1. Spirit Fanfics >
  2. A Horcrux Perdida >
  3. Eu vos declaro...

História A Horcrux Perdida - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pexualllll! Como estão??
Digam o que fizeram de bom hoje.
Trouxe este chapter incrível de “A Horcrux Perdida”, vocês não podem perder. É um capítulo que eu achei muito fofo e espero que vocês também achem! Desculpem os erros ortográficos caso tenha.
Tenham uma boa leitura!
Até lá embaixo! <3

Capítulo 15 - Eu vos declaro...


P.V. HARRY POTTER

Estação King's Cross

A última coisa que me lembro é de Thomas conseguir repelir a maldição da morte que eu joguei, mas como? Agora eu estou na Estação King's Cross novamente, a última vez que estive aqui nestas circunstâncias foi... Ano passado, quando Voldemort lançou em mim a mesma maldição que lancei agora a pouco. Eu estou da mesma maneira que eu estava aqui ano passado, nú, desejei que roupas aparecessem aqui e elas apareceram. Um terno preto. Me vesti mas não coloquei a gravata porque não sei dar nó e olhei ao redor, ninguém estava ali! Penso em Draco, ele realmente está morto? Há uma possibilidade de vivermos juntos ainda? Eu quero Draco mais que tudo! 

Então lá na frente surge uma pessoa vestida em um terno branco. Me aproximo desta figura e ela se vira,  noto seus olhos azuis acinzentados já conhecidos. Draco está a apenas seis passos de distância nós nos aproximamos e ao chegarmos perto um do outro eu toco seu rosto, perfeito como sempre. Sem dizer uma palavra Draco também toca meu rosto, passa o dedo por meus lábios e se aproxima lentamente. Eu olho seus olhos e me aproximo também querendo experimentar seu beijo neste mundo dos mortos, encurtamos a distância devagar até nossos lábios se encostarem. 

Fecho os olhos e aproveito aquela sensação incrível, Draco suga levemente os meus lábios e deixa sua boca entreaberta mordo seu lábio inferior e coloco minha língua em sua boca. Coloco a mão direita em sua cintura e o puxo para mais perto, grudando nossos corpos. Minha língua se moveu lentamente por sua boca, querendo explorar avidamente cada cavidade do seu interior, sua língua encontrou a minha e deixei ele guiar o beijo. Draco colocou sua mão direita em meu rosto e sua esquerda em minha nuca me puxando para si, nossas línguas entraram em sintonia e beijei ele com devoção, não deixando tempo para respiração pois Draco era o meu oxigênio, apenas Draco me dava ar suficiente para viver. 

Depois de um tempo eu não sabia mais qual língua era a dele e qual era a minha pois elas se tornaram uma só, como se tivessem nascido para viverem juntas. Desci minhas mãos até a nádega de Draco e apertei lentamente, sua mão esquerda fazia desenhos em círculos na minha nuca. Eu  estou em outro mundo, sinto uma sensação semelhante a paz. Draco continua no beijo e sobe suas mãos aos meus cabelos, enlaçando seus dedos ali e me puxando para ainda mais perto (se é que isso era possível), logo o beijo se tornou mais selvagem e eu gostei. Intensifiquei o aperto na sua cintura e comecei a guiar o beijo, entrando em uma sincronia maior. 

Mas infelizmente escutamos alguém fazer um barulho e nos afastamos só agora nos dando conta de que estávamos praticamente sem nenhum ar. Ofegantes olhamos para a frente e vimos Alvo Dumbledore nos olhando sorrindo.

- Oh me desculpe, senhor. - Draco disse corando.

- Não precisa se desculpar jovem, o amor é uma dádiva que todos deveriam praticar. - Ele disse sorrindo.

- Eu sabia que o senhor viria! - Sorri

- Eu sempre virei para aqueles que a mim recorrerem Harry. - Dumbledore sorriu.

- Professor, estou com uma dúvida muito grande. - Eu disse e ele fez um gesto para eu prosseguir. - Quando eu estava na sala e Thomas lançou a faca em Draco eu consegui lançar a maldição da morte sem a varinha, mas Thomas conseguiu repelir, como?

- Harry, Thomas é filho de Lord Voldemort com Bellatrix Lestrange. - Eu e Draco o olhamos espantados - Ela estava em Azkaban quando deu a luz, mas não queria o bebê pois o pai estava morto, até então. Você conseguiu fazer algo que nenhum bruxo na história da magia conseguiu Harry. Sobreviveu a maldição da morte duas vezes e poderá sobreviver uma terceira hoje. - Draco apertou minha mão e entrelaçamos nossos dedos. - Você lançou o feitiço sem a varinha por causa da sua fúria por Thomas ter tirado o seu amor. Mas Voldemort lançou em seu filho um feitiço onde a maldição da morte não vai atingi-lo, mas sua maldição foi tão forte que quebrou essa barreira e infelizmente voltou para você.

- Então Voldemort não sabe que eu quebrei um feitiço dele? Ele não sabe que quando eu lançar a maldição da morte a próxima vez seu filho morrerá? - Perguntei intrigado.

- Não Harry, ele não sabe. E quando o feitiço te atingiu ele não veio com força total pois você pensou sem perceber em um feitiço escudo e parte de sua mente e corpo estavam protegidos, a maldição acertou seu coração apenas, seu cérebro ainda funciona normalmente, fascinante! 

- Como Harry pode voltar e salvar os amigos dele professsor? - Draco perguntou e eu o olhei assustado.

- Eu não vou Draco, não irei deixar você sozinho.

- Acalme-se Harry, há uma maneira de ambos voltarem à vida. 

- E qual é? - Draco perguntou curioso.

- Como vocês sabem a ligação que há entre ambos é algo surreal.

- Professor, esta ligação sempre aconteceu? - Draco perguntou e começou a mover seu dedo em círculos na minha mão.

- Não Draco, esta ligação ocorreu depois que vocês se tornaram amigos, mais especificamente quando fizeram aquela promessa. No mundo bruxo uma promessa tem um valor imenso e vocês cumpriram a promessa, ou seja, esta ligação deixou vocês muito mais fortes que qualquer casal bruxo na história. Mas voltando a primeira pergunta de Draco, vocês só podem voltar à vida caso se casem aqui e agora, pois, a união entre duas pessoas que se amam na magia faz com que elas tenham um pedido, qualquer um. Então vocês poderão fazer isso juntos! Caso queiram. - Olhei assustado para Draco e ele estava com um sorriso no rosto. - Me sentarei naquele banco. - Dumbledore apontou para um banco. - Depois que tomarem a decisão vão até lá. - Ele se afastou.

- Então Harry... O que você acha?

- Draco, eu apoio qualquer decisão que você tomar. - Eu disse e dei um selinho nele.

- Harry se eu soubesse disso teria me casado com você na primeira vez que o vi. - Ele disse e cruzou os braços no meu pescoço, deu um beijo caloroso e se afastou. - Eu o amo Harry Tiago Potter... Malfoy. - Ele disse e corou níveis estratosféricos. Eu sorri e disse.

- Eu também te amo, Draco Malfoy... Potter. - E dei um beijo na sua testa. Fomos até o professor, unimos nossas mãos e dissemos em uníssono.

- Vamos nos casar. - E o professor sorriu.

- Se autorizarem poderei ser o responsável pela união eterna entre vocês. 

- Não confiaria esta missão a mais ninguém além do senhor professor. - Eu disse sorrindo e ele limpou uma lágrima por trás dos seus óculos de meia lua.

- Oh Harry, como você cresceu! - Ele respirou fundo - Me lembro como se fosse hoje de quando você entrou pela primeira vez nas portas de Hogwarts. Perdido e com medo. Mas hoje se tornou um homem forte e decidido, um homem que esta pronto para lutar a altura de Lord Voldemort. Eu tenho orgulho de você Harry. 

- Nada disso seria possível se não fosse com sua ajuda professor. - Eu disse e dei um abraço em Dumbledore pela primeira vez em minha “vida”, após o abraço ele disse.

- Bom cadê as alianças? - Ele disse e eu e Draco nos olhamos, sorri e fiz uns movimentos com as mãos, fazendo surgir nas mãos de Dumbledore duas alianças brilhantes se ouro. 

- Ela brilha assim como nosso amor Harry. - Draco disse e eu sorri

- Brilha como você. Meu loirinho  pervertido. - Eu disse e o abracei brincalhão.

- Antes de vocês se casarem tenho instruções a dar. - Dumbledore disse seriamente - Vocês precisam treinar juntos sempre para combate, Harry ensine a Draco como utilizar feitiços sem a varinha pois você mesmo percebeu o quanto isso é útil! Quando forem combater Voldemort ele só será detido se vocês dois forem o matar, nunca se separem! Nunca! Sempre juntos. Eu falei com McGonagall sobre vocês dois quando ela “morreu” - Ele fez aspas com os dedos - E vocês nunca saberão desta conversa mas ambos estão protegidos. Ninguém, absolutamente ninguém podem saber que vocês conversaram comigo, nem seus amigos, nem familiares. Vocês terão que explorar mais está conexão entre vocês pois creio eu que farão grandes feitos juntos! Agora sim, terminei. - Dumbledore sorriu e me entregou uma aliança. - Harry, repita comigo as palavras enquanto coloca a aliança no dedo de Draco! 

- Ok. - E conforme Dumbledore dizia eu repetia. - Draco Malfoy, aceite esta aliança como gesto de meu incrível amor por você. Estarei com você em todos os momentos bons ou ruins. Na saúde e na doença, na pobreza e na riqueza. - Esta era a parte que eu devia repetir, ma eu acrescentei. - Draco, te odiei desde a primeira vez que te vi, mas como diz o velho ditado, os opostos se atraem, e você me atraiu como um ímã para a sua vida! Me arrependo de cada momento em que brigamos e perdemos tempos juntos. Draco hoje eu sou capaz de dizer é isso já foi posto a prova muitas vezes. Eu Te amo, meu amor por você é imenso e não há começo nem fim. Estarei com você eternamente! - Sequei uma lágrima que escorreu dos olhos de Draco. Então ele disse:

- Harry Potter, aceite esta aliança como gesto de meu incrível amor por você. Estarei com você em todos os momentos bons ou ruins. Na saúde e na doença, na pobreza e na riqueza. - Ele também acrescentou - Ao contrário de você me apaixonei desde a primeira vez que te vi, talvez nossa vida seria muito diferente se você tivesse sido meu amigo quando lhe ofereci a mão, me lembro até hoje a primeira vez que falei com você. Estávamos nas escadas de Hogwarts e você estava com Ronald Weasley então eu disse quem era você e quem era Ronald. - Draco riu. - Então eu estendi minha mão e disse: “Você vai ter que aprender a diferenciar as boas das más famílias Harry, eu posso ajudá-lo." E então você respondeu: “Eu posso diferenciar as boas das más famílias Malfoy!” - Ele disse sorrindo. - Claro que havia mais detalhes mas eu não me recordo muito bem. - Draco corou. - O que quero dizer é que nunca achei que este dia fosse chegar e chegou, o que me mostra que qualquer sonho, por mais absurdo que pareça, é possível. E eu te amo Harry, com todas as forças do meu corpo, eu lhe amo como nunca amei ninguém e você foi a única pessoa que realmente me mudou. Harry estarei contigo sempre, eternamente, nunca duvide disso. - Ele terminou de colocar a aliança

 e desta vez ele secou minha lágrima.

- Eu não duvidarei. - Sorri.

- Eu vos declaro um casal magicamente unidos para sempre.   Ambos podem se beijar. - Então coloquei a mão na cintura de Draco e o puxei.

- Hum.. Que pegada. - Ele disse enlaçando os dedos no meu cabelo.

- Menos palavras e mais beijos. - Eu disse e então ele me puxou para um beijo, intenso. Sua língua entrou em minha boca e com uma habilidade que nunca vi antes explorou meu interior, seus dedos apertavam meus cabelos e me puxavam para mais perto, meus óculos começou a incomodar mas ignorei, apertei mais firme sua cintura e nossas línguas dançavam em minha boca, uma eletricidade passou por meu corpo ao ele acertar a língua em um ponto de prazer, ele percebeu e passou mais a língua ali, nossas línguas entraram em sincronia novamente e nos afastamos por causa do ar. - Uau, você estava guardando este Draco selvagem para mais tarde? - Eu disse ainda de olhos fechados sentindo o cheiro de sua pele.

 - Há muitas coisas que estou guardando para mais tarde Harry. - Quando abrimos os olhos uma luz forte estava sobre nós.

- Vocês estão aqui há duas horas, mas na terra já se passaram dois meses. Quase me esqueci, está na hora! Façam um pedido. - Então entrelaçamos nossas mãos, e juntos dissemos.

- Voltar à vida! - Senti o chão sumir e começamos a rodar, a única certeza que eu tinha era de que Draco estava comigo pois ainda sentia sua mão na minha. Então tive a sensação de parar de rodar e cair lentamente em algo macio mas não senti mais a mão de Draco na minha, apenas a minha aliança. Abri os olhos e percebi que estava na enfermaria de Hogwarts! 

- HARRY E DRACO ACORDARAM! - Ouço Hermione gritar e sorrio. É bom estar de volta!



CONTINUA...


Notas Finais


Então meu povo! É isso! Drarry está vivo e agora mais fortes.

No próximo capítulo Harry e Draco estarão de férias das escola pois é Natal já que ficaram dois meses em coma. O próximo capítulo promete e não sei se dará tempo de postar amanhã!
E digam o que acharam por favorzinho!
Até o próximo capítulo!
Beijos de amora! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...