História A história de Kelleny. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Agressão Infantil, Drama, Magia, Mutilação, Suícidio, Violencia
Visualizações 7
Palavras 1.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLAA amores
Como prometido, essa fic será maior 🙏😊
Amo vcs😍
Bjuss 😘

Capítulo 6 - Cap 6


Kelleny on ainda

Meu pai se aproxima de mim calmamente, igual um leão, quando se aproxima de sua presa, ele apóia seus braços ao lado da minha cabeça, impedindo uma fuga. 

- Você não sabe o quanto esperei por isso... - Ela fala em quanto passa o nariz em meu pescoço,   eu coração esta um pouco acelerado - Queria te fuder mais cedo... Pena que aquele filha da puta apareceu e levou minha presa... - ele começa a beijar o meu pescoço. 

- Você esta errado em uma coisa - Falo tentando empurrar ele... O que está sendo em vão - Eu nunca fui sua presa... Você nunca sera meu rei,  você é um lixo, você não PRESTA! - Falo gritando a ultima palavra. Onde consegui coragem para dizer essas coisa?  Nao sei!  Eu nunca levantei a voz para ele, eu só faço o que ele pede... 

Sinto o braço dele tremer e suas mãos se fecharem por causa da raiva

" fudeu" penso 

- Quem você pensa que é para falar assim comigo? - Ele de dá um tapa em meu rosto - Você não tem o direito de falar assim! Eu te dou um lar, alimento, roupas, uma escola! Isso é o minimo que você pode me oferecer... 

- A questão é que essa casa é uma bosta! Não tenho não cama! Sua comida é um cu! Você quase nem compra roupa pra mim!  A escola não presta! Os professores colocam na lousa um monte de coisas para decorarmos, achando que vamos ser feliz! A questão é que estamos nos fuden... - Caralho!!! Onde esta vindo essa coragem?!?! 

Ele me joga o com um soco em meu braço, ele ataca minha boca, logo colocando sua lingua, sua boca esta com gosto de álcool, é hoje que eu não vou conseguir escapar... Em quanto ele me beija, começa a tirar minha camisa, minha calça, ate que me encontro nua... Ele tira sua calça e logo já está dentro de mim, mesmo ele já ter me fodido dês dos meus 11, não me acostumei com a dor qie sinto quando ele entra dentro de mim. 

Como ele está se fudendo se eu estou sentindo dor ou não,  ele começa a me estoca com força, mas depois ele sai de dentro de mim... 

- Antes quero fazer uma brincadeira...

Ele vai pro seu quarto, mas logo volta com uma faca, sal, chicote, algemas,  vela e fósforos... 

" ele vai me torturar..." só de pensar nisso começo a tremer...

Ele pega meu pulsos e tenta prender eles com as algemas em um cano de ferro em cima de mim, eu começo a lutar, mas ele é mais forte e logo já estou em pé com os braços presos... 

Ele pega a faca e da um leve sorriso 

- A regra é simples: não tenha nenhuma reação,  fechar as mãos, fazer careta, morder os lábios, ou seja, nada que sirva para alivia sua dor, caso contrario,  hahahahaha, se arrependera. 

Ele acende a vela e pega a faca,  ele faz um leve corte o suficiente para sangrar e doer... Consigo suportar... Mas ele pega a vela e pinga a cera no corte... Causando uma dor horrível. Fechos as mãos e solto um chiado, ele me da 3 chicotadas em minhas costas, o problema que o final do chicote tem uma ponta de ferro, parecendo do uma lâmina... Essa dor é horrível, mas com todas as forças do mundo consigo suportar

- Uhum, consegui suportar a chicotada, aff, queria te dar mais chicotadas 

Ele pega a faca e faz mais 2 cortes em minha barriga, mais fundo que o primeiro, dessa vez ele esfrega o sal em meus ferimentos,  causando uma dor tão grande que começo a enxergar pontos pretos,  seguro um chiado e mantenho o rosto neutro. Percebo Carlos se enfurecer por eu não estar chorando de dor, então ele decide pingar cera em meus ferimentos causados pela chicotada, dessa vez não consegui suportar a dor,  fazendo Carlos sorrir e me dar mais 4 chicotadas, 2 nas costas e 2 na coxa, chiei de dor,  e me tudo por causa disso,  recebi mais 2 chicotadas e uma esfregada da sal em minhas costas e coxas... 

Essa tortura durou 2 horas, Carlos me sorta,  e caiu no chão,  estou fraca... 

- Bebe, já está assim? Ainda falta mais uma coisa - ele me deita de brucos,  não tem nenhum lugar em meu corpo que ficou sem cortes, exeto pelos meus braços, seios, pés e pescoço, sinto seu membro em minha entrada, ele começa a beijar meu pescoço, ele entra sem avisar dentro de mim, soltando um arfar, lagrimas de dor sai dos meus olhos, ele começa a me estocar com força, ele geme em quanto distribui beijos e chupões em meus pescoço, ele me vira de costa agora, causando uma dor insuportável quando minhas costas entram em contato com o chão, tipo quase nem tem pele em minhas costas, de tantas chicotadas que ele me deu, depois de varias estocadas, sinto um liquido dentro de mim, isso quer dizer que ele logo voltará para seu quarto, Carlos da mais algumas estocadas para prolongar o orgasmos e cai ao meu lado, ofegante... 

- Voce sabe que você é o meu brinquedo preferido? 

Eu fico quieta... 

- Adoro te fuder - ele toma folego,  pega suas coisas e vai PRP su quarto, que graças a Deus é no terceilagrimas. 

Abraço meus joelhos, e começo a chorar... Me levanto e vou ao banheiro, com dificuldade, pois minha visão está embaçada por causa das lagrimas, entro no boxes e ligo o chuveiro, mas eu não fico embaixo dele, não consigo por causa dos cortes, e mesmo que tentasse, sentiria uma dor parecida com minis tiros em meus ferimentos, quem se corta entende minha situação,  então com as maos vou despejando pouco á pouco agua em meu corpo, limpando os ferimentos, depois de mais uma hora limpando ao ferimentos, tento entra na banheira, entro aos poucos na banheira, deixando os ferimentos se acostumarem com a água. 

Depois de mais uma hora na banheira e muitas lagrimas, e estou deitada no chao, com aquele lençol que não aquele porra nenhuma, estou com o celular, agora é 4 da manhã,  to vendo minhas redes sócias e ouvindo Butterfly do BTS, eu sempre ouço essa música quando estou mal... começo a cantarolar o refrão:


Gyeote meomulleojullae

Naege yaksokhaejullae

Son daemyeon naragalkka buseojilkka

Geobna geobna geobna


Você vai ficar do meu lado? 

Voce me promete? 

Se eu soltar sua mão, voce vai voar para longe e partir 

Estou com medo, com medo, com medo disso


Siganeul meomchullae

I sungani jinamyeon

Eobseotdeon iri doelkka neol irheulkka

Geobna geobna geobna


Voce vai parar o tempo? 

E se esse tempo passar, 

Como se não estivesse acontecido, 

Eu estou com medo, com medo, com medo de perder você 

Logo estou chorando... Essa musica me lembra da minha mãe... Ela pro... Nada... 

Arubynn me manda uma mensagem 

Arubynn 4:05

Oiii anjo

Turu bem amor?? 

Kelleny 4:06

Oi,  to bm ss. 

E vc? 

Arubynn 4:06

Eu tô bem ss

Oq está fznd acordada nesse horário?? 

Kelleny 4:06

Estou sem sono,  e vc? 

Arubynn 4:07

To jogando c maus amgs

Ta sem sono?  Quer que eu te ajude 😈? 

Estou chorando ainda mais e tremendo, ei sei que ele não tem culpa, mas só de ele falar isso me fez me lembra daquele filhra da puta... 

Kelleny 4:08

Vai se fuder Arubynn

Arubynn 4:08

KKKKKK

Machuco 😢😔💔

Kelleny 4:08

Rs

Aiaiai

Que sono,  vou dormir

Bjus

Arubynn 4:09

OK

Bjuss

Deslico o celular e adormeço... 



Acordo com a porra do celular tocando, delito o alarme e me levanto, vou ao banheiro pra tomar um banho, tiro toda roupa e ao ver meu corpo, arregalo os olhos



































 


Meus cortes estão todos cicatrizados! 


Notas Finais


Que porra está acontecendo?
Kkkkk
Aposto que vocês querem me mata por deixar vocês tao curioso 😂😂
Oq estão achando??
Kkkkk
Bjuss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...