1. Spirit Fanfics >
  2. A jornada de Deku! >
  3. Confissão

História A jornada de Deku! - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Confissão


Fanfic / Fanfiction A jornada de Deku! - Capítulo 4 - Confissão

Pov Izuku:

Depois de um dia inteiro de aulas na faculdade militar, finalmente posso ir pra casa. Mas antes disso, resolvo treinar meus golpes mais um pouco. Vou até o ginásio de luta, e logo tiro minha roupa, usando apenas um calção folgado sem cueca.

Acionando o dispositivo mágico, coloco no nível de mestres, e começo a lutar contra o boneco de treinamento ferozmente. Eu gostava de lutar, e ainda bem que eu era bom nisso.  Apesar de todas as artes marciais que aprendi, ainda gostava mais de usar minhas pernas como arma, pois na minha vida anterior, pratiquei taekwondo um pouco e gostei.

E por finalmente ser atlético o bastante nessa vida, pude aprender e lutar tanto quanto eu quisesse. Gritei com um sorriso a cada chute meu que conectava ao boneco, e me esquivava aos golpes dele. Eu não percebi, mas estávamos lutando a uma velocidade muito alta, quase nos tornando um vento. Eu também não percebi, que um certo stalker estava me assistindo com olhos predadores ao olhar meu corpo sarado suado lutando.

Com um giro no ar, dei o chute final que derrubou o boneco e gritei para terminar, fazendo o boneco voltar. Peguei uma toalha no banco e enxuguei o rosto, sem perceber a posição sexy que eu estava fazendo ao contrair os músculos fazendo uma certa alteza pirar.

Depois de limpar o suor, quando tiro a toalha tomo um susto e dou um pulo para trás ao ver Shouto me olhando diretamente na minha frente.

- Droga Shouto! Eu já disse para parar de aparecer do nada na minha frente sempre. Quer me matar de susto? Será que não dá pra fazer barulho de advertência? [Eu disse ofegante olhando irritado aquele cara que apenas sorria para mim. Fiquei um pouco perdido naquele sorriso, mas voltei ao normal.]

- O problema não é meu se um almirante e um mestre marcial fica cego ao seu redor quando treina como você Izuku. [Shouto responde com um sorriso, enquanto não conseguia desviar os olhos daquele corpo enorme sarado e brilhante de suor que o fazia salivar de desejo.]

- Você sempre dá essa desculpa, mas você sempre faz a mesma coisa porque você adora me dar susto. Como punição treine comigo. É meio chato lutar com um boneco de madeira. [Eu disse animado com um sorriso olhando para ele que suspirou e aceitou. O vi tirar as roupas, e logo um homem lindo de 1,95cm com um corpo magro e super definido estava a minha frente. Não sei o motivo, mas ele ficou totalmente nu, e não pude deixar de olhar fascinado aquela beleza viril. Perdi o sorriso dele quando vestia o calção.]

Começamos a treinar, e logo nossos golpes ressoavam no ginásio vazio. Shouto era muito forte e habilidoso. Como o príncipe herdeiro e um dragão, sua força física era enorme, e era muito inteligente e hábil. Mas de alguma forma, ele sempre me deixava vencer, e eu gostava quando caíamos no chão e ríamos juntos. Me sentia feliz ao lado dele. O mesmo aconteceu agora. O derrubei e o prendi no chão, abraçando ele por trás.  Diferente das outras vezes, eu podia sentir sua pele nua em minhas mãos, e senti seu cheiro forte e masculino em seu pescoço quando o prendi em meus braços.

- Shouto, porque você sempre perde de propósito para mim? Eu sei que você é mais forte e habilidoso do que eu. E porque seu cheiro me dá vontade de cheirar de novo e de novo toda vez que lutamos? [Eu disse em transe enquanto o abraçava mais forte e afundava meu nariz em seu pescoço o cheirando mais e mais, querendo gravar aquele cheiro viciante na minha memória.]

- Izuku, eu perco de propósito porque eu gosto de você seu idiota, e essa é a única maneira de você encostar em mim sem eu ter que pedir. E você está fascinado no meu cheiro, porque quando os dragões gostam de alguém e esse alguém gostar do mesmo jeito, sentir nosso cheiro o deixará afim de mais. Entende o que isso significa? [Shouto disse gentilmente enquanto fechava os olhos, sentindo o nariz de Izuku em seu pescoço o cheirando, e aquelas mãos o tateando o corpo.]

- Ah, então é isso. Eu gosto de você. Haha, eu reclamo de Kachaan por ser denso, e aqui estou eu pior do que ele. Sim, eu gosto de você Shouto. Mas como cresci vendo isso por todo lado entre homens, me confundi quando conheci você e crescemos melhores amigos, e não percebi quando caí profundamente por você. Toda vez que ficava com alguém antes, por alguma razão seu rosto aparecia na minha mente, e me sentia culpado por algum motivo. Mas agora, eu sei. Então Shouto, quer namorar comigo? Mas se me trair, eu castro você. [Eu disse com um sorriso fazendo o cara no meu abraço suar frio enquanto acenava que sim.]

Logo o virei de frente para mim, e segurando sua cabeça, o beijei. Foi um beijo longo e cheio de paixão. A paixão que eu procurava há muito tempo. Senti em meu abdômen duas coisas duras e compridas que estavam quente e outra fria. Interrompi o beijo, e olhei para baixo, vendo a situação e congelei por um segundo, e suspirei e virei Shouto para cima em meu peito, e desci as mãos para os dois paus enormes e grossos que pulsavam felizes por mim.

- Shouto, aviso logo que quando formos transar, não se atreva a logo de cara enfiar essas duas toras de carne em mim ao mesmo tempo ouviu? Você vai me arrebentar com os dois sem um treino a longo prazo. E vou querer ter você primeiro. Tudo bem? [Eu perguntei enquanto lambia e mordia suas orelhas macias, falando num tom baixo e rouco que o fez pulsar mais forte.]

- Tudo bem Izuku. Contanto que você me deixe ter você por inteiro, faça comigo o que quiser. Eu o amo desde pequeno sabia? No meu mundo sem cor e vida, você surgiu como meu raio de sol que iluminou e mudou meu modo de ver a vida. Eu amo você por muito tempo, Deku. [Shouto disse de olhos fechados aproveitando o carinho de seu urso em suas orelhas, e daquelas mãos enormes e ásperas conhecendo seu corpo por inteiro de um jeito gentil e cuidadoso. Atrás, eu podia sentir seu pau enorme e grosso como uma árvore quente e pulsante. Pensando no estrago que eu teria quando fosse a hora, apenas suspirei ao relaxar e aproveitar o carinho que Deku fazia em mim. Faz muito tempo em que senti paz, e agora deitado no conforto do abraço desse homem urso, me senti livre e feliz.]

Depois desse dia, o fato de estarmos namorando se espalhou pelo Império, e não. Não transamos naquele dia, pois não era romântico ou ideal termos nossa primeira vez juntos, num chão sujo e duro.

Continuamos tendo encontros, até que uma noite quando estávamos na minha casa, e deitamos na minha cama no meu quarto, ficamos excitados ao ver um tipo de filme sendo exibido numa espécie de espelho mágico, que era a tv desse mundo.

Ficamos ofegantes, e logo perdi a paciência, e o enchendo de beijos pelo corpo, comecei a chupar os dois paus dele que gemia enquanto segurava meu cabelo. Enquanto o chupava, brinquei com seu buraco, até conseguir entrar 5 dedos, que o fez gozar nos dois paus, que sugava em minha boca, me fazendo engolir tudo. Dei um beijo nele para fazê-lo provar seu gosto, e logo tirei um óleo de flores que tinha feito especialmente para essa ocasião e com a lingua, espalhei em seu buraco, obtendo gemidos e rosnados de Shouto enquanto brincava com minha língua naquela entrada rosa e macia que me instigava a judiar mais com minha língua, até eu o ouvir choramingando meu nome. 

Molhei bem meu pau com óleo, e fui entrando nele. Ouvi seu resmundo de dor, e o trouxe colado ao meu peito, enquanto beijava seu pescoço e boca, sugando e enrolando sua língua, enquanto deixava ele descer sentado no meu pau pouco a pouco. Logo, ele tinha colocado meus 29cm inteiro dentro dele, e comecei a mexer devagar no inicio, e mais forte e rápido no final.

A noite, o dia depois, e logo a outra noite, eu fiz meu dragão chorar e gemer meu nome o tempo todo. Pois eu sabia que na hora que fosse minha vez, esse lagarto lascivo faria pior comigo. Portanto, o dei muito amor. E como ambos tinham resistência quase inesgotável, não vimos o tempo passar e transamos dois dias e duas noites. No meio de foder Shouto, pude ouvir algumas vezes as vozes de kachaan e Kirishima, e logo depois shouto e eu ouvimos gemidos no quarto ao lado, principalmente de Kirishima enquanto Kachaan rosnava.

Sorrimos e continuamos. Na manhã do dia 3 ou 4, não sei direito, acordei com Shouto dormindo em cima do meu peito, com meu nariz em seus cabelos. O abracei melhor e o vi sorrir enquanto me cheirava o pescoço. O abracei me sentindo completo pela primeira vez, e sem o sentimento de solidão, pois eu tinha alguém que roubou e preencheu a vaga no meu coração.

Enquanto dormíamos, eu não sabia que uma horda de orcs e sereias se aproximavam em montes para nos atacar.

Pov Izuku fim.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...