1. Spirit Fanfics >
  2. A Imperatriz das Sombras >
  3. Noites Frias

História A Imperatriz das Sombras - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Noites Frias


A noite está bem fria, me levanto para pegar outra manta, para me encobri nessa noite tão fria que significa a aproximação do inverno, nosso país sempre passa por momentos difíceis nessa estação do ano, com os conflitos nas fronteiras, o imperador usa todo o dinheiro em investimentos nas tropas militares em proteção do país, por mim eu espero que os rebeldes ganhe a guerra, e que esse reino cai em ruina... escuto um barulho alto vindo do andar de baixo, talvez um ladrão? não, não acho que seja! bom eu vou descobrir isso agora, abro devagar a porta de meu aposento, passo pelo corredor escuro, e do alto da escada eu vejo que a hora de mim irmã ir a procura da liberdade chegou.

- Irmã? - ela me olha assustada, ela deve pensar que irei impedi-la desço os degraus da escadeira quase correndo.

- Olha pequena eu vou...- eu interrompo ela lê dando um forte abraço.

- Vá sem ressentimentos, tentarei proteger nossa mãe! - Ela começa a chorar mas com um enorme sorriso no rosto me diz:

- Eu sempre soube que seria a mais forte de nós, se eu consegue fugir desse país de merda, acredite meu amor eu vou tentar te tira daqui, não se preocupe!

- Apenas vá Tatiane, e se mantenha viva, acredito que iremos nos reencontra novamente! - ela seca suas lagrimas, e me abraça com força.

- Para uma garotinha de doze anos você é bem esperta! -  Com os ocorridos da vida qualquer pessoa amadurece mais rápido do que é necessário.

- Sim eu sei disso, ande vá logo antes que os criados acabem acordando!-

- Eu irei, adeus irmã- e com essa palavras ela se foi, talvez para sempre ou talvez ela volte.

Um mês depois.

Como esperado a neve já encobre tudo, a algumas noites atrás deve uma nevasca forte,  espero que Tatiana tenha chegado em seu destino antes da nevasca, minha mãe ficou mais abatida depois da partida dela, mas eu creio que ela ficou aliviada de ver umas das filha a procura de liberdade.

  A mãe  tem ficado sempre em seu quarto trancada, ela nem quer mais comer, belisca a comida e depois deixa de lado, estou muito preocupada com ela. Vejo um dos criados indo levar as refeições de minha mãe.

- Deixe que eu levo por favor! - pego a bandeja de suas mão e sigo para os aposentos de minha mãe! - Bato na porta e não escuto resposta mas mesmo assim eu entro, ela está deitada com vários cobertores por cima.-

- Mãe! está na hora da senhora comer! - Ela se vira para mim e abre um sorriso tão bonito que sinto até meu coração esquenta

- Deixe essa comida de lado, deitasse aqui com sua mãe! - eu sigo suas ordens e me deito ao seu lado .

- Você é tão bonita e corajosa minha filha, eu gostaria de ser corajosa como você justiceira como sua irmã Tatiana e forte como sua irmã Lídia, mas eu acho que não me restou muita coisa, a sua mãe anda tão cansada, eu quero dormi!

- Daqui a pouco a senhora dorme, primeiro tem que se alimenta, pra ficar bem forte!

- Minha filha, qual é seu maio sonho?

- Meu maior sonho?! acho que é ter toda nossa família reunida, quando eu digo família quero dizer você, e minhas irmãs mais velhas!

-  Acho que você não vai consegue alcançar esse sonho, mas eu prometo te dar o poder e a força para tentar meu amor!

- A senhora é a melhor Mãe!   - eu dou  um beijo em sua testa. - Agora por favor coma um pouco!

- Eu vou meu anjo, agora você pode ir dormi, já está um pouco tarde

- Certo mamãe eu vou, tenha uma boa noite!

- Eu terei meu amor, querida a sua mãe te ama muito!

- Eu também amo a senhora! - saio de seu quarto, com o coração leve, faz tanto tento que não tenho esse tipo de conversa com ela, entro meu quarto e troco de roupas, eu me olho por alguns minuto no espelho, realmente eu me pareço com ela na aparência.

Me deito, sinto que vou ter uma noite boa de sono, mas antes acho bom eu reza por algum deus que me escute para proteger minhas irmãs e minha mãe...

Acordo atordoada com... gritos, me levanto às pressas e saio de meu quarto, vejo uma das criadas olhando para dentro do quarto de minha mãe com os olhos cheio de lagrimas com a mão na boca.

- Senhorita, não se aproxime! - não escuto seu conselho, e me aproximo, sinto meus joelhos falharem, nunca imaginei ver isso.

- Ma...mãe? Mamãe? - minhas pernas falham de vez e caio no chão, agora eu entendo o que ela quis dizer com dormi, mas eu nunca esperei que ela fizesse algo assim, nunca sequer passou em minha cabeça ver minha mãe com uma corda no pescoço.  Sinto as quentes lagrimas saírem de meus olhos, acho que foi tantos anos segurando as lagrimas que agora todas elas estão saindo de uma vez!   Agora eu realmente estou sozinha sem ninguém. 


Notas Finais


Então meus amores o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...