História A Híbrida - Capítulo 7


Escrita por: e Aninhaplays05

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Escola, Mistério, Segredos, Vampiros
Visualizações 5
Palavras 1.196
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oi meu povo lindoooo, amanhã tem mais em...

Capítulo 7 - Perguntas sem respostas...


Fanfic / Fanfiction A Híbrida - Capítulo 7 - Perguntas sem respostas...

-Vá embora! Você não tem nada aqui!

-Eu só vim ajudar alguns amigos...

-Imagina! Aqui não é seu lugar e nunca será!

Ele apertava meu braço, seus olhos vermelhos apenas confirmavam que ele era um vampiro, eu realmente não poderia invocar nenhuma arma naquele momento era perigoso para mim, fechei os olhos pedindo que alguém me ajudasse, então senti uma mão no meu ombro, a pessoa me puxou, segurou minha mão e me manteve atrás dele.

-Senhor Kameko! -Hotaru estava ofegante provavelmente correu muito.

-Ah, senhor Shiori! Que prazer poder revê-lo!

-Sim...

Ele estava segurando minha mão, fiquei brava com isso,  mas eu estava surpresa de mais para reclamar, sem contar que ele tinha acabado de me salvar de um vampiro sem nem saber.

-Parece que conhece a garota.

-Sim, ela é uma amiga de longa data...

-Me desculpe então, não gosto de ver crianças andando sozinhas por ai pode ser perigoso.

Ele tinha acabado de me chamar de criança! Que raivaa!

-Ela não é uma criança, ela tem minha idade na verdade.

-Oh, mas ela e tão pequena me desculpe senhorita

Eu o encarei que cara falso! Ele estava tentando me matar!

-Me desculpe pelo transtorno, senhor Kameko -o Hotaru se curvou.

-Não me importo, mas nas próximas vezes não deixe sua namorada andando por ai, ainda mais o tipinho dela pode gerar confusão.

-Ela não é minha namorada, bem longe disso!

Credoooo!

-Ah que pena, vocês me lembram tanto a Aimi Sayuri e o Kayo Katsumi, eles eram iguaizinhos  a vocês dois...

Espera, aquele homem conheceu meu pai? Como um vampiro conhecia meu pai? Kayo Katsumi! Como ele...

-Enfim, o avô dela está preocupado, eles vieram ajudar na minha mudança e do Sora, me desculpe de novo. -ele se curvou novamente.

-Melhor irem! Tome mais cuidado na próxima garotinha!

O Hotaru me puxou, eu estava explodindo de raiva! Como um vampiro conhecia meu pai?! E quem era essa tal de Aimi Sayuri?!

Eu estava do lado do Hotaru, eu não tinha me tocado que ele ainda segurava minha mão.

-Ei! -Eu soltei minha mão.

-Desculpa, aquele diretor me dá medo.

Era compreensível humanos terem medo de vampiros.

-Ele parece perigoso mesmo...

-Não, Ele é inofensivo... Você que é uma desastrada!

-Eu? Ele que trombou comigo!

-Mas eu concordo com ele, não deveria perambular por aí, aconteceram muitos casos de desaparecimentos por aqui ultimamente, não devia andar sozinha!

Provavelmente foram os vampiros que causaram os desaparecimentos, mas eu sabia me virar sozinha!

-Entendo...

-Aliás, não saia por ai! É muito irritante e chato te achar!

-Eu não ligo se ia me achar ou não! Eu sei me virar sozinha!

-É? E como vai voltar para sua casa sendo que seu avô foi almoçar?

-Eu não acredito! Ainda bem que sempre tenho tickets do metrô comigo!

Ele deu uma risada sarcástica.

-O que foi agora Hotaru?!

-Nada, Você acha que sempre vai fazer tudo como quer e tudo vai dar certo, mas adivinha, não deu! Nessa escola e no... -ele parou, pareceu que ele quase disse oque não devia.

-No quê Hotaru?!

-No...no...Que seja! tchau!

Ele saiu andando na frente, eu corri para alcançar ele, impossível que ele ainda se lembrasse do parque.

-O que você ia dizer?!

-Que você é insuportável e que eu estou feliz por ter me livrado de uma garota mesquinha como você!

Eu parei, não imagina que ficaria tão triste ao ouvir aquilo dele, era esperado mas... magoou, baixei a cabeça.

-Tudo bem...

Eu me virei e segui na direção oposta a ele.

-Se é isso que pensa Hotaru, tudo bem.

Eu caminhei até a saída, no meio do caminho o Sora me encontrou.

-Aika! Que bom!

-Oi Sora...

-O que aconteceu?

-Nada, eu só quero ir embora, não sou bem vinda nessa escola.

-Ei Aika!

-Até mais Sora.

Passei por ele de cabeça baixa, eu realmente sempre achei que as provocações do Hotaru eram só brincadeira de mau gosto, mas ele falava sério, ele não gostava da minha companhia...

-Aika...

Sora me segurou pelo braço e me abraçou, seu abraço era tão quentinho e acolhedor, eu comecei a chorar.

-O que foi Aika?

- O Hotaru me odeia de verdade?

-Não acho que seja isso...

-Meu dia está péssimo! Vocês foram embora! Não tenho mais amigos! Não entrei! Tudo está dando errado!

-Aika, fique calma, tudo vai ficar bem, eu estou aqui! Não fale que não tem amigos isso vai me deixar chateado!

Ele passava a mão na minha cabeça.

Eu soltei ele e enxuguei minhas lágrimas.

-Tenho que ir, Obrigada Sora.

-Esta melhor?

-Sim, com certeza! -me senti mal por mentir para ele, mas realmente queria ir embora...

-Eu iria com você, Mas eu tenho que arrumar o quarto, então até?

-Até, logo venho te visitar algum dia...

-Sim, sim, agora vai se não pode perder o trem.

-Tchau Sora!

-Tchau.

Eu corri até o metrô, ainda bem que deu tempo de pegar o meu trem...

Eu não poderia ir visitar o Sora por um tempo, tinha que arrumar umas coisas em casa, e eu iria tentar falar com o diretor de novo, e descobrir o que ele sabia sobre meu pai, e quem era a mulher de quem ele falou.

Resolvi arrumar o meu quarto que antes era do meu pai, o chão era de tábuas e eu tinha pintado as paredes de Rosa bem claro, na porta do meu guarda roupas eu desenhei uma rosa enorme, já que era o símbolo da família  Katsumi, resolvi tirar o pó da parte de cima do Guarda roupas, então percebi que tinha algo estranho na tinta do teto em cima do Guarda roupas, uma espécie de quadrado coberto pela tinta, procurei e achei um buraco pelo qual dava para puxar então abri um compartimento onde tinha uma pequena caixa de música vermelha..

Peguei aquilo e me sentei no chão, abri a caixa, tinha uma fotografia ali, reconheci meu pai e uma moça de longos cabelos escuros e olhos esverdeados estava do lado dele segurando um bebê, ao lado deles estava ninguém menos que o diretor da Santa Mônica! Por que? E quem era aquela mulher?

Deixei a foto de lado, na caixa ainda tinha um colar, o pingente era um lírio, eram as únicas coisas, mas, por que meu pai havia escondido aquilo? Guardei a fotografia na caixa e a coloquei de volta no compartimento secreto, estava escondido ali por alguma razão, já que tudo que era do meu pai estava guardada na antiga oficina dele no quintal da casa da minha avó. Então eu coloquei o colar, escolhi acreditar que aquilo foi da minha mãe, eu fiquei feliz por finalmente ter comigo um pedacinho dela...

Me deitei mas não consegui dormir muitas perguntas batucavam na minha cabeça:

-Por que aquilo estava escondido?

-Como o senhor kameko conheceu meu pai?

-Quem era aquela mulher?

-Por que o colar era um lírio?

Mas algo não estava certo, e me incomodava mais ainda... O que o senhor Kameko estava fazendo naquela fotografia?

Eu com certeza entraria na velha oficina, e tentaria encontrar o máximo de respostas possíveis eu realmente tinha a impressão de que o primeiro lugar onde deveria procurar era lá...

 


Notas Finais


tutu bom? Recadinhos rápidos:
- logo vou desenhar o guia de armas da aika e outros personagens
- Quando chegar a 10 favoritos vou postar um especial,-Trocamos?-
- no próximo vamos finalmente descobrir.... Quem é a mulher da foto
- E mais....
bjs: Yumemiruhito S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...