História A Híbrida - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Chapeuzinho Vermelho, Erótico, Evil Queen, Foda-se, Hoodmillsfamily, Lana Parrilla, Lobisomens, Once Upon A Time, Ouat, Outlaw Queen, Outlawqueen, Red Queen, Regina Mills, Robin Hood, Sean Maguire, Seana, Vampiros
Visualizações 42
Palavras 1.752
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu dei uma viajada no final mas tá legal.

Capítulo 17 - Jin


Fanfic / Fanfiction A Híbrida - Capítulo 17 - Jin

Tinha colocado uma maquiagem leve para Jin se acostumar a mim, um vestido azul solto e confortável. Robin estava com Jin no colo, me aproximei e a coloquei em meus braços, ele hesitou no início, mas levei Jin para fora do quarto.

-Oi Jin, nós vamos dar uma volta, tá? -digo e ela ri, era um bebê tão fofinho! Ela estava com o vestido que Robin me deu, ficou lindo nela. -Você tá muito linda, meu amor. -digo, encontro meu pai no caminho, acho que ele ficou feliz em me ver sorrindo. -Oi, pai!

-Está sorrindo... Como vai ela? Se desculpou com o Robin? -ele pergunta, afirmo com a cabeça me referindo a segunda pergunta, logo passo Jin para os braços dele.

-Ela está bem, e não... Quero ficar muito tempo com ela. Não quero me apegar a ela, já me desculpei com ele e quero voltar a ser o Quen. -digo, cruzando os braços, logo em seguida descruzando e voltando para o quarto. -Coloque-a no seu quarto um pouco, eu tenho assuntos pendentes com o Robin. -digo maliciosa. -Robin, temos uma coisa pra resolver, e, é sobre a sua traição, você irá ter sua punição amor. -digo, num estalar de dedos deixei-o nu, no sofá perto da lareira e com os braços amarrados. -E eu vou punir você. -tudo que eu vestia era o mesmo vestido azul.

Fiquei na ponta do sofá, fui arrastando meu dedo indicador por suas pernas, até chegar em seu abdômen, ele se arrepiou, arranhei seu peitoral só de sacanagem, levei a mão até seu queixo e apertei.

-Se masturbe, agora. -ordeno soltando uma de suas mãos, ele sorriu e levou a mão até se pênis, começou a se masturbar, mordo os lábios ao vê-lo fazendo isso. Quando já estava totalmente ereto, segurei seu bíceps. -Pare. -ordeno, logo levantando meu vestido e subindo em seu colo, seu membro escorregou pra dentro de mim, eu gemi aliviada ao senti-lo dentro de mim de novo. -Ai, que saudade dele. -digo, comecei a me movimentar, insanamente enquanto apoiava meus braços no sofá, eu o olhava nos olhos, até que fechava de vez em quando.

Comecei a abraça-lo, não suportava mais ficar pendurada, e então sinto Robin tirar meu vestido e joga-lo chão, logo em seguida revirar, agora ele estava em cima e eu por baixo, deixei uma perna caída e a outra presa em seu quadril, ele continuava da mesma forma que eu estava, forte, mas devagar, eu estava meio fraca por causa do parto.

Eu já tinha a boca totalmente aberta e uma expressão de prazer, olhos fecharam, minhas pernas apertava Robin contra mim, suas costas estavam vermelhas pelas minhas unhas, quando cheguei ao orgasmo, o Empurrei, o fazendo cair no tapete.

Já tinha posto meu vestido, o mesmo, e tinha ido ao quarto do meu pai, peguei minha filha que estava na sua cama e levei ao salão principal. Eu queria leva-la ao estábulo, se acostumar com os cavalos, mostrei pra ela um dos potros, era fofinho, a coloquei sentada na palha e sentei-me ao seu lado. Jin brincava com o potro, mas quando a égua volta ela começa a chorar com medo, a peguei no colo e tentei acalma-la, mas ela estava com meso.

-Ah, Jin, é só um cavalo! -digo rindo, a tirando do estábulo, comecei a andar pelo gramado, e eu pensei numa coisa, eu estava criando Jin em uma fazenda, praticamente, tinha cavalos, grama, árvores, muita coisa, e mesmo recém nascida ela conseguiu brincar com o focinho do cavalo. -Bem, vamos pra dentro. Você não gosta daqui.

Voltei para o quarto, coloco Jin no berço, já que ela dormiu no caminho, fiquei encostada na beira do berço, olhando pra ela, se mexia devagar, eu não queria ficar um segundo longe dela.

-Regina, tem uma moça querendo te ver. Tem cabelos castanhos, uma capa vermelha. -ele diz, Igni, Ruby está aqui. -Digo pra ir embora ou vai falar com ela?

-Eu vou. -digo, vou até o salão e lá estava ela, estava dando pulinhos com seus pés. -O que faz aqui, Ruby? -pergunto, já é a segunda que vem atrás de mim. -Algo que eu deva me preocupar?

-Não e sim. Minha alcatéia está precisando de você. -ela diz, cruzo meus braços mostrando interesse, me aproximo mais dela e pego seu rosto nas mãos. -Eu e o Quinn estamos tendo certa implicância com outra alcatéia. Só você pode nos ajudar. -ela diz.

-O que eu ganho com isso?

-Pode nos liderar. Conseguir um novo exército e proteção. Se for, temos que ir agora. -ela diz, penso um pouco, e logo, tenho Jin, não podia deixa-la.

-E quanto tempo eu vou ter que ficar?

-Uma vez no dia tem que aparecer. E... Não quero que faça mal a Branca.

-Eu vou. Mas não será para sempre. -digo, soltando o rosto dela e a puxando para fora do palácio, e fomos anda do até onde a alcatéia dela ficava.

🔯

Qundo entro lá me olham torto, eu pude ver que Branca se escondeu rapidamente, eu sentia o cheiro dela. Fechei meus olhos e imaginei, no mesmo momento que todos piscaram, apareci na frente de Branca cercando com meus braços ao redor dela.

-Por que está com medo de mim? -pergunto me fingindo de ofendida, eu acabei rindo, ela fechou a cara e tirou meus braços do redor dela. -Eu não vim por você, tá bem? -digo indo embora, logo sinto um braço me puxar. -O que foi agora?! -quando me virei, não era Branca, e sim uma mulher de cabelos negros, morri os lábios ao ver o decote dela. -E você é?

-Anita. Eu sou a mãe da Ruby. -ela diz, sorrio irônica.

-Encontramos a mãe da pirralha. -digo rindo, os olhos delas ficaram amarelos e eu achei isso... Não me julgue, sexy. -Não se preocupe, eu não fiz mal a lobinha? -digo, me afastando e indo atrás de Ruby. -Escuta aqui, se mais alguém implicimplicar comigo vai perder muito sangue. -digo.

-Não pode. Eu disse pra eles que você é um lobisomem, mas só um lobisomem. Não sabem que você é Híbrida. Odeiam vampiros.

-Essa passa, Ruby, e eu já impliquei com sua mãe. -digo e ela me olha preocupada, apenas dou uma risadinha e me encosto na parede.

-Só... Não faz com ela o que você fez comigo. -ela diz, mas me aproximo a pequenos passos, peguei seu rosto nas mãos, levei minha mão até sua nuca.

-Eu te deixei louca, Igni?

-Não me chame de Igni! -ela diz, eu estava a deixando nervosa, os olhos dela brilharam, apertei sua nuca e a pus contra a parede. -Estão olhando.

-Eu não me importo! Eu não vim por vocês, eu só quero me distrair! -digo, meus olhos ficaram de uma cor diferente, um marrom, escureceu todo meu olho, ela abaixou o olhar e a soltei. -Tenho mais coisas pra fazer.

-Não, tem que nos ajudar. -Ruby insiste, me viro pra ela, olhei pra Anita, ela me intimidava com o olhar, mas eu não tinha medo dela, escureci meus olhos novamente e ela fez o mesmo que Ruby, baixou a cabeça. -Mostre pelo menos como se transformar e quem você é.

-Isso eu posso fazer. Não vão gostar nem um pouco do que vão ver.

Eu estava na frente de todos apenas com um pano no corpo, meu vestido iria rasgar, todos olhavam pra mim de forma desconfiada, eu poderia muito bem estar usando magia. Fechei meus olhos, relaxei, e logo me curvei, Anita achou que eu estava me machucando, então se aproximou.

-Você está bem? -ela pergunta, mas logo viro meu rosto pra ela, meus olhos estavam vermelhos e um pouco néon. Senti a pontada na garganta, senti uma boca saindo, estava me machucando, minha mandibula rasgou, consegui rosnar ainda com o pouco que tinha saído.

Eu sei que é muito nojento, mas minha cabeça se estorou, meus braços e minhas costas começaram a se rasgar, minha pele caía e eu era só um bicho estranho com cabeça de lobo. Senti toda minha pele cair, me chacoalhei pra jogar o sangue fora, e lá estava eu, um lobo do tamanho de um cavalo. Vi um deles vomitar, olhei ora ele, e agora que todos sabiam, não se atreviam a olhar nos meus olhos, eles eram castanhos, agora estavam vermelhos.

-Você é o Quen... -Anita diz, olhando para mim, mas não nos olhos, me aproximei de Ruby, e me sentei ao seu lado. -Ruby, ela não é só um lobisomem! Ela é uma Híbrida! Leve ela embora daqui! -um deles tentou ir pra cima de Ruby, mas a ensinei como virar lobo durante o dia, então, foi o que ela fez.

Anita entrou em sua forma, estava de olho em mim, começou a me rondar, então, comecei a uivar. Todos os outros pararam, menos ela, ainda rosnava pra mim, eu era o dobro do tamanho dela. Comecei a rosnar como ela, me aproximei a medida que ela se afastava, mas, alguém me empurrou. Pra falar a verdade, eu não estava entendendo nada. Acho que dói a Ruby, um deles veio até mim e me cobriu com um pano preto e me jogou um dardo, fechei meus olhos e apaguei.

Acordei na cama daquele lugar, era noite, peguei meu vestido que estava do meu lado, vesti, e voltei pro meu castelo preocupada com Jin. Graças a Deus ela estava com Robin, ele a pageava para parar de chorar.

-Onde estava? Jin está com fome. -ele diz, pego Jin no colo e me sento na cama, resolvi tirar de uma vez o vestido, Robi n olha por todo meu corpo, apenas me remexo um pouco, Jin começou a mamar e então fiquei quieta.

-Não se preocupe, Robin, eu estava com Ruby. -digo, ele se deita ao meu lado na cama e se cobre virado para o outro lado, mão podia ser tão tarde assim. -Já vai dormir?

-É, vou. Jin ficou quieta só agora . -ele diz, apenas rio baixo e termino de alimentar Jin. Coloquei ela no berço e voltei pra cama, abracei Robin e beijei sua nuca...

-Eu ainda tô nua, quer um pouco? -pergunto, ele apenas se vira e me beija, provavelmente um sim, abracei seu pescoço, ele levou a mão até minha bunda e apertou, eu apertava seus braços, mas, tudo que começa, acaba. Ele apenas terminou com celinhos e me virou de costas me abraçando. -Está com tanto sono assim.

-Sim. Vai dormir, Quen. -ele diz, apenas nos cobri e fiz o que ele pediu. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...