História A Jaula - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Adam Milligan, Bobby Singer, Castiel, Dean Winchester, Gabriel, Jody Mills, Lúcifer, Miguel, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Adam, Amelia, Bobby Singer, Cabriel, Dean Winchester, Gabriel, Jody Mills, Lisa, Lucifer, Miguel, Personagens Originais, Sam Winchester
Visualizações 52
Palavras 2.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey everbody! Bem?

Esses capítulos finais vou mudar o dia da postagem para sexta!

Boa leitura espero que gostem!

Capítulo 6 - Capítulo 6 - Você mexe comigo.


Pov. Allis

Estava não sei quanto tempo “sozinha”, em momentos eu sentia a presença dele e em outros eu tinha certeza que estava totalmente sozinha. Eu estava uma bagunça de sentimentos e emoções, algo que nunca fui pra falar a verdade, mesmo com a merda de vida que eu tinha, eu era extremamente controlada, mas Lúcifer tirou todo esse controle e por algum motivo totalmente estranho e desconhecido eu gostava disso. Mesmo se passando o que eu achava ser dias eu ainda lembrava o beijo e tanto minha boca quanto meus dedos formigavam com a lembrança da sensação de tê-lo ali.

Eu estava totalmente perdida em meus próprios sentimentos e pensamentos. Eu sabia que sentia algo por Lúcifer, mas não tinha ideia de onde, quando e como aquilo havia acontecido. Como eu poderia simplesmente simpatizar, porque eu não aceitaria e nem assumiria que eu gostava dele, com um ser que me torturou de todas as maneiras possíveis e imagináveis?

Mas ele foi diminuindo as torturas gradativamente... Meu subconsciente falava.

Mas ele me torturou de qualquer forma! Não podia aceitar que estava gostando do diabo em pessoa. Eu andava de um lado a outro debatendo comigo mesmo, em um momento de frustração eu paro e grito, depois disso simplesmente desmorono e fico ali encarando o chão.

- Você está uma pilha... – uma voz grossa e suave diz.

Engraçado ela me era familiar, olhei para frente e me deparei com Miguel. Ele estava inteiro, vestia uma camiseta branca que marcava seu corpo musculoso, uma calça skinny preta. Os cabelos estavam um pouco cumpridos e uma barba rala começava a surgir, os olhos me encaravam com profundo interesse. Ele tira as mãos do bolso e se agacha na minha frente, tocando minha nova cicatriz no lábio com a ponta do indicador e do médio. Seus olhos correram por todo meu corpo nas partes aparentes, Miguel tocava cada cicatriz e eu me controlava pra não recuar.

Aquilo parecia errado, meu corpo gritava para me afastar, eu me sentia traindo, mas traindo quem? Lúcifer? Por que sentia isso pelo arcanjo caído? Eram muitas perguntas e poucas respostas. Miguel ainda olhava e tocava, não suportando mais isso me afastei, ele arqueou a sobrancelha, um frio percorreu minha espinha.

Lúcifer...

Inconscientemente comecei a olhar em volta, ele estava ali, eu sabia que estava, podia senti-lo... Meus olhos se prenderam em um canto mais afastados e escuro, o mesmo que nos beijamos, forcei a vista e percebi uma silhueta masculina, a mesma que invadia meus sonhos, a mesma que eu já conhecia tão bem por fingir várias e várias vezes que dormia só para poder continuar sentindo-a envolta de mim. Senti um toque leve em minha bochecha e me afastei de imediato, me sentia um animal assustado.

- Está tudo bem... Sou só eu, vou cuidar de você...

Afastei-me mais conforme ele se aproximava, senti uma aura forte e raivosa, eu sabia quem era e tinha medo do que ele poderia fazer, comecei a olhar em volta, era para ter outra pessoa aqui também.

- Onde está Adam?

- Por ai... – Miguel me avaliava.

Olhei freneticamente em volta a procura do loiro, o que havia acontecido com ele? Miguel deu um passo a frente e eu recuei.

- Chega de proximidades Miguel, onde está Adam?

O moreno parou e me encarou, senti um calafrio correr meu corpo e notei quando Miguel olhou além de mim com a sobrancelha arqueada, algo me dizia que Lúcifer estava ali, o arcanjo mais velho recuou e fez um movimento com as mãos exibindo o outro humano presente naquela jaula, Adam dormia calma e serenamente.

- Estou cuidando bem dele... – ele disse calmo, parecia até carinhoso – posso cuidar de você também.

Meus pelos na nuca arrepiaram, imediatamente senti o vazio, Lúcifer havia ido embora, não sei se agradecia ou se lamentava tal fato, então me limitei a suspirar e encarar o moreno que me olhava com a cabeça inclinada.

- Ele tem cuidado de mim... – disse me abraçando.

- Percebi pelas marcas... Ele tem te torturado Allis!

- Não Miguel! – respondi dura demais, então desviei o olhar pra parte escura, meus cabelos caindo na frente do rosto impedindo-o de ver meus olhos marejados – Lúcifer não tem me torturado há muito tempo, ele tem me mostrado sobre como estão as coisas lá em cima, tem afastado pesadelos...

Escutei seu arquejar e o olhei, Miguel parecia assombrado com o que falei, só franzi o cenho e não disse mais nada. Comecei a caminhar pelo cômodo, eu só queria ficar sozinha, na verdade eu só queria mais um momento com ele, eu precisava disso, ele me devia isso. Eu precisava entender, eu precisava de respostas e só as conseguiria com ele ali, na minha frente, nos olhando olho no olho.

- Por favor, me deixe sozinha – disse de costas para o moreno.

Silêncio... Era tudo que eu ouvia, nenhuma respiração nem nada, me virei para verificar e notei que estava sozinha de novo, caminhei até o canto mais escuro e me soltei sentando escorada na parede, abracei meus joelhos e ali fiquei.

- Por que você mexe comigo dessa forma? – perguntei para o nada, pois sabia que ele não estava ali, momentos depois sinto sua presença de novo, sem me dar ao trabalho de olhar pra cima digo – gostaria de tomar banho, será que você poderia...?

Segundos depois o cheiro de lavanda preencheu minhas narinas, quando ergui a cabeça estava no canto de um banheiro sozinha, de novo, suspirei e caminhei até a banheira que estava numa temperatura ótima, entrei e fiquei lá relaxando por um tempo indeterminado, eu sentia algo fraco, não sabia se era Lúcifer, mas mesmo assim disse:

- Uma hora vamos precisar conversar, a verdade é que você me deve essa conversa! Mas tudo há seu tempo, não vou apressá-lo...

Terminei meu banho então me sequei e uma muda de roupas novas se encontrava na pia, como tem sido ultimamente, depois disso apareço no quarto, mas dessa vez Lúcifer se encontra sentado na cama olhando pro chão, caminho até ele e sento ao seu lado.

- Oi... – digo com a voz fraca.

- Oi... Como tem estado? – ele perguntou sem me olhar.

Fiz uma careta antes de responder.

- Você sabe muito bem como... Tem me observado, só não tem aparecido.

Ele me olhou surpreso depois soltou um riso fraco.

- Verdade... Desculpa-me – ele esfregava o rosto, parecia cansado.

Puxei-o para meu colo e acariciei seus cabelos, ele se deixou levar, não parecia em nada o Lúcifer que conheci, que me torturava e principalmente: não parecia que era o diabo.

- O que ta acontecendo Lúcifer?

Pov. Allis off

Pov. Lúcifer

E mais uma vez eu estava ali, a observando invisível, eu sabia que ela podia me sentir, mas não conseguia aparecer, não depois daquele beijo.

O que foi aquilo?

Era a pergunta que mais se repetia em minha cabeça, não só o que foi, mas como e quando isso tudo começou a aflorar? Eu sabia que estava criando sentimentos e apego pela garota, não conseguia parar de pensar nela, de observá-la, de querer protegê-la quando tinha pesadelos, eu queria mover o mundo e toda a criação do meu Pai por ela.

Ver Miguel tentando pegar o que era meu me deixou furioso, a vi se afastando e isso me deixava satisfeito, mas Miguel era insistente, me coloquei atrás dela, ele não percebeu que ela me pertencia? Ai a verdade veio firme e forte, ela não era minha. Afastei-me e sumi dali no mesmo momento que a verdade caiu sobre mim.

Estava na parte da floresta desta minha prisão quando sinto a presença dele.

- O que quer Miguel? – perguntei sem olhá-lo.

- O que fez com a menina Lúcifer? Não achei que fosse baixo ao ponto de alterar a mente da mesma só para ela não te deixar...

Eu ri e virei exibindo meus olhos vermelhos, Miguel não tinha nem ideia da metade das coisas que haviam acontecido, ele ficou praticamente todo o tempo fodendo com Adam em alguma parte daquele maldito lugar. Na verdade nem meu irmão, nem Adam e muito menos os Winchesters haviam pensado um minuto sequer em Allis e isso me enfurecia de mil maneiras; eles simplesmente a entregaram pra mim e deixaram-na sofrer! E agora aqui estava ele querendo dar uma de bom filho dizendo que se importa com ela? Definitivamente não! Levantei minha mão e ele flutuou engasgando, pois eu pressionava seu pescoço com uma mão invisível.

- Nunca mais ouse dizer que fiz algo Miguel, eu não fiz nada, se ela optou por ficar foi por conta própria, vai ver ela percebeu que você não é lá como as histórias contam... – sorri cínico e o lancei em uma árvore – te dei sua chance de tirá-la de lá como pediu, se ela não aceitou a culpa não é minha. Agora... Nos. Deixe. Em. Paz – disse entre dentes e me virei.

Miguel sumiu e fiquei mais um tempo pensando melhor no que ele acabou de dizer. Se Allis não foi é porque sentia algo por mim, não é? Não conseguindo mais me manter longe voltei onde ela estava e escutei seu pedido para tomar banho, mudei o ambiente e me retirei para lhe dar privacidade, fechei um pouco os olhos e a imaginei, consegui senti-la e ver a imagem dela de costas na banheira.

- Uma hora vamos precisar conversar, a verdade é que você me deve essa conversa! Mas tudo há seu tempo, não vou apressá-lo...

Eu assenti, mesmo sabendo que ela não podia me ver, era verdade eu devia isso a ela. Depois que a senti pronta mudei o ambiente para que ela aparecesse no quarto, estava sentado na cama esperando-a. Ela se aproximou e sentou ao meu lado.

- Oi... – sua voz saiu suave e baixa.

- Oi... Como tem estado? – perguntei no mesmo tom olhando pra baixo.

- Você sabe muito bem como... Tem me observado, só não tem aparecido.

Olhei-a surpreso depois soltei um riso fraco.

- Verdade... Desculpa-me – esfreguei o rosto.

Allis me puxou para deitar com a cabeça no seu colo o que fui sem pestanejar, ela acariciava meus cabelos e aquilo estava tão bom que fiquei quieto não querendo que aquilo acabasse nunca.

- O que ta acontecendo Lúcifer? – sua voz tinha um tom preocupado e eu suspirei.

- Acontece que estou me apaixonando por você Allis... E não sei como lidar com isso... Sei que não sente o mesmo e não posso fazer nada pra mudar, a não ser tentar fazer que se sinta bem aqui...

Ela parou os carinhos, olhei de rabo de olho, ela parecia em choque.

- O... Que disse? – ela perguntou piscando como se acordasse de um sonho.

Suspirei, lógico que isso seria chocante e que depois de eu assumir a segunda vez ela fugiria e me odiaria mais, mas eu não podia mais fugir daquilo, me sentei e encarei seus lindos olhos âmbares...

- Eu estou completamente apaixonado por você Allis Singer, não espero que retribua, afinal o mal que te fiz é incorrigível e incurável, não sou digno de perdão, mas não posso controlar isso. Simplesmente surgiu e aconteceu, não sei quando ou como exatamente só aconteceu...

Ela estava impassível, fiquei um tempo mais ali, contei até 10 na verdade, percebendo que ela não ia falar nada ameacei levantar para deixa-la em paz, mas então a sinto me puxar o que acaba me fazendo cair deitado, não tenho tempo de fazer qualquer coisa, pois ela sobe em mim e logo em seguida seus lábios encontram-se colados aos meus.

Sua língua pede passagem e cedo sem qualquer relutância, sinto seu gosto suave invadindo minha boca novamente e só eu sei o quanto senti falta disso, Allis era uma droga de vício instantâneo que eu não queria ser curado. Suas mãos se apoiavam uma de cada lado da minha cabeça e as minhas se encontravam em sua cintura, num movimento rápido inverto as posições e fico por cima. Suas mãos se prendem em minha nuca e cabelo e sinto um leve puxão que me faz gemer e apertar sua cintura, escuto seu suave gemido com o aperto e já tenho certeza de duas coisas: 1ª que aquele som é o melhor som que eu já havia ouvido e 2ª eu com certeza queria ouvi-lo mais vezes. Separamos-nos pela falta de ar.

- Isso foi... – começo ofegante.

- Uau... – completa e ambos rimos, ela acaricia meu rosto – agora estamos quites quanto ao beijo...

Dou uma risada que há muito tempo não dava e beijo sua mão, seus olhos possuem um brilho novo e indescritivelmente lindo.

- Acho que posso estar começando a sentir algo... Mas ainda é cedo para dar certeza...

- Eu tenho todo o tempo do mundo... – respondi sorrindo

Ela sorriu de volta e voltamos a nos beijar quando nos separamos de novo acariciei seu rosto tocando a cicatriz.

- Se tivesse noção do quanto você mexe comigo... – falei ainda acariciando seu rosto.

- Eu tenho um pouco...

Ela sorriu e me empurrou pra cama deitando sobre meu peito, não fizemos nada além de curtir a companhia um do outro e mesmo assim essa foi a melhor noite de toda minha vida!

Pov. Lúcifer off

Pov. Castiel

Eu não lembrava como havia voltado e isso me intrigava, fui atrás de Dean, mas ao vê-lo com uma mulher eu desisti, algo doeu dentro de mim, mas não me permiti pensar muito, eu queria e ia fazer algo: ia tirar minha amiga Allis da jaula!

Já havia se passado dois meses desde meu retorno e procurávamos sem parar por algo que pudéssemos usar, nesse meio tempo fui visitar Sam, mas esse também estava com uma mulher então resolvi não incomodá-los, mas também não acreditava que esses haviam aberto mão de Allis.

Dispensei estes pensamentos ao encontrar algo que poderia nos ajudar.

- BOBBY, JODY! ACHO QUE ENCONTREI ALGO!

Os dois humanos que estavam na cozinha almoçando correram para a sala, então os mostrei o que achei.

- Acha que pode funcionar? – Jody revezou o olhar entre eu e Bobby.

- Acredito que sim... Castiel?

- Sim, na verdade, essa é a única forma segura de tirá-la sem que ele saia junto com ela. Mas precisaremos de ajuda...

- Bom então o que estamos esperando? – Jody bateu palmas e as esfregou – vão logo providenciar essas coisas que eu cuido da louça! Andem, andem!

Eu e Bobby assentimos. Abracei a mulher e depois Bobby a beijou e disse um “volto logo” saímos e fomos direto para sua caminhonete.

Aguente mais um pouco Allis, estamos chegando!

Pov. Castiel off


Notas Finais


É isso guys! Espero que tenham gostado, comentem, por favor!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...