História A Hospedeira - Capítulo 31


Escrita por: e AneAlmeida19

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inu no Taishou, Inuyasha, Izayoi, Kagome Higurashi, Kouga, Miroku, Rin, Sango, Sesshoumaru, Shippou
Tags Aliens, Inuyasha, Kagome
Visualizações 14
Palavras 1.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


salve salve pessoal boa noite será que ainda tem alguém por aqui? capítulo novo saindo.

Capítulo 31 - Nova realidade de um lado saudade apertando do outro


Jeb: tudo bem para você fazer parte dos recrutadores? “sério”

Inuyasha: tudo bem sim, quando eu começo? “sério”

Jeb: vou te apresentar ao chefe dos recrutadores, ele vai te mostrar o cronograma e explicar como as coisas funcionam. Ele já esta vindo ao nosso encontro. “explicando”

Uns minutos depois chega um rapaz alto, forte, moreno, cabelo preto, olhos azuis, trajava uma roupa que a parte de cima parecia mais um peitoral de armaduras antigas da época feudal, uma calça camuflada típica do exército e uma espada na cintura, ele então se aproxima e diz:

Koga: desculpe a demora, alguns moradores estavam precisando de ajuda com o carregamento dos fardos de trigo. “se aproximando”

Jeb: tudo bem, obrigado por vir. “sério”

Koga: porque me chamou aqui? “sério”

Jeb: quero que conheça o Inuyasha, este rapaz aqui será o novo membro dos recrutadores, ensine a ele tudo que ele precisa saber. Inuyasha este é Koga, espero que trabalhem em pa, sem confusão. “sério”

Koga: bem vindo, venha vou te mostrar o que você precisa saber. “mostrando a direção”

Inuyasha: obrigado. “seguindo o rapaz”

Enquanto isso em Giudecca

Hoje, fazia exatamente dez dias que Sesshoumaru tinha sido mantido preso assim como havia sido combinado com Aioria, o prateado não via a hora de sair daquele local, estava longe de ser essas prisões horríveis e com superlotação, sujos, escuros que estamos acostumados a ver nas reportagens de televisões, ao contrário era limpo, cheiroso, com uma cama macia, a alimentação era boa, tinha ótima iluminação e Rin o visitava sempre, porém, também não era um local que ele estava gostando de ficar e também não aguentava mais descascar milho, tarefa momentânea dada a ele por Aioria, o primogênito dos Taisho não aguentava mais ver esse cereal amarelo em sua frente, na verdade estava começando a achar que não iria nunca mais querer comer milho em sua vida, ele estava louco para ser liberto daquele lugar, não via a hora de poder curtir de forma adequada a gravidez de Rin, encher ela de mimos, carinhos e fazer suas vontades, estava martirizando Aioria nesse momento por ele ser o responsável de ele não poder cuidar de sua amada nesses dez dias, e falando no patriarca da aldeia, era 12:00 quando a porta se abre e por ela passa o jovem de cabelos castanhos e chefe da comunidade.

Aioria: como vai Sesshoumaru? “sério”

Sesshoumaru: poderia estar melhor. “sério”

Aioria: eu também, se não tivesse que olhar para essa sua cara de velho ranzinza e enjoado com a vida. “debochando”

Sesshoumaru: o que você quer? Já torrou toda a paciência que eu já nem tinha, pare de enrolar e me diz o que diabos você veio fazer aqui? “irritado”

Aioria: temos três situações para resolver. A primeira é o conselho da comunidade e eu decidimos que você está livre, poderá sair, acreditamos que o tempo de perigo para a comunidade já passou. “sério”

Sesshoumaru: graças a Athena! Poderei sair desse maldito lugar! “aliviado”

Aioria: você ficou aqui por que quis, não fale como se eu tivesse te obrigado e te deixado em cativeiro sem dormir, sem água, comida e a luz do dia. “com tédio”

Sesshoumaru: você sabe muito bem porque eu tive que ficar! “irritado”

Aioria: sei e olha foi a decisão mais sensata que você poderia ter tomado. “sério”

Sesshoumaru: quais são as outras pendências? “sério”

Aioria: a segunda é que com a sua soltura, você passa a fazer parte desta comunidade e como tal têm direitos e deveres esses os quais já expliquei quais são e como membro da comunidade terá uma função assim como todo mundo. “sério”

Sesshoumaru: e qual será a minha função? “sério”

Aioria: devido a sua idade, altura, ao seu porte físico, força, inteligência e reflexos rápidos, eu escolhi para você a função de recrutador de alimentos e pessoas, tudo bem para você? “sério”

Sesshoumaru: espera, quer dizer que eu terei que sair das muralhas? Ficou louco? Acaso esta querendo me empurrar direto para o suicídio? “assustado e irritado”

Aioria: obviamente você não vai sozinho seu idiota! Terá uma equipe com você muito bem treinada que irá te auxiliar nas tarefas, afinal essa também é função deles, são um total de quarenta pessoas que se dividem em turnos de quatro pessoas por vez. E então? Topa ou não topa? Tempo é algo que não podemos nos dar ao luxo. “sério”

Sesshoumaru: tudo bem eu aceito. “sério”

Aioria: graças a Deus, me poupa muito tempo, a terceira coisa é que todos nós estamos muito curiosos com essa historia de que um humano pode voltar ao normal depois que passou a hospedar um alienígena, então os médicos e pesquisadores da comunidade gostariam muito de ter umas conversas com você. “sério”

Sesshoumaru: querem me usar para experiências cientificas? Era só o que me faltava. “irritado”

Aioria: acho que a paternidade afetou o seu cérebro, serão apenas conversas e exames de rotina normal como coordenação motora e atividade cerebral, mas não será obrigado, você faz se quiser. Eu apenas preciso do seu consentimento para comunicar a eles. “sério”

Sesshoumaru: eu poderia pensar e conversar um pouco com a Rin antes de me decidir: “sério”

Aioria: você gosta de pensar não é mesmo? E de conversar com a Rin também, vejo que como todo mundo diz realmente quem manda nas relações são as mulheres. “rindo”

Sesshoumaru: você é a pessoa mais insuportável que eu já conheci. “irritado”

Aioria: precisa conhecer mais pessoas então, beleza, com quase tudo resolvido, venha comigo, vou te apresentar ao chefe dos recrutadores e já vou logo te avisando, ele não gosta muito de ter sua autoridade e decisão contestada por seus subordinados. “saindo”

Eles chegam até um cara que possuía cabelos brancos, olhos escuros e usava uma mascara que cobria seu rosto deixando apenas seus olhos de fora e um tapa olho na visão esquerda.

Aioria: Kakashi esse é Sesshoumaru, aquele esquentadinho que eu te falei, vai trabalhar com você como o mais novo recrutador de Giudecca, Sesshoumaru esse é Kakashi, chefe dos recrutadores.

Kakashi :bem vindo ao inferno. “sério”

Sesshoumaru: que recepção mais calorosa. “irônico”

 Aioria: deixarei vocês conversando. “saindo”

Kakashi: vou direto ao ponto, existem apenas seis regras que você precisa cumprir para trabalhar comigo, número um: fora das muralhas nenhum companheiro fica para trás, dois: nunca saia da trilha, três: seu parceiro de trabalho é seu irmão gêmeo, você não vai a lugar nenhum sem ele e vice-versa e ultima: nunca, jamais questionar as minhas decisões sobre qualquer coisa, se eu mandar você parar de respirar você para é bem por ai, entendido? Qualquer objeção é só comunicar o Aioria que ele te muda de posto e procura alguém mais capacitado. “sério”

Sesshoumaru: entendido. “sério”

Kakashi: ótimo, então vamos para arena de treinamento. “saindo”

Enquanto isso na base de operações secretas...

Após mais uma vez invadir a mente de Kagome em busca de algo que pudesse levar os buscadores até a resistência, Peregrina não consegue muita coisa, a morena estava dificultando o progresso da situação bloqueando parte de sua memoria e colocando em transparência coisas e situações menos relevantes e como já era hora do almoço, Kikyou libera a alienígena para ir fazer a refeição e tirar o resto do dia de folga, pois ela teria outros assuntos para resolver e por conta disso, as investidas nas memorias de Kagome ficaria para outro momento. Após fazer o desjejum, ela resolve tirar um cochilo, poderia não parecer mas invadir o cérebro de um humano era muito cansativo e desgastante, com tudo o sono não estava sendo dos melhores, já que Kagome aproveitou o momento para encher sua cabeça com lembranças dela e de Inuyasha.

Lembranças do capítulo 7...

Inuyasha: calma gente, nada vai acontecer, vou ficar de guarda só por precaução. “parecendo estar tranquilo’

Kagome: as três da manhã eu vou trocar de lugar e não se fala mais nisso. “séria”

Inuyasha: pelo amor de Athena, isso não é necessário. “revirando os olhos”

Kagome: eu disse fim de papo! Aprendiz de super-homem! “séria”

Inuyasha: tudo bem já que insiste, até depois. “saindo assustado”

Três horas da manhã...

Kagome se aproximava da varanda da casa onde eles estavam passando a noite e Inuyasha estava de guarda vigiando.

Inuyasha: você é pontual em? “com tédio”

Kagome: trato é trato! Vai descansar. “séria”

Inuyasha: tudo bem, eu vou, mas antes quero te dar isso aqui “entregando a ela uma orquídea roxa”

Kagome: obrigada essa é minha flor favorita. “encantada”

Inuyasha: disponha, saiba que ela é tão linda quanto você, ah! Se precisar de algo, vou estar logo ali na sala. “saindo”

No dia seguinte eles definem que mereciam um pouco de descanso e relaxamento, mas sem descuidar da vigilância. A família decide tomar banho na piscina que tinha na casa que estavam se abrigando. Todos vestem seus trajes de banho e após insistência de Hitomy , a juventude aceita passar protetor solar.

Inuyasha: Ka, poderia passar protetor em mim? _sugerindo.

Kagome: opa! Claro. _sorrindo de canto.

Ela então começa a passar o protetor no rapaz, e propositalmente passava as mãos bem devagar sobre o abdome, sem deixar de reparar obviamente no corpo para lá de definido que o prateado tinha.

Inuyasha: gosta do que ver? “provocando”

Kagome: já vi melhores. “debochando”

Inuyasha: finjo que acredito. “rindo”

Eles passam o dia na piscina descansando um pouco...

A alienígena então desperta do sono e fica irritada com Kagome.

Peregrina: você poderia para de encher a minha cabeça com essas lembranças? “irritada”

Kagome: a cabeça é minha e eu estou colocando essas lembranças para você perceber e se tocar do mal que você me fez ao me separar da pessoa que eu mais amava! “brava”

Peregrina: eu não te fiz nenhum mal e agora vê se me deixa dormir. “voltando a cochilar”

Enquanto isso no vulcão...

O caçula dos Taisho Inuyasha estava deitado em sua cama após fazer a refeição do almoço e seus pensamentos apaixonados estavam todos direcionados a uma certa morena que era dona de seu coração.

Inuyasha: ah! Que saudade que eu estou de você, minha princesa. “suspirando”

Continua...


Notas Finais


dois recadinhos: primeiro desculpem a demora e segundo: devido a baixa considerável nos comentários, redução de quase 100% diria eu, nos fez pensar que vocês talvez não estejam mais gostando da historia então vamos encerrar ela antes do previsto inicialmente, não mais era só isso muito obrigada a quem leu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...