História A história de Bella Lastrange - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Aberforth Dumbledore, Abraxas Malfoy, Alastor Moody, Alecto Carrow, Alice Longbottom, Alvo Dumbledore, Alvo Potter, Amycus Carrow, Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Antíoco Peverell, Antonin Dolohov, Arabella Figg, Argo Filch, Ariana Dumbledore, Armando Dippet, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Augusta Longbottom, Augustus Rookwood, Avery (Marauder-era), Avery (Riddle-era), Barão Sangrento, Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Cadmo Peverell, Caradoc Dearborn, Carlinhos Weasley, Cassandra Trelawney, Cassandra Vablatsky, Cedrico Diggory, Charlus Potter, Cho Chang, Colin Creevey, Córmaco Mclaggen, Cornélio Fudge, Cuthbert Binns, Dama Cinzenta, Daphne Greengrass, Dênis Creevey, Dino Thomas, Dobby, Dolores Umbridge, Dominique Weasley, Dorcas Meadowes, Dorea Black, Draco Malfoy, Duda Dursley, Edgar Bones, Eduaphora Mergus, Emmeline Vance, Ernesto Macmillan, Euphemia Potter, Evan Rosier, Fabian Prewett, Fenrir Greyback, Fílio Flitwick, Fineus Nigellus, Fleamont Potter, Fleur Delacour, Franco Longbottom, Fred Weasley, Fred Weasley Ii, Frei Gorducho, Galatea Merrythought, Gellert Grindelwald, Gideon Prewett, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Glenda Chittock, Godric Gryffindor, Gregory Goyle, Grope, Gui Weasley, Gwenog Jones, Harold Minchum, Harry Potter, Heberty Beery, Helena Ravenclaw, Helga Hufflepuff, Hermione Granger, Hestia Carrow, Horácio Slughorn, Hugo Weasley, Ignoto Peverell, Jorge Weasley, Katie Bell, Kingsley Shacklebolt, Lilá Brown, Lílian Evans, Lílian L. Potter, Lino Jordan, Lorcan Scamander, Lord Voldemort, Louis Weasley, Lucius Malfoy, Lucretia Prewett (Lucretia Black), Lucy Weasley, Lukas Karuzos, Luna Lovegood, Lysander Scamander, Marcus Flint, Marlene Mckinnon, Merlin, Merope Gaunt, Mila Bulstrode, Minerva Mcgonagall, Ministro Milicent Bagnold, Miranda Goshawk, Molly Weasley, Molly Weasley II, Mulciber, Mundungo Fletcher, Murta Que Geme, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Newton Scamander, Nick Quase Sem-Cabeça, Nymphadora Tonks, Olive Hornby, Olívio Wood, Órion Black, Padma Patil, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Pedro Pettigrew, Penélope Clearwater, Percy Weasley, Personagens Originais, Petunia Dursley, Pirraça, Pomona Sprout, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Quirinus Quirrell, Rabastan Lestrange, Regulus Black, Remo Lupin, Rita Skeeter, Rodolfo Lestrange, Rolanda Hooch, Rolf Scamander, Ronald Weasley, Rose Weasley, Rosier, Rowena Ravenclaw, Roxanne Weasley, Rúbeo Hagrid, Salazar Slytherin, Scorpius Malfoy, Severo Snape, Sibila Trelawney, Simas Finnigan, Sirius Black, Sra. Cole, Ted Lupin, Theodore Nott, Thorfinn Rowle, Tiago Potter, Tiago S. Potter, Tom Riddle Jr., Tom Riddle Sr., Tracey Davis, Valter Dursley, Victoire Weasley, Viktor Krum, Vincent Crabbe, Walburga Black, Walden Macnair, Wilhelm Wigworthy, Wilhelmina Grubbly-Plank, Yaxley, Zacharias Smith
Tags Harry Potter
Visualizações 42
Palavras 1.638
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que estejam gostando

Capítulo 4 - Cartas


Fanfic / Fanfiction A história de Bella Lastrange - Capítulo 4 - Cartas

Na manhã seguinte, eu e os meninos fomos para o salão principal tomar nosso café da manhã, tinha várias coisas, ovos fritos, torradas, bolos e várias outras coisas. A Profa. McGonagall distribuiu nossos horários, eu fui ver o da Hermione e realmente estavam todos no mesmo horário, esse ano eu não iria fazer Adivinhação esse ano, não gosto da Profa. Trelawney, ela é muito mentirosa ao meu ver. Neste momento, ouvimos um farfalhar de asas, olhei pra cima e vi o correio coruja entrando, as corujas iam até seus donos e entregavam as cartas, vi a coruja da Tonks vindo até mim, ela pousou em meu ombro e me deu uma bocadinho carinhosa na orelha, desamarrei a carta de seu pé e dei um pedaço de pão para ela, ela levantou voo e foi embora.

– É da Tonks? – Perguntou Hermione. Abri a carta e reconheci logo a letra de minha mãe, abri a boca surpresa com a carta. Também tinha uma carta da Tonks também, mas eu vou ler primeiro a da minha mãe.

Olá minha filha, Tonks me disse que você já está em Hogwarts, ela também me disse que você foi para a casa da Grifinoria. Sabe que preferia que você fosse da Sonserina como eu, mas já que aquele chapel idiota escolheu essa casa, não tem problema. Ela me disse também que o Sirius contou tudo a você, aquele patife nem pra me levar junto, esse lugar é horroroso, mas saiba que só de pensar que você está bem e viva eu fico mais tranquila. Esse é o único motivo para eu ainda estar viva na verdade, tenho tanta coisa pra ti contar, mas eu vou esperar sair daqui, quero contar tudo a você pessoalmente. Saiba que estou com muita saudade de você.

Com amor

Mamãe”

– Quem é ?– Rony perguntou.

– Minha mãe.

– Eu não sabia que podiam enviar cartas de Azkaban – Harry disse.

– Nem eu – Abri a carta da Tonks pra me distrair da vontade de chorar, sinto saudades da minha mãe.

Oi bellinha... Eu queria dizer que de vez em quando alguns aurores vão aí em Hogwarts, queria dizer que quando eu for você me fale tudo sobre o que está acontecendo, se manteve contato com Sirius ou algo do tipo. Eu sei que sente saudades da sua mãe, queria que soubesse que vou fazer o impossível para que vocês duas nunca percam o contato ok ? Não chora, chorar trás lembranças ruins as vezes, eu quero ver um sorriso bem bonito nesse rosto ok ?

Te amo

Tonks”

– Sente saudades da sua mãe não é? – Rony perguntou.

– Muita – Peguei minhas coisas e levantei. Não estava mais com fome, ver tudo isso é pensar que minha mãe as vezes passa fome lá na prisão me deixa deprimida.

A minha primeira aula hoje era de Aritmancia, fui até a sala da Professora e sentei em um lugar escondido de todos, eu escreveria uma carta pra minha mãe e eu não queria que alguém visse. A professora já havia entrado na sala e começado a aula, peguei um pergaminho e minha pena, comecei a escrever minha carta para mamãe.

Querida mamãe, sei que não está bem aí em Azkaban, queria dizer que sinto saudades de você todos os dias, é como se isso tudo fosse um pesadelo sem fim. Eu já sabia que não se orgulharia por eu ter ido para a casa da Grifinoria, mas está em meu sangue. Mas mesmo assim, eu te amo muito, e quero que você fique bem ok ? Mesmo que não tenha muita comida aí eu quero que coma direitinho. Quando nos vermos de novo irei fazer sua comida preferida. Saiba que sinto saudades.

Com amor

Sua filhinha!”

Enrolei o pergaminho e deixei de lado, comecei a prestar atenção na aula antes que a professora perceba o que eu tinha feito, muitas pessoas me jugam por eu ser a filha de uma comensal da morte, não ligo, amo muito minha mãe para isso.

Depois da aula de Aritmancia, eu teria aula de Poções. Fui até a masmorra do Prof. Snap, sentei em meu lugar e vi ele caminhando devagar até a frente da sala, ele deslizava tão levemente que parecia um morcego.

– Hoje, teremos um desafio, quero ver se vocês sabem preparar uma poção para alguma emergência. Imaginem que seus pais estejam morrendo com algum veneno, tentem salva-los. Podem começar, Srta. Lestrange, venha até aqui – Levantei da minha cadeira e fui até a mesa do professor.

– Sim professor ?

– Soube que chegou uma carta da sua mãe hoje – Ele disse tudo suavemente – Eu já sei quem é seu pai Bella, com certeza não estou orgulhoso disso.

– Eu sei – Abaixei minha cabeça e olhei para meus pés.

– Você vai continuar sendo minha aluna preferida Bella... Não tem culpa dos pais que tem – Sorri pra ele – Agora, o Prof. Dumbledore pediu para que fosse até ele agora. Está liberada.

– Obrigado professor – Fui até minha mesa e guardei minhas coisas, caminhei até a porta da masmorra e sai da sala.

Cheguei até a porta que dava acesso ao escritório do diretor, disse a senha e ela se abriu. Subi para o escritório e vi que nada tinha mudado desde a última vez que vim aqui, os quadros sempre nos mesmos lugares, o armário, a penseira, a Fênix do Prof. Dumbledore já envelhecida, abri a porta e vi o professor sentado em sua cadeira, pigarreei e ele me olhou com seus olhos azuis cintilante e calmos como o mar.

– Que bom que veio Bella.

– Soube que queria falar comigo diretor.

– Sim... Sente-se Bella... Preciso mesmo falar com você – Sentei e vi ele ir até o armário, ele pegou a penseira em suas mãos e carregou ela até a sua mesa. Prestei atenção em cada movimento que ele fazia – Hoje quero lhe mostrar uma coisa Bella.

– Sim senhor.

– Veja... Você melhor do que ninguém sabe por qual motivo sua mãe foi para Azkaban certo ?

– Sim..

– Pois bem... Eu estava lá quando isso aconteceu Bella... E queria que você visse tudo o que eu vi. Você acha que pode ?

– Me desculpa Prof. Dumbledore, mas acho que não consigo.

– Eu entendo Bella... Se fosse minha mãe eu falaria a mesma coisa... Mas vamos falar sobre seu pai agora.

– O que tem meu pai ?

– Eu soube que seu pai é aquele que fugiu de Azkaban um dia desses – Continuei olhando para baixo.

– Prof. Dumbledore... Não tenho culpa por meus pais serem assim, não escolhi ser filha deles mas eu me orgulho de qualquer forma. Eles são as melhores pessoas que já vi em toda minha vida, não por serem meus pais, mas por serem o que são hoje. Bruxos fortes e talentosos, mesmo sendo comensais da morte.

– Não disse que tem culpa por ser filha deles Bella.

– Mas é o que todos dizem... As pessoas me jugam mesmo sem saber o que sou... O Neville não fala mais comigo por que soube que sou filha da pessoa que quase matou os pais dele. Ele fazendo isso me faz me sentir tão... Culpada por tudo o que aconteceu – Meus olhos já estavam marejados, eu já estava cansada das pessoas me julgarem.

– Você não tem culpa Bella.

– Mas por que ? Por que me tratam com tanta indiferença ?

– Por que você é diferente Bella... Como você mesma disse, seus pais são comensais da morte, sua mãe foi da Sonserina mas você é da Grifinoria... Você fez a diferença em sua família Bella, não por ser da Grifinoria, mas por ser quem você é, é isso é uma dádiva.

– Meu pai não é mal... Ele não fez aquilo.

– Haverão oportunidades para você me contar sobre isso Bella mas agora... Quero que você só seja você, continue amando seus pais, mesmo eles sendo quem são... Continue com essa bondade em seu coração, pois é assim que é um verdadeiro Grifinoriano – Ele sorriu pra mim me fazendo ficar mais relaxada.

– Ok Professor... Serei quem eu sou.

– Ótimo... Agora não quero mais tomar seu tempo, vá para sua aula.

– Ok – Sai do escritório do diretor e fui para minhas aulas.

O dia passou bem mais tranquilo, mandei a minha carta para mamãe, respondi Tonks e mandei uma carta para meu pai, queria que ele soubesse o quanto o Harry é legal, disse também que haviam muitos dementadores ao redor de Hogwarts e para ele tomar cuidado. Já estava na hora do jantar, desfiz para o salão principal e vi os meninos já sentados lá, sentei ao lado do Rony de frente para Hermione e Harry.

– Onde esteve o dia inteiro ?– Hermione perguntou.

– Aulas... Passei o almoço na biblioteca... Tinha que fazer um trabalho de Poções.

– Snap passou trabalho para nós também... Três rolos explicando como fazer uma poção de cura – Rony disse de boca cheia.

– Pra mim está normal... Aritmancia é uma matéria esplêndida.

– Mas... Sua aula de Aritmancia era no mesmo horário de Herbologia, e você estava na aula de Herbologia – Rony disse desconfiado.

– Eu dei meu jeito.

– Que jeito ?– Vi que Hermione não tinha saída é resolvi falar.

– Hoje o tempo está frio... Será que vai chover ?

–Acho que sim !– Harry me ajudou.

– Bom... Minha refeição está terminada, vou-me dormir... Você vem Bella ?

– Sim... Não estou com fome... Até mais meninos – Dei um beijo na bochecha de cada um. Olhei pra mesa da Sonserina e vi que que Draco havia visto é estava com raiva. Dei uma risada e fui até ele, abracei seu pescoço e dei um beijo demorado em sua bochecha – Dorme bem primo... Te amo.

– Também te amo – Ele disse todo corado. Sorri pra ele e subi para meu quarto, eu e Hermione nos separamos, deitei em minha cama e me aconcheguei em meus cobertores, a temperatura estava fria e boa para dormir, então, logo cai no sono.


Notas Finais


Até mais meu povo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...