História A história de Namikaze Minato e Uzumaki Kushina - Sonhos - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Fanfic, Hentai, Hokage, Jiraya, Kushina, Love, Minakushi, Minato, Raposa De Nove Caldas, Spirit, Tsunade
Visualizações 90
Palavras 942
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vish... não quero nem ver

Capítulo 12 - Se não for agora, nunca será... Shayn


Fanfic / Fanfiction A história de Namikaze Minato e Uzumaki Kushina - Sonhos - Capítulo 12 - Se não for agora, nunca será... Shayn

Ao abrir a porta Minato percebera que não havia ninguém por trás.

-Ué, mas quem bateu e saiu assim?- Ele se pergunta.

Ele olha para o chão e percebe uma papel, pega-o e começa a ler.

"Não sei o que viu nessa ridícula de cabelo vermelho mas acredite Minato, você vai pagar caro pelo que fez comigo, toda Konoha vai saber que ela agiu como uma garota promíscua, transando com o relâmpago amarelo de Konoha para ganhar fama, ela vai conseguir essa fama... kkkk espere e verá.


By: SH"

Ele amassa o papel com raiva, Kushina percebe sua ação e o olha preocupada.

-Minato? Está tudo bem?- Ela pergunta.

Ele aperta os punhos e ela nota que ele está instável.

Vai até ele e o toca no ombro.

-Minato? Fale comigo... - Ela continua a se preocupar.

-Tudo bem amor, está tudo bem... - Ele segura a mão dela em seu ombro, acariciando a mesma.

Se vira tranquilamente.

-Sabia que está linda hoje? 

Ela cora, faz uma expressão doce, ele não aguenta de raiva da tal carta e simplesmente deixa a garota ali e segue para seu quarto, começa a se vestir, ela o segue.

-Minato... Eu estou perguntando oque aconteceu e não tenho respostas...

-Nada aconteceu minha linda, está tudo bem.

-Onde vai?

-Vou resolver alguns problemas e já volto, ainda quero passar a noite aqui com você... de novo...

Ela cora.

-E-está bem, estarei aqui te aguardando.

-Acha que consegue amor?

-O que?

Ele se aproxima dela poucos dedos de distância com um olhar malicioso.

-Acha que consegue desabrochar de novo para mim? Precisarei prova-la para sentir sua doçura, necessito que esteja segura sobre isso. - Ele umedece os lábios e beija a testa dela bem devagar.

Ela entende na hora do que ele estava se referindo, cora, num rubor quase apimentado, seus olhos arregalados, suas mão suadas, estava completamente envergonhada com aquelas palavras.

-O que foi linda? Peguei pesado? Me desculpe, ás vezes me custa lembrar que é nova nesse assunto e acabo exagerando, desculpe, fui um abusado... - Ele diz enquanto esfrega uma das mãos atrás da cabeça.

-Quer dizer que você é experiente agora? Ainda estamos em processo de intimidade Minato - Ela diz farta de seu convencimento.

-Não sou nenhum santo mas o que realmente foi com amor foi a nossa primeira vez, sua primeira vez com um homem e minha primeira vez fazendo amor de verdade, com muito sentimento, não simplesmente sexo.

Ela fica sem reação, ele vai indo novamente em direção á porta, saindo pela mesma.

Kushina ficou parada como uma estátua de sal com uma expressão de confusão, até que retorna.

-MAS O QUE ELE FEZ COMIGO? COMO ESTOU BESTA.- Ela se ofende.

Pov: Minato

Procurava por aquela... aquela insolente em uma casa onde constumava passar estadias em Konoha.

Minato bate tres vezes á porta.

Ela atende com a maior calmaria do mundo.

-Ora, ora, ora. Veja quem deu as caras de volta para mim?

-O que faz aqui na aldeia? 

-Estava apenas visitando, adoro esse lugar as pessoas são tão boas e agem de forma engraçada.

-Cala essa boca, suma daqui, quem lhe convidou?

-Não preciso de convite Minato, venho quando quiser. Eu te segui até um prédio próximo ao centro ontem á noite, olhei pela janela confusa de quem foi ver naquele lugar, quando me deparo com um pica pau grudado em você na cama.- Ela dá a longa e sádica rizada.

-Melhor estar com quem me ama do que com uma qualquer como você, aliás estávamos falando de você a pouco, expliquei a ela nossa história e do nada você aparece assim, não vou mais tocar em seu nome desse jeito.

-Que fofo, contou pra ela o que fizemos, deu os detalhes? São importantes pois do jeito que ela fazia carinha de dor na penetração, deve ser uma promíscua de primeira viajem, que fofinho, ela deu a vingindade a você, quanto tempo para joga-la fora e apenas inclui-la na sua coleção? -Ela diz com um sorriso sádico.

Ele se enfurece e a empurra, lançando a mulher na parede com o impacto, ela cai ao chão.

-Eu a amo, ela me ama, VOCÊ que me enganou e fez de bobo por fama, m fazendo de bobo e se eu e ela fizemos algo, não te diz respeito. Se sujar o nome dela em Konoha, seu pai saberá de mim, que a filhinha é mas promíscua do que qualquer garota de boate e que eu mesmo a desvirginei antes do casamento de tanto que me pediu.

-Não se atreveria.

-Ah eu me atreveria sim, basta sujar o nome de Kushina.

-Ta bom, ta bom... meu pai não pode saber disso ou ele mesmo me castigaria, ou pior, me executaria, pois é considerado desonroso para todo o clã.

-Ok... então estamos quites e combinados? Se não for agora que voltará atrás nos ditos daquela carta, seu pai saberá amanhã mesmo, agora ou nunca Shayn. - Ele dizia friamente com intimidação em suas palavras.

-Sim, seja feliz com aquele projeto de ruiva, nem sei como eu pude me rebaixar assim.

-Acredite, eu e ela fizemos sexo sim e eu gostei muito, quero cada vez mais, enquanto quero distancia de você por ter feito o que fez comigo, aliás desculpe tê-la empurrado, nunca foi minha intenção machuca-la de forma alguma.

Ele diz enquanto sai tranquilamente pela porta a deixando atirada no chão, limpando a boca que teve um corte no lábio inferior... A garota, tinha belos olhos amarelos, um negro cabelo amarrado e pela janela atrás de si a luz da lua brilhava, ela se perdia em pensamentos mas o que mais a preocupava era o fato de ter que mandar concertar a parede pelo estrago de suas próprias ações.

-Ahhhh... Minha irmã vai me matar quando souber dessa parede, aliás, acabei de chegar para uma estadia aqui e já dei um jeito de acabar com praticamente a metade da casa, que saco mesmo.





Notas Finais


Tome kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...