1. Spirit Fanfics >
  2. A Human is Born - The Walking Dead >
  3. Isso foi assustador.

História A Human is Born - The Walking Dead - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Roi, sumida né?

A desgraça vem de patinete, mas uma hora ela chega pra acabar com tudo ksksksks

⚠️OLHEM AS NOTAS FINAIS⚠️

Capítulo 28 - Isso foi assustador.


Lucille pov:


Chegamos na casa e em seguida a porta foi aberta pelo Spencer que tinha um sorriso, mas quando viu Daryl o mesmo murchou um pouco, apertei meus lábios segurando a risada que queria escapar, Daryl colocou sua mão em minhas costas e apenas tive tempo de dar um breve “oi” para o mesmo, mas era mais por educação. Entramos na casa e já pude ver a mesma bem cheia, até a escada estava ocupada, por alguns dos moradores, Daryl se afastou um pouco e logo me aproximei de Glenn e Maggie que conversavam.


— Algum spoiler sobre o que vai acontecer? - Pergunto assim que me aproximei.


— Só sabemos que Rick e Morgan acharam algo. - Maggie responde enquanto trocava seu peso de perna, Glenn estava olhando para o lado e ao seguir seu olhar encontro Daryl conversando com Carol, ao voltar meu olhar para o asiático arqueei minha sobrancelha.


— O que foi Glenn? - O mesmo volta seu olhar para mim e dá um sorriso meio envergonhado.


— É que… - Ele olha entre mim e Maggie, acabei soltando um riso baixo.


— Não se preocupe, a Maggie não vai brigar com você, eu puxo a orelha dela. - Brinco e recebo um tapa de leve em meu ombro, Glenn acaba rindo balançando a cabeça negativamente.


— É que faz tempo desde que vimos o Daryl assim.


— Limpo? - Eu e Maggie perguntamos ao mesmo tempo de forma divertida.


— Também. - Rio novamente enquanto trocava seu peso de perna. - Mas no caso, mais leve, sabe foi um caos quando você sumiu, nossa… você não tem ideia de como ele ficou, eu nunca o vi daquele jeito e admito que morria de medo de apenas dar "bom dia!" para ele. Se pensar em fazer isso de novo, por Deus, não faça! - Soltei um riso fraco, abaixando meu olhar enquanto encolhia levemente meus ombros, eu com certeza iria me culpar pelo resto da minha vida por conta da forma que deixei eles, mas provavelmente faria de novo. - Você não vai fazer, né?


— Não, não vou fazer. - Falei ao erguer meu rosto e os sons de passos se aproximando se fez presente.


— Não vai fazer o que? - A voz de Daryl se fez presente e apenas o olhei enquanto cruzava meus braços dando um leve sorriso.


— Bolo de chocolate sem os convidar. - O vejo erguer a sobrancelha e logo Rick e Deanna aparecem para salvar a minha vida, logo Daryl fez um aceno de cabeça me chamando e o sigo, o mesmo se sentou em uma poltrona que por milagre estava livre e me sentei no braço da mesma ficando com meu braço apoiado em seu ombro recebendo um sorriso de Maggie e um cochicho de Carol para a mesma, revirei meus olhos de forma discreta segurando o riso e logo todo o falatório parou e os olhos se direcionaram para os mesmos… bom, mais para Rick já que Deanna ficou de costas para nós enquanto olhava para fora da janela.


— Eu vou ser breve. - Rick começou após ver que todos ficaram em silêncio. - Eu e Morgan estavam lá fora, encontramos uma pedreira lotada de caminhantes, a única coisa que os prende lá, são dois caminhões, precisamos de um plano para tirá-los de lá, não sei como aquilo pode acontecer e se manter em pé até hoje.


— Minha equipe viu no começo. - Heath tomou a frente dando um passo para atrair a nossa atenção. - Quando fizemos uma das primeiras explorações, para ver o que tinha ao redor. - O mesmo nos olhava e tinha um leve tom de pesar na voz, me arrumei no meu lugar colocando uma mecha atrás da minha orelha. - Havia um acampamento embaixo, o pessoal deve ter fechado as saídas com a traseira dos caminhões quando a coisa ficou ruim, mas não conseguiram, eram nômades, talvez uma dúzia.


— Ninguém voltou desde então? - Maggie perguntou ao arrumar a sua postura.


— As cidades boas para explorar ficam em outra direção, nunca quis fazer piquenique perto de um campo canibal. - Heath explicava enquanto trocava seu peso de perna, seria cômico se não fosse trágico.


— Enquanto isso, os caminhantes foram atraídos pelo som, agora fazem mais barulho e atraem mais deles. - Michonne explicou enquanto dava um longo suspiro.


— E nós estamos aqui. - Rick comenta enquanto nos olhava. - Agora o que eu proponho e sei que é arriscado, mas os caminhantes já estão escapando, um dos caminhões que mantém eles dentro pode despencar a qualquer momento, talvez depois de uma chuva forte, sei lá. - Deu de ombros colocando suas mãos sobre sua cintura. - Essa saída os manda para o leste, todos, direto para nós. - Que maravilha isso, era tudo o que a gente queria. - A questão não é “se”, mas “quando” isso vai acontecer, por isso temos que fazer isso logo.


— Isto é… não tenho outra forma de descrever: é assustador. - Tento disfarçar meu olhar para Carol ao ouvi-la falar, ainda era estranho ver ela agir dessa forma. - Tudo isso, mas parece que não tem outro jeito.


— Talvez tenha. - Carter, se não me engano, se pronuncia. - Não podemos reforçar os pontos fracos? Posso fazer o plano, trabalhei no muro com o Reg, na equipe de construção. - Ele faz uma pausa enquanto olhava para todos, mas mais especificamente para Rick. - Podemos deixar seguro.


— Mesmo se desse. - Me pronuncio pela primeira vez atraindo atenção de todos. - O som dos bichos vai atrair cada vez mais deles, reforçar as saídas não mudará nada, só irá adiar o inevitável.


— Faremos o que o Rick falou. - A voz de Deanna chamou a nossa atenção, parecia até que estava no automático. - O plano é esse. - Arqueei levemente minha sobrancelha, que estranho.


— Bom, o plano vai ser esse. - Rick arrumou sua postura e apontou para Daryl. - Daryl vai atraí-los.


— Eu também. - Eu e Sasha acabamos falando ao mesmo tempo e nos encaramos.


— Sasha poderá ir, você Luci, irá ficar.


— O que?! Mas porquê? - Pergunto um tanto indignada enquanto olhava para Rick.


— A gente conversa depois. - Seu olhar era um tanto severo e acabei bufando de forma baixa e cruzo meus braços.


— Eu vou junto, é um longo caminho para se fazer. - Abraham quebra o clima estranho que se formava.


— Certo, vamos ter duas equipes, uma de cada lado da floresta ajudando na excursão. - Rick volta a explicar e escuto um riso fraco de Daryl, o mesmo sabia que eu estava irritada. - Algumas pessoas vão ficar de vigia de agora em diante, Rosita, Spencer e Holly, eles estão fora. - Começo a bater a ponta do meu pé de forma impaciente. - Então quem vai?


— Eu. - Michonne é a primeira a falar enquanto trocava seu peso de perna.


— Eu vou. - Glenn se ofereceu junto.


— Eu também quero ajudar.


— Não. - Rick cortou Gabriel mais rápido do que quando Michonne faz isso contra algum caminhante. - Quem mais? Precisamos de mais.


— Eu posso ajudar. - Me voluntario novamente e escuto o suspiro de Rick. - Qual o problema de eu querer ajudar?


— O mais óbvio, você é instável.


— Cala a boca que a conversa não chegou no puteiro. - Digo de forma raivosa para Sasha e vejo sua expressão se fechar.


— Repete.


— Cala…


— Já chega! - Rick manda e nos calamos na mesma hora. - Lucille espera lá fora. - Antes que eu falasse algo, o mesmo me lança um olhar para me manter quieta, solto um riso descrente e balanço minha cabeça em negação enquanto me levantava, passo entre algumas pessoas e cheguei até a porta a abrindo, passo pela mesma e a bato com força, andei pela varanda e cruzei meus braços respirando fundo algumas vezes para me manter calma, quer saber?! Não vou ficar esperando aqui porra nem uma. Saio da varanda e ando em direção a minha casa a passos duros, logo cheguei e entrei a encontrando completamente silenciosa, as meninas provavelmente estão com Carl e Judith, andei até a cozinha vendo os pratos na pia, em seguida comecei a lavá-los para tentar me distrair, mas fiquei tão distraída ou com tanta raiva o que é mais provável que acabei quebrando um dos pratos e sentindo a palma da minha mão ser cortada.


— Merda. - Xinguei desligando a torneira e balancei minha mão pegando um pano e a cubro apertando em seguida para estancar o sangue, fiquei assim por longos minutos, em seguida escutei batidas na porta e respirei fundo ficando de costas. - ESTÁ ABERTA. - Grito enquanto minha mão começava a parar de latejar, passos se fizeram presentes e logo os reconheci. - Se está aqui para me dar um sermão, deixa para o Daryl fazer isso ou para o Hershel.


— Não, não é sermão. - Escuto o riso fraco de Rick e seus passos se aproximavam mais. - Só quero conversar. - Respirei fundo e franzi minha testa tirando o pano de minha mão a encontrando sem nem um corte, mexo a mesma enquanto olhava. - Luci, tudo bem? - Acabei afundando o pano junto com a minha mão na água que estava coberta por espuma do detergente.


— Sim, sim, está tudo bem, apenas viajei um pouco. - Solto um riso fraco e lavo minha mão deixando o pano na pia e me viro para o mesmo pegando outro pano e secando minha mãos. - Quer beber algo?


— Não, obrigado. - Andamos até a mesa e puxamos as cadeiras sentando logo em seguida, fico apertando o pano enquanto o olhava. - Então, como você realmente está?


— Eu tô bem, está preocupado que eu não esteja batendo bem da cabeça para ir lá fora?


— Você ainda parece que vai rolar no chão com a Sasha. - Reviro os olhos me encostando na cadeira.


— Só dela respirar me irritada, acha que é a dona da razão, antes de chegarmos aqui ela botou vocês em risco, pode dizer que eu sou muitas coisas, mas em nem um momento os deixei em perigo, quantas vezes eu botei vocês na frente e depois pensei em mim?!


— Eu sei, me lembro de cada coisa que fez e nunca pediu nada em troca. - Aperto o pano em minhas mãos enquanto respirava fundo. - Mas as coisas são diferentes, esse lugar pode ser nosso por completo, mas você tem que se controlar, não precisa se dar bem com a Sasha, apenas a ignore se precisar, mas mostre que temos direito de estar aqui.


— É mais provável eles tentarem me tirar daqui do que pensarem em fazer algo contra vocês. - Solto o pano enquanto me arrumava na cadeira.


— Mas isso não vai acontecer, sei que quer ajudar mas esse não é o momento, quando formos lá para fora para executar o plano, você, Maggie, Carol, Steve e Hershel cuidaram das coisas, já deve ter visto que Deanna não está no juízo perfeito. - Assenti enquanto o olhava. - Por isso Maggie irá ficar com ela, Hershel e Carol irão manter o pessoal distraído, você e Steve vão cuidar da segurança, se algo der errado, se algum caminhante desviar do caminho, você vai ter que cuidar das coisas.


— Não é meio arriscado confiar isso em uma mulher instável? - Pergunto de forma debochada e o vejo balançar a cabeça enquanto ria.


— Você apenas tem dias bons e dias ruins, não é sua culpa. - Se ele soubesse que a maioria são dias ruins, coitado. - Eu confio em você Lucille, sei que fará um bom plano para manter Alexandria segura.


— Certo. - Digo quase em um sussurro e sinto o mesmo segurar minha mão e apertar levemente, retribui o aperto e o vejo levantar, mas antes de se afastar, se volta para mim.


— Mais uma coisa que eu quero que saiba. - Arqueei levemente minha sobrancelha enquanto o olhava. - Não ligue para o que a Sasha fala, você é um anjo em nossas vidas, nos preocupamos com você, então qualquer decisão que tomar iremos apoiá-la desde que converse conosco, pois se fugir como na outra vez, vamos atrás de você e nem que tenhamos de carregá-la, a traremos de volta. - Acabei rindo sendo acompanhada por Rick. - Estou falando sério. - Me levantei e andei até o mesmo abraçando sendo retribuída.


— Eu sei, me desculpe por sempre preocupa-los.


— Está tudo bem, você é praticamente uma irmã para mim, que infelizmente me dá vários fios brancos de preocupação. - Ri novamente enquanto o apertava no abraço, às vezes conversar com Rick era bem fácil, talvez pela visão que tínhamos de sempre pôr a família em primeiro lugar.


— Rick?


— Hm?


— Posso jogar o Steve nos caminhantes se ele me irritar? - O mesmo soltou um riso baixo e deixou beijo no topo da minha cabeça antes de se separar.


— Não, não pode.


Dois dias depois:


A comunidade estava a mil, durante esses dois dias que passaram, o pessoal se ajudou a fazer uma barricada para que os mordedores não conseguissem se desviar do caminho, Daryl ia bastante lá para fora e quando eu não conseguia falar com Rick, era ele que passava o que eu estava fazendo para o mesmo, estava sendo até que fácil tudo se não fosse por Carter ter dado um chilique e quase atirado no Eugene, mas tudo bem, já senti essa vontade quando ele revelou que não era um cientista mesmo, então quem sou eu para julgar?! A manhã seria o dia que eles realizariam o plano, no momento eu estava no quintal de casa apenas observando a noite, Luna estava cada vez mais manhosa e Eve começou a sentir algumas dores de cabeça, coisa que estava me deixando com a cabeça a mil, ouvi passos após alguns minutos em silêncio, esses que tentavam ser bem silenciosos mas falharam.


— Não sei porquê ainda tenta me assustar.


— Eu ainda vou conseguir, só preciso esperar você ficar distraída. - A voz de Carl soou determinada e acabei rindo enquanto me virava para ele que estava com Judith em seus braços.


— Sonha. - Soltei um riso baixo me aproximando dos dois e deixo um beijo na testa de Judith e um na bochecha de Carl que retribui. - Então, Daryl pediu para vir me vigiar?


— Não… foi meu pai mesmo. - Revirei meus olhos e em seguida peguei Judith no colo dando vários beijinhos em seu rosto que riu. - A Luna e a Eve estão bem? - Perguntou enquanto botava suas mãos em seus bolsos.


— Luna está dormindo e a Eve tomou alguns remédios que o Hershel receitou. - Suspiro mexendo a mãozinha de Judith. - Quer dar uma volta?


— Com certeza. - Solto um riso baixo e logo saímos do quintal andando para frente da casa e a passos lentos começamos a caminhar pela rua que era iluminada pela lua que estava bem cheia, ainda tinha algumas pessoas perdidas andando ou luzes de casas acesas, tudo bem tranquilo. - Luci, posso te perguntar uma coisa?


— Pode sim. - Respondo arrumando a Judith em meus braços.


— Como… Como você sabia que estava gostando… do Daryl? - O mesmo estava meio hesitante e um tanto acanhado enquanto perguntava.


— Isso é uma pergunta um tanto difícil de ser respondida. - Solto um riso baixo enquanto andávamos. - Na verdade eu não pensei muito, ele era insuportável no início, bom… ainda é. - Carl acaba rindo. - Mas depois nos tornamos amigos e eu praticamente o via como um irmão ou achava que era isso. - Dou de ombros levemente. - Então tudo aconteceu de forma natural, sem pensar muito, como se seguíssemos a maré.


— Entendi.


— Mas então, vai apresentar a Enid oficial para a gente?


— O q-que? - O mesmo gaguejou e mesmo com a pouca luz, consegui ver suas bochechas vermelhas.


— Eu adoro jogar verde com você e colher maduro. - Acabo soltando um riso um pouco alto e arrumo a Judith quando a mesma começa a encostar a sua cabeça em minha bochecha e a deixo deitada em meu ombro.


— Ela é apenas uma amiga. - O vejo esconder seu rosto com o chapéu.


— Eu e Daryl começamos assim como eu falei.


— Ah, cala boca. - Ri novamente enquanto ele abaixava o chapéu completamente para o seu rosto, fazer isso poderia ser meu novo passatempo.


- - - - - - - - - - - - - - - - - -


Após ficar um bom tempo conversando com Carl o levei para casa e entreguei a Judith, me despedi dos dois e voltei para casa, mas fiquei na sala sentada perto da janela, fiquei a noite toda acordada e tenho certeza que entrei no meu próprio mundo e me desliguei de tudo, mas voltei a mim quando senti uma mão sobre o meu ombro, pisquei algumas vezes e virei meu rosto encontrando Daryl já arrumado.


— Você está bem?


— Estou…? - Minha resposta soou mais como uma pergunta enquanto o olhava.


— Por que não dormiu?


— Eu perdi a noção do tempo. - Dei de ombros e passo a mão em meu cabelo. - Já vai? - Pergunto me levantando e esticando as minhas pernas e braços.


— Já devem estar me esperando. - Podia sentir seu olhar me analisando e assenti de forma lenta.


— Antes de ir. - Ergo meu indicador e ando em direção a cozinha pegando o sanduíche que eu tinha feito e embrulhado para o mesmo, voltei até ele e entreguei. - Para você ir comendo. - O vejo dar um sorriso discreto e me olhar.


— Tem algum veneno?


— Só alguns. - Solto um riso baixo e Daryl deixa um selar sobre meus lábios que se transforma em um beijo lento, mas logo o paramos o encerrando com alguns selinhos. - Volte.


— Prometo. - Daryl fala se afastando e sai de casa, respirei fundo passando as mãos em meu cabelo, logo volto para a cozinha começando a preparar o café da manhã para as meninas, estava fazendo as coisas de forma distraída e logo terminei e coloquei as coisas na mesa, quando iria subir para acordá-las escutei passos correndo e Eve apareceu nas escadas suja daquela gosma preta.


— Luci, a Luna está vomitando! - Arregalei meus olhos e subi as escadas correndo, passei por Eve e corri até meu quarto vendo Luna se afogando. - Eu só ia acordá-la, era só isso…


— Está tudo bem, Eve. - A interrompo e coloco a Luna de lado para que a gosma saísse. - Preciso que avise o Hershel, diga para ele vir aqui.


— Tá, tá bem. - Concordou saindo do quarto enquanto tentava manter a Luna respirando, tirei o cabelo de seu rosto que começava a grudar por conta da fina camada de suor que começava a se formar.


— Está tudo bem, meu amor, você vai ficar bem. - Digo tentando ser calma e sinto sua mão segurar meu braço após se debater, meus olhos se arregalaram ao ver seu corpo se esticando, era como se seus ossos estivessem se mexendo por baixo da pele, logo a mesma foi parando de vomitar, mas eu ainda via seus ossos se mexendo perfeitamente, aquilo era completamente assustador, até seus fios de cabelo estavam crescendo, isso continuou por um tempo até que a porta no andar de baixo fosse aberta, nesse momento eu já não estava mais perto da cama e logo Hershel chegou na porta.


— Luci? - Me virei assustada para ele, o mesmo olhou para a minha roupa e depois para Luna arregalando seus olhos ao encontrá-la.


— Isso foi assustador.


- - - - - - - - - - - - - - - - - -


Eu tinha trocado de roupa e Eve tinha feito o mesmo, Hershel terminava de examinar a Luna e logo se virou em minha direção após guardar suas coisas na maleta.


— Bom, ela está bem, os sinais vitais dela estão ótimos também. - Suspirei em alívio e tirei a franja dos meus olhos. - E agora ela provavelmente está com os seus sete ou oito anos.


— Dessa vez demorou mais, ela já estava manhosa alguns dias, só querendo ficar no colo e eu como uma boa idiota, achei que poderia realmente ser só manha. - Balancei minha cabeça em negação enquanto soltava um riso sem humor.


— Ei, não se culpe por isso, estamos todos a mil na comunidade e preocupados com os caminhantes. - Hershel colocou sua mão em meu ombro me dando um sorriso gentil.


— Eu sei… - Sorrio fraco e respiro fundo. - Que tal tomar café com a gente? Como forma de agradecimento.


— Você sabe que não precisa me agradecer, mas eu vou aceitar pois até agora não provei muito da sua comida. - O mesmo apertou minha bochecha levemente e soltei um riso baixo, em seguida Hershel saiu do quarto, mas antes que eu pensasse em fazer isso, escuto um resmungo vindo de Luna e me aproximo da cama.


— Papa…


— Oi meu doce. - Sorrio me sentando na beirada cama e levo minha mão até a sua bochecha acariciando a mesma. - Como está se sentindo?


— Ta doendo. - Sua voz era baixa e logo a mesma abriu seus olhos de forma lenta, seus olhos continuavam bem expressivos e seu rosto era pequeno e delicado, as maçãs de seu rosto eram um pouco mais saltadas agora.


— Que tal um banho morno? Eu te ajudo e depois você fica com a Eve, pois tenho que ver se está tudo bem na ronda do chato do Steve. - Falei de forma divertida e consegui um riso baixo da mesma que concordou, em seguida franzi a minha testa ao ouvir um barulho de buzina ao longe e ergui meu olhar um pouco confusa.


— Papa?


— Não foi nada, achei ter ouvido me chamarem. - Sorrio para a mesma e tiro as cobertas de cima da mesma que estava sem roupa, logo a peguei no colo andando até o banheiro, talvez tenha sido o pessoal… para que os caminhantes os seguissem.


Notas Finais


Personagem:
Malina Weissman (Luna M. Dixon): https://pin.it/3WYI2Ol

O mulher que faz filha bonita, sem condições vei

Tão sentindo? É o cheiro de Wolf e não é de mim, pois tomei banho

Espero que não tenha nem um erro e obrigado por ler ‘-‘)sz

-W


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...