1. Spirit Fanfics >
  2. A invasora do meu mundo (Shikatema) >
  3. Passeio!

História A invasora do meu mundo (Shikatema) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Para quem também está com insônia!
Capítulo na Madrugada de sábado!
Boa leitura

Capítulo 4 - Passeio!


Era como um sonho sendo realizado...

Não que eu me imagine andando por um parque com uma mulher que me deixasse facilmente desarmado, extremamente bonita, que transmite uma paz e confusão ao mesmo tempo, mas está a vendo ao longe, com o seu sorriso esplêndido era algo maravilhoso, que era facilmente comparado a um belo sonho.

- Este lugar é magnifico!

Seu sorriso parecia aumentar conforma andava, naquela tarde quente que nem parecia ser tão quente para mim, mas ao ver o rosto das pessoas que transbordava suor me faz crer que estava bastante quente, mas parece que ela me mantinha frio.

Continuei a caminhar pela praça de Konoha, enquanto ela estava encantada com a paisagem evoluída e natural desse lugar, eu estava maravilhado com a sua reação, eu só posso estar bêbado! Essa é a única desculpa plausível para me fazer acreditar que a vejo brilhar mais que o sol!

Mas diferente do sol que esbanja o seu calor, eu posso sentir a brisa vindo dela, o encanto e o brilho perfeito para tudo isso!

- se eu soubesse que seria assim eu teria trazido um babador!

Saiu desse mundo que tanto me prendia e começo a encara-la como quem está na terra, e não em um sonho em pleno céu.

- An? Do que está falando?

Pergunto me aproximando desse ser magnifico, dessa esplendorosa de beleza.

- Desde que chegamos você continua me olhando com a boca aberta igual um idiota!

- Que saco!

Tao linda! Mas tão rude!

Falando em sonho, me deu um baita sono...

Bocejo e voltamos a andar.

- você não me chamou aqui para dormi não é?

Olho para ela dando um sorriso de lado, eu nem seria nem doido de dormi e deixar essa belíssima mulher sumir de minha vista, Esse colírio para os olhos... E só de está aqui já estou dormindo acordado!

- estava sonhando acordado! Mas veja! Estou pronto para qualquer coisa que você queira fazer!

Me espreguiço e volto a minha posição normal, para demonstrar a ela que estou o melhor possível. Mas não surtiu muito efeito, mas ao menos um sorriso aberto. Mesmo que eu tivesse o visto o dia inteiro.

- estava sonhando com o que? Em um passeio com a sua futura esposa e filhos e quem sabe um cachorro?

Riu com o seu comentário aumentando o passo para acompanhá-la. Ou eu sou muito Lento ou ela é muito rápida, enquanto apreciava o som de sua voz com uma risada de deboche.

- se você fosse à mãe de meus filhos quem sabe.

Ironizo e vejo a sua reação de tornar um pouco desconfortável, parece que eu a surpreendi.

- idiota! Eu nunca seria a mãe de seus filhos...

Sinto algumas facadas atravessado o meu corpo. Eram palavras tão sinceras... Mas o que um simples cientista conseguiria fazer para conquistar esse ser magnifico?

- assim você me ofende!

Faço uma cara de ofendido e recebo um olhar mortal em minha direção.

- o que seus pais pensaram quando te fizeram?

Perguntou ignorando o fato de eu estar tirando uma faca de meu peito imaginaria e jogando sobre o chão e finjo está tapando o sangue que deveria escorrer após o corte profundo que nunca ocorreu. E ela ignora toda a minha cena voltando a andar em pequenos pulos olhando cada detalhe da pequena praça tão irrelevante a meu ver.

- e como eu irei saber?

Ela ignorou a minha pergunta quando retornou ao seu olhar cheio de vida em direção a paisagem e as pessoas. Eu a vejo apontar para um lugar com uma imensa alegria, porem eu não queria deixar de olha-la... Que mulher é essa?

- olha! Que lindos pássaros com seus filhotes!

Sorriu de lado revirando meus olhos enquanto tentava inutilmente acompanha-la, ela assim que percebe que eu ignorei os "seus pássaros" para bruscamente fechando a cara e me olhando fundo cruzando os braços e batendo o pé no chão.

- Não ignore o que eu digo!

Me espreguiço sem tirar meus olhos de sua face ameaçadora, que de certa maneira não me assusta.

- eu não estou te ignorando! Apenas prefiro olhar para você a qualquer lugar dessa praça!

A vejo revirar os olhos e voltando novamente a me ignorar, nunca fui tão ignorado em toda a minha vida. Isso me faz sentir um pouco de falta do tempo em que eu bebia... Em que eu é que ignorava as mulheres que insistiam no erro, quem diria que eu iria viver para ser ignorado...

Pensando bem isso aconteceu em uma semana e alguns dias! Que mudança drástica em minha vida... Como pode eu viver 25 anos sem preocupação, sem me apegar a ninguém e do nada brota uma mulher em minha frente e me faz ser um cachorro carente atrás do dono em questão de uma semana e meia?

Mas se eu pudesse escolher eu trocaria aquelas bebidas, aquelas mulheres, minha vida despreocupada, para conhecê-la cada vez mais, se eu tivesse a chance de escolha, eu preferia nunca a esquecer, nunca a deixa-la fora de meu alcance, eu trocaria tudo! Tudo o que eu tenho para continuar ao lado dela, para descobrir mais sobre ela, para desvendar todo esse mistério!

Enquanto andávamos um lado a lado depois de muito esforço meu de apressar o passo, sinto uns braços me envolverem de forma desesperadora e o meu corpo ir ao encontro do chão pelo ato rápido e desesperado abraço.

- SHIKAMARU! QUANTO TEMPO? É QUASE UMA RARIDADE TE VER! EU ESTAVA COM TANTAS SAUDADES!

Caiu sobre o chão com uma garota praticamente me agarrando, olho para a Temari que se mantinha olhando para nós com uma expressão diferente das outras, e eu não sabia o que ela representava.

- Calma Ino! Eu ainda quero viver!

Anuncio sentindo meus ossos sendo quebrados, e logo após ela se levanta e ela fala agoniada-mente varias coisas, tão rápido que o meu cérebro não conseguiu traduzir absolutamente nada!

- Que cara de taxo é essa?

Perguntou depois de eu continuar perdido.

- Eu não entendi nada que você disse!

Anunciei meio desconcertado pelo olhar que as duas garotas me olhavam.

- Vai à merda! Sua preguiça é irritante! Me desculpa moça e boa sorte com ele!

Ela simplesmente vai embora depois de apenas sorrir e colocar a sua mão no ombro da Temari. Continuei perdido sentado sobre o chão recebendo o seu olhar.

- Podia ser menos grosso!

Disse por fim e me estendeu a mão. Parecia que uma chama acendeu em meu peito. Estico o meu braço e pego em sua mão, e ela me puxa de leve e eu levanto, aproveito a aproximação de nossos corpos e seguro a sua cintura para que ela se mantivesse mais perto com a minha mão esquerda e mantive a minha direita junto a sua mão direita fazendo seus olhos se abrir com mais intensidade e sua boca abrir e fechar varias vezes, e eu não consigo tirar os olhos de seus lábios!

- Você é maravilhosa!

Disse quando percebi que não conseguiria mais me conter, estava incrivelmente ligado a ela, eu a queria de uma forma que chegava a doer quando cogitava em nunca a tê-la!

Continua...


Notas Finais


O que acharam?
Comentem e obrigada por ler!
Ente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...