História A Hot Cold Love - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 22
Palavras 949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 2- Revisado


Ele me pegou brutalmente pelos braços e me jogou na cadeira, tentei o empurrar, mas a força que o mesmo estava usando contra a minha seria quase impossível até mesmo se mover um pouco, em poucos segundos minhas mãos já estava amarradas para trás. Como ele pode fazer isso com sua própria irmã? Eu sou sua conhecida, sua amiga dês de pequena, porque matar pessoas? Mesmo que não inocentes, por que Jungkook??

Eu chorava, gritava, me debatia enquanto o mesmo ria mostrando que o mal havia o dominado,ele pegou em meu queixo o apertando me forçando a olhar em seus olhos, pretos, fundos e com um brilho que acendia a chama do prazer em meu ver sofrer, parecia ao mesmo tempo um universo sem fim, que precisava ser explorado e que sugava minha alma apenas ao o encarar, por fim soltou um sorriso debochado e nojento dando leves tapinhas em minha bochecha.

Jungkook-Ai, ai, S|n, como consegue ficar linda até chorando? Acho que te tornarei minha boneca de tortura, minha pequena bonequinha de tortura.-riu enquanto eu me desabava em lagrimas. Jungkook-Ei, não chore, não irei te matar, ainda não me aliviei completamente de minha raiva e você é minha vitima mais próxima, por favor entenda!-se afastou de meu rosto rindo e foi até o mesmo armário de armas. 

Ele pegou uma caixinha vermelha e um bisturi, arregalei meus olhos e o mesmo ao perceber meu desespero soltou uma pequena risadinha, veio em minha direção e se abaixou ao meu lado abrindo a caixinha que tinha milhares de agulhas de diversos tamanhos e tipos, elas tinham linhas vermelhas em suas pontas em baixo. Meu nervosismo aumentou em nível extremo, tremi e senti meu suor escorrer pelas minhas costas.

Jungkook-Acupuntura com agulhas quentes, pode ser usado para relaxamento e tratamentos de algumas doenças, mas se esquenta-las demais com o bisturi pode virar um meio de tortura.-o olhei com meus olhos inchados de tanto chorar, novamente estavam se enchendo rios de lagrimas que escorriam em meu rosto sem parar. Jungkook-Era isso ou o chicote de nove caldas e eu sei que você não aguentaria nem mais andar se eu te espancasse com ele.-falou calmamente aquecendo as agulhas no bisturi.

Eu sabia, sabia que gritar e chorar não adiantaria, assim como implorar  por piedade, mas mesmo assim chorei de dor, vendo aquelas agulhas entrarem em contato com minha pele, sendo enfiadas em minha perna sem dó, era horrível,a dor era horrível de quando chegava mais fundo me perfurando enquanto não me controlava para gritar de agonia. 

Jungkook-Caladinha! Agora é a melhor parte.-riu, juntou todas as cordas em sua mão e foi puxando as agulhas para fora de mim, senti meu sangue escorrer pelas minhas pernas abaixo. Jungkook-Não foi tão ruim assim, dá próxima vez quero te ver bem quietinha.-se levantou e me soltou, eu ainda não estava acreditando no que tinha acabado de acontecer.

-Você é o pior irmão do mundo!Na verdade não pode nem se considerar mais um irmão, nossos pais teriam nojo de te chamar de filho, você me machucou, me viu sofrer e continuou, tudo isso por diversão e prazer em ver pessoas sofrendo, nem sequer fica com o peso na consciência com tantas vidas que já tirou, você ficara sozinho, eu te odeio, Jungkook!!-gritei jogando todas aquelas palavras pesadas em sua cara, o que não deixavam de ser verdade.

Não sei de onde tirei tanta coragem para responde-lo dessa maneira, ele poderia me matar agora mesmo, mas não fez isso, apenas riu com certo deboche e me olhou com desdém e com certa repugnância, sem tirar a seriedade do olhar...    

Jungkook- Não tente nada que não consegue fazer, pequena, se abrir sua imunda boca para falar com alguém do que aconteceu hoje, eu farei questão de matar a pessoa, você não vai a lugar nenhum, caso não queira que nada aconteça com seus amiguinhos estúpidos...Lembre-se, eu sou inteligente, você é no minimo espertinha, sempre estarei um passo a frente sobre qualquer pensamento que tenha.-disse com firmeza no tom usado. Jungkook-Suba para o quarto, tome um banho e não me espere para o jantar.Lembrando que não pode falar com ninguém porque alem de eu matar seus amigos, eu posso muito bem te chicotear até ficar roxa e sem andar...Bonequinha...-sussurrou o "bonequinha" em meu ouvido e logo em seguida mordeu o lóbulo de minha orelha.

 Abaixei minha cabeça e deixei as lagrimas escorrem e por fim concordei, ele me empurrou para a escada e segurou meu braço fortemente me ajudando a subir o que só piorava a dor dos machucados recentes.

Jungkook-Eu te amo, maninha...-beijou minha testa e trancou a porta do porão, logo em seguida saiu me deixando sozinha no escuro corredor.

Subi mais um pouco as grandes as escadas com uma tremenda dificuldade até finalmente chegar em meu quarto, fechei a porta, me escorrei nela e comecei a chorar enquanto ia descendo lentamente pela mesma lembrando de suas duras e nojentas palavras as comparando com os bons momentos que tive em minha infância com ele, tudo acabado, tudo destruído, tudo estava no passado. 

Em pensar que já era tarde demais, ele foi corrompido e encurralado pelo mal e pelo amargo tempo sem nossos pais, ele não é mais o mesmo, sinto como se tudo estivesse acabado e mais duvidas e problemas estavam se preparando para aparecer em minha cruel vida, mais duvidas, quem é Jackson? De alguma forma a maneira sua ausência estava interligada com seus segredos, misteriosos para mim e com esses nada bons pensamentos acabei adormecendo pensando no bipolar psicopata, uma junção de quente e frio, meu quente frio irmão, uma mistura de emoções e confusões.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...