História A irmã de Onodera Ritsu - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Sekaiichi Hatsukoi
Personagens Masamune Takano, Personagens Originais, Ritsu Onodera
Tags Gêmeos, Irmã, Nostalgia, Sekaiichi Hatsukoi, Sih, Traumas, Universo Alternativo
Visualizações 16
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Eighth Chapter


— Ah… M-Masamune, pare… — Ritsu gemeu fracamente quando sentiu seu pescoço ser mordiscado. E não mostrava sinais de parar. — S-Se eu soubesse que iria... ah... ser assim, eu teria repensado a mudança. — ele se contorceu quando Masamune deslizou a mão pela camisa e foi empurrado contra a parede, novamente sendo atacado por seu namorado excitado. Ritsu havia se mudado há quatro dias e, desde então, Takano havia feito isto toda vez que chegavam em casa.

— Masamune, p-pare! — Ritsu ofegou enquanto tentava o empurrar..

— Por quê?

— P-Porque... nós já fizemos isso nos outros dias. — Ritsu engasgou quando o zíper de seu jeans foi desfeito.

— Você sabe que ama isso. — Masamune sorriu e deu um beijo de tirar o fôlego em Onodera. Todos os protestos cessaram depois disso, e eles continuaram a bagunçar a sala de estar.

{...}

— Mmm, isso foi tão-

— Não diga isso!

— Eu não sabia que meu pequeno uke poderia se dobrar assim.

— Cale-se…! — Ritsu falou enquanto ficava vermelho. Ele se aconchegou mais perto para se esquentar, puxando o cobertor para cima. Eles estavam simplesmente deitados ali, se abraçando. Ainda no sofá, Ritsu começou a sentir o sono pesar em suas pálpebras. De repente ele ouviu o clique de uma porta se abrindo e uma voz alta.

Onii-san! Preciso da sua ajuda! — Ritsu ofegou quando sua irmã entrou. Ela testemunhou a situação um tanto íntima e agora estava com o rosto corado. — O-Oh, me desculpe! — Riko virou rapidamente e correu de volta para a porta ao lado. Masamune começou a gargalhar alto.

— Não é engraçado! É melhor eu ir checar o que ela precisa. — Ritsu se soltou do abraço de seu namorado e vestiu suas roupas. Ele rapidamente foi para seu antigo apartamento e bateu na porta.

— Quem é? — a voz noturna monótona de Riko questionou.

— É seu irmão. — Ritsu entrou no apartamento e viu Riko na cozinha.

— Ah, Ritsu. A água quente do seu chuveiro não está funcionando. — ela o levou para o banheiro. Ele explicou que precisava ligar a água fria completamente primeiro, depois a água quente. — Bem, isso foi estúpido da minha parte. Obrigada, onii-san. — Riko acenou com a cabeça apreciativamente. Ele caminhou de volta para a porta da frente quando ela fez um último comentário. 

— Oh, onii-san! Você se importa em ficar quieto enquanto está fazendo sexo? Yasu late sempre que te ouve gemendo e posso ouvir vocês do chuveiro.

— Sim… — era tudo o que ele conseguia pronunciar enquanto corava, o mais envergonhado que já estivera.

"Vou matar aquele bastardo" fez uma anotação mental enquanto voltava para seu apartamento.

{...}

Era o fim de semana antes da Semana Infernal, mas Ritsu não estava de bom humor. Ele acordou com um telefonema de sua mãe, geralmente isso não é um bom sinal. E dessa vez não era diferente.

Flashback

— Alô? — ele bocejou ao telefone, mas parou rapidamente quando ouviu a voz estridente da mãe.

— Riko está de volta e você não me contou?!

— M-Mãe? Pensei que ela iria dizer ela mesma!

— Bem, ela não ligou! Liguei para ela algumas noites atrás para as nossas conversas mensais, e ela me disse que estava no Japão há algum tempo. E também tem um emprego na Marukawa!

— O que isso tem a ver comigo?

— Organizei uma reunião de família para esta tarde. É para o retorno de sua irmã e uma festa tardia para o aniversário de vocês dois, já que você não me ligou. Vocês devem estar aqui por volta das 12h! — e encerrou a chamada.

{...}

Ritsu amaldiçoou baixinho enquanto se vestia. Ele podia sentir o cheiro do café da manhã cozinhando, mas isso não o fez se sentir melhor. Odiava reuniões familiares aleatórias estúpidas, e realmente não se importava com seus milhões de primos e as pressões habituais de ser herdeiro da Editora Onodera e de seus amigos da família.

Ele arrastou-se miseravelmente para a cozinha. Não prestando muita atenção ao que ele estava fazendo, passou os braços solenemente ao redor da cintura do namorado tirânico. 

— Tenho que ir para a minha mãe… — descansando a cabeça contra as costas dele, murmurou tristemente.  

— Eh? Por quê?

— É uma festa de boas-vindas para Riko e uma festa de aniversário atrasada para nós. — ele o segurou mais forte. Ele odiava ir para a casa da mãe.

— Que horas?

— Tenho que estar lá por volta do meio-dia. — Ritsu suspirou.

— Minha mãe me ligou esta manhã e ela disse para eu vir por volta das 16h. Hoje é aniversário dela e geralmente eu recusaria, mas talvez se eu fosse lá, ela finalmente me deixaria em paz. — deu uma risadinha.

— Masamune! É a sua mãe! E é o aniversário dela! — Ritsu bateu levemente nele e Masamune revirou os olhos.

— Como se ela alguma vez tivesse se importado com meu aniversário. — zombou. Ele colocou o café da manhã em pratos e serviu Ritsu. Eles comeram juntos na mesa e continuaram a conversar. — Eu não vou brigar com ela. Apenas vou conversar e ir embora.

— Tudo bem, faça o que quiser. Vou sair às 10h; é melhor aparecer cedo do que a minha mãe arrancar minha cabeça. — Ritsu disse, comendo o café da manhã. Ele foi dar a notícia para Riko. Ele bateu na porta, que quase imediatamente foi aberta.

— Oh, onii-chan. O que você está fazendo aqui?

— Riko, nós temos que ir para mamãe e papai.

— O quê? Por quê?

— Mamãe está com raiva por você ter voltado sem lhe dizer nada. Então ela organizou uma reunião idiota de família para o seu retorno e nosso aniversário. — Ritsu coçou a nuca. A mão de Riko apertou sua xícara e ela suspirou. A única pessoa que odiava festas mais que Ritsu era sua irmã gêmea. Como ela não era a herdeira escolhida da empresa, o resto da família basicamente a ignorava. Especialmente após o incidente, quando ela desenvolveu seu distúrbio de personalidade e outros problemas, ela era apenas uma sombra. Ritsu sempre se sentiu mal; ela era na verdade uma das razões pelas quais ele não queria herdar a empresa.

— Acho que não pode ser evitado... que horas? — Riko deu-lhe um sorriso triste.

— Temos que estar lá ao meio-dia.

— Tudo bem. Imagino que ela nos quer formal, huh?

— Sim, provavelmente. — ele riu. Eles trocaram algumas últimas palavras e depois voltaram para seus apartamentos.

Algumas horas depois

Ritsu endireitou a gravata. Outra coisa que ele odiava sobre encontros familiares: ele tinha que se vestir formalmente. De repente, ouviu Takano murmurar em seu ouvido.

— Você está ótimo. — ele passou os braços ao redor da cintura de Ritsu.

— N-Não, Masamune! Tenho que ir! Mais tarde. — Onodera empurrou para fora de seus braços, corando.

— Oh, então você está dizendo que podemos fazer isso quando eu chegar em casa? Parece bom para mim. — Masamune sorriu maliciosamente.

— Estou indo. Adeus. — Ritsu murmurou um tanto corado.

— Tchau. Eu te amo. — Takano o beijou suavemente.

— Eu também te amo.


Notas Finais


Desculpe, esse cap foi curto e não acontece muita coisa. Foi mais como uma preparação para o próximo, que será a reunião de família.

Até o próximo capítulo :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...