes, suspirou e perguntou a algum dos criados onde estaria Percy, logo fora informada que o jovem príncipe estava a aguardando nos jardins, Annabeth andou até lá apressada como se conhecesse o castelo há tanto tempo e conhecia, tinha uma memória boa mesmo que fizesse anos que não visitava Atlanta, quando chegou aos jardins viu Percy brincando com a água da fonte enquanto cantalorava

— Percy — chamou Annabeth
— Ah vossa alteza perdão não a vi entrando — Ele caminhou até ela — uma rosa para outra rosa

Perseu entregou uma bela rosa vermelha para Annabeth, ela a pegou e agradeceu, sentiu seu coração acelerar e suas pernas falharem por um instante, encarou os olhos verdes mar de Perseu e sorriu em agradecimento

— Devemos partir logo, apenas esperar que Grover termine de alimentar Blackjack e Lucion
— Iremos nos dragões? — pergunta Annabeth surpresa
— E por que não? Creio que Lucion a acompanharia de qualquer jeito
— Ficará em Andalasia? — perguntou Annabeth esperançosa
— Tenho assuntos a tratar com seu pai e com Jason Grace
— Seu pai irá também?
— A cavalo creio, temos negócios com seu pai Annabeth, de modo ou outro ele está quebrando uma promessa
— Assim como seu pai, eu não sou nenhuma garotinha ingênua Perseu, sei que estão fazendo
— Eu sei Annabeth e por isso a admiro muito e penso que esteja conquistando meu pobre coração com tamanha bravura que demonstra a cada dia
— Perseu eu... Eu acho que também estar a conquista-me
— A prometo Annabeth que a farei minha senhora custando o que custar
— Acha que estamos certos disso ? E se for apenas passageiro ?
— Terá de me queimar vivo para casar -se com outro

Annabeth soltou um riso e encarou novamente a face de Perseu, ele era belo! A luz do sol o deixava cada vez mais atraente, suas íris verde mar brilhavam, seus cabelos negros bagunçados o davam um charme maior e seus lábios! Róseos e convidativos, Perseu pareceu se aproximar e puxar as mãos enfaxadas de Annabeth, quando pensou que selaria os lábios com os de Percy os dois ouviram uma voz

— Meu senhor os dragões estão devidamente alimentados e descansados, apenas no aguardo — falou Grover
— Obrigada Grover Annabeth e eu já estamos a caminho

Perseu sorrir e da o braço a Annabeth, que aceita de bom grado.


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...